Casos Reais de Pessoas que Forjaram Seu Próprio Sequestro

Sequestros são eventos terríveis que assombram muitas vidas, mas, às vezes, surgem histórias surpreendentes de pessoas que forjaram seu próprio sequestro. Esses casos reais de farsas intrigam e desafiam nossa compreensão do que leva alguém a cometer tal ato. Neste artigo, exploraremos alguns desses casos, revelando as motivações por trás dessas ações extremas, e muitas vezes, ridículas. Os falsos raptos são mais comuns do que se pensa – e parecem estar a aumentar. Nos últimos anos, as pessoas falsificaram os seus próprios sequestros por vários motivos, e a grande maioria deles é por razão bizarra. Como seria de esperar, alguns até exigiram resgate de seus parentes para botar um dindim no próprio bolso. Venha comigo e no final escolha a história mais ridícula.

Jéssica Nordquist (Dona encrenca)

Gente da melhor qualidade!
Crédito da foto: Met Police

Em julho de 2017, Jessica Nordquist, uma jovem de 26 anos natural do Alasca, iniciou um relacionamento com Mark Weeks, seu colega de trabalho na empresa de relações públicas Unruly, localizada em Londres. O relacionamento entre o casal rapidamente chegou ao fim, mas Jessica não estava disposta a se afastar sem causar tumulto. Ela começou a acusar Mark Weeks de um crime grave: estupro.

Jessica enviou mensagens de texto para clientes e colegas de trabalho, alegando que Weeks a havia estuprado e a engravidado. Além disso, ela criou pelo menos 20 contas no Instagram para difamá-lo, insistindo que a empresa estava ciente do estupro, mas estava tentando encobri-lo. Em uma tentativa bizarra de comprovar sua alegação de gravidez, Jessica chegou ao extremo de comprar uma barriga falsa na Amazon.

Além das acusações públicas, Jessica também enviou uma série de mensagens de texto agressivas para Weeks e seus familiares próximos. As ameaças eram tão intensas que Weeks passou a temer por sua segurança e hesitou em retornar à sua própria casa.

No entanto, mesmo com todas essas ações, Jessica ainda não estava obtendo a atenção que desejava. Ela então decidiu sequestrar a si mesma, criando uma situação ainda mais absurda. Fingindo ser sua própria sequestradora, Jessica enviou fotos de si mesma sem roupas e amarrada para amigos, colegas de trabalho e familiares de Weeks. A polícia acabou visitando sua casa, onde encontraram um bilhete que indicava seu suposto sequestro.

O jogo chegou ao fim dois dias depois, quando as autoridades a encontraram dormindo em uma pousada na Escócia. Em 2018, Jessica foi condenada a uma pena de quatro anos e meio de prisão por suas ações. fonte

 Dr.Marco Salerno – A fronteira entre a malandragem e a loucura

Em maio de 2002, o Dr. Mark Salerno, com seus imponentes 45 anos de idade, decidiu nos presentear com um teatro digno de Hollywood. Ele afirmou ter sido sequestrado em Phoenix, Arizona, e a nação inteira ficou chocada. Afinal, quem não adora uma boa história de sequestro?

A emocionante saga continuou quando o Dr. Salerno foi “encontrado” no porta-malas de seu carro, que misteriosamente havia viajado até a Pensilvânia em apenas três dias. Uau, que sequestro de alta velocidade!

Claro, ele imediatamente relatou sua dramática experiência à polícia e ao FBI, descrevendo homens cruéis que o forçaram a entrar em uma van e o mantiveram refém no porta-malas. As autoridades e o público estavam completamente envolvidos na trama.

Mas então, para nossa surpresa, veio a reviravolta: alguém alegou ter visto o Dr. Salerno se trancar dentro do porta-malas. Sim, você leu certo, ele mesmo trancou a porta e jogou a chave fora!

Nossa estrela confessou que tudo isso não passava de uma farsa elaborada, criada por suas próprias questões pessoais e financeiras. Sua esposa e advogados alegaram que ele estava lidando com a depressão, então ele decidiu nos brindar com uma atuação digna de Oscar.

Ele contou aos autoridades que, inicialmente, tentou o suicídio na Represa Hoover, depois fez uma turnê por San Diego e, finalmente, desembarcou na Pensilvânia. Ah, sim, ele também mencionou que consumiu algumas drogas antes de se trancar no porta-malas, onde, acredite se quiser, ele alega que “dormiu”.

Bem, como em qualquer grande produção, houve um final. Ele acordou, bateu no porta-malas e pediu para ser libertado. Surpreendentemente, ele conseguiu. E, como todo grande ator, ele precisava de uma saída dramática.

O Dr. Salerno recebeu uma pena de liberdade condicional de três anos, mas o nosso astro não parou por aí. O xerife Joe Arpaio, na época, decidiu cobrar cerca de US$ 8.000 em horas extras dos policiais que trabalharam em seu caso. Seis semanas depois, nosso protagonista decide que o público ainda não tinha o suficiente. Ele desaparece novamente! Ah, mas ele não poderia sair de cena sem um último ato: ele foi encontrado em Pittsburgh roubando uma toalha de um varal. Um verdadeiro artista até o fim. E assim, em 12 de outubro de 2018, ele desapareceu novamente, deixando todos nós ansiosos pelo próximo capítulo de sua saga. fonte

 

 

Kevin McGeever – Topa tudo por dinheiro

Na noite de 29 de janeiro de 2013, Catherine Vallely e seu amigo Peter Reihill fizeram uma descoberta surpreendente enquanto voltavam para casa após uma aula de redação em uma estrada remota na Irlanda. Eles encontraram um homem em péssimo estado, e esse homem era ninguém menos que Kevin McGeever, um indivíduo com 68 anos de idade, conhecido por sua carreira como vigarista internacional.

McGeever tinha uma longa história de 171 bem-sucedidos. Após cada golpe, ele costumava abandonar seus carros caros, propriedades e até mesmo sua família, fugindo para outro país, onde iniciava um novo esquema fraudulento. Em 1973, por exemplo, ele deixou seu valioso carro Jaguar no aeroporto de Dublin e desapareceu. Além disso, ele também possuía uma luxuosa casa inacabada.

Em 1985, repetiu a façanha ao abandonar seu veículo de alto padrão no aeroporto de Sydney e sumir novamente, deixando para trás esposa, duas filhas e uma casa luxuosa de quatro quartos. Em 2000, quando o FBI começou a fechar o cerco devido a uma fraude de US$ 8 milhões envolvendo propriedades inexistentes em Dubai, ele mais uma vez fugiu, abandonando carros e sua casa em Lawrenceville, Geórgia.

McGeever conseguiu enganar investidores em diversos esquemas, totalizando mais de 70 milhões de euros. No entanto, quando foi encontrado em 29 de janeiro de 2013, sua história mudou drasticamente.

Ele alegou que havia sido sequestrado e mantido em um contêiner subterrâneo por oito longos meses, mas tinha consigo um celular com o número de um homem chamado John McNevin. Ele afirmou que os sequestradores lhe deram o telefone quando o abandonaram na estrada.

Reihill e Vallely, ao invés de levá-lo a McNevin, decidiram levá-lo à delegacia de polícia. No entanto, os detalhes da história começaram a desmoronar quando os médicos do hospital notaram que sua visão estava surpreendentemente boa para alguém que havia alegado ter sido mantido na completa escuridão por tanto tempo.

Logo ficou evidente que McGeever estava envolvido em mais um golpe elaborado. Ele havia sequestrado a si mesmo como parte de seu intrincado plano de fraude. Surpreendentemente, ele também arrastou Kevin Cooke, um dos empresários que havia enganado, para a situação, alegando que ambos estavam sequestrados.

Os sequestradores inventados por McGeever exigiram que Cooke pagasse US$ 10 milhões para libertar McGeever, deixando claro que tudo fazia parte de seu plano para fazer seus investidores acreditarem que ele estava tão arruinado que não conseguia nem pagar seu próprio resgate.

Uma reviravolta impressionante em uma história cheia de artimanhas. fonte

 

Alejandro Mário Cortes -Topa tudo por green card

Crédito da foto: Twin Cities Pioneer Press

 

Em 17 de abril de 2018, um motorista de limpa-neves, em St. Paul, Minnesota, deparou-se com uma cena perturbadora: um homem amarrado e com a boca tapada com fita adesiva. Esse homem era Alejandro Mario Cortes, de 46 anos, que afirmou ter sido vítima de sequestro. Segundo seu relato, ele foi coagido a entrar em um veículo e depois lançado ao banco de neve onde foi encontrado.

O FBI foi acionado para investigar o caso e logo revelou que esse aparente sequestro era, na verdade, uma tentativa desajeitada de obter a cidadania americana. Alejandro Cortes, um imigrante ilegal do México, estava buscando um visto U dos Estados Unidos como vítima de um crime. É importante destacar que ele havia sido deportado dos EUA em duas ocasiões anteriores, em 2001 e 2010, mas conseguiu retornar ilegalmente ao país ambas as vezes.

O plano elaborado de sequestro foi arquitetado por Cortes e um cúmplice, cuja identidade permaneceu desconhecida. Eles tentaram criar a ilusão de que Cortes tinha sido sequestrado em Illinois e depois abandonado em St. Paul. No entanto, a verdade veio à tona quando as autoridades descobriram que Cortes e seu cúmplice viajaram de Illinois até St. Paul juntos. Foi o próprio Cortes que solicitou ser amarrado e deixado no local onde foi eventualmente encontrado. Um plano que falhou miseravelmente em seu intento de burlar o sistema de imigração. fonte

 

Maria González – Topa tudo por calote

Crédito da foto: ABC News

Ah, Maria Gonzalez, a empreendedora brilhante de 32 anos que dirigia uma empresa de transporte rodoviário na ensolarada Califórnia. Bem, pelo menos até aquele momento em 2018 em que ela decidiu que era hora de entrar para o mundo do teatro.

Aqui está o enredo: Maria estava dirigindo tranquilamente em uma estrada quando teve a ideia brilhante de pegar dois cachorros. Mas, espere, a trama se complica. Dois homens mascarados, um deles armado, aparecem do nada e, com toda a gentileza do mundo, entram no carro dela, ordenando que ela continue dirigindo.

Então, a reviravolta! Maria alega ter desmaiado durante esse emocionante roubo e sequestro, apenas para acordar com uma ferida na cabeça e sua calcinha molhada. Claro, isso levou-a a concluir que havia sido vítima de abuso sexual. E como se isso não bastasse, os “bandidos” ainda levaram os seus suados US$ 9 mil, que ela planejava usar para pagar os salários de seus empregados. Que conveniente, não?

Mas os detetives astutos logo começaram a desconfiar quando não encontraram pegadas suspeitas ao redor do carro de Maria. As únicas pegadas ali eram as dela, o que era no mínimo curioso. Além disso, os supostos ladrões foram seletivos, deixando outros itens valiosos em sua bolsa intocados e levando apenas o dinheiro. Bem, isso cheira a um enredo ruim de filme B.

Maria encontrou dificuldades para explicar como conseguiu se desamarrar e escapar desse pesadelo. Foi quando os investigadores decidiram tirar suas próprias conclusões.

E o desfecho digno de um Oscar? Os investigadores descobriram que Maria encenou todo o sequestro, machucou a própria cabeça para dar um toque dramático à história e depois tentou negar, mas, é claro, confessou quando a polícia mostrou as imagens de CCTV da suposta área do sequestro. Tudo isso, claro, porque ela não tinha US$ 9 mil para pagar seus trabalhadores. fonte

Jonathan Michael Davis – Topa tudo por merreca

Crédito da foto: Prisão do Condado de Tulsa

Ah, o desaparecimento misterioso de Jonathon Michael Davis, com seus maduros 34 anos, certamente foi uma novela emocionante. Tudo começou em 27 de fevereiro de 2018, quando ele simplesmente sumiu. Mas, claro, não poderia ser apenas um desaparecimento comum, não é mesmo?

Os parentes de Davis começaram a receber mensagens dignas de um filme de sequestro, explicando que ele estava nas garras de criminosos terríveis que exigiam um resgate modesto de US$ 375 para libertá-lo. Eles até ameaçaram machucar o coitado se a família não agisse rapidamente. Para dar um toque dramático, enviaram uma foto de um dedo quebrado de Davis, prometendo quebrar o resto se o pagamento não fosse feito. Suspense no ar!

A família, é claro, fez o que qualquer pessoa faria: relatou o sequestro à polícia de Oklahoma em 1º de março. A polícia chamou os superagentes do FBI e os intrépidos US Marshals. Agora, é importante mencionar que encontrar Davis foi mais fácil do que tomar um sorvete em um dia de sol.

Aparentemente, o próprio Davis estava mandando mensagens para sua família com o seu próprio telefone. Que genial! Tudo o que os agentes tiveram que fazer foi rastrear o telefone, e voilà, o mistério estava resolvido. Ah, e sobre o dedo quebrado, uma reviravolta surpreendente: não estava quebrado de verdade! A foto que ele enviou foi simplesmente baixada do Google Imagens. E, para a cereja no topo do bolo, essa imagem foi uma das primeiras a aparecer quando os agentes pesquisaram “dedo quebrado”.

Que história épica de intriga e suspense, não é mesmo? “JÊNIO” fonte

Jason Hillier – Topa tudo por droguinha

Crédito da foto: WJRT-TV

Em outubro de 2018, no estado de Michigan, os pais de Jason Hillier, com seus respeitáveis 40 anos, receberam uma ligação alarmante. Do outro lado da linha, um homem informava que seu filho havia caído nas garras de um sequestrador. Esse vilão audacioso fez algumas exigências para libertar Jason: US$ 1.000 da mãe de Jason e o carro do próprio Jason. Além disso, ele também solicitou a quantia de US$ 500 ao pai de Jason.

A mãe de Jason, em pânico, prontamente informou a polícia sobre o ocorrido. As autoridades, em sua sabedoria, orientaram que ela pagasse o resgate de US$ 1.000 e o entregasse no local indicado pelo suposto sequestrador. No entanto, o que o sequestrador não sabia é que a polícia já havia montado um esquema de vigilância na área. Eles observaram atentamente o momento em que o sequestrador chegou em um veículo, pegou o dinheiro do resgate e partiu. E então, o grande desfecho: eles mostraram as imagens para a mãe de Jason, que reconheceu o próprio filho como o misterioso sequestrador.

Mas a história não termina aí! Jason, ainda fingindo ser o sequestrador, teve a audácia de pedir à sua mãe outro resgate, desta vez no valor de US$ 150. E adivinhe só, a mãe, sob a pressão do momento, acabou cedendo e pagando novamente. HAhahahaha Gente trouxa demais!

No entanto, desta vez, a polícia estava pronta para entrar em ação. Eles capturaram Jason no exato momento em que ele estava prestes a colocar as mãos no dinheiro do segundo resgate. Além disso, prenderam um certo Michael Forester, de 20 anos, que estava envolvido nessa conspiração absurda.

As investigações revelaram o que já era óbvio para todos os envolvidos: Jason encenou esse elaborado sequestro como um meio de financiar seu vício em drogas. Um plano tão maluco quanto ineficaz, que teve um desfecho mais apropriado para uma comédia do que para um drama policial.

 

 

Rogélio Andaverde – Topa tudo por noitada

Crédito da foto: The Dallas Morning News

Em 4 de outubro de 2013, no Texas, Rogelio Andaverde estava prestes a enfrentar um dilema de proporções épicas. Ele tinha planos de sair com os amigos à noite, mas havia uma força temível que se interpunha em seu caminho: sua esposa, a formidável Maria Hernandez, que não estava exatamente a favor da ideia. O que fazer diante dessa situação desesperadora? Bem, a resposta de Rogelio foi digna de um roteiro de comédia.

Imagine a cena: Rogelio estava em casa com Maria quando, de repente, dois homens invadiram a residência e o arrastaram à força dali. Maria, naturalmente, entrou em pânico e fez o que qualquer pessoa faria em um verdadeiro sequestro: chamou a polícia. E aí, meu amigo, começou uma operação policial de grande envergadura, com direito a helicópteros e um batalhão de policiais em busca de Rogelio.

Mas eis que a reviravolta ocorre: Rogelio retorna triunfalmente para casa dois dias depois, ileso e, surpreendentemente, com uma história para contar.

Hahahaha é muito golpista, meu. Olha essa:

Ele alega que os sequestradores simplesmente mudaram de ideia e o libertaram. A polícia, não surpreendentemente, ficou com uma pulga atrás da orelha e decidiu investigar mais a fundo essa história mirabolante.

A verdade veio à tona de forma hilariante: o sequestro, na verdade, não passava de uma estratégia elaborada para escapar das garras da temida esposa e participar de uma festinha com os amigos. Parece que Rogelio estava disposto a encenar seu próprio sequestro só para conseguir uma noite de diversão. Um ato que certamente merece um lugar especial na galeria das desculpas mais bizarras da história. fonte

Rahmell Pettway -Topa tudo por desculpas

Ah, 2013, o ano em que Rahmell Pettway, o mestre da desculpa esfarrapada, decidiu sair de casa no Brooklyn por duas semanas sem dar um pio para sua namorada. Afinal, quem precisa de comunicação em um relacionamento, não é mesmo? Mas, ao retornar, ele sabia que precisava de uma explicação espetacular para justificar seu súbito desaparecimento. E, que surpresa, ele criou uma história que considerou genial.

Agora, claro, Pettway não podia simplesmente voltar para casa e dizer que esteve dando um rolê aleatório por duas semanas. Ele precisava dar um toque dramático à sua desculpa. Então, o que ele fez? Alegou que foi sequestrado! Mas espere, não para por aí, ele tinha todo um plano. Ele não poderia apenas aparecer e dizer que foi sequestrado, ele precisava também ser “encontrado”.

Então, ele amarrou suas mãos, suas pernas e até mesmo a boca com fita adesiva e se escondeu em uma rua qualquer, onde, convenientemente, um transeunte o encontrou. Ah, e para dar um toque especial à encenação, ele decidiu dar uns socos em si mesmo e reclamar de dores nas costelas, fazendo todo mundo acreditar que ele tinha levado uma surra épica dos supostos sequestradores.

A polícia, claro, foi chamada, selou a suposta cena do crime e levou Pettway ao hospital. Lá, ele contou a história mirabolante de como dois homens o sequestraram em 19 de fevereiro e o mantiveram em cativeiro por duas semanas antes de finalmente jogá-lo onde foi encontrado.

No entanto, como você já deve imaginar, a polícia não demorou muito para perceber que toda essa história de sequestro era nada mais do que uma tentativa fracassada de encobrir sua escapada. E a cereja do bolo? O rolo de fita adesiva que ele usou para se amarrar estava bem ali, no seu pulso. Ou seja, Pettway não foi exatamente o mestre da dissimulação. Ele acabou confessando que inventou o sequestro só para explicar sua ausência à namorada. Bravo, Pettway, bravo! fonte

 

Hillary Black – Não soube nem inventar a história direito

Em 15 de setembro de 2018, Hillary Black, da Geórgia, de 33 anos, ligou para o 911, alegando que havia sido roubada e sequestrada enquanto usava um caixa eletrônico. Ela disse que um homem com um estilete se aproximou dela enquanto ela usava o caixa eletrônico e ordenou que ela voltasse ao veículo. Ele a forçou a dirigir até um shopping center, onde roubou US$ 1.400 e tentou estuprá-la.

Obviamente, o Departamento de Polícia do Condado de Gwinnett investigou o suposto crime. Eles rapidamente perceberam que shopping center mencionado por Black não existia. Se isso não bastasse, imagens de vigilância do caixa eletrônico mostraram que ninguém se aproximou dela ou a seguiu desde o caixa eletrônico. Seu carro também estava livre de quaisquer objetos ou fluidos corporais que pudessem ter sido usados ​​para testes de DNA.

Black inicialmente insistiu que foi realmente sequestrada, mas depois confessou depois de assistir as imagens de vigilância dela mesma usando o caixa eletrônico, lépida e faceira. fonte 

Paul Lera – Pulada de cerca

Paul Iera, de 35 anos, evitou por pouco a pena de prisão depois de admitir perante um juiz que inventou uma mentira elaborada para esconder a sua infidelidade da namorada, desperdiçando dezenas de milhares de dólares dos contribuintes no processo. No dia 31 de dezembro do ano passado, o australiano de Wollongong ligou para a namorada para dizer que iria se encontrar com seu “cara das finanças”, quando na verdade iria ver sua amante e dar uma bimbada bem gostosa.

A certa altura, para ganhar tempo, o casal mandou novamente uma mensagem para a namorada de Iera, desta vez fingindo ser um sequestrador que prometeu entregá-lo são e salvo no dia seguinte. A mensagem do sequestrador era:

Obrigado por enviar Paul para mim, agora a vingança é um ***** tchau, tchau. Vamos mantê-lo conosco até a manhã em que (sic) ele nos der sua bicicleta, que chamamos de quadrada

A única coisa com que Paul e sua amante não contavam era o pânico de sua namorada depois de ler a mensagem. Temendo pela sua vida, a mulher notificou imediatamente a polícia para denunciar o seu sequestro , e uma força de ataque foi imediatamente estabelecida para localizar e resgatar a vítima. Assim, enquanto Paul Iera e sua amante passavam bons momentos juntos, o Distrito Policial de Lake Illawarra gastava 200 horas de trabalho policial, o equivalente a mais de US$ 25 mil do dinheiro dos contribuintes, na tentativa de encontrá-lo.

Na manhã do dia 1º de janeiro, durante uma parada de veículo de alto risco, a polícia parou a van de Iera e o encontrou são e salvo na companhia de sua amante. Ele tentou contar aos policiais que havia sido de fato sequestrado por alguns companheiros do Oriente Médio que eventualmente o libertaram, mas sua história tinha algumas inconsistências, e doze dias depois ele foi preso e acusado de fazer uma acusação falsa com a intenção de submeter outra pessoa à investigação.

Paul Iera enfrentou até sete anos de prisão por seu engano desprezível, mas depois de admitir ter inventado a história de seu sequestro para esconder sua infidelidade de sua namorada em um tribunal, ele se esquivou da bala e foi condenado a pagar $ AUD 16.218,11 ao Governo de Nova Gales do Sul em compensação pelo trabalho realizado pela polícia. Iera também foi condenada a 350 horas de serviço comunitário.

O homem que não queria casar

Você não vai acreditar no tamanho dessa cagada:

Quando se trata de desistir de um casamento, fingir seu próprio sequestro parece um exagero, mas isso não impediu um colombiano de usar essa técnica para evitar comparecer ao seu próprio casamento.

O homem não identificado de 55 anos, da cidade colombiana de Pitalito, estava programado para se casar com sua noiva, uma mulher local, na frente de familiares e amigos no fim de semana passado. À medida que o grande dia se aproximava, o homem começou a ficar com medo e confessou a alguns de seus amigos mais próximos que planejava romper o noivado e desistir do casamento. Só que ele não sabia como fazer isso, então seus bons amigos tiveram a ideia de fingir um sequestro. O que não planearam foi que as autoridades lançassem uma operação em grande escala envolvendo a polícia e até mesmo o exército!

Depois de instruir o futuro noivo de 55 anos a ficar quieto por alguns dias, seus alegres amigos ligaram para os serviços de emergência e inventaram uma história sobre como testemunharam seu sequestro por um grupo de homens armados andando de motocicleta. Como a Colômbia tem um historial de sequestros deste tipo para fins de extorsão, as autoridades locais levaram a situação muito a sério, mobilizando toda a força policial do distrito, bem como o exército colombiano.

O Comandante da Polícia de Pitalito, Néstor Vargas, ordenou o fechamento das estradas de acesso e saída do município para evitar a fuga dos sequestradores e realizou operações nas ruas da cidade para, esperançosamente, localizar a vítima. Ninguém realmente imaginava que as pessoas que denunciaram o crime pudessem estar mentindo, o que tornou a confissão ainda mais chocante.

Depois de verem a mão-de-obra e os recursos que tinham sido mobilizados para a sua mentira, os amigos da “vítima” avançaram e disseram à polícia que os tinham enganado para ajudar o amigo a escapar do casamento.

As autoridades decidiram manter em segredo a identidade do homem, a fim de protegê-lo da ira dos habitantes locais, considerando que esta é a segunda vez que ele deixa uma mulher esperando no altar. A polícia confirmou que conseguiu entrar em contato com ele; ele está atualmente hospedado com alguns parentes em uma cidade próxima e lamenta muito o transtorno que causou a todos. fonte

Tucker Blandford – o homem que não queria casar II

De acordo com o Huffington Post , um homem fingiu a própria morte para evitar se casar.

Tucker Blandford, 23 anos, conheceu Alex Lancaster, também 23, enquanto Lancaster cursava a faculdade em Connecticut.

Embora os dois rapidamente se apaixonassem, Lancaster temia que, quando voltasse para casa, no Reino Unido, a separação condenasse o relacionamento deles. Em vez disso, Blandford propôs casamento e Lancaster aceitou.

Lancaster diz que Blandford foi um cavalheiro durante todo o relacionamento, dando-lhe joias e levando-a a restaurantes caros. Blandford também apresentou sua noiva aos pais, e Lancaster disse que eles a tratavam como se fosse da família.

Após a proposta, o casal começou a se preparar para um casamento em Connecticut. Lancaster pagou um vestido de noiva, convites e passagens aéreas para que seu noivo pudesse visitá-la no Reino Unido

Tudo estava bem, até que ela recebeu um telefonema de um homem que ela pensava ser o pai de Blandford.

O homem disse a Lancaster que seu filho estava deprimido e suicida, e se matou jogando-se na frente de um carro. Chocado e arrasado, Lancaster ligou de volta para a família Blandford pouco tempo depois. Desta vez, a mãe de Blandford atendeu. Ela lançou algumas bombas sobre Lancaster. Blandford estava vivo e bem. A mãe não tinha notícias de casamento e achava que o casal havia se separado.

Acontece que Blandford falsificou a voz de seu pai para dar a notícia de seu próprio suicídio encenado a Lancaster. Blandford finalmente confessou o elaborado estratagema para romper seu noivado. Ele disse ao Daily Mail que embora Lancaster seja uma garota maravilhosa, ele ficou com medo e queria sair do relacionamento. Ele pediu desculpas a Lancaster por mensagem de texto e pagou metade das despesas relacionadas ao casamento.

Mas Lancaster ainda não está pronto para perdoar. Ela chamou as ações de seu noivo de “covardes” em uma entrevista à mídia do Reino Unido. Lancaster está pronta para seguir em frente com sua carreira. Ela supostamente começou um negócio criando lembrancinhas de casamento.

Brandon Soules não queria trabalhar e teve uma ideia…

 

Todos nós temos vontade de tirar um dia de folga do trabalho de vez em quando, mas um jovem do Arizona caiu em maus lençóis depois de fingir seu próprio sequestro para evitar ir ao trabalho.

Na tarde de 10 de fevereiro, a polícia de Coolidge, Arizona, recebeu uma chamada de emergência sobre um homem caído na beira da estrada com as mãos amarradas nas costas. Um carro da polícia foi enviado e logo informou que havia de fato encontrado um jovem que parecia ter sido amarrado e abandonado na beira da estrada. A “vítima”, identificada como Brandon Soules, 19 anos, disse à polícia que tinha sido raptado por dois homens mascarados que primeiro lhe bateram na cabeça, deixando-o inconsciente, e depois conduziram-no e largaram-no onde a polícia o encontrou. Obviamente era golpe.

“Primeiro, o sujeito informou à polícia que dois homens mascarados o sequestraram, bateram-lhe na cabeça e levaram-no para um veículo antes de o deixarem na área onde foi encontrado”, disse a polícia num comunicado . “Os investigadores de Coolidge conduziram uma investigação completa e foram encontradas evidências de que sua história foi inventada e que não houve sequestro ou agressão.”

Soules afirmou que seus sequestradores estavam atrás de algum dinheiro que seu pai havia escondido pela cidade, mas a polícia não encontrou nenhuma evidência disso. As imagens de vigilância que verificaram também contradiziam a maioria das suas declarações e, depois de o confrontar sobre isso, o jovem de 19 anos admitiu que tinha inventado tudo.

A Filha picareta

Uma mulher espanhola foi recentemente presa na ilha espanhola de Tenerife depois de conspirar com a família do seu namorado para enganar a sua mãe, fazendo-a pensar que tinha sido raptada e pagando um resgate considerável.

No início desta semana, a Guardia Civil, uma das duas agências nacionais de aplicação da lei espanhola, divulgou um vídeo perturbador que parece mostrar uma mulher vendada, com manchas de sangue no rosto, amarrada a uma cadeira e com uma grande faca na garganta. A jovem está soluçando e contando à mãe que foi sequestrada e que precisa pagar um resgate de 50 mil dólares aos sequestradores se quiser vê-la viva novamente. Porém, nem tudo é como parece.
O vídeo do resgate descrito acima é muito real, mas o sequestro em si não. De acordo com a polícia espanhola, a “vítima” mostrada nas imagens fingiu o seu próprio rapto com a ajuda da família do namorado apenas para enganar a própria mãe para que pagasse o resgate de 50 mil euros.

No vídeo divulgado pela Guardia Civil, a aparente vítima afirma não saber quem são os seus agressores ou porque a escolheram, mas instrui a sua mãe a pagar o resgate, depositando 50.000 euros em dinheiro num local específico. Ela também avisa a mãe que os sequestradores grampearam sua casa e que qualquer tentativa de contato com a polícia significaria o fim de sua vida.

A mãe da vítima teria concordado com as exigências dos sequestradores; ela sacou os 50 mil euros do banco, mas também alertou secretamente a polícia sobre a situação da filha. Foi então que as peças do quebra-cabeça começaram a se encaixar.

A investigação policial começou com um interrogatório à mãe da vítima, que referiu já ter pago um total de 45 mil euros em diversas ocasiões, depois de ter recebido pelo correio ameaças escritas de vida da filha. Em sua mente, ela estava mantendo a filha segura, dando aos criminosos misteriosos o que eles queriam. Ela nunca percebeu que ela era realmente a verdadeira vítima.

Assim que souberam que a mãe da vítima já havia sido enganada recentemente, a polícia começou a investigar a vítima e sua comitiva, descobrindo rapidamente que a família de seu namorado a havia ajudado a consertar tudo. Depois que a polícia constatou que o sequestro pode ter sido encenado, ela só precisou de 24 horas para resolver o caso.

Após a ativação do protocolo de sequestro, os policiais da Guardia Civil se concentraram em localizar a família do namorado da vítima e, por sorte, conseguiram encontrar todos, inclusive a suposta mulher sequestrada, em uma obscura sala de jogos, jogos de azar. Todos foram levados sob custódia e eventualmente confessaram ter fingido o sequestro.

Ao revistar a casa dos suspeitos, a Guardia Civil encontrou ferramentas utilizadas para a simulação do sequestro, uma grande faca, o lenço com que a jovem foi amarrada e um frasco de sangue artificial.

Sequestrada por ELFOS! SIM, ELFOS!

O momento em que ela é resgatada na montanha

Por mais Gump que possa parecer, é verdade. Uma mulher alegou ter sido sequestrada por nada mais, nada menos que Elfos.  

Sete anos após desaparecer sem deixar vestígios, uma antropóloga foi encontrada em uma caverna misteriosa, onde as autoridades locais acreditam que ela teria sido mantida como refém por elfos reais.  Quando foi encontrada, a pesquisadora dinamarquesa Kalena Søndergaard, de 31 anos, estava em precárias condições, seu corpo estava coberto por poeira e ela balbuciava incoerentemente quando equipes de resgate a encontraram fora de uma pequena abertura na famosa Rocha Elfo, onde, tradicionalmente, acredita-se ser a morada subterrânea dos pequenos primos da humanidade, os elfos.
A história, no final se provou uma grande farsa para vender livro.

A história da antropóloga Kalena Søndergaard, que teria desaparecido em 2006 e encontrada recentemente nua no alto de uma caverna na Islândia, é 100% falsa e o enredo sobre elfos foi criado pelo autor da história, o escritor C. Michael Forsyth, que a disseminou na internet.

Kalena Søndergaard seria somente uma personagem fictícia criada por C. Michael Forsyth, que é autor de ficção de horror. Além disso, não há dados disponíveis que evidenciem existência da alegada antropóloga dinamarquesa Kalena Søndergaard, apesar de alguns remeterem a uma estudante russa cadastrada em um site de namoro, mas que em nada tem a ver com essa história. Apenas a imagem de seu rosto [acima] teria sido utilizada pelo autor como sendo a antropóloga Kalena Søndergaard. Contudo, a prova cabal da referida farsa vem nas imagens utilizadas para ilustrar a história. A primeira delas mostra um salva-vidas se aproximando de uma mulher nua, agachada no alto de uma montanha rochosa. Essa imagem é real, não há montagem. Mas, na verdade, tal imagem se trata de outro resgate, ocorrido em 2011, mas bem longe da Islândia. Naquela ocasião, uma mulher nua de 27 anos, teve que ser realmente resgatada por salva-vidas, porém, após ficar presa tentando descer de penhascos até uma isolada praia de nudismo, segundo informou o Daily Mail, em 24 de março de 2011. Ela tirou a roupa antes de tentar escalar aproximadamente 200 metros de altura no penhasco da Black Beach, praia situada em Torrey Pines State Park, em San Diego, Califórnia. O autor C. Michael Forsyth utilizou-se de imagens reais para criar uma situação falsa, onde mescla o folclore celta com supostas lendas da Islândia e enganou a maior galera. Ate hoje essa história segue se espalhando em sites de ufologia mistica e correlatos.

Cristian Tonin – Forjou o próprio sequestro por dívidas

O empresário e ex-assessor da prefeitura de Farroupilha, Cristian Tonin, 38 anos, forjou o próprio sequestro por causa de dívidas. Essa é conclusão a qual chegou o delegado da Divisão de Sequestros da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) de Santa Catarina (SC), Anselmo Cruz. O homem tinha desaparecido na terça-feira (30) e foi encontrado pelas autoridades na quarta (31), quando foi preso em flagrante por extorsão – Tonin teria tentado extorquir a própria companheira com o falso sequestro.

O delegado de Santa Catarina explica que Tonin foi interrogado e admitiu a tentativa de forjar o próprio sequestro. O motivo seriam dívidas que estavam vencendo naquela semana e o ex-assessor não estava conseguindo quitá-las. 

 Daiane Silva – Por atenção

Após forjar o próprio sequestro, uma professora foi presa, nessa quarta-feira (10), em Sobral, no Ceará. Daiane Souza Silva, de 23 anos, que é educadora de uma escola da rede municipal de ensino do município, pediu recompensa de R$ 2 mil pelo resgate. Também foi preso o cúmplice da mulher, que seria o dono do imóvel, Michel Platini Farias Rodrigues. A polícia, desde o início, desconfiou pelo fato de o valor ser baixo e a suposta vítima manter contato com a família por aúdio.

Ele ainda acrescentou que no celular dela tinham fotos de Daiane amordaçada e áudios dos supostos sequestradores. “Logo em seguida, saímos em diligências para encontrá-la. Achamos a Daiane no fim do dia”, complementou Menezes. Em depoimento, Daiane disse que a família a menosprezava e que o sequestro era uma forma de fazê-los dar atenção a ela.

Os suspeitos vão responder pelo crime de extorsão qualificada. A pena varia de quatro a dez anos. fonte

 

Warley Amorim – reatar o relacionamento like a boss

Dois homens foram presos por tentarem forjar o sequestro de um deles. Em uma gravação enviada aos familiares, Warley de Oliveira Amorim, 30, aparece deitado em um porta-malas de um carro com as mãos amarradas, pedindo socorro. Segundo ele, a simulação foi para chamar a atenção da esposa. Depois de duas equipes policiais se deslocarem para o local, iniciarem as investigações e uma tarde inteira de buscas, a dupla foi encontrada em uma obra onde trabalhava, em Águas Claras. Na delegacia, o cara disse que não seria o caso de sequestro e, sim, que ele estava simulando a situação para sensibilizar a esposa, porque eles estão em um momento conflituoso da relação conjugal e ele queria um retorno por parte dela”, contou o delegado.

Aftab Aslam – Nota ruim

.Reprodução/MandatoryA figura na foto acima é Aftab Aslam. Ele não era exatamente um bom aluno e tinha um problemão nas mãos: seus pais estavam com a corda no pescoço financeiramente. Já é um dilema quando a grana dos seus pais está indo direto para as mensalidades escolares, mas imagine só quando esse dinheiro é TUDO O QUE ELES TÊM, e você se revela um verdadeiro aluno desastrado.

A situação ficou evidente quando Aslam repetiu de ano pela segunda vez, lá em 2013. Imaginem o pânico que tomou conta dele ao pensar em dar a notícia aos pais. Então, o que ele fez? Comprou um celular pré-pago e enviou uma mensagem de texto para os pais como se fosse um sequestrador, pedindo um resgate e fingindo ser a própria vítima.

O brilhante plano do rapaz o fez desaparecer por uma semana inteira, enquanto seus pais estavam à beira de um ataque de nervos. Mas, como todas as histórias têm seu desfecho, Aslam eventualmente reapareceu. No entanto, a polícia logo desvendou toda a trama.

Agora, o nosso protagonista não só enfrenta a possibilidade de se formar com um pequeno atraso devido às notas ruins, mas também porque passou um tempo atrás das grades. Afinal, pregar uma peça dessas não saiu tão barato quanto ele esperava.

Caso Fairlie – Em busca do sucesso perdido

Reprodução/Mandatory

Se você acha que a vida de uma celebridade é complicada, espere até conhecer alguém que já teve seus momentos de fama, mas depois se tornou uma pessoa comum e desconhecida. Isso é exatamente o que aconteceu com a cantora australiana Fairlie Arrow em 1991.

Fairlie estava enfrentando dificuldades financeiras e lutava para ganhar dinheiro com sua carreira musical. Foi então que, em dezembro de 1991, ela teve uma ideia brilhante (ou nem tanto) para chamar a atenção da mídia e reavivar seu status de celebridade: ela decidiu forjar seu próprio sequestro.

A trama conspiratória envolvia a criação de uma história mirabolante na qual Fairlie teria sido supostamente sequestrada por um fã obcecado. Ela se escondeu em um modesto hotel, observando com entusiasmo a cobertura da imprensa sobre seu misterioso desaparecimento.

A história teria tido sucesso se não fosse pelo zeloso faxineiro do hotel onde ela se escondia. Ao assistir as notícias na televisão, o faxineiro reconheceu o local e, com sua memória afiada, ligou para a emissora de TV para revelar que a suposta “desaparecida sequestrada” havia passado semanas de forma tranquila em um dos quartos do hotel onde ele trabalhava. A reviravolta hilária foi um golpe final na tentativa de Fairlie de voltar aos holofotes da fama.

Matthew Robillard – Cagada financeira

Reprodução/Mandatory

Matthew Robillard sumiu em janeiro de 2013. A polícia encontrou seu carro perto do aeroporto de Calgary, no Canadá e o veículo estava com o vidro da janela detonada. Robillard apareceu dois dias depois, todo machucado e botando a culpa em um bando de criminosos que o sequestrou e espancou.

A polícia, no entanto, nem teve tanto trabalho para descobrir que ele havia feito barbeiragem nos negócios e fingiu seu próprio sequestro para impedir seu pai descobrisse que ele havia perdido o equivalente a R$ 4 milhões em investimentos imbecis.

Ela não queria casar

Reprodução/Mandatory

Jennifer Carol Wilbanks ficou famosa em 2005 por desaparecer justamente no dia de seu casamento. Ela saiu para fazer um cooper e, depois do cooper feito, não apareceu mais. O noivo dela ficou desesperado, chamou a polícia e mobilizou toda a cidade de Duluth, na Georgia (EUA).

Três dias depois, Wilbanks apareceu em uma loja de conveniência em Albuquerque, Novo México, dizendo ter sido raptada e violentada. Durante o interrogatório, Wilbanks confessou a polícia que inventou tudo porque precisava de mais tempo para pensar sobre a ideia de casar.

Ela desapareceu no dia 26 de abril de 2005 e reapareceu no dia 29. No dia 17 do mês seguinte, seu noivo cancelou noivado e casamento. No dia 25, ela foi acusada por falso testemunho e, no dia 31/5, ela foi obrigada a ressarcir a cidade de Duluth em quase R$ 30 mil, que foi o que eles gastaram na busca por ela.

Pawan Werma- Grana pro rolê

Pawan Werma queria fazer uma viagem muito louca para Macau, na China, mas não tinha dinheiro. Foi então que ele teve a ideia de simular um sequestro e pedir o resgate para seu pai, um comerciante de Nova Déli, na Índia. Foi então que o pai de Werma recebeu, em 2010, uma ligação aterrorizante que dizia que, se ele quisesse ver seu filho vivo novamente, teira de pagar o equivalente a R$ 100 mil em grana. Cheio de amor ao filho, o cara negociou e combinou de deixar a grana em um lugar deserto. A polícia fez tocaia no lugar combinado e flagrou o próprio sequestrado indo buscar a grana.

Joanna Grenside – Evitar o arroz com passas

Reprodução/Mandatory

Joanna Grenside é uma britânica, que trabalhava como instrutora de aeróbica em uma academia, desapareceu no dia 15 de dezembro de 1992 e reapareceu dois dias depois, toda suja de lama e dizendo que havia sido mantida refém.

Quando foi depor à polícia, ela se enrolou tanto que acabou confessando: forjou seu próprio sequestro para não precisar comer as comidas gordurosas que seriam servidas na festa de Natal da academia.

Audrey Seiler – Em nome do amor

Reprodução/Mandatory

Audrey Seiler desapareceu em nome do amor. Foi em março de 2004. Ela estava na faculdade e namorava um cara que, do nada, passou a tratá-la com algo que ela considerou ser indiferença. Triste pela iminência de ser dispensada pelo bonitão, ela teve uma incrível ideia. Desapareceu! Ficou sumida por quatro dias e, depois, foi encontrada em um brejo, amarrada com cordas e com fita adesiva tapando sua boca. Ela até poderia ter se saído bem, se câmeras de segurança das lojas onde a corda foi adquirida não tivessem registrado a própria Audrey fazendo a compra…

Maria Brayfield- Fugindo da lei seca like a boss

Reprodução/Mandatory

Maria Brayfield foi encontrada no porta-malas de seu próprio carro e contou para a polícia que havia sido raptada dentro de seu apartamento e largada no acostamento para morrer.
Ao ser interrogada pela polícia, Maria ficou com medo e confessou a história. Na real, ela havia chapado o coco de tanto beber e, na hora de voltar para casa, ficou com medo de ser pega em uma blitz de bafômetro e simulou o sequestro apenas para não se ferrar no bafômetro. fonte

Herlandia forjou o sequestro para bombar ao vivo no youtube

O conceito de Tudo pela fama ganhou um novo sentido quando segundo a polícia, Herlandia Nunes Rodrigues armou tudo com o intuito de ficar nacionalmente conhecida. Outras três pessoas, incluindo o falso sequestrador, também foram indiciados.

Herlandia Nunes Rodrigues, uma mulher de 26 anos, foi indiciada pela Polícia Civil por forjar seu próprio sequestro e transmitir o evento ao vivo pelas redes sociais. Ela foi recentemente libertada da prisão em Rio Verde, Goiás, com o objetivo de ganhar notoriedade nacional. Herlandia deixou a prisão na sexta-feira, por decisão da juíza Thatiane Marcella Mendes Rosa Borges.

Para tornar sua farsa ainda mais convincente, Herlandia atirou contra o falso sequestrador, que foi hospitalizado e sobreviveu. Ela está respondendo pelos crimes de porte ilegal de arma, falsa comunicação de crime e tentativa de homicídio qualificado.

O caso veio à tona quando o falso sequestrador, Mateus Campos Oliveira, de 21 anos, confessou à polícia que tudo tinha sido forjado por Herlandia. Ele alegou que ela lhe ofereceu R$ 50 mil para participar da farsa e também foi preso e indiciado por porte ilegal de arma e falsa comunicação de crime.

Além dos dois, outras pessoas foram indiciadas no caso. Jackson dos Santos de Oliveira foi indiciado por porte de arma, pois vendeu o revólver usado na simulação do sequestro. Wdineia Oliveira, que representava Herlandia, também foi indiciada por orientar sua cliente a não contar a verdade e atrapalhar o processo.

O falso sequestro aconteceu em 8 de abril e foi transmitido ao vivo em uma rede social. Herlandia afirmou que foi surpreendida pelo sequestrador quando abriu o portão de sua casa, pois ele exigia dinheiro. Ela foi libertada três horas depois, quando os policiais levaram a mãe do rapaz e um advogado ao local.

Inicialmente, acreditava-se que o tiro disparado acidentalmente pelo sequestrador tinha ferido o rapaz, mas a polícia concluiu posteriormente que Herlandia foi a responsável pelo disparo. A mulher já tinha antecedentes criminais, tendo sido envolvida em um ato infracional semelhante a homicídio quando tinha 17 anos, quando ajudou a matar seu cunhado. fonte

Conclusão

Os casos reais de pessoas que forjaram seus próprios sequestros nos fazem refletir sobre a complexidade da mente humana. O ser humano muitas vezes realiza ações que podem ser absurdas. Essas histórias, por mais extraordinárias que sejam, revelam que as motivações por trás de tais ações são variadas e muitas vezes complexas. Elas nos lembram que, em busca de soluções para seus problemas, algumas pessoas recorrem a ações extremas e, por vezes, incompreensíveis.

A verdade por trás desses casos nos lembra que a vida é repleta de desafios, e encontrar maneiras mais saudáveis e construtivas de lidar com eles é essencial. Muitas vezes, sai mais barato e menos problemático fazer uma terapia do que se embolar numa história escabrosa digna de um filme.

Receba o melhor do nosso conteúdo

Cadastre-se, é GRÁTIS!

Não fazemos spam! Leia nossa política de privacidade

Philipe Kling David
Philipe Kling Davidhttps://www.philipekling.com
Artista, escritor, formado em Psicologia e interessado em assuntos estranhos e curiosos.

Artigos similares

Comentários

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Advertisment

Últimos artigos