Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp

A nossa foto gump do dia é este belo botão de uma flor que se chama Othona. Essa planta pertence ao gênero de sempre verdes,  ou geophytes decíduos, suculentas anãs ou arbustos pertencentes à família do girassol Asteraceae. O gênero inclui mais de 100 espécies concentradas no Cabo Ocidental da África do Sul e no sul da Namíbia.

d6b80413e081aa8e420b2836e837d149

É incrível como dá pra ver que no fundo, esse troço aí não passa de uma equação.

fonte

 

Othonna

Comments

comments

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

11 ideias sobre “Othonna

  • 25 de fevereiro de 2015 em 16:24
    Permalink

    Tá, agora explica o conceito da equação pra mim, que sou burrinho rs!

    Resposta
  • 25 de fevereiro de 2015 em 16:36
    Permalink

    Philipe, eu viajei totalmente agora: equação?

    Resposta
    • 25 de fevereiro de 2015 em 17:00
      Permalink

      Todas as formas geométricas são regidas por equações, algumas vezes por mais de uma. Pesquise por exemplo sobre a equação cardioide, ela “é” um coração, logo, muitos corações são regidos pela cardioide. Na natureza há sempre uma pouco de matemática.

      Resposta
      • 25 de fevereiro de 2015 em 17:03
        Permalink

        Retifico: na natureza a matemática é sempre presente.

        Resposta
      • 26 de fevereiro de 2015 em 0:49
        Permalink

        Depois parei pra pensar um pouco e pensei em fractais.

        Resposta
        • 26 de fevereiro de 2015 em 8:45
          Permalink

          A sequencia de Fibonacci e o número Phi são outros exemplos Gump de como a natureza pode ser matematicamente linda. Sou suspeito para falar do assunto porque estudo engenharia, mas em todo caso vale a pena se deliciar de subcultura.

          Resposta
  • 27 de fevereiro de 2015 em 11:07
    Permalink

    Lembrei de um caso: certa vez achei na rua um pedaço de um tipo de cacto desses de vazinhos. Plantei e fui cuidando e um belo dia, alguns anos depois ele resolveu me presentear com uma belíssima flor de uns 15 cent mais ou menos mas de uma cor que eu ainda não tinha visto, um tom de marron arrocheado muito bonito, era peludinha (camurça) por dentro e em forma de estrela. Só que o tempo foi passando ele foi soltando galhos e crescendo e até hoje nunca mais floresceu e isso já fazem uns 20 anos.Muito raro.

    Resposta
  • 28 de fevereiro de 2015 em 9:00
    Permalink

    Se pensarmos bem, não é isso que é uma equação, é uma equação que é isso aí 😛

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.