Quem Nikola Tesla ouviu?

O que levou Nikola Tesla a acreditar que estava ouvindo extraterrestres?

Nikola Tesla foi um imigrante sérvio-americano inventor, engenheiro elétrico , engenheiro mecânico e futurista. Suas credenciais dispensam apresentações, e ele é conhecido por suas contribuições para o projeto do moderno sistema de fornecimento de eletricidade de corrente alternada (CA) usando no mundo.

Fora isso, ele fez um monte (um montão mesmo) de contribuições e invenções de todos os tipos, algumas bem avançadas para seu tempo. Segundo conta sua biografia, antes do Tesla começar a “endoidar” ele foi ficando com um monte de manias como o passar dos anos, com TOCs  variados, como tudo ser divisível por três. Por exemplo, ele contava os passos para ir de seu hotel a um restaurante. Se por ventura o numero de passos não fosse divisível por três ele daria uma volta inteira no quarteirão até que o numero total de passos para entrar no restaurante pudesse ser divisível por três.

Mas muito antes disso coisas estranhas já aconteciam com ele. Por exemplo, era comum que ele trabalhasse num ritmo frenético até a exaustão completa e desmaiasse no meio de projetos. (o fato de nunca dormir mais de duas horas por noite e trabalhar todos os dias até as três horas da manhã devem ter contribuído muito). testemunhas viram-no em  certa ocasião em seu laboratório, trabalhando por um período de 84 horas sem descanso.

Em seu auge, quando estava rico (um monte de gente gosta de dizer que o Tesla era pobre, mas ele ficou ricaço, ao vender suas patentes para a Westinghouse) ele montou um laboratório de ponta em Nova York.

Lá ele trabalhou duro na tentativa de desenvolver invenções que pudesse patentear e comercializar. Tesla conduziu uma série de experimentos com osciladores /geradores mecânicos, tubos de descarga elétrica e primeiras imagens de raios X. Nessa mesma época, ele também construiu um barco controlado sem fio, um dos primeiros já exibidos.

Tesla tornou-se conhecido como inventor e demonstrou suas realizações para celebridades e clientes ricos em seu laboratório, e foi celebrado por seu carisma em palestras públicas.
Em 1893, ele fez pronunciamentos sobre a possibilidade de comunicação sem fio com seus dispositivos. Tesla tentou colocar essas ideias em prática em seu projeto inacabado da Torre Wardenclyffe, um transmissor de energia e comunicação sem fio intercontinental, mas ficou sem financiamento antes que pudesse concluí-lo.

Gradualmente, ele foi torrando toda a grana e acabou se mudando de hotéis caros para hotéis cada vez mais vagabundos porque a grana foi ficando curta.
Mesmo assim ele seguia criando.

Tesla obteve cerca de 300 patentes em todo o mundo para suas invenções. Algumas das patentes de Tesla não são contabilizadas, e várias fontes descobriram algumas que estavam escondidas em arquivos de patentes. Há um mínimo de 278 patentes conhecidas emitidas para Tesla em 26 países. Muitas das patentes de Tesla estavam nos Estados Unidos, Grã-Bretanha e Canadá , mas muitas outras patentes foram aprovadas em países ao redor do mundo. Muitas invenções desenvolvidas por Tesla não foram protegidas por patente e há uma teoria da conspiração muito repetida, mas pouco provada sobre agentes do Governo dos EUA  terem roubado um baú inteiro de projetos do quarto dele após sua morte.

Possível? Não sei. Pode até ser, já que a preocupação com aquelas coisas como “o raio da morte” cair em maus erradas poderia ser um motivador.

Comunicações de alienígenas

Como dito, Nikola Tesla é um personagem muito interessante e uma mente que talvez nunca mais vejamos de novo por aqui.

Com o advento do rádio, e a invenção do rádio sendo atribuída a Guglielmo Marconi por alguns, (há quem diga que Marconi roubou as notas de Tesla sobre o rádio) e isso o ajudou  a produzir sua própria invenção. Aliás, havia um longo processo de outros inventores que disputaram com ele a patente do rádio.
O fato que interessa, é que tanto Tesla quanto Marconi relataram ter interceptado uma transmissão estranha enquanto trabalhavam em suas invenções de rádio, e que  pra eles aquilo pareciam vir do espaço.

De fato, parece extremamente instigante essa ideia. Imagine que você está acabando de inventar o rádio, ninguém usa, porque não existe até aquele momento… Então você liga seu dispositivo e… Capta pessoas falando no rádio.  Então, das duas uma: Ou sua invenção chegou tarde, ou “há algo lá fora”.

Em um artigo intitulado “Talking With Planets” publicado em 1901, Tesla relatou que enquanto conduzia experimentos em Colorado Springs em 1899, Tesla interceptou uma mensagem misteriosa.

Tesla disse sobre a mensagem:

Nunca poderei esquecer as primeiras sensações que experimentei quando me dei conta de que havia observado algo possivelmente de consequências incalculáveis ​​para a humanidade. Senti-me como se estivesse presente no nascimento de um novo conhecimento ou na revelação de uma grande verdade. Mesmo agora, às vezes, consigo recordar vividamente o incidente e ver meu aparelho como se ele estivesse realmente diante de mim. Minhas primeiras observações me aterrorizaram positivamente, pois nelas havia algo misterioso, para não dizer sobrenatural, e eu ficava sozinho em meu laboratório à noite; mas naquela época a ideia de que essas perturbações eram sinais controlados de forma inteligente ainda não se apresentava a mim.

As mudanças que observei ocorriam periodicamente e com uma sugestão tão clara de número e ordem que não eram atribuíveis a nenhuma causa então conhecida por mim. Eu estava familiarizado, é claro, com os distúrbios elétricos produzidos pelo Sol, pela Aurora Boreal e pelas correntes terrestres, e tinha a maior certeza possível de que essas variações não se deviam a nenhuma dessas causas. A natureza das minhas experiências excluiu a possibilidade de as mudanças serem produzidas por perturbações atmosféricas, como foi precipitadamente afirmado por alguns. Algum tempo depois, surgiu-me na mente o pensamento de que as perturbações que observara poderiam ser devidas a um controle inteligente. Embora eu não conseguisse decifrar o seu significado, era-me impossível pensar neles como tendo sido inteiramente acidentais. Cresce constantemente em mim a sensação de que fui o primeiro a ouvir a saudação de um planeta a outro. Um propósito estava por trás desses sinais elétricos; e foi com esta convicção que anunciei à Cruz Vermelha, quando esta me pediu para indicar uma das grandes conquistas possíveis dos próximos cem anos, que provavelmente seria a confirmação e interpretação deste desafio planetário para nós.

No final do século XIX e início do século XX, a ideia e o desenvolvimento da telegrafia sem fio, enviando e recebendo ondas eletromagnéticas pelo ar, ofereceram um novo método de busca de comunicações a partir do espaço. Em 1901, o engenheiro Nicola Tesla fez a surpreendente afirmação de que estava recebendo comunicações de rádio de Marte. Sua história foi divulgada e amplamente divulgada na imprensa.

Em 1907, Tesla acreditava fortemente que os sinais eram de origem planetária. Após reflexão e estudo maduros, ele concluiu que eles haviam emanado de Marte e manteve sua postura nos anos seguintes. O cientista acreditava que era um código numérico que os marcianos usavam para se comunicar, mas foi ridicularizado por várias pessoas da comunidade científica por acreditarem que os sinais eram da Terra porque tais sinais não podiam entrar na ionosfera do nosso planeta, conforme IFL Ciência.

Tesla teria ouvido uma transmissão alienígena no rádio? Eu não sei, mas acho improvável. Há outras hipóteses, como a possibilidade de que tesla tivesse esbarrado sem querer numa TCI – transcomunicação Instrumental – ou seja, ele estivesse ouvindo pessoas mortas como no caso do professor Raudive. 

Outra hipótese seria que Tesla estivesse captando algum tipo de frequência espacial de verdade. Não necessariamente alien, mas emissões de radio vindas do espaço.
Acontece que eu parei para pensar nisso outro dia, após escutar esse podcast muito interessante sobre a Operação Prato. Em um certo momento, o entrevistado conta algo que eu não sabia ou se sabia, já não me lembrava sobre a Operação Prato. Uirangê Hollanda teria descoberto que havia uma frequência de rádio específica que eles conseguiam captar uma transmissão de vozes, parecendo com o idioma oriental, mas desconhecida, e isso sempre ocorria antes de uma espaçonave aparecer.

Essa é uma ideia bem interessante, porque de fato, eu me recordo de ter conversado certa vez com um senhor que eu conheci na Rosa Cruz, que me contou que anos antes, enquanto estava usando um radioamador, captou uma transmissão completamente estranha numa faixa incomum do dial, onde ela escutou muito claramente uma conversa entre duas pessoas numa língua absolutamente desconhecida e que pra ele era taxativo: “não era gente”.

Na ocasião, perguntei se não poderia estar captando um sinal de ondas curtas, SW, que viaja pela ionosfera e pode trazer rádios da China, da Rússia, e dos maiores rincões imagináveis da Terra, mas a pessoa me disse que não, pois essa transmissão estava numa faixa totalmente fora do padrão. Ela também tinha um grande conhecimento técnico, e já estava no radioamadorismo fazia muitos anos, conhecendo muito bem a comunicação humana e suas características, que embora possam estar em outra língua, acabam sendo bem peculiares. Mas ele falou duas coisas que achei interessantes: O sinal estava limpo, e era muito potente. Brutalmente forte. Então ele concluiu que não podia ser lá do outro lado do mundo. E ele acha que não vem do espaço, mas de algum disco voador perto. – que é mais ou menos na linha do que parece que rolou na OP prato.

Aquela comunicação nunca mais voltou a ocorrer, de modo que é algo bem estranho. Outro caso envolvendo comunicações via radio aparece num caso chileno, que é tema do documentário “A ilha alienígena” disponível no Netflix e parece estar em sinergia com outro caso ufológico intrigante ocorrido na Itália, o caso Amicizia. Saiba mais desse caso no canal do meu amigo Milho. 

 

Receba o melhor do nosso conteúdo

Cadastre-se, é GRÁTIS!

Não fazemos spam! Leia nossa política de privacidade

Philipe Kling David
Philipe Kling Davidhttps://www.philipekling.com
Artista, escritor, formado em Psicologia e interessado em assuntos estranhos e curiosos.

Artigos similares

Comentários

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Últimos artigos

Gripado

O dia da minha quase-morte

Palavras têm poder?