10 mentiras para enrolar designers e ilustradores inexperientes

Sharing is caring!

1) “Faça esse trabalho barato (ou de graça) e no próximo pagaremos melhor”

Nenhum profissional que se preze daria seu trabalho de mãos beijadas na esperança de cobrar mais caro mais tarde. Você consegue imaginar o que um advogado diria se você dissesse “me defenda de graça dessa vez que na próxima vez que eu precisar de um advogado eu te chamo e pago melhor”. Ele com certeza riria da sua cara.

2) “Nós nunca pagamos 1 centavo antes de ver o produto final”

Essa é uma pegadinha. A partir do momento que você foi contratado para fazer o trabalho você DEVE pedir uma entrada. O motivo é simples, você está trabalhando desde o momento que se dispõe a fazer a reunião de briefing. Talvez um cliente mais inexperiente queira pagar após ver alguns esboços. Cabe a você aceitar ou não.

3) “Esse trabalho será ótimo para seu portfolio! Depois desse você vai conseguir muitos outros”

Essa é uma das mais típicas. E costuma fazer vítimas principalmente entre jovens que ainda estão estudando. Para não cair nessa, basta pensar “quanto o seu cliente vai faturar com o seu trabalho?”. Além disso, não esqueça que, mesmo que ele indique seu trabalho para outras empresas, com certeza ele dirá quanto custou (ou se foi de graça) e imagine o que os próximos irão querer?

4) Olhando para seus estudos e rascunhos: “Veja, não temos muita certeza se queremos seu trabalho. Deixe esses estudos comigo e vou falar com meu sócio/investidor/mulher, etc e depois te dou uma resposta”

Não dou 5 minutos para ele ligar para outros designers com seus estudos e conceitos criados na mão barganhando melhores preços. Quando você ligar de novo ele dirá que seu trabalho está muito acima do mercado, blá blá blá, e que Fulano Designer vai fazer o trabalho. Mas como eles conseguiram outro designer mais barato? Lógico, você já passou o conceito todo criado! Economizou horas para o designer que vai pegar o trabalho. Então, enquanto você não entrar em acordo com seu cliente NUNCA DEIXE NADA CRIATIVO no escritório dele!

5) “Veja, o job não foi cancelado, somente adiado. Deixe a conta aberta e continuaremos dentro de um mês ou dois”

Provavelmente não. Seria um erro você não faturar o que foi feito até o momento esperando que o trabalho continue depois. Ligue em dois meses e você verá que alguém estará trabalhando no job. E adivinhe! Eles nem ao menos sabem quem você é… e o dinheiro do início do trabalho, lógico, já era!

6) “CONTRATO?? Nós não precisamos assinar contratos! Não estamos entre amigos?”

Sim, estamos. Até que alguma coisa dê errada ou ocorra um mal-entendido, e você se transforme no meu maior inimigo e eu sou o seu “designer estúpido”, aí o contrato é essencial! Simples assim! Ao menos que você não ligue em não ser pago. Qualquer profissional usa um contrato para definir como será o trabalho e você deve fazê-lo também!

7) “Envie-me a conta depois que o material for pra gráfica”

Por que esperar por esse deadline irrelevante? Você é honesto, não? Por que você deveria ficar preso a esse deadline? Uma vez entregue o trabalho, fature! Essa desculpa possivelmente é uma tática para atrasar o pagamento. Assim o material vai pra gráfica, precisa de alterações intermináveis e, adivinhe, ele arranja outra pessoa pra fazer as alterações necessárias, o material vai pra gráfica e você nem fica sabendo!

8) “O último designer fez esse job por R$ XX “

Isso é irrelevante. Se o último designer era tão bom por que ele te chamou? E quanto o outro cobrava não significa nada pra você. Pessoas que cobram muito pouco pelo seu tempo acabam fadadas ao insucesso (por auto-destruição financeira). Faça um preço justo, ofereça no máximo 5% de desconto e não abra mão disso.

9) “Nosso orçamento para esse job é de XX reais”

Interessante, não? Um cara sai para comprar um carro e sabe exatamente quanto ele vai gastar antes mesmo de fazer uma pesquisa. Uma quantia de trabalho custa uma quantia de dinheiro. Se seu cliente tem menos dinheiro e ainda assim você quer pegar o trabalho, dedique menos horas a ele. Deixe isso bem claro ao seu cliente, que você dedicará menos tempo que o estimado para finalizar o trabalho porque ele não pode pagar por mais horas. A escolha é sua.

10) “Estamos com problemas financeiros. Passe o trabalho para nós e, quando estivermos em melhor situação, te pagamos.”

Claro, mas pode contar que, quando o dinheiro chegar, você estará bem lá no final da lista de pagamentos. Se alguém chega ao ponto de admitir que está com problemas financeiros então provavelmente o problema é bem maior do que parece. Além disso, você por acaso é um banco para fazer empréstimos? Se você quer arriscar, pelo menos peça dinheiro adicional pelo tempo de espera. Um banco faz isso, não faz? Por que provavelmente esse é o motivo deles quererem atrasar seu pagamento, ter 6 meses de dinheiro “emprestado” sem ter que pagar juros, o que não aconteceria se ele tivesse que emprestar do banco. Não jogue dinheiro fora!

Bom, o motivo de tudo isso não é deixar você paranóico ou coisa do tipo, mas sim injetar um pouco de realidade no mundo de fantasia da maioria dos designers. Você certamente vai tratar com pessoas muito diferentes de você. As motivações e atitudes certamente são diferentes. Eu infelizmente vejo, muitas vezes, exemplos de pessoas envolvidas em situações com a mais nobre das intenções e acabam literalmente se dando mal. Porque a maioria dos designers enxergam os trabalhos como uma oportunidade de fazer aquilo que mais gostam com dedicação, simplesmente porque amam o que fazem! A outra parte não tem a negociação tão idealizada ou romantizada, muito pelo contrário.

Como lidar com todas essas coisas e ainda assim fazer um trabalho criativo? Boa pergunta! É por isso que ir atrás da informação é importante. Você aprende a trabalhar com todas as técnicas do design, mas não aprende a arte da negociação. Muitos designers ignoram este aprendizado, o que é um grande erro. Sugiro que o mínimo seja incorporado assim certamente você não sentirá seu trabalho como uma grande perda de tempo e dinheiro!

Fonte
tradução de Debora Behar

Comments

comments

Luminária Ufo

15 comentários em “10 mentiras para enrolar designers e ilustradores inexperientes”

  1. Faltou uma que eu já ouvi muito: Faz um precinho camarada nesse que depois desse serviço vamos ficar muito amigos e você vai lucrar bastante.

    Obs1: Desenvolvedores (programadores) tb sofrem deste mal.

    Obs2: Que raio de verificação é essa? bskgewxc ?? Daqui uns dias vou ter que digitar uma frase em algum idiona esquisito (svenko por exemplo)

    Responder
  2. Philipe
    Mas um bom e oportuno post, tratar das relações de trabalho para mim é sempre uma constante com meus amigos e colegas, atuo na área de informática, e sinceramente, êta povinho de visão tacanha !!!
    Como a profissão não tem regulamentação existe todo tipo de “profissional” e as frases e choradeiras narradas ai por você são uma constante, porém, eu faço meu preço, se o cliente for assíduo e bom pagador tem alguma regalia, do contrário são os 5% mesmo e ponto final.
    Frequentemente ouço, “você não demorou nada aqui, é isso tudo mesmo ?” “fulano faz mais barato” “poxa você vai me cobrar de novo, esteve aqui um dia destes” e a pior “isso é um roubo”.
    Esta última fez com que eu banisse o cliente, que sempre queria ditar o preço, deixei ele ganhar 2 vezes, quando cortei virei ladrão, resultado, não atendo mais seus telefonemas, que queime na mão de algum curioso…
    Não se ganha cliente com guerra de preços, e sim com competência e qualidade, você tem que vender uma boa experiência a ele, o serviço é um detalhe, desta forma ele volta e não contesta o preço. Para este sim, você pode e deve dar uma colher de chá de vez em quando.

    Responder
  3. Ainda não entrei no mercado,mas to fazendo sistemas de informação…
    Isso deve ser bem comum na minha area também…Acho que pra qualquer profissional que venda serviços né?
    Valeu phellipe.

    Responder
  4. É Philipe… ainda estou no colégio e fiz um logo para um “colega” de classe, e veio com a mesma conversa “ahh, depois vo pedi pa você faze um flyer pra mim, dai eu ti pago.” obs:. dei um preço bem baratinho para ele.
    Bom saber dessas coisas porque pretendo entrar nessa área.

    Responder
  5. Putz… Dá vontade de prestar concurso público, rs… Não para designer, que fique bem claro, pq designer concursado ganha menos ainda que autônomo.
    Isso é assim há muito tempo… Meu avô ganhou a vida pintando faixas, letreiros e fachadas de loja aqui no interior de SP, então pode-se dizer que ele era um designer “medieval”. No tempo que não tinha Illustrator nem Photoshop, o negócio era tinta, thinner, giz, espolvo e mão firme. Trabalhou pro Expresso de Prata, Coca-Cola, Michelin… Volta e meia ele tinha que fazer serviço para a prefeitura, teve uma vez que mudou de governo depois das eleções e ele tinha uns serviços pra receber, foi na prefeitura cobrar e um cara novo recebeu ele, então o FDP teve a cara de pau de dizer que aqueles serviços eram da administração passada, que a nova não tinha nada a ver com aquela dívida… O corno devia achar que tava falando com um jeca simplório (meu avô saía pela rua com a “roupa de trabalho”, que era praticamente qualquer uma, as calças dele sempre tinham umas dezenas de manchas de tinta e dedo pintado por todo lado, hahaha), o velho deu um esporro no infeliz, falou um monte, praticamente mandou o cara ir buscar a porcaria do dinheiro e guardar a filhadaputice pra mãe dele… (Não deve ter sido nessas palavras, mas a idéia era por aí.) Isso e o tanto de partido que em época de eleição faz serviço a rodo e quando perde, ninguém se habilita a pagar. Eleição municipal interiorana, então…. Isso tem de monte até hoje. Nesse caso específico o negócio é cobrar caro, à vista e adiantado. Mesmo que seja do partido do cara em que você vai votar. Se for para o PT, nem faça, que vc vai levar rodo.

    Responder
    • Isso é praticamente uma lei: Político só pagamento adiantado. Nunca vi uma gráfica fazer trabalho parcelado para político. Por que o artista vai fazer? Pra político tem que ser ” igual Mc donald´s, pague primeirio, coma depois”.
      Se ao dizer isso o cara se ofender, ficar putinho, querer armar barraco, tenha CERTEZA que ele estava planejando dar calote.

      Responder
  6. Boleto bancário nesses clientes nazistas. Não esqueçam disso, só o boleto bancário irá acabar com essa gente safada e vagabunda que só quer se aproveitar dos artistas altamente rentáveis.

    Responder
  7. Acho bacana que hj a gente encontre um monte de posts com dicas de como se portar ou se proteger no mercado. Quem dera eu tivesse tido esta oportunidade já que sou um pouco mais antigo que a internet para usuários comuns. Só queria acrescentar meu ponto de vista. Eu acho que já ouvi TUDO que tem nesta lista. Sou designer (já passei por vários campos de atuação) desde os 14 anos de idade. Hj com 46. Já fui Letrista, Cartazista, Pestapista, Desenhista de estampas, Diretor de Arte e bla, bla, bla… Mais ou menos nesta ordem. Quase tudo que vemos como “regrinhas” um dia nos trairão. Não, eu não estou falando de baixar as calças. Estou falando que haverá um cliente seu, que vc atende a algum tempo e o cara vai te ligar pedir um trampo express e que vc vai fazer sem contrato e vai receber tudo na boa. Que uma agência com quem vc trabalha de tempos em tempos vai te ligar e te colocar num JOB com baixo budget (esles preferem falara assim qdo estão com pouca grana) e vc vai decidir se entra ou não. A agência já te colocou em JOBs gordinhos de grana? Se sim, então… a decisão continua sendo sua. De graça? Por visibilidade? Por um lugar no céu? Porque é meu amigo? Não!!! Preço de outro designer importa? Importa pra vc saber como está sua colocação no mercado, mas não mire para baixo. Se vc alcançou um valor, não tem porque andar para trás. O seu preço não está vinculado a tabelas, a menos que vc queira. Mas não perca a lógica. Mas no final é isso. As dicas estão aí. A aplicação é que define acertos e erros. E irão acontecer os dois, isso é certeza. O cliente é massa, nossa profissão é bacaníssima e vamos trabalhar duro e ganhar bem. Vida longa e próspera. Tô bem humorado pq estreei minha cafeteira nova.

    Responder
  8. Bom dia Philipe,

    Acredito que isso aconteça em todos os ramos de atividade, inclusive com quem é CLT e vai pedir aumento, o poder de negociação é uma coisa tão forte que faz você se dar bem ofertando pouco, conheço um consultor que chega na empresa reúne os gestores passa uma atividade de escola (ex.: invente uma solução para falhas de comunicação para entregar na próxima visita) tira a tarde para tirar xerox e ganha livre neste dia R$2500,00 “É revoltante” dizem, eu digo “É uma lição de corporativismo que não esquecerei nunca” depois que conheci esse senhor meus lucros aumentaram 60%, o segredo?

    Valorize tudo que faz!!!

    Abraço

    Responder
    • As pessoas costumam achar que consultores cobram caro. Realmente muitos cobram mesmo. O problema é que raramente o cliente se lembra que uma parte significativa do trabalho do consultor é pesquisa. Como ela não aparece, e eles cobram por ela, o valor de uma consultoria é geralmente caro. Evidentemente que tem muito sujeito picareta por aí.

      Responder
  9. A merda é que o desaigner é acima de tudo um artista. E todo artista adora o que faz. Daí deizar de ver uma concepção sua não executada é uma “facada” no coração! Vai dizer que você que também é um artista (e dos bons) também já não teve essa sensação, e passou por alguma situação semelhante?

    Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Apoie este projeto

Criar este website não é uma tarefa fácil. Mais de 5000 artigos, mais de 100.000 comentários e conteúdo próprio, demandam muito trabalho. Saiba como você pode ajudar a manter o Mundo Gump cada vez melhor e evitar que ESTE SITE ACABE
Ajuda aí?
MUNDO GUMP – © 2006 – 2020 – Todos os direitos reservados.