Sangue do caranguejo poderá salvar sua vida

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Categorias
Night mode

O sangue (bizarramente azul) do caranguejo ferradura poderá um dia salvar sua vida.

Você sabia que o sangue do caranguejo é azul? Nem eu!

O sangue deste curioso animal (já falamos dele aqui) que já estava andando pela Terra muito antes dos Dinossauros surgirem, poderá oferecer pistas importantes sobre terapias de imunologia para a ciência. O processo de tirar o sangue é complexo e difícil. Uma sonda é enfiada direto no coração primitivo da criatura e após algum tempo, seu sangue curiosamente azul, produto da grande concentração de cobre no sangue e de uma proteína responsável pelo transporte do oxigênio, chamada hemocianina, pinga nos recipientes.
Por sorte das pobres cobaias, o processo não é letal. Após a coleta eles são devolvidos ao mar. Apenas 15% deles morrem durante os experimentos.
Por décadas, o sangue desses animais curiosos vem sendo coletado para experimentos, criação de vacinas, fluidos especiais e pesquisas com bactérias que seriam fatais se entrassem em nossa corrente sanguínea. Graças a proteínas especiais e células que agem como um sistema imunológico primitivo, o sangue deste caranguejo coagula imediatamente quando toca em patógenos, como a E. Coli e a Salmonella.

Na verdade, o sangue do caranguejo ferradura é tão sensível que suas proteínas podem detectar patógenos numa taxa de 1 parte para 1 trilhão. Isso equivale a mais precisão que achar um grão de açúcar em uma piscina olímpica. Os cientistas esperam conseguir modelar uma molécula sintética capaz de simular a incrível habilidade do sangue deste caranguejo, que levou milhões de anos para se desenvolver. A ideia é combinar essa habilidade com a de um outro animal, um sapo com garras encontrado na África. Ele possui peptídeos antimicrobianos que somados aos detectores do sangue azul desse caranguejo, poderiam gerar remédios para salvar a vida de milhares de pessoas pelo mundo afora.

fonte

Comments

comments

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

4 respostas

    1. A fisionomia deles é completamente diferente da nossa, o que pode matar um humano não faz tanto malefício ao caranguejo. Provavelmente o buraco é suturado depois da coleta. Ainda acho a taxa de mortandade dos bixos alta, tem que diminuir isso aí.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

© MUNDO GUMP – Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução sem autorização.