O curioso caso da abdução de Christa Tilton e as bases alienígenas subterrâneas

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp

Relatos de abduções alienígenas já existem há algum tempo e sempre servem para surpreender, despertar o debate e deixar aquela pulguinha atrás da orelha da galera.

Evidentemente que no manancial quase infinito de histórias e relatos anedóticos que atravessam décadas, temos toda sorte de caso. Alguns desses relatos podem ser definitivamente mais bizarros do que outros, e um dos mais bizarros chega até este humilde blog vindo diretamente de um suposto contatado alienígena no estado americano do Novo México. É como você verá, uma história incrível, e alguns podem dizer inacreditável.

A história um tanto bizarra começa em julho de 1987, quando uma mulher chamada Christa Tilton tem uma inexplicável crise de perda de tempo, o famoso “missing time” com três horas de sua vida simplesmente perdidas e sem nenhuma explicação razoável.

Sabemos que o missing time é um fenômeno bem conhecido, mas ele não é garantia de uma abdução, logicamente. No entanto, muitas abduções ficaram marcadas por esse fenômeno e o missing time foi considerado um potencial sintoma para maior investigação.

Depois de sofrer de pesadelos e notar que estava ficando meio obcecada pela ideia de que havia algo errado com aquele tempo que desapareceu de sua vida, Christa foi submetida a hipnose e foi aqui que ela encontraria suas memórias perdidas surgindo em sua consciência, e iria tecer um relato bizarro de abduções alienígenas:

Desenho da nave que a abduziu feita por Christa na madrugada de 31 de março de 1987 a! ao sul de Tuba, (Oklahoma). Ele o viu pousar. Ele tinha luzes brilhantes que se acenderam em uma sequência. Quanto mais baixo descia, mais devagar as luzes pulsavam. Perto do chão estendeu três pernas e uma porta se abriu. Quando ele tocou o chão, ele saltou suavemente como se estivesse no topo de molas.

Sob hipnose, Christa se lembrou de ter sido abordada por duas pequenas criaturas humanóides, que a agarraram pelos braços e de alguma forma a deixaram inconsciente. Quando ela acordou, ela estava paralisada, deitada em uma mesa dentro de uma pequena nave, onde foi abordada pelo que ela chama de “guia”. Este guia deu-lhe uma espécie de líquido para beber, que imediatamente a acordou e a energizou, após o que a levou para fora, no que parecia ser uma pequena colina. Ela diria o que aconteceu a seguir:

Estava escuro, mas vi uma luz fraca perto de uma caverna. Caminhamos até esta área e foi então que vi um homem, vestido com um macacão militar vermelho [como um piloto usaria]. Meu guia parecia conhecer esse homem ao cumprimentá-lo à medida que nos aproximávamos. Também notei que ele usava algum tipo de patch e carregava uma arma automática. Quando entramos no túnel, percebi que estávamos indo direto para a lateral de uma grande colina ou montanha. Lá nos encontramos com outro guarda de vermelho e então vi um posto de controle computadorizado com duas câmeras de cada lado. À minha esquerda, havia um grande sulco onde um pequeno veículo de transporte transportava você para dentro. À minha direita, parecia um longo corredor onde havia muitos escritórios. Pegamos o carro de transporte e fomos pelo que pareceu um longo tempo para outra área segura. Foi então que me disseram para pisar em algum tipo de dispositivo semelhante a uma escala que fica de frente para uma tela de computador. Eu vi luzes piscando e números computando e então um cartão foi emitido com furos. Mais tarde eu perceberia que era usado como identificação dentro de um computador. Perguntei ao meu guia para onde íamos e por quê. Ele não falou muito o tempo todo, exceto que ele deveria me mostrar algumas coisas que eu preciso saber para referência futura. Ele me disse que havíamos acabado de entrar no Nível Um da ‘instalação’. Perguntei que tipo de estabelecimento era e ele não respondeu.

O guia, então, silenciosamente a levou até um grande elevador que não tinha porta e eles desceram, com ele apenas comentando que eles estavam indo para o “Nível 2.” Christa contou que lá havia escritórios e pessoas andando, todos eles humanos e aparentemente alheios à sua presença, apenas cuidando de seus negócios como se ela não estivesse lá. Tudo parecia um prédio de escritórios normal, exceto para os guardas armados em macacões espalhados por toda parte, e em um ponto eles passaram pelo que parecia ser uma enorme fábrica de algum tipo, que tinha o que parecia ser uma “pequena nave alienígena” estacionada lá.

Enquanto ela olhava para esta fábrica e a estranha nave, ela viu o que parecia ser um típico “alienígena do tipo cinza” fazendo algum tipo de manutenção na nave, que também a ignorou como se ela tivesse todo o direito de estar lá.

Depois disso, ela foi levada para outro elevador para o “Nível 5”, onde foi solicitada a trocar de roupa. A essa altura, ela estava começando a se sentir apavorada, mas seu guia garantiu que nada de ruim aconteceria com ela.

Ela vestiu uma bata de hospital e foi pesada e examinada com algum tipo de dispositivo elétrico, após o que foi conduzida por outro posto de guarda e por outro corredor. Foi aqui que ela disse que foi repentinamente atingida por uma onda de fedor insuportável que cheirava ao que ela pensava ser formol, algo que ela conhecia de seus dias como ex-enfermeira. O guia garantiu a ela que estava tudo bem, mas o cheiro era opressor, e ela diz o que aconteceu a seguir:

Chegaram a uma grande sala e Christa olhou para dentro.

Eu vi esses enormes tanques grandes com medidores computadorizados enganchados neles e um enorme dispositivo parecido com um braço que se estendia do topo de alguns tubos até os tanques. Os tanques tinham cerca de 4 pés de altura, então, de pé onde eu estava, não conseguia ver o interior deles. Notei um zumbido e parecia que algo estava sendo mexido dentro dos tanques.

Imagens vazadas por um misterioso agente que “fugiu” da base de Dulce. Os tanques descritos por Christa são detalhados por ele. E também aparecem em pelo menos outro caso de abdução, de uma mãe e seu filho nas proximidades. Ela relata o mesmo tanque com carnes boiando num liquido fétido, e se recordou de ver um cadáver humano inteiro boiando num deles.

 

Comecei a me aproximar dos tanques e foi nessa hora que meu guia agarrou meu braço e me puxou com força para o corredor. Ele me disse que não era necessário ver o conteúdo dos tanques; que isso apenas “complicaria as coisas”. Continuamos pelo corredor e ele guiou meu braço até um grande laboratório. Fiquei surpresa porque já havia trabalhado em um laboratório antes e estava vendo máquinas que nunca tinha visto antes. Foi então que me virei e vi um pequeno ser cinza com as costas viradas fazendo algo em um balcão. Eu ouvi o tilintar de metal contra metal. Eu só tinha ouvido isso quando estava preparando meus instrumentos cirúrgicos para o médico em cirurgia.

Desenhos da testemunha. Estas são as incubadoras e fetos vistos por Christa Tilton a bordo do navio para onde foi levada em 1987. Lembre-se que muitos anos antes ela havia sido levada para uma base subterrânea onde viu o mesmo tipo de incubadoras; mas eles não permitiram que ele os tocasse.

Christa foi então instruída a sentar-se em uma mesa no meio da sala, e agora ela estava tendo a forte sensação de que algo não estava certo, o medo começando a dominá-la com mais força. Enquanto ela se perguntava o que fazer e o que estava acontecendo, um médico humano entrou na sala, cumprimentou o guia e voltou seu olhar para ela. Ela explicou assim a próxima parte de sua história bizarra:

Meu guia sorriu para mim e disse que estaria esperando do lado de fora e eu só ficaria por alguns minutos. Comecei a chorar. Eu choro quando fico com medo. O alienígena cinza olhou para mim e se virou para continuar o que estava fazendo. O médico pediu mais assistência e foi então que um outro alienígena cinza entrou. A próxima coisa que eu sabia era que estava muito sonolenta. Eu sabia que estava sendo examinada internamente e quando levantei minha cabeça, vi um horrível alienígena cinza olhando para mim com grandes olhos negros. Foi então que senti uma dor aguda. Eu gritei e então o médico humano parou ao meu lado e esfregou algo na minha barriga. Estava frio. A dor diminuiu imediatamente. Eu não podia acreditar que isso estava acontecendo comigo de novo. Implorei para que me soltassem, mas eles continuaram trabalhando muito rápido. Depois que terminaram, disseram-me para me levantar e entrar neste pequeno quarto e colocar minhas outras roupas de volta. Percebi sangue, como se tivesse começado a menstruar. Mas continuei a me vestir e quando saí vi meu guia falando com o médico no canto da sala. Eu apenas fiquei lá … indefesa. Eu me senti mais sozinha do que jamais me senti em minha vida. Eu me senti como uma cobaia. Depois que saímos do laboratório, fiquei em silêncio. Eu estava com raiva dele por permitir que isso acontecesse comigo ‘de novo’. Mas ele disse que era necessário. Disse-me para esquecer. Eu vi mais alienígenas passando por nós no corredor. Novamente, era como se eu fosse um fantasma. Pedi ao meu guia que me explicasse este lugar. Ele me disse que era um lugar muito sensível e que eu seria trazida de volta para o lugar novamente nos próximos anos.

Ela então entrou em uma espécie de vagão de trem com seu guia e eles seguiram para o que ela considera a coisa mais perturbadora que ela viu durante toda a estranha aventura:

Eu vi o que me pareciam ser pessoas de todos os tipos diferentes de pé contra a parede dentro de uma câmara semelhante a um invólucro transparente. Aproximei-me e pareciam figuras de cera. Eu não conseguia entender o que estava vendo. Também vi animais em gaiolas. Eles estavam vivos. Eles pareciam estar em animação suspensa. Aproximei-me do invólucro transparente em que eles estavam sendo mantidos. Coloquei minhas mãos sobre o invólucro e me inclinei em direção a eles para ver se conseguia algum tipo de resposta. Nada. Eu não conseguia discernir se eles estavam vivos ou mortos naquele momento. Eles simplesmente não estavam se movendo e eu não conseguia ver se havia ou não algum fluido em seus corpos. Acho que os invólucros estavam livres de qualquer fluido neste caso particular.

Ela diz que depois disso, seu guia a levou de volta para a nave alienígena que a raptou, e ela foi levada de volta para onde a encontraram e sua memória foi apagada. A lembrança dessa experiência por meio da hipnose marcou o início de uma busca quase obsessiva por respostas sobre o que havia acontecido com ela. Embora ela nunca tenha sido explicitamente informada para onde foi levada, ela chegaria à conclusão de que provavelmente foi levada a uma base subterrânea secreta sob a cidade de Dulce, Novo México, um lugar que tem estado no centro de todos os tipos de teorias de conspiração desde pelo menos os anos 1970 e é um foco de atividade OVNI, mutilações de gado e conversas sobre bases subterrâneas ultrassecretas. Além disso, Christa afirma que após essa experiência inicial ela voltaria a ser seria sequestrada em inúmeras outras ocasiões e levada para diferentes instalações subterrâneas, que ela afirma que o governo mantém uma rede em todo o país. Ela explica:

Estou ciente de muitas, muitas instalações subterrâneas ou bases que estão sendo usadas para diferentes fins. A maioria das bases subterrâneas está sendo usada para fins secretos ou outros fins envolvendo governos que estão fazendo certos tipos de testes que consideram mais seguros fazer no subsolo. E há as bases, uma em particular ao norte de Tucson, Arizona, para onde tenho quase certeza de que fui levada, sob o desígnio de “Evergreen Aviation”. Eles têm todos os aviões lá e tudo mais, mas o que descobri durante meus dez anos de pesquisa é que esta é uma instalação apoiada ou baseada na CIA. Cheguei muito, muito perto da instalação, pulei a cerca com arame e entrei sorrateiramente com um piloto amigo meu há não muito tempo e tirei algumas fotos ótimas de alguns helicópteros pretos. Esses helicópteros negros não estavam marcados. Havia outros tipos de aeronaves lá, então realmente acreditamos que existem muitas bases em muitos estados. Já ouvi falar de bases em quase todos os estados dos Estados Unidos.

O desenho da”planta” da instalação secreta 

Christa escreveu um livro sobre suas experiências em Dulce, simplesmente chamado de Underground Alien Bio Lab in Dulce , e tem falado muito sobre essas bases underground e alienígenas em geral. Suas histórias têm ficado cada vez mais bizarras ao longo dos anos, com ela alegando ser um híbrido alienígena, e ela escreveu extensivamente sobre seus encontros com vários tipos de seres alienígenas, incluindo o que ela chama de “Seres de Luz”, Reptilianos, Nórdicos loiros e muitos mais, com agendas que variam de não-intervencionistas estritos a facções imperialistas que querem conquistar a Terra. Depois, há, é claro, os Greys, que ela deixou bem claro que não gosta muito. Ela não mediu palavras quando disse dos Greys:

Os Greys parecem fazer coisas como uma consciência coletiva massiva. Percebi que eles fazem coisas juntos, quase não há discussão entre eles. Eles parecem estar trabalhando em projetos ou em certas coisas que são dadas a eles por superiores, ou seres alienígenas superiores e / ou humanos. Posso dizer agora que a principal fraqueza dos Greys é que eles não têm alma.

Não permita que eles lhe digam o contrário. Alguns deles são conhecidos por tentar transmitir algum tipo de falsas filosofias religiosas sobre as pessoas que eles abduziram, e a questão é que você tem que perceber que esses alienígenas têm seus próprios planos, e não é algo que eu ache positivo um realmente. Certamente eu tenho que acreditar que os Greys são, a única maneira que posso descrever é que eles são um vazio, uma caixa vazia… Não há nada lá além de um tipo de aparelho cerebral de tecnologia superior na área do crânio. Caso contrário, eles são realmente inúteis para nós. Eles são usados ​​para transmitir diferentes tecnologias e nos dar informações, mas no que diz respeito a confiar neles, eu não confio neles.

É difícil saber o que fazer com este caso bastante espetacular, e com todos os detalhes adicionados e afirmações que parecem ficção científica feitas ao longo dos anos, Tilton ganhou tantos céticos e detratores quanto crentes. É certamente um caso atraente e excêntrico, mas há alguma coisa em tudo isso? Independentemente do que você possa pensar, ele consegue ficar à margem dos casos de abdução por alienígenas.

Talvez o caso possa nos indicar um padrão de crédulos que criam toda uma fantasia espetacular onde são personagens principais. Veja, se aguem é abduzido e terá sua mente apagada, por que a excursão numa base secreta? Por que descer tantos níveis, ver naves, aliens fazendo coisas, tanques de formol. Pessoalmente esse tipo de narrativa parece muito com o algoritmo do Netflix para bater num liquidificador uma série de relatos erráticos de pessoas que acreditam em tudo e parir do outro lado uma historinha para vender livro.

Pessoalmente, sou bem descrente das histórias dessa mulher.

Seja como for, é inegável que todo o arcabouço mítico que esse relato dela parece compor, é um manancial que garantiria sozinho pelo menos umas três temporadas de Arquivos X.
Olhando mais de  perto, ele parece montar um grande quebra-cabeças em conjunção com outros casos e relatos, onde a “verdade terrível” não é uma, mas múltiplas e são compostas pela fertilização involuntária das mulheres, seu cruzamento com androides, o uso de glândulas de fetos, abortos induzidos conscientes e inconscientes, experiências genéticas de todos tipos, o sequestro de crianças e adultos, a fabricação de “sintéticos” e robôs biológicos, o estupro de homens e mulheres, a implantação de pequenos dispositivos no corpo e principalmente no cérebro, “monitoramento” remoto de sentimentos e comportamentos dos “implantado” e assim por diante.

Há um percentual de fantasia e um percentual de verdade aí? Eu penso que sim, mas quais seriam esses percentis? Eu não sei. Muitas pessoas certamente considerariam a possibilidade tão aterradora que pra elas, que “talvez seja ate melhor não saber”.

Um videotape gravado no interior da base

Fora Christa, com sua abdução que parece delirante, há outros casos estranhos. Um deles seria o caso de um suposto agente da CIA, que tão horrorizado com o que testemunhou nos “subníveis” da base de DULCE, que orquestrou o que poderia ser o maior vazamento de dados desse segredo que se tem notícia.
Ele teria feito fotos, roubado uma serie de documentos sigilosos e até mesmo feito um video, gravando (eu acho que em VHS) o interior dessa instalação macabra antes de fugir, ocultar sua identidade e se esconder, falando muito esporadicamente apenas com pessoas de absoluta confiança.

Eu não sei se este é o video oficial, porque não achei a filmagem original. fonte

Entre as coisas que esse agente vazou estão as seguintes informações:

 Vários documentos que falam sobre cobre e molibdênio; também alguns com magnésio e potássio, mas principalmente com cobre. Quantidade de “termos médicos” incompreensíveis. Uma folha de papel com planos e diagramas estranhos. Artigos que falam sobre luz ultravioleta e raios gama. Outras publicações científicas que falam sobre cor e preto e branco e como evitar ser visto com o uso de certas cores.

Além disso, há  25 páginas de documentos fotocopiados (xerox?) em preto e branco e um “videoteipe” silencioso, tudo do lado de dentro da base. Esses documentos contam o que os alienígenas estão procurando e como eles usam o sangue que extraem do gado. O texto faz uma suposição de que os aliens absorvem átomos para “comer”. Eles colocam as mãos no sangue, como se fosse uma esponja, para adquirir alimento. Eles não apenas obtêm comida assim, mas também alteram o DNA do gado e dos humanos para fazer outras criaturas a partir dessa massa amorfa de material celular.

A criatura “tipo 1” é um animal de laboratório. “Eles” sabem como mudar átomos para criar um ser “quase humano” que dura pouco tempo. É feito de tecido animal e depende de um computador para simular (ou fornecer) memória; uma memória que foi recuperada pelo computador de outro humano. O “quase humano” é um pouco lento e desajeitado. 

[nota do Philipe: Isso parece fazer sentido com o caso igualmente bizarro do contatado brasileiro Antônio Alves Ferreira, que foi abduzido e teve um “clone” seu implantado em sua casa, que era muito abobado e dormia quase o tempo todo. O clone era perfeito, apesar de mais frio ao toque e mais pesado. Enganou os pais do abduzido, que conformaram o evento. ] 

Humanos reais são usados ​​para treinar, fazer experiências e procriar com esses “quase-humanos”. Alguns humanos são abduzidos e usados ​​inteiramente, até mesmo seus átomos. Alguns são mantidos em grandes tubos e mantidos vivos em um líquido âmbar. Alguns humanos sofrem lavagem cerebral e são usados ​​para distorcer a verdade.

Alguns homens que têm uma grande abundância de espermatozóides são mantidos vivos e usam seu sêmen para alterar o DNA e criar um ser assexuado chamado “tipo 2”. Esse sêmen é cultivado de alguma forma e alterado novamente e colocado em “matrizes” individuais. Quando estão em desenvolvimento (as criaturas) parecem “homens feios”, mas quando atingem a maturidade parecem normais. Todo o processo leva apenas alguns meses a partir do tamanho do feto. Eles vivem menos de um ano.
Algumas fêmeas humanas são usadas para cruzamentos. Inúmeras mulheres tiveram um aborto repentino após três meses de gestação. Alguns nem sabiam que estavam em estado de choque, outros se lembram do contato de forma confusa. O feto é usado para misturar DNA nos tipos 1 e 2.
A configuração atômica nesses fetos é metade humana e metade “quase humana” e não teria chance de sobrevivência no útero. Depois de três meses, ele é removido e é feito crescer em outro lugar. “

O misterioso agente que “vazou” detalhes da Base estava servindo lá quando ocorreu um grande confronto entre humanos e alienígenas, que foi detalhado por um outro sobrevivente desse caso, chamado Phi Schneider, que teve parte de sua mão amputado por um raio alienígena durante um forte confronto onde diversos soldados morreram. Esse caso eu detalhei no post chamado A revolta dos Subníveis. Aliás, Phil Schneider disse que seria assassinado e e fato foi. Eu ate botei a foto do cadáver dele aqui no Mundo Gump.   

Phil Schneider, ex militar da base de Dulce: “Vão tentar me matar pelo que eu estou revelando!” — E de fato matram. Não só mataram, enforcado com um cateter, como roubaram toda sua pesquisa e documentos.

Tudo isso pode ser fantasia paranoica?

Sem dúvida que pode. No entanto, é curioso que todos esses casos vão se relacionando de alguma forma. Os tanques com carnes boiando são relatados pelo agente misterioso nos Dulce Papers e também aparecem em outro caso de regressão de memória de uma abduzida que foi sequestrada com seu filho na estrada.

“Em maio de 1980, um caso muito interessante ocorreu no norte do Novo México. Uma mãe e seu filho dirigiam seu carro por uma estrada rural perto da cidade de Cimarrón, quando observaram duas naves  em processo de captura de um bezerro. Eles também foram sequestrados e levados para a instalação subterrânea, onde a mulher testemunhou a mutilação do animal. Lá, ela também observou grandes cubas contendo partes de gado flutuando em um líquido e outro recipiente contendo o corpo de um homem. Posteriormente, esta mulher foi submetida a exames e pequenos objetos implantados artificialmente foram encontrados em seu corpo, assim como no de seu filho”.

Juntando tudo isso com o que contava Phil Schneider antes de ser assassinado, há algum ponto de ruptura entre o que parece ser o puro delírio da maionese estragada com uma realidade grotesca, ameaçadora e indigesta.

 

fonte  fonte

O curioso caso da abdução de Christa Tilton e as bases alienígenas subterrâneas

Comments

comments

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

LUMINÁRIA UFO 

compre a sua em www.obscura.art.br

error: Alerta: Conteúdo protegido !!