O navio que se disfarçou de ilha para não ser afundado

Conheça o navio que se disfarçou de ilha para evitar o ataque dos japoneses

A época da Segunda Guerra mundial é um manancial quase infinito para histórias curiosas e intrigantes, como pintar jipes de cor de rosa para se disfarçar,  fabricar tanques infláveis e até mesmo alistar um URSO como soldado.

Vale tudo para enganar o Inimigo!

Aqui está uma delas que descobri recentemente:

Às vezes é necessária uma ideia absurdamente maluca para prolongar sua vida e mantê-lo protegido de inimigos saqueadores. Uma dessas histórias inacreditáveis ​​é a do HNLMS Abraham Crijnssen, um navio holandês que escapou dos bombardeiros japoneses e navegou para a Austrália bem debaixo do nariz da frota aérea japonesa com olhos de falcão, empregando uma ideia ousada e maluca: Virar uma ilha.

O caça-minas da classe Van Amstel, Abraham Crijnssen, estava baseado em Java em 1942, na época da invasão japonesa. Foi ordenado que seguisse para a Austrália após a Batalha do Mar de Java. Naquela época, o poder aéreo japonês era muito superior e as chances de passagem segura de Java para a Austrália eram mínimas. Era praticamente certo que o navio iria parar no fundo do mar.

A tripulação do Abraham Crijnssen planejava originalmente escapar com outros três navios de guerra, mas foi forçada a embarcar em uma viagem solo.

O caça-minas não tinha velocidade a seu favor, eles podiam atingir apenas cerca de 15 nós (velocidade máxima). Suas escassas defesas não os protegeriam dos aviões de guerra japoneses. Tudo o que tinham eram algumas armas e dois canhões Oerlikon de 20 mm, ou seja, tinham praticamente brinquedos para lidar com os ferozes bombardeiros japoneses que circulavam pelos céus em busca de alvos para atingir.

Aviões patrulhavam a região permanentemente

Os 45 tripulantes trabalharam freneticamente para disfarçar seu navio. A tripulação desembarcou e cortou muitas árvores que puderam arrastar de volta para o convés. As árvores cortadas foram dispostas para parecerem uma copa de selva. As partes visíveis do navio foram pintadas como rochas, pedregulhos e penhascos.

Embora o navio estivesse profundamente camuflado, mover-se durante o dia seria perigoso, pois um piloto do Eixo perspicaz poderia bombardear o navio até fazê-lo desaparecer. A tripulação decidiu se mover apenas à noite.

A tripulação decidiu ancorar o navio perto das outras ilhas durante o dia. Eles esperavam misturar-se e fundir-se com a paisagem e evitar a detecção. À noite, eles percorreriam a maior distância possível – rezando para que os japoneses não percebessem a ilha portátil aparecendo e desaparecendo entre as 18 mil ilhas existentes na Indonésia.

O navio conseguiu escapar dos olhos de águia dos aviões japoneses e evitar o destróier que afundou os demais navios de guerra holandeses. Demorou oito dias para o navio chegar com segurança à Austrália.

fonte, fonte

Receba o melhor do nosso conteúdo

Cadastre-se, é GRÁTIS!

Não fazemos spam! Leia nossa política de privacidade

Philipe Kling David
Philipe Kling Davidhttps://www.philipekling.com
Artista, escritor, formado em Psicologia e interessado em assuntos estranhos e curiosos.

Artigos similares

Comentários

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Advertisment

Últimos artigos