O misterioso desaparecimento de Steven Kubacki e o triângulo de Michigan

Imagine acordar um dia e descobrir que alguém próximo a você simplesmente desapareceu. Um amigo, um familiar, um colega de trabalho. Agora, multiplique essa situação por milhares. É difícil conceber, mas o desaparecimento de pessoas é uma realidade alarmante e assustadora em todo o mundo. A cada dia, inúmeras pessoas desaparecem sem deixar rastros, deixando seus entes queridos angustiados e sem respostas.

Nos últimos anos, temos sido confrontados com histórias trágicas de desaparecimentos em diversos países, com estatísticas que chegam a causar arrepios. De acordo com dados compilados por organizações internacionais, estima-se que milhões de pessoas desaparecem todos os anos em todo o globo. Essa cifra alarmante chama a atenção para a urgência em compreender e enfrentar esse fenômeno perturbador.

Embora seja difícil determinar um número exato de desaparecimentos, devido à subnotificação em muitos países, os registros disponíveis são suficientes para nos fazer questionar o que está por trás dessa realidade sombria. As razões para o desaparecimento podem variar desde eventos trágicos, como acidentes ou desastres naturais, até casos mais complexos envolvendo sequestros, tráfico humano e crimes hediondos.

Um desses desaparecimentos ocorreu com este simpático sujeito aqui em baixo, chamado Steven Kubacki.  Prepare-se para uma história BEM esquisita.

Steven Kubacki

Em fevereiro de 1978, Steven, um estudante na época aprendendo alemão, desapareceu quando saiu para fazer trekking, na área de Michigan, EUA, em uma área conhecida como Triângulo do Lago Michigan. Falaremos sobre o misterioso triângulo de desaparecimentos depois, mas antes, preciso contar sobre o sumiço desse cara.

Steven não era um novato no trekking, o que deixou a história um pouco mais estranha. Antes de desaparecer, Steven disse que planejava esquiar. Esse detalhe contribuiu para reduzir a hipótese de um suicídio. Steven foi dado como desaparecido por sua família preocupada um dia depois que ele deveria ter voltado da viagem.

Depois que ele desapareceu, as equipes de busca vasculharam a área para a qual ele teria ido – eles encontraram seus esquis e bastões na praia do Lago Michigan e pegadas no gelo que levavam ao lago. Enquanto procuravam por ele, a equipe de resgate sobrevoou a área e foi relatado que suas pegadas pareciam parar na borda do gelo. O gelo estava intacto e uma busca na área não revelou nenhuma pista sobre o que havia acontecido com Steven. Mais tarde naquele dia, eles encontraram sua mochila na mesma área geral de seus esquis. Nenhuma outra evidência ou sinal de Steven foi encontrado – parecia que ele havia simplesmente desaparecido no ar!

Steven foi considerado morto após alguns dias de buscas incessantes sem resultado. Ele havia simplesmente evaporado no ar.
Quinze meses de grande sofrimento se seguiram, e a familia estava começando a se conformar que talvez o corpo do jovem estivesse no fundo do lago Michigan. Então, do nada, totalmente inesperado…

 

DING-DONG….

 

Tocaram a campainha e quando o pai de Steven foi abrir a porta, quase caiu desmaiado com o choque.

Era Steven. Voltando para casa como se nada tivesse acontecido. 

Agora vem o bizarro: Steven estava com missing time. Ele não sabia que haviam se passado mais de um ano, nem da busca. Estava desmemoriado, não lembrava do que havia ocorrido com ele. E o mais estranho de tudo: Ele estava vestindo roupas de outra pessoa, inclusive com uma bolsa com mapas que nem eram dele.

Então naquele dia 5 de maio de 1979, 15 meses depois de ser considerado morto, Steven foi até a porta de seu pai, tocou a campainha e ficou surpreso ao descobrir que ele estava desaparecido há tanto tempo. Steven disse ao pai que não se lembrava de muita coisa.

O fato é que Steven recobrou a consciência em Pittsfield, a 40 milhas da casa de seu pai, deitado em uma campina vestindo roupas que não eram dele. Ele tinha uma pequena bolsa a tiracolo com mapas, que não eram dele, e não se sabe como, ele acordou a 700 milhas do Lago Michigan. Os repórteres perguntaram repetidamente se ele falaria com alguém. Ele disse que não precisava, pois não tinha nenhum problema psicológico e nada a dizer sobre o tempo que faltou.

Mosteriosamente, Steven não parecia abatido, machucado, queimado de sol nem nada. Sua barba estava exatamente como nos dias que ele saiu para a caminhada e seu cabelo estava do mesmo tamanho, segundo familiares.

Depois de 1983, Steven obteve um mestrado em linguística e um doutorado em psicologia clínica. E assim termina esse caso misterioso. O que teria acontecido com esse cara? Como alguém some mais de um ano sem nem notar que o tempo passou?  Eu apostaria minhas fichas em abdução, até porque essa área é um fabuloso hotspot.

O misterioso triângulo de Michigan

O Triângulo do Lago Michigan – às vezes chamado de Triângulo de Michigan – se estende de Manitowoc, Wisconsin, a Ludington, Michigan, e ao sul de Benton Harbour.

O triângulo foi responsável por inúmeros eventos misteriosos, começando em 1891, quando uma escuna chamada Thomas Hume partiu pelo Lago Michigan em busca de madeira.

A escuna desapareceu, junto com sua tripulação de sete marinheiros. Nem mesmo um vestígio do barco foram encontrados.

O triângulo do Lago Michigan

Outros desaparecimentos e casos estranhos na área:

O mistério do navio Rosa Belle

Em 1921, 11 pessoas dentro do navio Rosa Belle desapareceram e seu navio foi encontrado virado no Lago Michigan.

O navio foi danificado em uma colisão, mas nenhum outro navio relatou um acidente e nenhum outro naufrágio foi encontrado. No que ele teria batido? Não existem baleias nem Icebergs no lago.

 

Desaparecimento do Capitão Donner

Outro caso bizarro ocorreu com o capitão George R. Donner. Este é um dos casos de triângulo mais misteriosos.

Em 28 de abril de 1937, o capitão Donner desapareceu de sua cabine, após guiar seu navio por águas geladas. O Comandante foi para sua cabine descansar, e cerca de três horas depois, um tripulante foi avisá-lo de que se aproximavam do porto. A porta estava trancada por dentro. Achando que o capitão havia passado mal, o marinheiro invadiu a cabine, apenas para descobrir que … estava vazia. Uma busca não revelou pistas e o desaparecimento de Donner permanece sem solução até hoje.

 

O desaparecimento do voo Northwest 2501

Um dos casos mais misteriosos sobre o Lago Michigan aconteceu em 1950, quando o voo 2501 da Northwest Airlines, que transportava 58 pessoas, caiu no Lago Michigan.

O avião evaporou do nada. E nunca foi encontrado.

Na época, foi o acidente de avião comercial mais mortal da história americana. O piloto havia acabado de pedir para descer para 2.500 “por causa de uma forte tempestade elétrica que castigava o lago com ventos de alta velocidade” quando o avião desapareceu do radar. Até hoje, os destroços do avião não foram encontrados e a causa do acidente permanece desconhecida.

Cerca de duas horas após a última comunicação com o voo 2501, dois policiais relataram ter visto uma estranha luz vermelha pairando sobre o Lago Michigan e desaparecendo após 10 minutos, levando alguns a acreditar que um OVNI era o culpado.

Falando em Ovnis há borbotões de casos de UFOS nessa área.

O Incidente de 1966 em South Haven: Em março de 1966, várias testemunhas na cidade de South Haven, localizada às margens do Lago Michigan, relataram ter visto luzes estranhas no céu. De acordo com os relatos, objetos brilhantes e não identificados foram avistados sobrevoando a área durante várias noites consecutivas. As testemunhas descreveram as luzes como objetos em forma de disco que emitiam uma luminosidade intensa. O incidente atraiu a atenção da mídia local e nacional, gerando discussões sobre a possibilidade de visitantes extraterrestres.

O Caso do Voo 517 da Northwest Orient Airlines: Em 28 de novembro de 1987, o voo 517 da Northwest Orient Airlines, que ia de Saginaw para Milwaukee, sobrevoava o Lago Michigan quando o piloto e os passageiros relataram ter avistado um objeto voador não identificado. Segundo os relatos, o objeto tinha um formato oval e emitiu luzes piscantes antes de desaparecer em alta velocidade. O incidente foi investigado pela Administração Federal de Aviação (FAA) e, embora nenhuma explicação oficial tenha sido fornecida, o caso continua sendo um mistério intrigante.

O grande avistamento de Ufos de 1994: Em 8 de março de 1994, mais de 300 pessoas relataram o avistamento de vários OVNIs em West Michigan , Estados Unidos. Os OVNIs foram descritos como semelhantes a luzes de Natal piscando , consistindo em cinco ou seis objetos, em forma cilíndrica ou círculos com luzes azuis, vermelhas, brancas e verdes. De acordo com o Chicago Tribune , houve mais de 300 testemunhas em 42 condados de Michigan (incluindo os condados de Muskegon , Ottawa , Berrien e Allegan ). Os avistamentos foram relatados a9-1-1 e foram observados pela polícia e por um radar do Serviço Nacional de Meteorologia no Aeroporto do Condado de Muskegon .  A Mutual UFO Network entrevistou dezenas de testemunhas, mas o evento permanece inexplicável. O grupo afirma ter descartado a maioria das explicações terrenas, como um pequeno avião, gás, dirigível, balão meteorológico, satélite, estrela cadente, aeronave militar ou detritos. O evento foi detalhado em um episódio da série Unsolved Mysteries da Netflix em 2022.

Quatro esferas gigantes sobre o lago: Cindy Pravda, de Grand Haven, disse ao Free Press em 2019 que quatro luzes no céu surgiram e pareciam “luas cheias” sobre a linha de árvores atrás de seu pasto para cavalos. Ela acredita que as luzes eram OVNIs.

Uma conversa entre um meteorologista do Serviço Nacional de Meteorologia e um policial da Holand foi relatada pelo Detroit Free Press em 1995.

“Havia três e às vezes quatro blips, e não eram aviões”, disse o operador do radar NWS. “Os aviões aparecem como pontos no telescópio, eram do tamanho de meia unha do polegar. Eles estavam de 5 a 12.000 pés às vezes, movendo-se por todo o lugar. Três estavam se movendo em direção a Chicago. Nunca vi nada parecido antes, nem mesmo quando estou em clima severo.”

Ufo na base aérea: Todo piloto sabe que sobrevoar uma base militar sem autorização dá, de cadeia até a morte, mas em outubro de 1975, um disco branco brilhante simplesmente estaciono no ar sobre a Base Aérea de Wurtsmith. Um avião foi enviado para persegui-lo, mas o OVNI supostamente disparou para o espaço antes que eles pudessem alcançá-lo.  “Havia armas nucleares naquela base”, disse Bill Konkolesky, diretor da  Mutual UFO Network em Michigan , ao Free Press em 2021 .

 “Foi visto no chão pelos soldados no chão. Foi visto da torre de tráfego aéreo, foi captado no radar, de tantas maneiras que isso estava sendo observado. E a outra coisa também é que, em um período de duas semanas, pelo menos quatro outras bases nos Estados Unidos que possuem armas nucleares foram visitadas por um OVNI muito semelhante”.

 

O desaparecimento do jato Kinross – 1953: Um jato da Força Aérea desapareceu sobre o Lago Superior em 23 de novembro de 1953. Um pontinho apareceu no radar em um espaço aéreo restrito perto de Soo Locks, um importante portal comercial, e a Força Aérea dos EUA na base Kinross enviou dois pilotos experientes em um jato F-89 Scorpion para investigar.  O jato perseguiu o objeto por cerca de  30 minutos  e então os dois radares, o jato e o objeto não identificado, aparentemente se cruzaram sobre o Lago Superior. Eles perderam o contato por rádio e nunca mais se ouviu falar dos pilotos da Força Aérea.

O grande triângulo do lago Michigan: Esse triângulo é curioso, porque não é o “Triângulo de Michigan” que falei ali em cima, e sim uma NAVE triangular que foi vista e filmada!

Photograph courtesy of Michigan Chapter of the Mutual UFO Network

Extraoficialmente, ele é chamado de Triângulo de Patty porque uma mulher chamada Patty Blackburn o capturou na câmera em 14 de junho de 2006, perto de Lansing. Em 24 segundos de vídeo, Patty capturou uma configuração triangular inexplicável de luzes que se agitavam no céu. Talvez seja uma aeronave militar que ninguém viu antes, ou talvez sejam seres extraterrestres… Essas, ao que parece, são as duas opções mais prováveis ​​para os aficionados no assunto dos objetos voadores não identificados ou, como o governo dos EUA os renomeou, “fenômenos aéreos não identificados”. É curiosa, principalmente porque, por mais obscuro e confuso que seja, é a melhor imagem disponível de um OVNI de um avistamento em Michigan. Centenas de avistamentos são relatados a cada ano na reguinal de Michigan da Mutual UFO Network (MUFON), mas a grande maioria é resolvida como algo claramente de origem humana. O Triângulo de Patty está entre os poucos que permanecem inexplicados, diz o diretor estadual do Michigan MUFON, Bill Konkolesky.

Talvez o caso mais interessante tenha ocorrido em 13 de fevereiro deste ano (2023), quando um UFO/UAP foi registrado em diversos radares voando no Lago Michigan e uma ordem de interceptação foi dada. O espaço aéreo foi fechado e o povo do mundo todo acompanhou a perseguição praticamente em tempo real na internet. O Ufo voou para leste sendo finalmente abatido sobre o Lago Huron. O que causou verdadeira perplexidade foi como as autoridades, geralmente dadas a evasivas bem vagabundas como o “gases do pântano” – que por sinal, foi uma desculpa criada justamente pelo Hyneck quando ele tentava tampar o sol com a peneira no Blue Book fase1 no caso dos avistamentos de 1966 no lago Michigan, e que virou uma verdadeira piada do acobertamento) O caso do ufo abatido no lago Huron, com um puta gostinho do game X-com se deu quando os pilotos da Força Aérea dos EUA e da Guarda Nacional derrubaram um objeto não identificado voando a 20.000 pés sobre a Península Superior de Michigan num domingo no inicio do ano. Isso marcou o terceiro OVNI abatido pelos Estados Unidos naquela semana. Na sexta-feira, um objeto não identificado teria sido abatido no Alasca, depois novamente no Canadá no sábado e então outro em Michigan.

Quase 3000 avistamentos

O grupo regional da MUFON de Michigan recebeu 2.789 avistamentos de 2010 a 2020, dos quais 80 a 95 por cento acabaram tendo explicações fáceis e terrenas, diz Konkolesky. Em 2019, por exemplo, um terço dos relatórios foram avistamentos dos satélites Starlink da SpaceX, um fluxo de milhares de máquinas flutuando em uma linha na órbita terrestre baixa que visa fornecer acesso à Internet de baixo custo em todo o mundo. Existem quatro avistamentos ainda inexplicados que se destacam – um avistamento de objetos em forma de disco em 1953 atravessando o Lago Superior sobre as eclusas de Soo; um conjunto de avistamentos em 1966 em que “muitas centenas de testemunhas” viram OVNIs no sudeste de Michigan, culminado por uma reivindicação de um homem de Dexter de um pouso em seu quintalum incidente de 1975 em que pessoas em quatro bases da Força Aérea onde armas nucleares foram armazenadas nos EUA, incluindo Wurtsmith no condado de Iosco, viu um disco branco descer um pouco antes de sair voando; e aquele avistamento de 1994 que falei ali em cima, que gerou uma enxurrada de ligações para o 911 e cobertura de primeira página nos jornais de Detroit.

Mas voltando ao desaparecimento de Steven. O que você acha sobre isso? Poderia ter sido uma abdução?

Não deixe de ler também este outro caso muito interessante de uma abdução na floresta, supostamente sequestrado por… Fadas.

 

 

Receba o melhor do nosso conteúdo

Cadastre-se, é GRÁTIS!

Não fazemos spam! Leia nossa política de privacidade

Philipe Kling David
Philipe Kling Davidhttps://www.philipekling.com
Artista, escritor, formado em Psicologia e interessado em assuntos estranhos e curiosos.

Artigos similares

Comentários

  1. Sobre os UFOs, uma coisa que me intriga é a questão das luzes. Supondo que existam civilizações não humanas e com tecnologia mais avançada que a nossa, qual seria o propósito de colocar luzes coloridas em suas naves? Não faz sentido. Se pensarmos de maneira estratégica, não é conveniente vc “explorar” um planeta habitado com um veículo parecendo uma árvore de natal. O mais inteligente seria passar despercebido. Por isso, quando vejo algum relato sobre “luzes coloridas”, já descarto a possibilidade de ser algo “de outro mundo”. A não ser que as luzes tenham uma razão de ser, um propósito diferente de simplesmente piscar, como se, por exemplo, as luzes estivessem ligadas diretamente ao sistema de propulsão da nave ou algo do tipo. Então, se existe alguma civilização não humana que nos visita, acredito que sua tecnologia de voo esteja ligada, de alguma forma, com as tais luzes. O que acha?

    • Num dos congressos de ufologia eu conversei sobre isso com o Roberto Beck e com o Claudeir Covo. O lance das luzes é por si só, um mistério dentro do mistério na ufologia. Eu acho que realmente existem luzes que são causadas pela ionização do campo eletromagnético ao redor da nave, ou coisa parecida. Acho também que tem um tipo de luz que pode parecer luz pra nós mas não é exatamente luz. Essa costuma sair de um tipo de canhão ótico debaixo do ufo e consegue atrair, empurrar e mover coisas e objetos. E acho que existe um terceiro tipo de luz que é uma luz de comunicação. Há um monte de casos de gente que fez sinal piscando lanternas para ufos e imediatamente eles se aproximaram. Considerando a possibilidade de nada disso ser histórias fajutas, essas coisas podem indicar que há algum elemento de comunicação nas luzes, para o simples piscar de lanternas atrair objetos. Há um caso reportado por testemunha em um episódio que não lembro se é no podcast Hangar 18 ou no podcast Relatos Flutuantes onde um cara começa a piscar lanterna para um orbe luminoso, tipo uma sonda e ela parece responder piscando de volta na mesma sequencia.
      Nem todo caso de ufo tem luz. Existem casos com esferas e discos inteiramente pretos, Inclusive na Operação Prato o Uirangê relata um.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Últimos artigos