O Raio laser e a fusão nuclear: A energia no futuro será mais barata?

Sharing is caring!

A energia, hoje é cara. Todo mundo que não tem gato e paga conta de luz, sabe. Sobretudo quem mora na região sudeste, que paga uma alta taxa de luz. Mas de um modo geral, nós pagamos caro pela energia que consumimos. A conta de luz  aqui no Brasil já é a sexta mais cara entre os principais países do mundo. E o preço ainda tende a aumentar!

Segundo um estudo da Associação Brasileira dos Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee), que comparou as tarifas médias de energia praticadas em 19 países a partir de dados da Eurostat, mostrou que, em centavos de dólares por quilowatt/hora, a conta de energia aqui em terris Brasilis , incluindo os impostos, é mais cara do que no Chile, Holanda, Portugal, Espanha, Reino Unido, Estados Unidos e Argentina, entre outras nações.

De acordo com a Abradee, cerca de 45% do valor que nós  pagamos na fatura de energia são impostos e encargos. Isso porque o Brasil tem a terceira maior carga tributária do mundo sobre a energia elétrica!

É uma merda, né? Isso é um fator que atrasa muito o nosso país. Não é só no seu bolso que isso estoura, mas no fim das contas, acaba sendo… Por exemplo, a energia alta tira a competitividade da indústria. Já viu empresário entubar prejú? Claro que quando o “sapato aperta”, ele aumenta o preço. Entre 2001 e 2010, enquanto os preços industriais (IPA-Indústria Geral) cresceram 119%, a tarifa de energia para a indústria cresceu vergonhosos 190%! É uma excrescência! A tarifa brasileira é três vezes superior à cobrada na França e no Canadá, e o dobro das tarifas da Alemanha, Coréia do Sul e Estados Unidos. Dentre os BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China) o Brasil tem a maior tarifa de energia. Agora para pensar no quanto de água e usinas tem aqui e a vergonha dos dirigentes desse país aumenta exponencialmente!

Falando em energia cara, eu vi uma notícia interessante que tem tudo a ver com este assunto. Trata-se da notícia espetacular (absurdamente mal divulgada, talvez por ocultos interesses que ainda não compreendo bem) sobre um experimento com o maior raio laser do mundo.

Não estou falando daquelas canetinhas laser, de laser verde ou laser azul.

A coisa aconteceu lá no National Ignition Facility dos Estados Unidos, no Laboratório Nacional Lawrence Livermore, na California. Eles finalmente concluíram um experimento que disparou o laser mais poderoso jamais visto neste planeta. Foi um tiro recorde de 2-megajoules.

Tecnicamente, o catiço lá foi  concebido para chegar a 1,875-megajoule, mas quem diria… A coisa foi além de todas as expectativas — e estabeleceu um novo recorde mundial. Para fazer um mega-baster raio laser, os caras juntaram 192 feixes de laser que foram então combinados para formar um único super-raio, inicialmente alcançando 1,875 megajoule.

No momento em que o raio laser passou pela última lente focal, o raio laser chegou a 2,03 megajoules, tornando-se o primeiro raio laser ultravioleta de 2 megajoules. Felizmente, a explosão causou menos dano ao conjunto óptico do laser do que era esperado, o que permitiu um outro disparo apenas 36 horas depois do de 2,03 megajoules.

No caso deste equipamento, um único raio laser, é dividido em 48 feixes. Cada um desses feixes são então redirecionados, usando espelhos, para amplificadores previamente bombeados por um total de 7680 lâmpadas de flash de Xenônio. Depois de quatro saltos, os feixes agora “turbinados”, são novamente divididos em 192 raios menores, e viajam através de toda a instalação — que tem o tamanho de três campos de futebol. Enquanto eles trafegam pela instalação, os 192 raios são amplificados novamente numa taxa exponencial.

O resultado prático é que de um pequeno laser de 1/bilionésimo de joule, os cientistas obtiveram raios com “1,8 milhões de joules de energia ultravioleta”, o que significa mil vezes a energia de todas as usinas dos Estados Unidos combinadas. Cinco trilhões de watts!!!

Sacou onde que eu estou querendo chegar?

Até agora, os caras estão centrados em fazer um laser fraco virar o berserk, mas o próximo passo deles é bem ousado e vai acontecer no fim desse ano. Eles já estão trabalhando nas instalações mantidas pelo Complexo de Armas Nucleares dos EUA para atingir o objetivo final que é usar este laser CABULOSO  para atingir a ignição em seu primeiro experimento de fusão nuclear.

Enquanto isso, a gente aqui, igual a uns babacas pensando se vão roubar muito ou pouco na copa…

O fato é que os cientistas estão trabalhando duro para obter algo sensacional, que é usar este laser monstro aí para comprimir uma diminuta célula de combustível hidrogênio congelada, do tamanho da cabeça de um alfinete, a qual será guardada num cilindro banhado a ouro chamado hohlraum.

Parece ficção científica? Espere só até saber que o  hohlraum está localizado dentro de uma câmara de ignição com 9,9 metros de diâmetro e transformará os lasers em raios-x extremamente intensos, comprimindo o hidrogênio a 100 bilhões de atmosferas em apenas 1/1000.000 de segundo, e isso  desencadeará uma reação de fusão nuclear controlada que criará uma pequena estrela. Estima-se que no processo, o experimento vai gerar mais energia que a energia usada para disparar o laser e conter o calor intenso dentro da câmara.

Se ocorrer como as simulações indicam, este será o primeiro dia de uma nova era neste planeta.  Será escancarada uma gigantesca porta para uma nova fonte de energia limpa que tornará instantaneamente obsoleta toda a matriz energética vigente, a começar pela fissão nuclear, petróleo e carvão.

Segundo  Ed Moses, diretor da National Ignition Facility,

“é uma notável demonstração do laser do ponto de vista da sua energia, precisão, poder e disponibilidade”.

Tem gente que brinca que  se algo  der errado no processo de criar uma estrela na Terra, sempre poderemos dizer que as profecias maias estavam certas…

Mas vamos dizer que isso se realize e se descubra maneiras de “fazer energia” em tamanha quantidade, e sem emissões nocivas ao planeta… Você acha que isso afetará sua conta de luz? A considerar que grande parte do valor da conta de luz se trata de impostos em cascata incidindo no nosso bolso, eu creio que não. Nosso maior desafio nunca foi a disponibilidade real da energia, mas sim um problema grave e crônico de ganância em diferentes esferas.

Não precisamos ir muito longe para demonstrar que nossas ambições e interesses (pelo menos na esfera governamental são outros que não o investimento em tecnologia). O corte de 23% no orçamento do Ministério da Tecnologia é um bom exemplo disso. E não me venham com frases prontas de que é uma manobra episódica em função de crise. Ano passado, enquanto Obama jantava com empresários, institutos e fundações de incentivo tecnológico para aumentar o diálogo e definir investimentos maciços em tecnologia,  o Brasil fazia mais um mega-corte, desta vez de 1,7 BILHÃO DE REAIS na pasta da Ciência e Tecnologia. Todo ano acontece.  É tradição sob a égide de fazer “superávit”. Grandes merdas de superávit hein?

Como diz meu pai, “Cientista no Brasil só tem duas vocações: Santo ou burro”.

 

fonte

 

 

Comments

comments

Luminária Ufo

29 comentários em “O Raio laser e a fusão nuclear: A energia no futuro será mais barata?”

  1. Cara, o que me deixa Puto mesmo da vida, é que um Páis desse, que voce trabalha 5 meses pra pagar imposto, empresta dinheiro pra todo mundo de fora, e corta o dinheiro pra tecnologia de dentro.. como isso é possível?  Vi uma matéria que o FMI pediu dinheiro emprestado o Brasil pra controlar a crise mundial. 

    “Porque primeiro nao olhamos para dentro e resolvemos com esse dinheiro os problemas do povo brasileiro. Fazer uma distribuiçao de renda justa aqui dentro. Se vai emprestar dinheiro para rico é porque o Brasil tem muito dinheiro, escondido do povo! ”

    É um absurdo, é de fazer qualquer um chorar… Mas sabe do que mais? Quem governa está extremamente correto em fazer o que faz… Cria burros, que acham que a miséria que ganham é um motivo pra votar, e votam neles… Eu no lugar de um corrupto faria o mesmo. Porque não? Quem nasceu com a maldade tem mesmo é que aproveitar ela… Como pode? Como uma nação pode ser tão burra? Pessoas se matam pra pagar uma conta de luz abusiva, é um absurdo mesmo. 

    Como eu li uma vez em algum lugar: A China aprendeu a copiar e, depois de copiar, a fazer mais barato copiando e, a partir daí, começou a inovar e ganhou liderança em muitos setores”

    Preciso falar mais alguma coisa? Pense nisso quando quiser fazer cortes em tecnologia e afins.

    Responder
  2. Imagino que a experiência final se dê no dia 21/12/2012… não? Vai tudo fazer sentido, ou melhor, deixar de fazer. Agora, esse negócio de cápsula de ouro contendo um átomo… 
     hohlraum… é hilarium! Hilário para outros… rs. O experimento eu sei que já existia fazendo fusão atômica no nível molecular com laser, mas esse negócio aí… de grande porte… é primeiro de abril adiantado?

    Responder
  3. Essa frase do seu pai são muitas verdades em poucas palavras, hehe.

    Cientista no Brasil realmente tem problemas graves pra enfrentar. A maioria dos que se formam por aqui vão trabalhar no exterior porque sabem que lá seus conhecimentos serão melhor aproveitados. Os que permanecem aqui devem realmente amar o país ou são simplesmente estúpidos.

    Eu por exemplo pretendo ingressar em breve na USP em Astronomia (mais corretamente chamada de Astrofísica) e após formado e completado pós-graduação, mestrado e doutorado, pretendo ir trabalhar em algum instituto científico europeu ou norte-americano na primeira oportunidade que surgir.

    Falando no assunto, eu poderia fazer requerir um post pra você?
    Seria muito legal se você fizesse um post falando sobre seu pai, a formação acadêmica dele, como ele conseguiu entrar no mercado de trabalho europeu, e outros assuntos desse tipo. Desde que acompanho seus posts (2006, gente como faz tempo, lembra do Blogspot?) eu lembro dos posts falando dos projetos do seu pai e fico fascinado!

    Abraço.

    Responder
      • Também acho o seu pai um cara fora de série. Aliás, eu “pago pau” (como diriam os paulistas, mano!) pro projeto do Maglev Cobra… Pra mim é um absurdo como os Ministérios de Tecnologia e Transportes não tenham investido pesado nisso… Com Copa e Olimpíadas era pra ter pipocado linhas e mais linhas de Maglev.

        Responder
        • Cara… Na verdade, teve um problema inesperado nesse lance do maglev de supercondutores. O Lula andou flertando com o Almadinejad, do Irã. E a merda é que os supercondutores são usados para fazer o enriquecimento do urânio. Quando o Lula e o Almadinejad bancaram os amigões, todo nosso esquema com a empresa alemã que detém o segredo comercial do supercondutor ficou MEGA embolado, porqe eles iriam abrir uma empresa aqui, e por conta desse lance que eu falei, são permanentemente auditados pela Comissão de Energia Nuclear. Infelizmente, não existem muitos interesses que o Brasil, com sua postura internacional estranha (nosso país apoia cuba, apoia o maluco do Chavez, apoiou até o crápula do Khaddafi!) – eu duria babaca, obcecada por um assento permanente na ONU, tenha uma empresa capaz de produzir em grande quantidade algo que poderia ser vendida debaixo dos planos para o Irã. Isso meio que fodeu o projeto. Paralelo a isso, nosso governo é tão risível em P&D que não saiu grana nem para fazer o modelo funcional na Universidade!

          Responder
  4. O detalhe é que grande parte da energia gerada no Brasil (senão toda ela) provém de usinas hidrelétricas, que é uma das formas mais baratas e limpas de produção de energia de que se tem notícia nos dias de hoje (o problema é que as usinas em si são caríssimas, mas isso já foi pago – e BEM pago – lááááá atrás). Logo, se pagamos essa fortuna na conta é porque tem gente ganhando muita grana em cima disso.

    Aliás, tenho para mim que ninguém que está lendo esse blog agora vai estar vivo para ver sair do papel uma forma de energia realmente barata e limpa, de forma a refletir no bolso do consumidor. O lobby é extremamente forte, e quem tem essa força não está nem aí para nossa conta de luz e muito menos para o planeta como um todo. O importante é continuar poderoso AGORA.

    Responder
  5. Há uns dias atrás minha mãe me disse que quando fizeram as usinas hidrelétricas, foi liberado para as distribuidoras cobrar impostos para pagar a usina, mas como já foi pago, agora eles cobram impostos para encher o bolso mesmo

    Responder
    • Isso seria bom mesmo. Mas aqui nem pra soluções alternativas este país presta. Por ex: Na Alemanha, você compra painel solar financiado barato, com juro subsidiádio pela comunidade Europeia, coloca na sua propriedade e gera energia. Não pra você, mas para a rede. Um computador marca quanto você emitiu, e desconta isso na sua conta de luz. Genial, né? Agora, pergunta se aqui pode fazer isso?

      Responder
      • Oi, Philipe.  Não sou especialista, mas se colocarem coletores solares no deserto do Saara e no Atacama dá para gerar uma monstrousidade de energia eletrica através da captação da luz solar solar. Dá até para gerar energia usando as ondas do mar. No Sul do Brasil, do jeito que anda ventando, umas usinas eólicas fortemente instaladas e reforçadas podem gerar luz elétrica para milhões de residências e indústrias.

        Responder
        • Sim, é verdade. E tem mais, recentemente (outra não divulgada) pesquisadores, se não me engano, da China em parceria com os de um outro país, suponho que seja da Holanda, conseguiram amplificar a capacidade de geração de energia dos painéis solares, usando microscópicas lentes de aumento na superfície das placas. Isso produziu um ganho enorme por metro quadrado de paineis aplicados. Mas ainda assim, o calcanhar de aquiles do painel solar é o rendimento. Ele é bem caro de fabricar ainda. Aí eu te pergunto: Por que? Porque qualquer coisa que tenha pouca escala é caríssima. Imagina o custo de fazer UM carro? Milhões e milhões de dólares. Mas quando você tem um parque de consumo grande, esses custos despencam assustadoramente, é o mesmo esquema de produção grafica. Fazer uma revista sai uma nota preta, mas se fizerem 50.000, o valor individual da revista despenca para poucos reais ou até menos. Então, quando os governos como esta bosta que é o nosso, não investe numa política de subsídio de paineis solares, nós estamos trabalhando para o lado negro da força, fazendo o custo do painel solar continuar caro e proibitivo. Por que isso? Porque energia dá lucros monstruosos, veja só o que o nosso amigo leitor aí em cima postou sobre o lucro recorde da Copel. Os filhos da puta estão enriquecendo nas nossas costas, com o NOSSO sacrifício. E isso é uma coisa mega-escrota.
          Fora o sistema de geração de energia por paineis solares, tem outros sistemas igualmente engenhosos. Um deles é um parque de enormes espelhos, que pegam a luz do sol e disparam ela para um tubo a vácuo, contendo um sal especial dentro. Este sal aquece tanto que liquefaz e este liquido dura um tempão contendo essa energia armazenada. Por um sistema de usina, água é passada numa tubulação contendo este sal, ela evapora e toca uma turbina. A vantagem do sistema pelo sal é que ele continua a gerar energia até de noite! Esse sistema é 100% ecológico e gera uma quantidade impressionante de energia. É quase uma termoeletrica solar. Meu pai esta empenhado para trazer uma solução dessas lá da Espanha para o Brasil, que deve ser implantada no nordeste, provavelmente em alguma cidade pobre do sertão, o que gerará empregos e desenvolvimento, além de ajudar a aumentar a oferta de energia, o que contribui para a baixa dos pressos pela lei da oferta-demanda. Tomara que dê certo.

          Responder
          • Verdade. Para tudo que visa energia limpa, fugindo das hidrelétricas e do petróleo, existe uma má vontade gigantesca. Tudo caro, ninguém quer fabricar em escala, justamente para não bater de frente com os poderosos que mandam na produção de energia atualmente. Quando alguém inova, os barões do petróleo ou compram, ou destroem a empresa.

    • Acho que não, cara… Não creio que haja energia suficiente para fazer o H virar um buraco negro, mas o que pode dar errado é uma puuuuta explosão capaz de arrancar um belo pedaço dos EUA.

      Responder
    • Bom, se fosse um sujeito pessoa física eu até concordaria. Mas neste caso é um puta complexo industrial-militar nos EUA. Aí fica mais difícil de sumirem com alguém.

      Responder
  6. Pior que tudo isso é um fato.

    Não sei oque me entristesse mais.

    Essa notícia não aparecer nos jornais para dar lugar a jogador de futebol dando tiro, e “estupro” em reality show. Ou saber que mesmo desenvolvendo uma fonte de energia renovável, estável, e sem impactos ambientais, ainda assim pagaremos grana exorbitante por ela. Ou… Cientístas no Brasil serem tão mal pagos.

    Como estudande de biologia bacharelado, sei como é difícil cosneguir alguma coisa.

    Responder
  7. Faz tempo que espero esta notícia.
    Isto que eles querem construir é chamado reator tokamak ou toroidal (em forma de rosquinha). Já há um bom tempo que existem pesquisas com esse reator de fusão nuclear – mas ele consome mais energia do que produz pois são necessários enormes eletroímas que deixam o plasma longe das paredes do reator.
    Tem mais aqui:
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Tokamak

    Espero que consigam logo.

    Responder
  8. Se der certo vai ser mais uma alternativa, certamente não vai alterar os custos de geração significativamente, pois uma estrutura dessas não deve ser mais barata que uma usina nuclear. O que realmente baratearia a energia seria um gerador EER, esse se funcionar parece ter um custo ínfimo de implantação, mas creio que o medo deles é que “espertinhos” comecem fazer versões reduzidas em casa, diminuindo significativamente o consumo comprado e portanto o fluxo de dinheiro, quer de impostos quanto para as próprias geradoras.

    Responder
  9. velho como assim? quantas bombas de fusão nuclear foram explodidas na Terra durante a guerra fria, a mais poderosa de todas Tsar da União Soviética com 58 megatons, a intenção da fusão controlada é exatamente o de consiguir fazer a fusão em menor escala, para se ter uma ideia a tsar para acontecer a fusão tinha uma bomba de fissão que era ativada antes para gerar energia para a fusão ocorrer. Mas no NIF é tão seguro que nem fica abaixo do solo, mas poderia ficar por maior segurança, na fusão de hidrogênio não ocorre reação em cadeia, portanto não é possível que se crie um buraco negro.
    Em Belo Monte esta sendo investido mais dinheiro do que no NIF ,enfim é revolucionário e já poderia ter ocorrido a muito tempo, mas o petróleo não deixou, energia limpa, ilimitada, barata, fim da poluição e queda dos Sheikes.
    (Ou a criação de um novo monopolio energético global)

    Acorda Galeraaaaaaaaaaaa!

    Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Apoie este projeto

Criar este website não é uma tarefa fácil. Mais de 5000 artigos, mais de 100.000 comentários e conteúdo próprio, demandam muito trabalho. Saiba como você pode ajudar a manter o Mundo Gump cada vez melhor e evitar que ESTE SITE ACABE
Ajuda aí?
MUNDO GUMP – © 2006 – 2020 – Todos os direitos reservados.