Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp

Caramba, achei um video que me deixou muito impressionado. A parada é até simples. Uma série de barras horizontais de cores e tamanhos diferentes, que acendem conforme a musica clássica toca. Mas é um interessante recurso para “ver” a musica e perceber a beleza quase matemática da musica de Beethoven.

Isso dá uma dimensão inteiramente nova a minha percepção da complexidade que é compor para uma orquestra sinfônica.
Se você curtiu essa, veja mais algumas:

Tem este aqui, que é bem maneiro também:

Veja a musica – Maneiríssimo!

Comments

comments

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

14 ideias sobre “Veja a musica – Maneiríssimo!

  • 11 de setembro de 2009 em 11:57
    Permalink

    Phillipe, você, como designer, com certeza estudou algo sobre a “Medida Áurea”. Você já fez algum post sobre como a harmonia musical depende de intervalos de tempo e tons correspondentes à medida áurea?
    Os vídeos dão uma noção justamente dessa complexidade matemática envolvida no prazer auditivo.
    A gente pode até extrapolar e determinar que a estética, o que é agradável, não é uma questão de gosto, mas um imperativo de harmonia matemática.

    Resposta
    • 11 de setembro de 2009 em 14:18
      Permalink

      Não me lembro de ter escrito sobre as medidas áureas aqui, mas eu uso isso bastante em alguns trabalhos. Sobre a aplicação das medidas áureas na musica, assumo que me falta conhecimento para escrever sobre isso, mas não tenho dúvidas de que os padrões de beleza são norteados pelos centros de cálculo do nosso cérebro.

      Resposta
      • 11 de setembro de 2009 em 22:04
        Permalink

        Com certeza é. A escala musical cromática corresponde a logaritmos de base 2. Observe a relação entre a frequência sonora e as oitavas também. Música é basicamente matemática, assim como cores, padrões de beleza e tal. Aquilo que é desagradável aos sentidos também é matematicamente desequilibrado, pode analisar. Não tem erro.

        Resposta
    • 11 de setembro de 2009 em 17:55
      Permalink

      Philipe! o software utilizado para a criação destes vídeos é gratuito! e roda em qualquer sistema (32 bits, meu vista 64 roda com um delay absurdo…) com qualquer arquivo midi!

      segue o link da página do desenvolvedor…
      http://www.musanim.com/

      Resposta
  • 11 de setembro de 2009 em 17:18
    Permalink

    A idéia é muito interessante mesmo… Mas ver Clair de Lune sendo chamada de “Twilight soundtrack” é muito, muito trite…

    Resposta
  • 11 de setembro de 2009 em 21:07
    Permalink

    Há algum tempo exemplos como esse têm sido postados no YouTube. Tem um montão.

    E o que a Isabella diz é o caso, realmente, é de lascar.

    Resposta
  • 11 de setembro de 2009 em 21:09
    Permalink

    algumas substancias produzem efeitos similares…
    a mais divulgada é o LSD mas outros compostos podem produzir o efeito de ver o som.

    Resposta
  • 12 de setembro de 2009 em 0:25
    Permalink

    Falando em música erudita, sou músico da Orquestra Sinfônica Brasileira Jovem e convido todos os leitores para assistir nosso concerto dia 27 de Setembro na Sala Cecília Meireles (fica na Lapa, próximo aos arcos).

    Resposta
  • 12 de setembro de 2009 em 0:57
    Permalink

    isso é qs 1 acesso de SINESTESIA !!! 😉

    Resposta
  • 12 de setembro de 2009 em 1:28
    Permalink

    pena que esse gênero musical esteja praticamente morto por causa de latinos e funks da vida

    Resposta
  • 13 de setembro de 2009 em 10:11
    Permalink

    É o mesmo principio do Guitar Hero pô, muito legal!

    Resposta
  • 13 de setembro de 2009 em 11:22
    Permalink

    interessante a tua descoberta. esse é o chamado “rolo de pianola” (aqui colorido), ou “piano roll” como eles chamam lá… e é uma maneira de representar a música pintando barrinhas de cores (timbres), comprimentos (durações) e elevações (alturas) diferentes.

    esse mecanismo era usado naqueles pianos que tocavam sozinhos, mas creio que agora os comandos sejam dados por computador.

    salve!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Alerta: Conteúdo protegido !!