fbpx

Arte, Tecnologia, Textos

Poesia Visual

Escrito por Philipe Kling David · 1 Minutos de leitura >

Eu achei um link muito curioso. No inicio custei para entender como a coisa funcionava. Mas depois compreendi.

A proposta deste site é permitir que através de um texto você construa uma imagem.

E então eu resolvi escrever a priemira merda, digo, coisa que me veio à cabeça e saiu isso aqui:

Quando nada mais restar senão olhar-se no espelho e contemplar o vazio que te separa do que você gostaria de ser

Não pense, sinta. O que você não é, é justamente aquilo que te faz ser o que é. Então de alguma forma triste e patética, você obtém uma certa criatividade apenas por lutar contra a correnteza de medos, desejos e virtudes que te constroem justamente quando você evita que isso aconteça.


Não há maneira de escapar ao universo triste do real senão dar-se conta de que sua existência é o que conduziu a esta reflexão.
Tudo esta na base do ser e do não ser. O não ser te faz ser tanto quando o seu ato de ser obriga milhões de outros atos de ser a não estar.

E aí

Quando mais tarde você buscar

Nos seus olhos refletidos num espelho

Algum fragmento de quem você é. Alguma pista..

Alguma dica


Algum caminho para buscar compreender o que de fato perdeu,

Tudo que verá será só uma repetição fraca e triste de um boneco que deveria ser um você idealizado, construído com sonhos e desejos comerciais.

Sua roupa não te faz ser o que é. Nem suas jóias. Muito menos seu carro esporte

Tudo que você quer que seja é aquilo que te afasta do seu verdadeiro caminho

O caminho do outro

Do encontro

Do estar real no mundo

E nos mundos
Porque o que você faz aqui repercute cósmicamente

E quando você deixa de usar aquela calça cara de marca desconhecida ou aquele sapato de pedras brilhantes que alimentaria uma família pobre nos confins áridos das planícies africanas…

… Você permite que num outro lugar num outro tempo, naquele momento que parece um pequeno estalo para nós que vivemos muito e para os animais que vivem pouco é como uma gigantesca vazão secular

Uma minúscula  molécula se prenda a outra, gerando um aminoácido.

Que vai se unir a outros fazendo uma bactéria

A bactéria
A semente da nova vida, no universo distante das possibilidades

Dará a luz a um sem fim de coisas concretas, vivas, que se multiplicarão mais e mais até que muitos milênios depois, uma outra figura possa se olhar no espelho e contemplar o vazio de sua existência fraca.

E então,

Só então

O ciclo se repetirá.

E o programa gerou isto aqui.

Esta é a construção matematicamente gerada da minha poesia de fundo de quintal. Uma coisa bem interessante.

Quando são muitas palavras fica bem mais maneiro, olha só:

Este é mais um daqueles interessantes sites experimentais. O sistema foi feito usando o “Processing” que é um ambiente de programação open source que permite a interação de imagens e animação. Ele é usado por estudantes, artistas, designers, pesquisadores e hobbyistas, para estudo, protótipos e produção de conteúdo multimidia.

Escrito por Philipe Kling David
Designer, blogueiro, escritor e escultor. Seu passatempo preferido é procurar coisas interessantes e curiosas para colocar neste espaço aqui. Tem uma grande atração por assuntos que envolvam mistérios, desconhecido e tecnologia. Gosta de conversar sobre qualquer coisa e sempre tem um caso bizarro e engraçado para contar. Saiba mais... Profile

Balanço de 1 ano em Portugal

em Curiosidades, Textos
  ·   9 Minutos de leitura

A IA que imagina seu rosto apenas ouvindo sua voz

em incrível, Tecnologia
  ·   2 Minutos de leitura

4 respostas para “Poesia Visual”

  1. isso foi tão profundo que só podia ser escrito por uma pessoa tão figura quanto a figura gerada pelo programa, mas foi legal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.