Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp

Ontem eu estava jantando quando vi passar na Tv um horário eleitoral gratuito em que uma dona lá de um desses micropartidos pede o voto pelo simples fato dela ser… Mulher.

Calmaí. Vamos ler novamente: Ela pede o seu voto, porque ela se acha preparada para ocupar um cargo político porque sua qualificação é se tratar de um ser do sexo feminino.

Em meio a frases de efeito com pegada feminista e tentativas de impor uma identificação com seu potencial eleitorado feminino, ela diz que ser mulher a faz lutar pelos interesses da “classe”. Hummm.
Eu sei que isso pode parecer óbvio, mas não devíamos selecionar nossos políticos pelas suas ideias, pelos seus projetos? Votar em alguém porque ela diz que é “igual a você”, pelo menos no sexo, é uma coisa grotesca que fere justamente naquilo que as mulheres sempre almejaram, igualdade.
Será que eu tô maluco? Será que isso faz algum sentido e eu que não me liguei? É assim que funciona? Votaremos então no cara que diz que é igual a gente porque ele torce para o nosso time? Para o cara que diz que é igual a gente porque ele também fecha o olho e fica tudo escuro?

Tá de sacanagem, né? Que porra de plataforma eleitoral de merda é essa? Dizer que precisamos ter mais mulheres na política? Que as mulheres estão “conquistando o mundo”?
Se eu fosse mulher eu ficaria indignada com uma coisa dessas. A técnica do “espelho eleitoral” já foi, já deu. O pouco que sobrou, a Dilma gastou na campanha. Quer igualdade, fia? comece pelo caminho das ideias então. Esqueça se você tem pipi ou tem xaninha e vamos logo ao que interessa: Vai fazer o que na câmara, na prefeitura, no senado?

O papo mais vagabundo que tem é político vir na Tv sem gravata, de camisa aberta no segundo botão, bancando o amigão e dizendo que é “igual” ao eleitor. Eu não quero uma pessoa igual a mim na política! Eu quero alguém comprometido que apresente projetos e lute para melhorar a vida das pessoas. Cadê as proposições? Cadê os projetos? Se o cara não diz o que pretende, nós vamos cobrar o que ao final do mandato dele? E não me venham com esta conversa fiada de “defenderei os interesses da classe…” Isso é blablablá malufês de quinta categoria. Mas o pior é que o povo engole essa conversa todo ano eleitoral.

Vai chegando nesta época, é sempre a mesma palhaçada. O safado calhorda que não mexeu um músculo em quatro anos parece ganhar vida magicamente. Começa a irm em radio, frequenta culto de igreja, começa a caiar as coisas, meio fio, poste, até banca de jornal. Cal é barato e faz parecer limpeza. Começa a plantar flores, arrumar alguma coisa que estava sucateada a 3 anos, tampa buracos e sempre coloca uma placa desproporcionalmente grande para avisar que esta trabalhando. A placa, lógico, sempre é proporcional ao tamanho de sua inércia nos anos que precedem o ano eleitoral.

A coisa é pior ainda quando paramos para pensar nas “bancadas”. Uma bancada, é um tipo de clubinho que interliga certos núcleos de interesse junto ao poder. Tem bancada de fazendeiros, tem bancada de operários, tem bancada de industriais, tem bancada de tudo, só não tem de bobo, porque esta bancada só se reúne no dia da votação, para votar, claro.
De todas, eu penso que a mais detestável delas é a tal bancada evangélica.

Não pense que eu digo isso porque odeio os evangélicos. Contrario a isso, eu adoro. Acho os evangélicos (pelo menos os que eu conheço bem) muito certos de seu compromisso religioso. Mas nós temos que saber que “evangélico” é um termo que é muito amplo, né? O que acontece na tal bancada é que um monte de gente que advém de religiões pentecostais e neopentecostais, fundamentadas na teologia da prosperidade se locupletaram com o poder político. Esses caras se conectam em uma rede de interesses beeem ampla, e se autodenominam a “bancada evangélica” em Brasília.
Do mesmo jeito que a candidata que pede seu voto de mulher porque ela também é, o candidato da bancada evangélica diz que você deve votar nele porque ele acredita em algo que supostamente é a mesma coisa em que você crê, e apenas e tão somente por isso, ele é igual a você e por esta razão, você deve dar seu voto a ele.

A questão fundamental, que deveria ser, como eu já disse, as proposições ficam em segundo plano. Olhando com o site da transparência Brasil, podemos esmiuçar melhor a tal bancada autodenominada “evangélica”. Avaliação e processos em que integrantes da bancada religiosa figuram como réus:

1) Da bancada evangélica, quase todos os deputados que a compõe respondem processos judiciais;

2) 95% da referida bancada estão entre os mais faltosos;

3) 87% da referida bancada estão entre os mais inexpressivos do DIAP;

4) Na última década não houve um só projeto de expressão, ou capaz de mudar a realidade do país, encabeçado por um parlamentar evangélico.

Dito isso, vamos olhar em mais detalhes a composição do “molho”:

Assembléia de Deus

1 –Hidekazu Takayama – PSC/PR
TRF-1 (Seção Judiciária do Distrito Federal) – Processo 0031294-51.2004.4.01.3400 – de Ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal. STF – Inquérito nº 2652/ 2007 – Inquérito apura crimes contra a ordem tributária, estelionato e peculato.

2 – Sabino Castelo Branco – PTB/AM
STF – Processo nº 538 – Réu em ação penal movida pelo Ministério Público Federal por peculato.
STF – Inquérito nº 2940 – É alvo de inquérito que apura crimes contra a ordem tributária. TSE –
Processo nº 504786.2010.604.0000 – É alvo de recurso contra expedição de diploma apresentado pelo Ministério Público Eleitoral por abuso de poder econômico e uso indevido de meio de comunicação social.
TSE – Processo nº 874.2011.604.0000 – É alvo de representação movida pelo MPE por captação ou gasto ilícito de recursos financeiros de campanha eleitoral.
TRE-AM – Processo nº 90095.2002.604.0000 – Teve reprovada prestação de contas referente às eleições de 2002.
TRE-AM – Processo nº 424843.2010.604.0000 – Teve reprovada prestação de contas referente às eleições de 2010.
TRE-AM – Processo nº 485034.2010.604.0000 – É alvo de representação movida pelo MPE.TRF-1 Seção Judiciária da Amazônia – Processo nº 0001172-68.2007.4.01.3200 – É alvo de ação de execução fiscal movida pela Fazenda Nacional.
TJ-AM Comarca de Manaus – Processo nº 0039972-21.2002.8.04.0001 – É alvo de ação civil pública movida pelo Ministério Público Estadual.

3 – Ronaldo Nogueira – PTB/RS
TCE-RS (processo 008255-02.00/ 08-2) – Irregularidades na gestão da Câmara de Carazinho.
TCE-RS (processo 001084-02.00/ 01-0) – Idem. TCE-RS (processo 010264-02.00/ 00-4) – Idem.

4 – João Campos de Araújo – PSDB/GO
TRF-1 (Seção Judiciária do Distrito Federal – processo 0031294-51.2004.4.01.3400 – É alvo de ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal.

5 – Costa da Conceição Costa Ferreira – PSC/MA
TRF-1 (Seção Judiciária do Distrito Federal) – processo 0031294-51.2004.4.01.3400 – É alvo de ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal.
É alvo de ações de execução fiscal movidas pelo município de São Luís:
TJ-MA Comarca de São Luís – Processo nº 7092-32.2007.8.10.0001.
TJ-MA Comarca de São Luís – Processo nº 1793-35.2011.8.10.0001

6 – Antônia Luciléia Cruz Ramos Câmara – PSC/AC
TRE-AC – processo 497/ 2002 – Teve reprovada a prestação de contas referente às eleições de 2002. É alvo de ações penais movidas pelo Ministério Público por crimes eleitorais (peculato/captação ilícita de votos ou corrupção eleitoral).
STF – processo 585. STF – Processo nº 587. TRE-AC – processo 177708/ 2010
– É alvo de inquéritos que apuram crimes eleitorais e contra a administração em geral:
STF – inquérito 3083, TRE-AC – Inquérito 245, STF – Inquérito nº 3133.
É alvo de ações de investigação judicial eleitoral por abuso de poder econômico:
TRE-AC – processo 142143/ 2010, TRE-AC – processo 178782/ 2010, TRE-AC – processo 142835/2010 . É alvo de representações movidas pelo MPE por captação ilícita de sufrágio e/ ou captação ou gasto ilícito de recursos financeiros de campanha eleitoral: TRE-AC – processo 180081/ 2010, TRE-AC – processo 194625/ 2010 e TRE-AC – processo 142058/ 2010

7 – Cleber Verde Cordeiro Mendes – PRB/MA
STF – processo 497/2008 – É alvo de ação penal movida pelo Ministério Público Federal por crimes praticados contra a administração em geral (inserção de dados falsos em sistema de informações).
TRE-MA – processo 603979.2010.610.0000 – É alvo de ação de investigação judicial movida pelo Ministério Público Eleitoral por uso de poder político e conduta vedada a agentes públicos.

8 – Nilton Baldino (Capixaba) – PTB/RO
STF – Processo nº 644 – Acusado de envolvimento com a máfia das ambulâncias, é réu em ação penal movida pelo Ministério Público Federal por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha.
TRF-1 Seção Judiciária do Distrito Federal – Processo nº 0031294-51.2004.4.01.3400 – É alvo de ação civil pública movida pelo MPF.
TRF-1 Subseção Judiciária de Ji-Paraná – Processo nº 0000432-26.2007.4.01.4101 – É alvo de ação de improbidade administrativa movida pelo MPF por envolvimento com a máfia das ambulâncias.

9 – Silas Câmara – PSC/AM
STF – inquérito 2005/2003 – É alvo de inquérito que apura peculato e improbidade administrativa.
STF – inquérito 3269 e STF – inquérito 3092 – É alvo de inquéritos que apuram crimes eleitorais.
TRF-1 Seção Judiciária da Amazônia – processo 0004121-02.2006.4.01.3200 – É alvo de ação de improbidade administrativa movida pelo Ministério Público Federal.
É alvo de representação e ações de investigação judicial movidas pelo Ministério Público Eleitoral por captação ilícita de sufrágio e abuso de poder econômico:
TRE-AC – processo 180081.2010.601.0000,
TRE-AC – processo 142835.2010.601.0000,
TRE-AC – processo 178782.2010.601.0000,
TRE-AM – processo 73203919.2005.604.0000
– O PTB teve reprovada a prestação de contas referente ao exercício financeiro de 2004, quando o parlamentar era ordenador de despesas do partido em nível estadual.

10 – José Vieira Lins (Zé Vieira) – PR/MA
É alvo de inquéritos que apuram crimes de responsabilidade, peculato e sonegação de contribuição previdenciária:
STF – inquérito 3051, STF – inquérito 3078, STF – inquérito 2945, STF – inquérito 2943, STF – Inquérito 3047.
É alvo de ações civis públicas, inclusive de improbidade administrativa, movidas pelo Ministério Público e pelo município de Bacabal:
TRF-1 Seção Judiciária do Maranhão – processo 0005980-37.2008.4.01.3700, TJ-MA Comarca de Bacabal – processo 378-16.2009.8.10.0024, TJ-MA Comarca de Bacabal – processo 1771-15.2005.8.10.0024, TJ-MA Comarca de Bacabal – processo 279-56.2003.8.10.0024.
É alvo de ações de execução movidas pela Fazenda Nacional — por exemplo: TRF-1 Subseção Judiciária de Bacabal – processo 0000629-69.2011.4.01.3703, TRF-1 Subseção Judiciária de Bacabal – processo 693-79.2011.4.01.3703, TRF-1 Subseção Judiciária de Bacabal – processo 0000908-55.2011.4.01.3703, TJ-MA Comarca de São Luís – Processo 6007-40.2009.8.10.0001.
Foi responsabilizado por irregularidades em convênios e aplicação de recursos e teve contas reprovadas: TCU – Acórdão 5659/ 2010, TCU – Acórdão 3577/2009, TCU – Acórdão 3282/2010, TCU – Acórdão 2679/2010, TCU – Acórdão 749/2010, TCU – Acórdão 1918/ 2008 (teve o nome incluído no TCU – Cadastro de responsáveis com contas julgadas irregulares). TCU – Acórdão 801/ 2008 (teve o nome incluído no TCU – Cadastro de responsáveis com contas julgadas irregulares). TCE-MA – processo 2600/1999 e TCE-MA – processo 3276/2005.

11 – Marcelo Theodoro de Aguiar – PSC/SP
TRE-SP – Processo 1077244.2010.626.0000 – Teve reprovada prestação de contas referente às eleições de 2010.

Igreja Presbiteriana

12 – Leonardo Lemos Barros Quintão – PMDB/MG
STF – Inquérito nº 2792 – É alvo de inquérito que apura crimes eleitorais.
TJ-MG Comarca de Belo Horizonte – Processo nº 5034047-88.2009.8.13.0024
– É alvo de ação de improbidade administrativa movida pelo Ministério Público Estadual.

13 – Edmar de Souza Arruda – PSC/PR
STF – inquérito 3307 – É alvo de inquérito que apura crimes contra o meio ambiente e o patrimônio genético.

14 – Edson Edinho Coelho Araújo (Edinho Araújo) – PMDB/SP
STF – Inquérito nº 3137 – É alvo de inquérito que apura crimes previstos na lei de licitações.
TJ-SP Comarca de São José do Rio Preto – Processo 576.01.2009.043791-5 – É alvo de ação de execução fiscal movida pela Fazenda estadual. É alvo de ações de improbidade administrativa movidas pelo Ministério Público Estadual: TJ-SP (segunda instância) – processo 9035424-43.2006.8.26.0000, TJ-SP (Comarca de São José do Rio Preto) – Processo nº 576.01.2010.062759-8. O TCE-SP julgou irregulares processos licitatórios e contratos firmados pela prefeitura de São José do Rio Preto: TCE-SP – processo 2832/008/04, TCE-SP – processo 313/008/02, TCE-SP – processo 2432/008/07

15 – Benedita Souza da Silva Sampaio – PT/RJ
TRF-1 Seção Judiciária do Distrito Federal – Processo 0031294-51.2004.4.01.3400 – É alvo de ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal.
É alvo de ações de improbidade administrativa: TJ-RJ (Comarca do Rio de Janeiro) – processo 0040421-83.2007.8.19.0001, TJ-RJ (Comarca do Rio de Janeiro) – processo 0050419-80.2004.8.19.0001 e TJ-RJ (Comarca do Rio de Janeiro) – processo 0372416-70.2009.8.19.0001.

16 – Anthony William Garotinho Matheus De Oliveira (Anthony Garotinho) – PR/RJ
É alvo de inquéritos que apuram crimes eleitorais:
STF – Inquérito 2601/2007,
STF – inquérito 2704/2008,
TRF-2 (Seção Judiciária do Rio de Janeiro – Processo nº 2008.51.01.815397-2
– É réu em ação penal referente à máfia dos caça-níqueis e movida pelo Ministério Público Federal por lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, corrupção e crimes contra a administração pública. Chegou a ser condenado a dois anos meio de prisão. A pena foi convertida em prestação de serviços e suspensão de direitos.
É alvo de ações de improbidade administrativa:
TJ-RJ Comarca de Nova Iguaçu – processo 0026769-53.2005.8.19.0038,
TJ-RJ Comarca de São Fidelis – processo º 0000249-07.2011.8.19.0051,
TJ-RJ Comarca do Rio de Janeiro – processo 0050419-80.2004.8.19.0001,
TJ-RJ Comarca de Campos dos Goytacazes – processo 0011729-64.2009.8.19.0014,
TJ-RJ Comarca do Rio de Janeiro – processo 0040380-19.2007.8.19.0001,
TJ-RJ Comarca do Rio de Janeiro – processo 0040412-24.2007.8.19.0001, TJ-RJ Comarca do Rio de Janeiro – processo 0039456-08.2007.8.19.0001,
TJ-RJ Comarca do Rio de Janeiro – processo 0064717-67.2010.8.19.0001,
TJ-RJ Comarca do Rio de Janeiro – processo 0183480-95.2008.8.19.0001,
TRE-RJ – processo 764689.2008.619.3802
– Em ação judicial eleitoral, foi condenado por abuso de poder econômico e uso indevido de veículo de comunicação social. A Justiça decretou inelegibilidade.

Igreja Universal do Reino de Deus

17 – José Heleno da Silva – PRB/SE
É alvo de ações de improbidade administrativa movidas pelo Ministério Público Federal:
TRF-5 Seção Judiciária de Sergipe – processo 0005364-36.2010.4.05.8500,
TRF-5 Seção Judiciária de Sergipe – processo 0005511-67.2007.4.05.8500 (Acusado de envolvimento com a máfia das ambulâncias),
TRF-1 Seção Judiciária de Mato Grosso – processo 0015233-58.2008.4.01.3600
– É alvo de medidas investigatórias referentes à máfia das ambulâncias e conduzidas pelo Ministério Público Federal.
O TRE reprovou as prestações de contas do PL referentes aos exercícios financeiros de 2003 e de 2005, quando o parlamentar era dirigente do partido em nível regional:
TRE-SE – processo 34792.2004.625.0000,
TRE-SE – processo 438664.2006.625.0000

18 – Vitor Paulo Araújo dos Santos – PRB/RJ
STF – processo 592 – É réu em ação penal movida pelo Ministério Público por crimes eleitorais.

19 – Antonio Carlos Martins de Bulhões – PRB/SP
STF – inquérito 2930/ 2010 – É alvo de inquérito que apura peculato.
TRF-3 Seção Judiciária de São Paulo – Processo 0044601-82.2002.4.03.6182 – É alvo de ação de execução fiscal movida pela Fazenda Nacional.
TRF-3 Seção Judiciária de São Paulo – Inquérito 0005062-78.2003.4.03.6181 – É alvo de inquérito que apura apropriação indébita e crimes contra o patrimônio.

20 – Jhonatan Pereira de Jesus – PRB/RR
TRE-RR – processo 229176.2010.623.0000 – Teve reprovada a prestação de contas referente às eleições de 2010.

Igreja Do Evangelho Quadrangular

21 – Jefferson Alves de Campos – PSB/SP
TRF-1 Seção Judiciária do Distrito Federal – processo 0031294-51.2004.4.01.3400 – É alvo de ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal.
É alvo de ações de improbidade administrativa movidas pelo MPF por envolvimento com a máfia das ambulâncias:
TRF-3 Seção Judiciária de São Paulo – processo 0004928-22.2011.4.03.6100, TRF-3 Subseção Judiciária de Santos – processo 0000249-06.2007.4.03.6104

22 – Mário de Oliveira – PSC/MG
TRE-MG – Processo 60069.2011.613.0000 – É alvo de inquérito que apura crime eleitoral.
STF – inquérito 2727 – É alvo de inquérito que apura crimes de responsabilidade, contra a ordem tributária e previstos na lei de licitações, além de formação de quadrilha, falsidade ideológica, estelionato e lavagem ou ocultação de bens, direitos ou valores.

23 – Josué Bengtson – PTB/PA
TRF-1 Seção Judiciária do Pará – rocesso 3733-02.2007.4.01.3900 – É alvo de ação de improbidade administrativa movida pelo Ministério Público Federal.
TRF-1 Seção Judiciária de Mato Grosso – processo 0004032-69.2008.4.01.3600 – Acusado de envolvimento com a máfia das ambulâncias, é alvo de medidas investigatórias conduzidas pelo MPF por crimes previstos na lei de licitações.

Igreja Internacional da Graça

24- Rodrigo Moreira Ladeira Grilo – PSL/MG

25 – Jorge Tadeu Mudalen – DEM/SP
TRF-1 Seção Judiciária do Distrito Federal – Processo 0031294-51.2004.4.01.3400 – É alvo de ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal.

Igreja Mundial do Poder de Deus

26 – José Olímpio Silveira Moraes (missionário José Olímpio) – PP/SP
TJ-SP Comarca de São Paulo – Processo 0424086-16.1997.8.26.0053 – É alvo de ação civil pública movida pelo Ministério Público Estadual.
TJ-SP Comarca de Itu – processo 286.01.2009.514728-4 – É alvo de ação de execução fiscal movida pelo município de Itu.

27 – Francisco Floriano de Souza Silva – PR/RJ
TJ-RJ Comarca do Rio de Janeiro – processo 0139394-68.2010.8.19.0001 – É réu em ação penal movida pelo Ministério Público Estadual por lesão corporal decorrente de violência doméstica.

Igreja Metodista

28 – Walney Da Rocha Carvalho – PTB/RJ
STF – Processo 627 – É alvo de ação penal movida pelo Ministério Público Federal por corrupção passiva.
TRE-RJ – Processo nº 197118.2002.619.0000 – Teve reprovada prestação de contas referente às eleições de 2002.
É alvo de ações de execução fiscal movidas pelo município de Nova Iguaçu e pela Fazenda Nacional — por exemplo: TRF-2 Seção Judiciária do Rio de Janeiro – processo 0000562-61.2010.4.02.5110, TJ-RJ Comarca de Nova Iguaçu – processo 0112599-45.2009.8.19.0038, TJ-RJ Comarca de Nova Iguaçu – processo 0083231-88.2009.8.19.0038

29 – Áureo Lidio Moreira Ribeiro – PRTB/RJ
É alvo de ações de execução fiscal movidas pela Fazenda Nacional e pelo município de Duque de Caxias:
TRF-2 Seção Judiciária do Rio de Janeiro – processo 0000153-61.2005.4.02.5110,
TJ-RJ Comarca de Duque de Caxias – Processo nº 0005413-58.2002.8.19.0021.

Igreja Nova Vida

30 – Washington Reis de Oliveira – PMDB/RJ
STF – processo 618 – É alvo de ação penal movida pelo Ministério Público Federal por crimes contra o meio ambiente e o patrimônio genético e formação de quadrilha.
STF – inquérito 3192 – É alvo de inquérito que apura crimes eleitorais. É alvo de ações civis públicas, inclusive de improbidade administrativa, movidas pelo Ministério Público:
TRF-2 Seção Judiciária do Rio de Janeiro – Processo 0007523-23.2007.4.02.5110, TRF-2 Seção Judiciária do Rio de Janeiro – processo 0008324-65.2009.4.02.5110, TRF-2 Seção Judiciária do Rio de Janeiro – Processo 0003813-92.2007.4.02.5110 (Foi condenado por improbidade administrativa, pois não houve divulgação de recursos recebidos pela prefeitura de Duque de Caxias. A Justiça determinou a suspensão dos direitos políticos, a proibição de contratar com o poder público ou receber benefícios/ incentivos fiscais ou creditícios e o pagamento de multa).
É alvo de ações de execução fiscal movidas pela Fazenda Nacional e pelo município de Duque de Caxias — por exemplo:TRF-2 Seção Judiciária do Rio de Janeiro – processo 0004113-83.2009.4.02.5110, TRF-2 Seção Judiciária do Rio de Janeiro – processo 0004857-78.2009.4.02.5110, TJ-RJ Comarca de Duque de Caxias – processo 0223580-32.2008.8.19.0021, TJ-RJ Comarca de Duque de Caxias – processo 0223582-02.2008.8.19.0021, TRE-RJ – processo 386718.2010.619.0000
– É alvo de ação de investigação judicial movida pelo Ministério Público Eleitoral por abuso de poder econômico. TRE-RJ – processo 772.2011.619.0000
– É alvo de representação movida pelo MPE por captação ou gasto ilícito de recursos financeiros de campanha eleitoral. TRE-RJ – Processo 674343.2010.619.0000
– É alvo de representação movida pelo MPE por conduta vedada a agente público. TCE-RJ detectou irregularidades e emitiu pareceres contrários à aprovação das contas referentes à administração financeira da prefeitura de Duque de Caxias: TCE-RJ – Processo 203.163-8/10. TCE-RJ – processo 206.291.7/09

Igreja Cristã Evangélica

31 – Iris de Araújo Resende Machado – PMDB/GO
TRE-GO – Processo nº 999423170.2006.609.0000 – Teve rejeitada prestação de contas referente às eleições de 2006.

Congregação Cristã no Brasil

32 – Bruna Dias Furlan – PSDB/SP
É alvo de representações movidas pelo Ministério Público Eleitoral por conduta vedada a agentes públicos: TRE-SP – processo 15170.2010.626.0199, TRE-SP – processo 1949115.2010.626.0000

Igreja Sara Nossa Terra

33 – Eduardo Cosentino da Cunha – PMDB/RJ
STF – inquérito 2984/ 2010 – É alvo de inquérito que apura uso de documento falso. STF – inquérito 3056
– É alvo de inquérito que apura crimes contra a ordem tributária. TRF-1 Seção Judiciária do Distrito Federal – processo 0031294-51.2004.4.01.3400
– É alvo de ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal. TJ-RJ Comarca do Rio de Janeiro – processo 0026321-60.2006.8.19.0001
– É alvo de ação de improbidade administrativa movida pelo Ministério Público Estadual. TRE-RJ – processo 59664.2011.619.0000
– Alvo de representação movida pelo Ministério Público Eleitoral por captação ilícita de sufrágio. TRE-RJ – processo 9488.2010.619.0153
– Alvo de ação de investigação judicial eleitoral movida pelo MPE por abuso de poder econômico. TSE – processo 707/2007
– Alvo de recurso contra expedição de diploma apresentado pelo MPE por captação ilícita de sufrágio.

Dados do Transparência Brasil

 

Agora, vamos nos ater aos fatos: Os caras podem usar sua suposta denominação religiosa em campanha, como o fazem? É justo um candidato se arvorar a dizer que ele defende os interesses dessa ou daquela religião e agir como se fosse o representante destas alegando que o fará enquanto na fase de campanha, mas tão logo adentram os porões do poder já começam a se enroscar em confusões ilícitas de todo tipo?

Com todos esses dados, será que as pessoas continuarão a votar em candidatos porqe o pastor indicou? Porque o pastor, o discípulo, o missionário ou o Bispo disseram que era bom?

O povo devia parar de votar por “clubismo”. O candidato que é sócio do mesmo clube que você, o cara que tem o mesmo carro que você, que tem o mesmo sexo, estudou na mesma escola, frequenta até o mesmo templo, pode ser um calhorda.

O povo não sabe votar

Comments

comments

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

35 ideias sobre “O povo não sabe votar

  • 6 de junho de 2012 em 20:25
    Permalink

    Philipe..  Uma nação ignorante, é uma nação passiva! pq sera que nao investem em educação? vc coloco o dedo bem na ferida, pq é basicamente isso q acontece,  aa fulano é da mesma igreja que e, fulano é honesto, fulano é da mesma empresa que eu, fulano é bom.. fora quando nao acreditam e falam q isso é conspiração contra o candidato.. infelizmente o Brasil merece os governates que tem..

    Resposta
    • 7 de junho de 2012 em 11:37
      Permalink

      Pois é. Pior que eu me sinto um ultra-babaca, porque antes de votar eu pesquiso o cara, vejo se não tem problemas, acompanho suas gestões, eu fico em cima direto, mando sugestões, mando email, cobro, reclamo, eu sou um eleitor chato pra caralho, mas não adianta porra nenhuma…

      Resposta
      • 22 de junho de 2012 em 15:22
        Permalink

        Eu faço o mesmo e nunca adiantou também! Infelizmente político não traz estrela na testa. Sempre presto serviços em campanhas para vários candidatos devido minha empresa trabalhar com publicidade e ações. 
        Mas não voto em ninguém!

        Resposta
  • 6 de junho de 2012 em 21:07
    Permalink

    Belo apanhado Felipe, mas fazer o que, o povo finge que vota, os politicos fingem que governam.

    Resposta
  • 6 de junho de 2012 em 23:41
    Permalink

    Isso pra não falar na treta que tá dando com a cidinha campos esses dias aqui na internet. A fadia vem pra internet, um dos poucos lugares onde ainda se tem um certo nível de liberdade de expressão e acha que pode processar todo mundo.

    Resposta
  • 7 de junho de 2012 em 12:01
    Permalink

    A Dilma usou muito isso, o Lula tambem e até o Obama. E o povo acredita e brada quando é uma mulher, um ex-pobre ou um negro no poder. Pra mim é tudo a mesma coisa

    Resposta
  • 7 de junho de 2012 em 14:37
    Permalink

    Ainda bem que não voto e nunca votei, por isso tenho a consciência tranquila. Quando um jogo está ruim o que os participantes fazem? Simplesmente para de jogar o jogo. Esse jogo de votar em políticos é obsoleto. Existem outras maneiras de viver sem a utilização de políticos.

    Resposta
    • 8 de junho de 2012 em 9:01
      Permalink

      Quando você não dá seu voto para alguém que mereça, seu voto deixa de anular um voto de cabresto de um estupor que vai votar em que o coronel ou o pastor mandou. E aí dá no que dá. Não se exima da sua culpa.

      Resposta
      • 8 de junho de 2012 em 14:07
        Permalink

        Se todo mundo ao invés de jogar o jogo (Seja escolhendo um político, ou anulando e deixando branco) simplesmente parar de jogar, isto é, nunca mais utilizar deste mecanismo, ou seja, não votar ou sequer justificá-lo (como eu faço), não será possível mais utilizar do mesmo e outro processo será instaurado. A política nunca funcionou e nunca funcionará. É necessário outro método de administração do planeta Terra. E esse é o caminho natural da evolução, o que nós devemos fazer é apenas adiantar o processo… ou então, com acontece na maioria das vezes com os conhecimentos de impacto e escala continental… esperar que o mesmo entre em colapso. Estou fazendo minha parte para acelerar o processo de destituição do jogo de Repúblicas… mas se ninguém mais o fizer esperarei contente e assistindo o colapso deste mecanismo de governanças obsoleto e fracassado. E se ainda estiver vivo, abrirei meu espumante. E todos dias deito com a consciência tranquila sabendo que essa merda toda é copa de quem votou nestes canalhas e não minha.

        Não sou herói, não salvo o planeta ou qualquer coisa, mas já tomei outro caminho melhor que este que todo mundo pratica.

        Abraços.

        Resposta
        • 12 de junho de 2012 em 11:42
          Permalink

          Amigo, desse jeito você não vai resolver problema nenhum. Na verdade você está é se acomodando. Você sabe que nunca “todo mundo” deixará de votar. Se você quer seguir sua idéia mesmo, o caminho seria criar um partido político com estas suas idéias ou algum tipo de movimento apartidário pra fazer manifestações e talz.

          Mas em uma parte você está certo: o sistema eleitoral e o sistema de criação de leis atual são uma bosta.

          No primeiro as pessoas votam sem saber que o voto na verdade vai para o partido e só depois é distribuído aos cabeças dos partidos – Até rolava um post novo sobre pessoas que votam em parentes (que ganham poucos votos) mas na verdade estão é ajudando a eleger os cabeças do partido. As pessoas não votam nas idéias nem em projetos.

          No segundo temos “representantes” que não precisaríamos ter (afinal tudo poderia ser via plebiscito ou votações informatizadas) e que só pensam no benefício do próprio grupo.

          Realmente, a solução tá difícil (e não é deixando de votar que se resolve – como o Philipe disse)

          Resposta
          • 13 de junho de 2012 em 18:58
            Permalink

            Não jogo um jogo em que, para quem não sabe, ontem, foi rejeitada a votação, na Ordem do Dia da Câmara Federal,  o Projeto de Lei FICHA LIMPA, que impede a candidatura a  qualquer cargo eletivo, de pessoas condenadas em primeira ou única instância ou por meio de denúncia  recebida em tribunal – no caso de políticos com  foro privilegiado – em virtude de crimes graves, como: racismo, homicídio, estupro,homofobia, tráfico de drogas e desvio de verbas públicas..

            Não sou acomodado, acompanho na medida do possível, tudo sobre política, sou engajado, entendo dos procedimentos… blablabla… e sei muito bem das fichas de muitos políticos.

            E insisto, desistam deste sistema republicano meus amigos, procurem outras alternativas. Eu já encontrei as que me simpatizam e vou lutar por elas!

            Não confunda, por exemplo, alguém que quer parar de praticar futebol, por achar um jogo podre e cheio de falcatruas, que levam massas a alienação total, por outro esporte… um que seja mais limpo e igualitário e menos corrupto. Em todos os termos do setor esportivo. Espero que tenha entendido minha alegoria.

            É simples assim, hoje o ser humano já inventou outras formas de viver em sociedade e, as mesmas, só estão a espera das repúblicas caírem para serem instauradas.

            Denunciar corrupção, votar no menos pior, anular, fazer protesto é tudo jogar as regras da política republicana. Esqueçam isso!

            Ao invés de perderem tempo em tentar consertar o que não tem conserto, porque não divulguem outras linhas de convivência em sociedade? Por que não aprendam sobre estas outras linhas? Já fomos feudos, já fomos monarcas… agora somos republicanos… e isso também passará porque os sistemas de governanças evoluem.

          • 16 de junho de 2012 em 17:41
            Permalink

            E quais seriam essas novas formas de viver em sociedade então? Só estamos usando a república pois não tem nenhuma forma de organização politica melhor.

  • 7 de junho de 2012 em 19:19
    Permalink

    Olá Philipe!

    Sem querer defender ou acusar ninguém, só gostaria de deixar claro que processos não são crimes. Uma pessoa pode ser acusada de inúmeras coisas, ter montanhas de  processos nas costas e ainda assim ser inocente.
    Realmente não sei se é o caso da maioria nesse rol que você elencou, é bem possível que não, mas ainda assim não se deve criar – muito menos alimentar – na mente das pessoas a ideia de que se você está sob investigação ou sendo processado, você é automaticamente um criminoso.

    Suponhamos que você cuidasse de sua avozinha extremamente anciã em casa. Eu poderia abrir um processo contra contra você, alegando que a idosa sofre maus tratos, que você a deixa passar fome, que ela é agredida psicologicamente, etc. E você certamente receberia de surpresa uma visita de um oficial de justiça com uma intimação e a visita de assistentes sociais querendo comer o seu fígado com manteiga, pois elas já acham de antemão que você é um monstro, mesmo antes de averiguar qualquer coisa, pois “está escrito no processo”.

    Pronto, você seria instantaneamente culpado para qualquer um que tivesse conhecimento desse processo, mesmo sendo inocente.

    Esse cenário que montei é um caso real. Isso aconteceu na minha família. A filha foi acusada de maus-tratos contra a mãe simplesmente porque alguns parentes não gostavam dela, tinham interesse nos bens da idosa e queriam ver a casa cair na cabeça das duas para tirar vantagem. Como tinham dinheiro, entupiram essa pessoa de processos, pois sabiam que ela não teria como pagar advogados bons para defendê-la e esperavam que ela fosse considerada culpada em pelo menos algum deles. 

    Por muito pouco mesmo ela não foi para cadeia. Imagina, se um processo já lhe transforma num monstro, que dizer de vários afirmando a mesma coisa? Você, sem sombra de dúvida,  seria considerado um monstro!

    Se a família não se juntasse para prover uma defesa minimamente competente, ela seria condenada e iria para o chilindró, mesmo fazendo exatamente o oposto do que era acusada. Pessoas comuns usando a justiça como uma ferramenta extremamente eficaz para destruir a imagem de outra pessoa. 

    Imagina como é lá no círculo dos poderosos? O Sarney encheu uma jornalista de processos simplesmente porque ela era contra a reeleição dele e fazia campanha em um blog. Ela foi totalmente paralisada pela “justiça”.

    E essa é uma realidade no Brasil. Se você se candidatar a algum cargo político e esbarrar nos interesses de alguém ou de algum grupo, pode estar certo que irão chover acusações contra você. E não haverá presunção de inocência para você, Philipe. Não mesmo.

    Processos irão pipocar na sua ficha e seu nome cairá na boca do povo, principalmente se já houver algum tipo de preconceito contra você, sua orientação sexual, sua opção religiosa, etc. E, claro, se houver alguma mídia influente para “alertar o povo contra sua influência nefasta na sociedade”.

    Repito, não quero dizer que esses políticos não são culpados dessas acusações. Na verdade, não tem nada a ver com isso. Quero dizer somente e tão somente que é errado sair dizendo as coisas por aí de uma forma que induza as pessoas a crerem que fulano ou cicrano COMETEU atos ilícitos, que É culpado ou é um pária simplesmente porque há processos abertos contra ele.

    Além do mais, o que mais existem por aí são igrejas e pastores sendo alvos de ações civis públicas por conta de “muito barulho na igreja”, ou por outras razões dentro da escala religiosa. E muitas vezes são ações públicas impetradas por uma só pessoa e aceitas pelo ministério público como uma ação da comunidade.

    Lembre-se de que as pessoas (principalmente grande parte das pessoas na internet, que não tem vontade de se aprofundar em nada e que quer tudo nas mãos para ontem) não estão nem um pouco preocupadas em apurar evidências, em raciocinar em cima dos “fatos” que jogam na cara delas, “fatos” que usualmente só atiçam suas emoções e, consequentemente, desligam seus cérebros. 

    Depois de atiçadas em suas emoções e com o raciocínio devidamente obliterado, querem linchamento imediato, querem alguém a quem culpar, de preferência alguém que já seja um prato cheio para malhar, como evangélicos, judeus, negros, pobres, homossexuais ou qualquer outra parcela da população que não se “enquadra” muito bem na cabeça da maioria. 

    Depois, esquecem completamente dos “fatos”, enquanto retêm todos os sentimentos na forma de preconceitos e pré-julgamentos. Enfim, se tornam pessoas muito mais facilmente manipuláveis nas mãos de quem já conhece e usa com maestria desse expediente.

    Abraços.

    Resposta
    • 8 de junho de 2012 em 8:56
      Permalink

      Isso é a pura verdade. Uma coisa é ter processo nas costas, outra é ter sido julgado e condenado, (como no caso de alguns ali, como o Garotinho)
      Sabemos que políticos, seja qual for seu partido ou bancada, está sempre sujeito a processos, denuncias e etc. Lamentavelmente, esses golpes baixos são parte do fiosiológico jogo político nacional, como sabemos.

      Eu não sei se as pessoas concordam com o meu ponto de vista com relação a candidatos com processo investigativo na ficha. Eu penso que, mesmo que o cara ão tenha sido condenado, se ele esta sendo investigado por: Peculato, corrupção ativa ou passiva, formação de quadrinha, estelionato, improbidade, crime eleitoral, execução fiscal, se não teve as contas de governo anterior aprovada, está aguardando julgamento por crimes contra a ordem financeira, compra de votos, e etc, eu não voto no cara. Eu espero que a justiça diga que ele é inocente primeiro.
      Por que eu penso assim? Porque eu acho que se o cara está sendo investigado, ele tem que limpar a barra dele antes de merecer meu voto. Não conseguiu aprovar as contas? Não voto MESMO! Dinheiro do povo não é capim. Não tem competência para manter uma gestão transparente? Não se candidate então.
      Agora eu creio que os processos contra os membros da bancada evangélica que constam no transparência Brasil são referentes a processos contra sua ação política… Provavelmente não é caso de ação civil contra “barulho na igreja”.
      Até porque este tipo de processo, quando aparece nesta lista é movido pelo Ministério Publico, que caso fosse uma questão de barulho, recairia sobre a pessoa jurídica da denominação religiosa e não sobre a pessoa física do político, né?

      Resposta
  • 7 de junho de 2012 em 21:52
    Permalink

    Philipe, esse Edinho Araújo foi prefeito daqui de Rio Preto (e pelo que vi na lista está sendo processado por atos tomados ainda na prefeitura) e nunca falou como evangélico em nenhuma de suas campanhas.
    Se ele realmente atua como membro da bancada evangélica, ao menos nunca o vi usar a religião para ganhar voto.Os processos que ele tem pela passagem dele na prefeitura sempre foram bem polêmicos, apesar de ter saído muito bem avaliado da prefeitura (mas até aí o Lula também é eheh).

    abs

    Resposta
    • 8 de junho de 2012 em 8:42
      Permalink

      Não sei como se dá a montagem dessas bancadas evangélicas. Aliás, a própria existência de uma bancada evangélica na política parece algo sem sentido.
      Alguns desses políticos são lideres religiosos supostamente licenciados de suas funções eclesiásticas, mas certamente existem apenas membros de certa denominação religiosa entre eles.

      Resposta
  • 12 de junho de 2012 em 12:29
    Permalink

    Tem gente até da CCB aí no meio; só que a própria Igreja não aceita que seus membros participem  da política (e se não me engano, nem da polícia – pelo menos na época que eu visitei lá).

    Resposta
      • 13 de junho de 2012 em 13:13
        Permalink

        CCB significa Congregação Cristã no Brasil, eu freqüento essa igreja (não, não sou salsinha) e fiquei surpreso ao saber que tinha uma deputada que diz pertencer a ela. A Congregação não permite que seus membros participem da política, por achar que por participarem estariam na maioria das vezes envolvidos (ou tendo que se envolver) em coisas que não são aceitas por uma pessoa Cristã.

        Resposta
        • 13 de junho de 2012 em 18:31
          Permalink

          Ah, é mesmo. Que burro que eu sou. Meus sogros são dessa igreja, tem um montão de amigos dela. São muito sérios. Tb fiquei admirado de ver uma pessoa da CCB no palanque.

          Resposta
  • 12 de junho de 2012 em 14:20
    Permalink

    Quanto a candidatos de times de futebol, temos inúmeros exemplos, e um deles (negativo, é claro) foi aqui no Paraná uns tempos atrás:

    http://boxixo.wordpress.com/2012/02/09/sr-ratinho-jr-queimou-o-filme-em-curitiba/ 

    Já quanto à situação atual, sempre achei nojento esse negócio de legislativo, por isso sempre anulei meu voto para vereador, deputado, etc. Mas agora a coisa ficou tão feia que acho que não tem mais em quem votar nem no executivo, então já tomei minha decisão: é 51 nas urnas. Já perdi a fé nesse sistema faz tempo, então qualquer outra coisa que eu disser aqui vai ser chover no molhado.

    Resposta
  • 12 de junho de 2012 em 14:57
    Permalink

    Se mais de 50% dos votos forem anulados, haverá nova eleição sem a participação daqueles que se candidataram. Serão inelegíveis. Aí teremos uma oportunidade de mudar alguma coisa. Enquanto o povão ficar na ignorancia e se contentar com uma cesta básica a cada 2 anos, ficaremos do jeito que esta.

    Resposta
  • 12 de junho de 2012 em 15:42
    Permalink

    Philipe, concordo que brasileiro não sabe votar  – e não sabe governar nem legislar.

    E também acho que a politica deve se desligar da bairrismos a associações de classes; devemos pensar o que é melhor pra sociedade em geral, não pra uma parcela, ou pensando somente em nos mesmos.

    Soh penso que enquanto essa for a tonica, não se pode criticar quem pede voto por ser mulher ou por se evangélico; porque na verdade vale tanto quanto alguém que faz campanha para defender os deficientes fisicos, ou os homossexuais, ou os estudantes, ou os funcionarios publicos, ou os idosos…

    Acho que temos que repensar nossa politica partidaria e nosso sistema de governo.

    Uma coisa que admiro muito na França é a laicidade, a total separação entre Religiões e Estado. Mas estranho que as pessoas fiquem tão indignadas com o crescimento do poder evangélico quando antes e ainda agora a Igreja Catolica se mete tanto na nossa politica… Isso é tão repulsivo quanto! O problema é que a Igreja é um poder tão estabelecido, que o modo operandis é mais sutil que as novas religiões, e por isso parece mais aceitavel: porque estamos acostumados. A gente gostando ou não, muitas pessoas hoje são evangélicas e estão no mesmo papel dos nossos avos anos atras que escutavam muito o padre quando ao que se deveria pensar e em quem se deveria votar.

    Se a gente for ver bem, a Igreja Catolica é responsavel por parte do atraso mental do brasileiro, não soh em questões Ciência x Religião (camisinha, AIDS, aborto), mas também quanto ao direito dos homossexuais e das mulheres.
     

    Resposta
  • 12 de junho de 2012 em 20:11
    Permalink

    Muito bem colocado o post, apesar de eu discordar da frase que disseram “O Brasil tem os governantes que merece. Eu sou brasileiro, e assim como vc pesquiso, ou pelo menos tento gravar nomes e partidos envolvidos em calhordices. O Brasil não é só feito de ignorantes. Aliás, são tantos os estereótipos que colocam como requisito pra ser brasileiro (gostar de calor, praia, futebol, carnaval e cerveja vagabunda) que às vezes me sinto sem pátria. O problema sempre foi a educação mesmo, não tem mais o que discutir. 

    Resposta
  • 12 de junho de 2012 em 20:57
    Permalink

    E ainda dizem por ai que vivemos em um estado laico. Como de costume, ótimo texto Philipe.

    Resposta
  • 12 de junho de 2012 em 22:10
    Permalink

    É nisso que dá os revoltados de cada igreja saírem e criarem outras. A Igreja Presbiteriana do Brasil tem umas cinco “filhas”. Igrejas que de presbiterianas só tem o nome e uma forma de organização com presbíteros. Só envergonha.

    Resposta
  • 13 de junho de 2012 em 9:04
    Permalink

    o estado pode se denominar laico, mas o povo não é.

    infelizmente as influencias como religião, aparecia e sexo ainda vão determinar muito do que veremos na nossa politica. 
     Rá! eu me lembro bem que na época que o Collor ganhou pra presidente tinha uma ideia que circulava nas igrejas evangélicas (um vizinho disse isso pra minha vó, que o pastor dele havia falado)que uma das imagens do diabo na Terra era um sujeito baixo, barbudo e sem um dedo da mão!é triste, mas verdade. aqui no nordeste a politica as vezes é bizarrase não fosse trágico seria divertido ver as campanhas para vereador. porque o que conta pra ganhar votos é principalmente ser de família conhecida, depois se o cara te dá alguma graninha.e a coisa é descarada mesmo. 20, 30 ou 50 reais.e a coisa cresce até o ponto de coisas assim:http://www.youtube.com/watch?v=oxVxJgoOzvI é o link de um deputado assumindo que compra voto, ou como ele diz: não compro, eu ajudo o eleitor com um dinheirinho.nas ultimas eleições votei em gente que pesquisei e achei interessante, um amigo meu riu e me disse que eu joguei meu voto fora porque nenhum dos candidatos que eu votei ganhou, já os que ele votou ganharam, então ele ganhou as eleições e eu perdi.eu nem sabia que era loteria. 

    Resposta
  • 14 de junho de 2012 em 21:28
    Permalink

      Essa frase é usada por alguns como apologia da ditadura, pode ser uma conclusão precipitada mas… histerias a parte, vamos aos fatos:
       O brasil , nos seus 500 anos de história teve pouco tempo sob o poder do voto da população, pra valer mesmo só depois de 1945 por 19 anos interompida por uma ditadura, depois, presidentes eleitos a partir de 1990 mais 22 anos total de pouco mais de 40 anos não contínuos, menos de 10 por cento  do tempo de existência do país.
      Além disso, evidentemente os milicos não entregaram o poder a toa, veio um sistema viciado, com a população a mercê de informações controladas por um punhado de famílias amigas do sistema de ultra-direita vigente, empresas de mídia não alinhadas com a turma foram detonadas pela ditadura por exemplo , revista “000o cruzeiro” e TV tupi, ficaram os amigos, o que explica o que muitos dizem ser inexplicavel, a eleição de gente do quilate de Collor, Sarney , Barbalho entre outros donos de retransmissoras da globo, alem de gente como silvio santos tinha filiação ao PFL(antigo nome do partido de demostedes e da base da ditadura), boris casoy figura tarimbada da imprensa caçava comunistas armado durante a ditadura. Essa é nossa mídia, a moda a gora é tvs(hou horários de tv) evangelicos e  candidatos, mas esses são uma minoria e pouco podem diante de bancadas ruralistas e cia…
       No entanto a população tem demonstrado um certa rebeldia com o cabresto da mídia e vem elegendo alguns dos desafetos dos antigos mandachuvas do país, apesar de todos os problemas a maior parte dos avanços ocorridos no país veio nesses pequenos intervalos de democracia em meio aos periodos tirânicos. O fim do financiamento privado pode ajudar uma vez que até o sistema criminioso do capo cachoeira utilizava de doaçoes ditas legais para eleger seus cumplices no poder. A democratização da mídia com a concorrência de novas empresas em meio a panelinha existente(inclusive trabalhando para o sistema criminoso de cachoeira) e finalmente a eleição de gente para o poder judiciário como oocorre em alguns paises pode completar um verdadeiro upgrade  nas instituições do país como nunca visto antes.

    Resposta
    • 15 de junho de 2012 em 9:37
      Permalink

      É verdade. Eu fico com aquela famosa frase que diz: “Democracia está longe de ser o sistema de governo mais perfeito que existe, mas entre as demais possibilidades disponíveis, ainda é a que funciona melhor”.

      Estamos cercados de canalhas da política e mamadores oficiais nas tetas gordas do dinheiro do povo, mas pelo menos não estamos sob um regime totalitário, o que nos permite falar abertamente dos problemas, como estamos fazendo aqui.

      Resposta
  • 16 de junho de 2012 em 7:42
    Permalink

    Eu não me iludo mais. Políticos são todos farinhas do mesmo saco: hoje brigam, amanhã estão abraçados rindo dos eleitores (nós). Só para ilustrar, o que dizer de PSDB e PT correndo atrás do apoio de Maluf para ganharem 90 (noventa) segundos a mais no tempo do horário eleitoral?!?

    Resposta
  • 20 de junho de 2012 em 18:23
    Permalink

    Palmas para você Philipe! Repare que PRATICAMENTE NUNCA, nenhum candidato aparece falando sua plataforma, de forma honesta, transparente e sem demagogia. Aparecem apenas com discursos pobres e na maioria das vezes mentirosos, de pseudo-identificação com o eleitorado, baseado no princípio que aceitamos os semelhantes e repudiamos os diferentes. Ou com o velho discurso de vencedor “das adversidades” da vida, trabalhando a nossa “culpa católica ocidental e behaviorista” e fazendo uma coisa que Janete Clair fazia há 30 anos atrás: Novela tosca com final feliz (para o candidato, é claro…). Isso dá voto pra cacete.

    Resposta
    • 21 de junho de 2012 em 9:59
      Permalink

      É lamentável que nossa classe política não evoluiu na mesma velocidade que os processos democráticos deste país. Credito uma boa parte disso ao voto obrigatório, uma excrescência aos direitos individuais num país que se vende como uma democracia para o mundo.
      Ainda temos trabalho infantil, carvoarias ilegais, trabalho escravo… Há muito por ser feito neste país. Sem falar a Educação, já que uma enorme parte dele ainda está na idade média.

      Resposta
  • 27 de fevereiro de 2013 em 9:15
    Permalink

    como organisar um pais em que o povo ainda vai as igrejas,e acredita nos santos e deuses criados pelos homens,pior do que os politicos são os falços religiosos usurpadores principalmente dos pobres de espirito e monetariamente

    Resposta
  • 11 de agosto de 2014 em 20:22
    Permalink

    a constituição brasileira não e perfeita mas e razoável e quando ela fala tanto em direitos quanto obrigações ela não fala em direito do crente direito da mulher direito do negro direito do índio direito do gay direito da criança ou adolescente direito do idoso. ela fala simplesmente do direito do cidadao.ps. também não fala do direito do marginal nem de tatantas outras ditas minorias aproveitadoras

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Alerta: Conteúdo protegido !!