Minhas últimas musicas usando AI

Me divertindo criando musiquinhas

Estou meio sem ideia de post para fazer hoje, de maneira que vou dedicar este post a mostrar algumas musicas que fiz nesses dias usando inteligência artificial.  Essa semana estive tralhando com 3d e render, e isso faz o computador ficar meio que sentado calculando por longo tempo. Assim, usei esse tempo para ficar brincando de fazer musicas, já que essa não é uma atividade que consuma grande volume de memória ou CPU.

Minha primeira musica foi uma ideia de trilha de abertura para um programa de mistérios. Acabou que ficou tão legal que disponibilizei para quem quiser usar. Olha como esse inicinho bebe na fonte da trilha de abertura do The Walking Dead:

Depois eu fiz essa aqui numa vibe meio Mozart

Eu uso mais como diversão, então não ter uma qualidade profissional não é algo que me abala.  Minha primeira ideia foi fazer uma musica com o texto mais clássico do design gráfico, o “Loren Ipsum”,  mas quando estava no meio da criação tive outra ideia e alterei minha musica par Lorem Pixum, e fiz uma musica clássica nos moldes de Mozart, para pedir um pix. Ficou engraçado olha só:

Depois dessa, criei outra musica, dessa vez um rock em estilo anos 80 contando a história do Et de Varginha:

Depois após ler notícias sobre pessoas desviando doações dos desabrigados da tragédia do RS para seus bolsos, fiquei tão puto que criei essa musica, apenas chingando esses FDP de todas as formas possíveis. Tem até Shakespeare aí nessa letra. Em contraste, usei uma batida pop romântica antiga, estilo as musicas do Michael Sullivan :

Eu também fiz umas musicas inspirado em comentários de caixas anônimas do twitter. Essas de nego traído e mulheres abandonadas eu achei que dava base para essas sofrências sertanejas-pop-românticas que eu absolutamente detesto. Foi divertido criar algo que eu odeio com todas as minhas forças, hehehe. Assim nasceu “Sozinha Outra vez”.

Depois dessa eu fui me “descontaminar” fazendo uma musica em estilo eletrônico alemão, usando como letra os complexos e intrigantes elementos de uma configuração de PC gamer. Gostei especialmente do início que coloquei um velho PC antigo ligando. Nessa eu coloquei elementos externos, como uma frase gerada no Eleven Labs e uns barulhos de sirene de polícia, erro do windows e tal. Ia ser legal ouvir isso tocar numa boate, mas eu acho que nem deve existir boate mais. Lembra um pouco o Rammstein das trilhas de Matrix. A piada é que ele vai fazendo uma configuração super top de PC, com processadores, memórias, barramentos, water cooler, etc mas chega no windows, diz que é pirata.

Eu também fiquei fazendo umas outras musiquinhas, tipo essa romântica para um hipotético filme de romance dos anos 60

E aqui um Adagio chamado Alien Adagio. Sem grandes novidades, mas gostei do resultado.

Depois fiz um rock mais pauleira vintage para reclamar dos impostos escorchantes do Brasil e de seus políticos de qualidade duvidosa. Assim nasceu Taxxxx:

Dá pra ver que eu escrevo palavras erradas na letra. Não é analfabetismo, mas um macete. Eventualmente, o mecanismo do Suno.ai não consegue entender como ele faz a sílaba tônica da palavra. Como ele opera em qualquer língua, é comum ele se confundir e e a música sai parecendo um padre gringo rezando. O Eleven Labs também tem esse problema. Assim, acentuar as sílabas tônicas ou mesmo escrever errado deliberadamente algumas palavras, para que ele “cante ou fale” da forma certa acaba sendo o único caminho para uma saída mais natural. Nem sempre ele consegue, e acaba atropelando palavras. Hoje ele já evoluiu muito e alucina bem menos que no começo, quando ele ainda criava palavras do nada, quase que numa língua alienígena.
Outro macete é sempre dizer em que língua esta escrevendo na descrição do prompt, e não colocar português, mas “brasileiro”, senão sai no sotaque lá da terrinha. Tipo assim, “Brazil bossa nova jazz”.

Desconfiado é outra sofrência-pop-forrozeira, que surgiu assim: Eu estava rolando meu Feed do twitter e vi essa caixinha anônima aqui:
E aí eu fiz a música:

Essa aqui foi outra musica doida experimental. Eu peguei todas as ruas do bairro Icaraí em Niterói e fiz uma musica com elas. Bem difícil, já que a maioria dos nomes não rimava, e quase todos são esquisitos, como “Erotides de Oliveira” . Pra piorar no meio da musica tive que parar ara ir cozinhar um peixe pro almoço, hahaha.

Outro experimento que eu fiz foi desenterrar aqui do blog a poesia “calcinha Bege” e ver se dava musica. Deu nisso aqui:

Ainda dentro desse experimento desencavei dos meus arquivos uma musica que escrevi há anos atrás, e queria ver como ficaria num estilo Roberto Carlos ou Júlio Iglesias, já que era uma musica ara um cara confessar traição, mas acabou que não saiu nada que prestasse. Mas eu gostei de uma versão defeituosa que veio, que é uma musica dançante meio pipocada, cantada por mulher. O contraste da batida e cantora com o tema da musica me pareceu interessante. E assim aqui está “prisioneiro do passado”:

Como você pode ver, eu me divirto UM BOCADO criando musiquinhas com minhas letras no Suno. Eu não uso IA para escrever, só pra tocar e cantar.

Aqui está outra musica engraçada. “meu pixuleco vai chegar”. Dessa vez um pagodinho.

Outra que eu fiz foi “Tudo igual” que inicialmente escrevi pensando num rap, mas fiz essa musica pop em estilo que lembra a abertura de Friends. É uma batida feliz com uma letra totalmente depressiva, o que dá um contraste legal.

Essa aqui é um fado. Eu achei muito divertido de fazer um fado ridicularizando essa briga entre Zucas e Tugas e meu Eu lirico é uma dessas donas super preconceituosas com os imigrantes. Infelizmente o Suno encrencou com o preconceito latente na minha letra e além de pular a palavra “abismo” estragando meu versinho ainda não me deixou gerar alterações depois. (ele tb fez isso estragando meu Hino soviético sacaneando o Putin)

Aproveitei para ridicularizar essa tara de Brasileiro burro de querer saber do “nosso ouro” até nas discussões mais ridículas, como se aliens existem ou não. Ouro que o povo retardado acha que está lá até hoje, mas que Portugal usou para pagar a dívida externa deles com a Inglaterra.
Ficou assim:

Outras duas que talvez sejam dignas de nota são duas canções que fiz em Francês, porque eu simplesmente amo chanson e como um bom velhinho de alma, sou fã do Aznavour, como já disse milhões de vezes aqui. Então aqui estão mais duas chansons. Eu fiz um porrilhão delas já. Todo dia faço uma, pra eu mesmo ficar ouvindo. (Sim, eu sei que isso é o clímax do egotrip, mas que celui qui n’a pas de défauts jette son pantalon de merde!)

Outra que me diverti fazendo foi uma musica eurodance-eletrônica, chamada Copacabana-São Paulo. Inicialmente eu ia fazer algo na linha do Locomia, mas não ficou bom. Você talvez se pergunte por que Copacabana e não Rio-São Paulo, e a explicação é que “Copacabana” tem sílabas suficientes para uma batida mais legal que “Rio”. E para o gringão, o Rio é Copacabana né? Dançante, escuta aí:

Também fiz esse rock poderosos e dramático, chamado “Roy´s tears in rain”, usando basicamente o Solilóquio do andróide Roy Batty em Blade Runner como letra.

Meu experimento Michael Jackson é o seguinte. Eu criei essa musica aqui meio que no estilo de letra do MJ e gerei versões até chegar num tom mais ou menos perto do que seria uma musica dele, meio na linha do “Heal the world”. Eu fiz isso para guardar e esperar eu descobrir como eu vou fazer para colocar o MJ digital cantando isso. Eu sei que já dá e ate vi como fazer, ja tem quase tudo no Github, mas ainda não tive tempo de sentar e quebrar a cabeça para fazer. O processo é extremamente intensivo no nível de GPU, e eu não tenho boa GPU estou com uma GP-CU mesmo por falta de grana. Em algum momento eu espero que isso acontecerá e eu possa continuar essas pesquisas e possa criar quem sabe ate um clipe com um MJ digital. A musiquinha é essa aqui:

 

Enfim, se você leu e ouviu até aqui, muito obrigado.

Receba o melhor do nosso conteúdo

Cadastre-se, é GRÁTIS!

Não fazemos spam! Leia nossa política de privacidade

Philipe Kling David
Philipe Kling Davidhttps://www.philipekling.com
Artista, escritor, formado em Psicologia e interessado em assuntos estranhos e curiosos.

Artigos similares

Comentários

  1. cara, simplesmente fantástico, essas coisas criadas com ia dão muito espaço á criatividade, não precisa de uma banda para fazer umas músicas legais ou umas parodias.

    parabéns pelo Site Philipe, acompanho seu trabalho há muitos anos

    • Acho um bom passatempo. Alia a criatividade com uma sensação boa de ver a ideia se materializar rápido. Claro, que o estado tecnológico do negócio, ainda não está perfeito, em musicas mais longas dá pra perceber que a voz vai degradando. Esse é um problema comum na Ia generativa, o eleven labs onde eu era beta tester também tinha esse problema e eles suaram a camisa para resolver.
      Em termos de qualidade, final, dois meses atrás era bem mais tosco. Assim, acho que ate o final do ano estará na versão 5 com qualidade muito mais profissional.
      Eu sinto falta de ter mais controle. Acho que a equipe de IA do Suno devia trabalhar um painel mais complexo de criação, não precisa virar nenhum fruitloops, mas algo por exemplo, que incorporasse outros estilos de criação musical, por exemplo, você cantar um lalalá qualquer e ele partir dali. Essa tecnologia ja esta disponivel e a google esta na vanguarda dela. Outra parada que seria daora é você criar primeiro uma melodia, via prompt e só depois você poder colocar letra nela. Isso é algo que a Suno poderia implementar já hoje. Não sei pq não fizeram ainda.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Advertismentspot_img

Últimos artigos