Espadas lendárias

Grandes armas históricas e suas lendas

A maioria de nós tem a primeira associação com uma espada medieval  com a famosa Excalibur, do rei Artur (claro que Espada Justiceira do Lion e a do Conan não contam).

Apesar desse fato, de acordo com muitos mitos e lendas, durante as batalhas de cavaleiros houve muitas outras lâminas que se tornaram armas verdadeiramente lendárias. Neste post pretendo falar sobre essas armas.

1. Durandal


Esta arma, assim como seu dono, o cavaleiro Roland, é cercada por muitos mitos e lendas. Segundo uma lenda antiga, dentro do punho da espada há um dente de São Pedro, o cabelo de Dionísio de Paris, o sangue de São Basílio e uma peça de roupa da Virgem Maria. (haja espaço!)

Além disso, segundo a lenda, esta lâmina foi a mais afiada já criada. O valente guerreiro recebeu-o das mãos do próprio Carlos Magno. De acordo com uma versão, Roland enfiou a espada na rocha para que seus inimigos não a pegassem.

2. Zulfiqar


Dizem que esta espada pertencia ao profeta Maomé. Antes dele, a lâmina foi empunhada por Munabbih ibn Hajjaj. Após a morte do fundador do Islã, a arma passou para um dos califas justos, Ali ibn Abu Talib.

Não se sabe muito sobre a espada, nem sobre o seu destino. Há uma versão de que os turcos apreenderam as armas e ainda as escondem no palácio de Istambul.

3. Ulfbert

A diferença fundamental entre essas espadas (havia várias delas) é a ausência de muitas lendas nas quais fossem dotadas de quaisquer propriedades mágicas. Apesar de sua produção em massa, elas eram de altíssima qualidade – extremamente duráveis ​​e leves.

Um análogo de qualidade igualmente alta foi produzido na Europa apenas no século XVIII.

4. Legbeater


O Legbeater era a lâmina do Rei Magnus III da Noruega. O monarca esteve no trono de 1093 a 1103. Foi o dono da arma quem realmente o glorificou. Esta espada participou de muitas batalhas militares e reprimiu revoltas.

A lâmina foi apelidada de mágica porque Magnus não conhecia a derrota. No entanto, tudo terminou de forma bastante inglória, pois Magnus e seus camaradas morreram na Irlanda quando foram emboscados após combates ferozes enquanto esperavam que os irlandeses lhes trouxessem gado. Desde então, o destino de Legbeater é desconhecido.

5. Skofnung


O rei dinamarquês Hrolf Kraki forjou esta espada com as próprias mãos. Segundo a lenda, o monarca aprisionou as almas de 12 fiéis furiosos em armas, que deram suas vidas em batalhas ferozes. Outro nome para a lâmina é Blood River.

Mais tarde, a arma teve muitos donos e ele conseguiu se meter em vários problemas. De acordo com a versão mitológica, o fim da espada veio de forma bastante estúpida. Diz a lenda que um dos heróis, libertando o deus do engano Loki das algemas, tirou Skofnung da bainha na presença de mulheres, o que era proibido.

Isso irritou as almas dos furiosos, e eles mataram o azarado guerreiro e, ao mesmo tempo, destruíram a arma.

6. As espadas Tizona e Colada


Do épico espanhol pertenceram ao herói popular Rodrigo Diaz de Vivar. Segundo o folclore, a arma foi dada ao guerreiro como troféu quando ele derrotou o rei mouro Bukar. Presumivelmente, você pode ver esta mesma lâmina na catedral da cidade de Burgos, onde, de fato, está localizado o túmulo de Rodrigo Diaz De Vivara.

Sua segunda espada é Kolada. E mesmo que não seja tão famosa, os espanhóis têm muito orgulho dela e a reverenciam. Os nobres de Falces possuem a relíquia.

7. Espada de Wallace


O herói cavaleiro escocês William Wallace liderou uma revolta contra os ocupantes ingleses no século XIII. A espada participou de muitas batalhas, por isso é frequentemente mencionada no folclore. Quando Wallace foi executado, sua lâmina foi para o comandante do Castelo Dumbarton, John de Menteith. Vários séculos depois, a arma foi encontrada na Torre. Agora é mantido no salão do Monumento Wallace.
A espada do Coração Valente é grande, mas não é a maior. Se liga nesse espadão aqui. 

8. Espada da Misericórdia


Esta lâmina é usada durante a coroação dos reis da Grã-Bretanha. Segundo algumas versões, a espada foi criada no século XI. O primeiro proprietário foi o monarca Eduardo, o Confessor. A arma deve seu nome à ponta quebrada da ponta. As lendas dizem que a espada foi danificada quando o cavaleiro Tristan a enfiou no crânio do gigante Morholt. Outra lenda diz que um anjo quebrou a ponta da arma, evitando um assassinato sem sentido.

9. Joyeuse

Apesar das dúvidas dos especialistas sobre a autenticidade desta arma, a espada de Carlos Magno tem sido usada durante a cerimônia de coroação dos governantes da França desde o século XIII. A última vez que a lâmina participou de uma coroação foi em 1824 e agora está guardada no Louvre.

Segundo a lenda, a lâmina foi forjada a partir da lança que foi usada para perfurar o próprio Jesus Cristo! A dica teria sido obtida na Palestina durante as Cruzadas.

Receba o melhor do nosso conteúdo

Cadastre-se, é GRÁTIS!

Não fazemos spam! Leia nossa política de privacidade

Philipe Kling David
Philipe Kling Davidhttps://www.philipekling.com
Artista, escritor, formado em Psicologia e interessado em assuntos estranhos e curiosos.

Artigos similares

Comentários

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Advertisment

Últimos artigos