Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp

Antes de sair dizendo que dormiria numa boa em qualquer hotel dos alpes, esqueça o chalezinho romântico, a lareira e o foundue.

 

Estou falando dessa aventura radical aqui:

Oscilando a mais de mil metros acima da superfície rochosa e irregular dos Alpes, dormir neste lugar é uma das experiências mais assustadoras do mundo. Sobretudo para quem tem fobia de altura.
O “hotel” é basicamente um tubo comprido, pintado de branco e vermelho, que foi desenhado para acomodar até 12 corajosos visitantes que se atreverem a atravessar a montanha mortal Mont Blanc fincada numa cordilheira europeia.
Claro que em termos de decoração, não é lá grande coisa. O hotel nos alpes inclui beliches de madeira, uma cozinha simples, sala de jantar, racks de armazenamento e o destaque fica por conta da vista.

Isso porque a sala tem uma das mais escalafobéticas vistas do mundo. Sente só:

O abrigo se debruça sobre o Glacier Fribouze.

A ideia do abrigo é que os especialistas e alpinismo acreditam que ele poderia salvar a vidas dos alpinistas na montanha, se forem apanhados em nevascas e acabarem perdidos no escuro.
O refúgio, que é todo alimentado com energia solar surgiu para substituir uma simplória cabana de madeira construída em 1948. Claro que o projeto recebeu críticas, sendo elas mais pela sua estética. Alguns alpinistas pensam que a nova estrutura ‘berrante’ não está em sintonia com os arredores, mas as autoridades locais queriam algo que fosse fácil de detectar do alto.
Este abrigo foi criado por engenheiros de uma fábrica italiana, que montaram a estrutura ao custo de 250.000 euros, sob uma encomendado pelo Clube Alpino Italiano.


Foi uma verdadeira operação de guerra montar o hotel nas alturas, na beira do penhasco onde está situado. Na verdade, o abrigo está praticamente amarrado e parafusado na rocha, mas os engenheiros o dimensionaram para enfrentar as violentíssimas rajadas de vento que assolam o paredão.
Helicópteros partiam de Courmayeur, Val Ferret, levando as peças que eram fixadas no local.


O abrigo está a 3.000 m acima do nível do mar com uma boa parte dele inclinando-se sobre o vazio do penhasco. Imagine só a queda assustadora!

A pousada fica perto da fronteira para os escaladores que estão a atravessar uma rota popular entre o lado francês dos Alpes e do italiano.
O hotel inclui conexão com Internet para dar informações em tempo real sobre as condições meteorológicas. As Reservas podem (e devem) ser feitas on-line e o valor estimado é de 30 euros por noite para ficar lá. Apesar da vista deslumbrante, essa hospedagem envolve riscos reais.
O Conselho de Montanhismo britânico disse que chegar à cabana é uma aventura particularmente perigosa. Em 1992 Alexis Long, um alpinista francês morreu após ser atingido por uma pedra que rolou, quando ele estava subindo no caminho que dá acesso a este abrigo.

fonte

Hotel nos alpes… Você dormiria?

Comments

comments

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

3 ideias sobre “Hotel nos alpes… Você dormiria?

  • 20 de julho de 2012 em 11:51
    Permalink

    Meu pior pesadelo. Se um dia eu tiver a ideia de me hospedar nesse lugar, podem me internar porque eu vou estar completamente sequelado.

    Resposta
  • 20 de julho de 2012 em 20:18
    Permalink

    Com relação apenas ao hotel em si, no texto tá dizendo que ele é firme e tá bem amarrado na montanha. Dormiria de boa. E por 30 euros a noite? Num friozinho como esse (moro no nordeste)? Eu ai na mesma hora.

    O problemão mesmo seria chegar lá. To falando sério. Num to usando isso como desculpa!!

    Resposta
  • 21 de julho de 2012 em 23:23
    Permalink

    E eu achando que já tinha visto loucuras o suficientes em montanhas. “Nem fudeno” eu durmia no troço desses. Se ele despencar dalí, pelo menos espero que seja blindado pra chegar inteiro lá em baixo.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Alerta: Conteúdo protegido !!