Os islandeses antigos não apenas viram diferentes monstros marinhos, mas os pegaram e até tentaram comê-los.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Categorias
Night mode

Normalmente, quando você vê um monstro marinho correndo em direção ao seu navio, você tem algum pensamento em sua cabeça, exceto “Qual é o gosto dele?” A menos, é claro, que você seja um Viking navegando no oceano frio no século 11, cheio de desespero e sempre com fome.

O folclore do norte da Europa está repleto de temíveis criptídeos marinhos, mas os monstros marinhos da Islândia são especialmente notáveis . O fato é que as lendas sobre eles muitas vezes indicam porque eles NÃO são um bom rango para as pessoas.

Esse curioso detalhe culinário praticamente não ocorre no folclore de outros povos, que também se encontraram com monstros marinhos, por exemplo, o monstro do Lago Ness, o Kraken ou Tsuchinoko – uma criatura parecida com uma cobra das lendas e mitos japoneses.

Falando nisso, se você curte monstros marinhos, vai poder dar uma boa olhada em diversos posts sobre isso que j á fiz aqui no site.

Existe uma explicação histórica para essa curiosidade alimentar entre os islandeses. Acredita-se que nas águas frias do norte do oceano Atlântico havia muito menos peixes e ainda mais mariscos, por isso os pescadores tinham que buscar constantemente novas fontes de alimento, mesmo com risco de vida, além dos habituais. 

Na verdade, os islandeses modernos se orgulham até do fato de que em sua tradição há alimentos que muitos outros povos considerariam, com razão, completamente intragáveis ​​e nojentos. E uma vez por ano, a Islândia hospeda um festival chamado Porrablót, que, entre outras coisas, serve pratos do venenoso tubarão polar da Groenlândia.

A carne deste tubarão contém uma alta concentração de ureia e óxido de trimetilamina e se comê-la crua ficará completamente envenenado ou até morrerá. Mas se for processado de uma maneira especial para que o excesso de ureia flua para fora dele, então um tipo de prato chamado hakarl é obtido a partir dele. Acho que ja falei desse prato nauseabundo aqui antes.

A seguir, veremos uma breve lista de criaturas marinhas estranhas de lendas e mitos islandeses, que os antigos vikings decidiram provar e os consideraram completamente inadequados para comer.

Skeljaskrímsli

A palavra skeljaskrímslié geralmente traduzida como “monstro com armadura” e se refere não apenas a uma criatura, mas também aos muitos animais com armadura não identificados que vagam pelas costas da Islândia. Essas criaturas são geralmente descritas como tendo grossas conchas, placas ou escamas cobrindo seus corpos, com uma bola blindada presa às pontas de suas caudas, como o antigo dinossauro anquilossauro. Dizem que são grandes como cavalos, com olhos vermelhos e bocas brilhantes.

Por que você não pode comer: o sangue Skelaskrimsli é extremamente venenoso. De acordo com a lenda, um islandês conseguiu danificar a carapaça geralmente inquebrável de um skelaskrimsli, fazendo seu sangue jorrar e respingar em toda a sua pele desprotegida. Resultado? Morte dolorosa imediata dessa pessoa. 

Ofuguggi (Öfuguggi)

É um peixe demoníaco, negro como o carvão, com uma grande cauda em forma de ponta de flecha. E ele nada para a frente e para trás, ou seja, para a frente com a cauda. Suas nadadeiras também estão para trás e seus dentes são muito afiados e grandes. Acredita-se que é esse peixe que come os corpos dos marinheiros mortos que morrem longe de casa.

Esta estranha palavra “ofuguggi” é tão desagradável para os islandeses que hoje em dia é usada para se referir a pervertidos e idiotas em geral.

Por que não comer: Segundo a lenda, nos casos em que esse peixe era capturado e comido por pessoas, o peixe fazia o estômago das pessoas inchar e estourar, deixando para trás uma ferida em forma de cruz. Ofuguggi causou a morte de muitos islandeses inocentes ao longo dos séculos, a partir do século XVII.

Hrekkall

De acordo com a lenda, algum mago na Islândia, que não tinha nada para fazer, uma vez ressuscitou uma enguia congro morta meio apodrecida, que então se transformou em uma hrekkalla terrível e cruel, ou “serpentina”. Normalmente, essa criatura fica imóvel na água até que a vítima inocente mergulhe suas pernas nela, e então torça seu corpo serpentino, coberto com lâminas, em torno das pernas da vítima, apertando e dissecando a carne até que o membro seja amputado.

Por que você não pode comer: Hrekkall produz um veneno que pode corroer seus ossos em um instante (como um ácido forte), e sua carne é igualmente corrosiva. Rumores dizem que quando o hrekkall é capturado, ele simplesmente usa sua composição cáustica corporal para derreter seu caminho através de rochas e terra e retornar ao primeiro corpo de água que encontrar. Será que foi daí que roubaram aquela sacada do sangue do Alien no filme? Acho possível.

Raudkembingur

O nome raudkembingur na verdade se traduz como “pente vermelho”, e você pode identificar essa criatura pelos tufos de cabelo vermelho brilhante em sua cabeça e pescoço. Nada diz mais perigo do que um moicano vermelho brilhante a la Pica-pau!

Os pesquisadores dizem que o Raudkembingur é um pouco parecido com uma baleia, embora seja menor em tamanho do que outras baleias islandesas. Ele tem uma capacidade quase incomparável de atacar barcos pesqueiros em alta velocidade, ao mesmo tempo em que faz ruídos estrondosos. 

Essas criaturas são tão dedicadas a matar pessoas que podem até nadar meio-vivas no oceano por duas semanas, esperando a aproximação do navio para que possam pular da água a bordo e matar todos lá. E se Raudkembingur não mata pessoas por muito tempo, então ele cai em tal depressão que morre de decepção e irritação.

Por que você não pode comer: Raudkembingur é considerado uma abominação tão grande que até mesmo tentar provar sua carne é proibido. Além disso, acredita-se que, se você tentar ferver sua carne para consumo, ela simplesmente desaparecerá da panela de qualquer maneira. 

Lozilungur

Lozilungur é a versão islandesa da truta norte-americana, embora seja muito mais mortal e sinistra até na aparência (tem dentes pretos e uma mal oclusão pronunciada). Diz-se que alguns Losilungurs têm barbas ruivas e tufos manchados por todo o lado, enquanto outras fontes relatam que os peixes têm pelos e que são fofos e brancos como o mofo.

Por que você não pode comer: Lozilingur é extremamente venenoso e o principal perigo é que ele se disfarça habilmente como uma truta comum, escondendo sua “lã” branca. 

Existem muitos contos de alerta sobre a toxicidade do Slozilungur, incluindo o incidente de 1692 em que dois irmãos morreram com pratos de Slozilungur cozido de joelhos, como toda a família alguns anos depois. Apenas uma jovem da casa que não estava com fome conseguiu sobreviver para contar a história. 

Comments

comments

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

© MUNDO GUMP – Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução sem autorização.