34 Comentários

  1. Marcelo Oliveira

    Fodástico. Pena que esse tema de zumbis está tão comum que vai ser difícil fazer algo que não seja clichê.

    Responder
    1. Philipe3d

      Pois é. Zumbis é um tema muito explorado. Mas “confie na força, Luke!” Vou desligar o computador de bordo, fechar os olhos e ver no que vai dar.

      Responder
  2. Arthur Boelter

    Excelente, a dinâmica entre descrição e ação está mto boa!
    Aguardando a continuação!

    Responder
  3. Bruno

    tÁ FICANDO CADA VEZ melhor, mas prolongue bem esse texto. Quando a leitura começa a ficar ótima acaba o conto.. ehhe escreve umas 30 páginas e lance o livro.

    “E eis que surge uma mulher linda e perigosa e aponta a arma para o infeliz moribundo. Tornam-se amigos e namorados e saem matando zumbis para o resto da vida.. ehehe”

    Responder
    1. Philipe3d

      Cara é que eu evito deixar muito grande, porque além de atrapalhar os meus outros afazeres eu temo que textos excessivamente grandes acabem inibindo a leitura de quem não está muito acostumado.

      Responder
    1. Philipe3d

      Cara, não sei, porque este eu nem faço ideia de como vai terminar. Eu estou fazendo quase junto com a leitura de vocês. Pra vc ter uma ideia, o capitulo de amanhã nem existe. Farei amanhã. Por isso ele só deve entrar no fim da tarde.

      Responder
    1. Mel

      Ah, outra coisa…

      ‘Estava morto de sede. Vasculhou tudo em busca de um babadouro, mas não havia nada. Só encontrou garrafões de água vazios empilhados perto da escada. Andou pelo escritório até achar uma porta que estava escrito “gerencia geral”’

      Está escrito “babadouro” ao invés de bebedouro =x

      Responder
    2. Philipe3d

      Pois é. Vou escrever amanhã. Por enquanto a parte 4 não existe. Tb estou curioso.

      Responder
  4. Joe Dorneles "S.W" Lamberti

    Nao vou ler agora. Só quando estiver tudo pronto. 😉

    Responder
    1. Philipe3d

      Cara sugiro que leia agora, porque pode ser que fique grande demais. Vai te dar preguiça, hehehe.

      Responder

  5. Rapaz,

    Confesso que fazia tempo que não ficava com o coração na boca como na parte do David cruzando a rua no breu total. Sei bem que é isso (ou quase).

    No último blecaute que houve em São Paulo, fui “resgatar” minha namorada que estava na faculdade. Era umas 21h ou 22h e eu não queria deixar a patroa dormindo na rua. Era uma viagem de 30 minutos de carro e, para tal, eu precisava ir para garagem do meu prédio.

    Sem luz e morando no 14º, desci todos os andares usando a luz azulada e tênue do display do meu celular. Até aí tudo bem, me sentia seguro, afinal eu estava vendo tudo, mas quando eu entrei na garagem… rapaz… me senti como o David: a única coisa que eu enxergava era a tela do celular e a porta de saída da garagem – não aquela porra de telinha não iluminava nada com mais de 2 metros de largura! Cheguei no meu carro nem sei como e, ao entrar nele, fiquei pensando: “se hoje fosse um apocalipse zumbi, eu estaria COMPLETAMENTE FERRADO NESSE ESCURO!!!”

    E vamos tomar mais sustos com a continuação dessa estória! XD

    Um super abraço e obrigado,

    tio .faso

    Responder

  6. Opa! Quase me esqueci de comentar: como não tem forma melhor para te agradecer pelo conto, clico nos Links Patrocinados para te dar uma mãozinha! X)

    .faso

    Responder

  7. Esse conto tá muito bom! Independente da hype, eu realmente adoro estórias de zumbi!

    Deixe tentar colaborar. Achei um outro ‘bug’ no conto: ao ler a frase

    “Pegou a lanterna, a faca, a chave de fenda, enfiou tudo nos bolsos do sobretudo.”

    parece que a faca foi encontrada anteriormente, mas na verdade ela não foi mencionada antes. =D

    Cara, eu também encontrei alguns erros de digitação na parte 2 do conto, que eu te enviei pelo formulário de contato do site. Chegaste a receber?

    Parabéns novamente pelo ótimo texto, um abraço!

    Responder
  8. Andressa

    Cara, os contos são todos bons, mas dessa vez vc se superou…
    Tá perfeito.

    Responder
    1. Philipe3d

      Nossa que bom que vc está gostando. As coisas vão ficar mais agitadas dessa parte em diante.

      Responder
    1. Philipe3d

      Valeu. Cheguei agora. Pregadão… E ainda tenho que escrever esta porra. Ah, que preguiça…

      Responder
  9. DANIEL

    é hoje que sai a parte 4 né? tô doido pra ler. O Conto tá tão bom, ms tão bom, que prende minha atenção, dá pra ver tudo acontecendo na mente.

    Responder
  10. Lycan

    ta massa o conto Philipe, curto muito a forma que você escreve cara!
    detalhista, mas sem perder o foco.
    no aguardo pela proxima parte.

    Responder
  11. Albert222vb

    Estou relendo tua formidável obra outra vez.

    Vou ficar igual o Kakachi sensei do Naruto lendo um mesmo livro.

    Responder

  12. Muito boa essa história, eu me vejo dentro dela, posso até imaginar como são os prédios, a escada, estou imaginando tudo aqui, muito bom mesmo.

    Responder
  13. bielchico

    Mano, tava lendo a parte que ele está dentro da loja, andando sem ver nada e de repente ele acha o celular…
    Ai tocou o meu telefone bem nessa hora. Dei um pulo da cadeira, de tão vidrado que estava lendo…

    Philipe, parabens pelos seus contos. Como disse em outro conto seu, estou lendo seu site inteiro agora.
    Já li quase todo seus contos longos e são os melhores.
    Continue assim que você vai longe. E o que acho que agrada mais os seus leitores, é que você escreve pra você e não para agradar o povo e ta que se dane(vide o relato de um MIB), isso é o que eu acho melhor, pois foge de tudo o que se tem hoje na internet, todos querem buscar ibope, visualizações e acabam postando coisa que não tem nada haver, mas que vai chamar a atenção da galera.
    Enfim, continue assim, fazendo o que você gosta sem se preocupar, pois isso é o que nós gostamos também.

    Valew.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.