Monga

Estava de noite, já havíamos jantado e saímos para dar uma flanada sem horas pra voltar, uma das poucas vantagens de estar de Ferias em Cabo Frio. Metade da noite seria, claro desperdiçada tentando jogar de graça nos fliperamas, mas havia também um tempo legal gasto vendo gente fazer tatuagem.

A palavra

A palavra

Sergio tinha sido demitido naquele dia. Reestruturação do setor, disseram. Andou a esmo pela cidade. Não sabia para onde ir. 28 anos dedicados À companhia e era pago assim, com uma cuspida na cara travestida de um educado aperto de mãos e um relógio barato como gratificação. 

Jogou o relógio na primeira lixeira que viu. 

A última carta

A última carta

Mãe, tudo bom por aí?
Sei que tem tempo que não escrevo. É que essa correria da vida, sabe como são as coisas.
Lembra de quando eu era moleque que tinha aquele troço chato de querer fazer xixi toda noite? Então, sabe que o péssimo hábito de acordar de madrugada para fazer xixi voltou. Tem uns três meses que tô assim de novo e tá ruim de parar. É um saco isso, porque acordo já com o treco quase saindo. E também de quebra vem uma sede sobrenatural.

O segredo do Raiden

O segredo do Raiden

Quando me virei e dei de cara com aquele homem que habitou anos os meus pesadelos mais sombrios, eu simplesmente não sabia o que fazer. E diante disso, quando notei que ele estava vindo em minha direção eu apenas larguei o copo de champanhe na mão da prima Lucrécia e saí correndo desesperado.