O pior dia da vida dele: Depois de quase uma década de empenho num recorde, Guiness nega o prêmio

Ralou mas não levou. O Guiness bombou o recorde do cara, dizendo que palitos de fosforo sem cabeça não valiam.

Por quase uma década, um cidadão francês dedicou-se a um projeto único, criando uma réplica da Torre Eiffel com mais de 700.000 palitos de fósforo, alcançando uma estrutura impressionante de 7 metros de altura. Apesar do imenso esforço e dedicação, seu feito extraordinário não foi reconhecido pelo Guinness World Records devido a um detalhe técnico: ele utilizou palitos de fósforo que não eram comercialmente disponíveis.

Richard Plaud, 47 anos, investiu cerca de 4.200 horas ao longo de 8 anos na construção meticulosa deste modelo, usando 706.900 palitos de fósforo distribuídos em 402 painéis para montar esta estrutura notável. No entanto, ao finalizar seu trabalho, Plaud foi informado que sua réplica “não se qualificava para um recorde mundial porque os palitos utilizados não atendiam aos critérios específicos do Guinness“.

Palud expressou sua frustração com o livro dos recordes:

“É uma sensação de desapontamento, frustração, e uma dificuldade de compreensão, que soa injusta”

Ele argumenta que sua criação, que permanece mais alta que a detentora do recorde anterior — uma réplica de 6,53 metros de altura feita por Toufic Daher em 2009 — deveria ser valorizada pela sua magnitude e pelo trabalho investido.

Inicialmente, Plaud começou seu projeto com palitos de fósforo comuns, mas logo encontrou dificuldades no processo de remoção das pontas inflamáveis. Ele então obteve a colaboração da Flam’Up, uma fabricante francesa, que lhe forneceu os palitos já sem as cabeças inflamáveis, facilitando assim o progresso de seu trabalho.

Contudo, essa adaptação acabou sendo a razão pela qual o Guinness World Records recusou seu registro, já que somente materiais comercialmente disponíveis são aceitos nas tentativas de quebra de recordes.

Plaud expressou sua desilusão com a decisão, destacando a falta de reconhecimento pelo esforço pessoal, o tempo investido e os desafios superados. Ele esperava uma consideração especial do Guinness pelo trabalho árduo empregado no projeto, mas a organização manteve sua decisão sem sequer realizar uma inspeção do modelo.

Imagino como esse cara ficou puto. Me parece uma puta duma frescuragem do Guiness – Nem vou mencionar que parece má vontade dos ingleses do Guiness contra um francês, nessa pinimba histórica que já se arrasta por tempos imemoriais.
Qual é a porra do problema se o cara já mandou vir da fábrica o palito de fosforo sem cabeça? Ele ia cortar ou lixar elas de qualquer jeito, achei até ecológica a ideia do maluco.

@tf1info Terrible injustice. Ce passionné a mis 8 ans pour construire la plus haute tour Eiffel… en allumettes ! Avec ses 706 900 battonets en bois et ses 7,19 mètres, il espérait décrocher le record du monde mais voilà : le Guinness Book n’est pas de cet avis et l’a tout simplement disqualifié. Le prestigieux jury lui reproche de ne pas avoir acheté ses allumettes dans le commerce, et surtout de ne pas les avoir utilisées avec leurs bouts rouges inflammables. Le maquettiste Richard Plaud ne perd pas espoir : il rêve d’exposer son oeuvre aux JO de Paris #insolite #recorddumonde #toureiffel ♬ son original – TF1 INFO

Atualização:Eu já ia postar a história, quando soube que houve um final feliz. O próprio Guiness (vendo que a história pegou mal) reviu seus critérios e decidiu conceder ao cara o recorde.

Print screen de https://metro.co.uk/2024/02/08/mans-8-year-grind-matchstick-eiffel-tower-record-finally-recognised-20250168/

Segundo o Metro, o Francês obteve finalmente seu recorde e já pode dormir tranquilo sabendo que dez anos de sua vida não foram para o lixo.

Mark McKinley, diretor de serviços centrais de registros, disse ao Metro.co.uk: ‘Temos muito orgulho em sermos tão minuciosos quanto possível ao revisar as evidências, porque nossas regras e requisitos de evidências nivelam o campo de jogo para todos, em todos os lugares que desejam tentar um recorde.

‘No entanto, tendo aprendido mais sobre as técnicas utilizadas pela comunidade do modelo palito de fósforo, e após uma segunda análise desta conquista em relação a títulos de recordes semelhantes que atribuímos, parece que temos sido severos na aplicação das nossas regras nesse caso.

‘Estamos, portanto, muito felizes em premiar Richard com o título do Guinness World Records e corrigimos algumas inconsistências em nossas regras que agora permitem que os palitos de fósforo sejam cortados e moldados conforme o modelador achar melhor.

“Lamentamos a angústia que as últimas 24 horas terão causado no que deveria ter sido um momento de celebração para Richard. Espero que ele aceite nossos parabéns tardios em nome de todos na GWR por sua estrutura verdadeiramente impressionante – e seu novo título do Guinness World Records.’

Richard está feliz e mais que ele, sua esposa Sandra, que ficou igualmente desiludida, também ficará satisfeita por agora poder “recuperar a minha sala de estar”.

Receba o melhor do nosso conteúdo

Cadastre-se, é GRÁTIS!

Não fazemos spam! Leia nossa política de privacidade

Philipe Kling David
Philipe Kling Davidhttps://www.philipekling.com
Artista, escritor, formado em Psicologia e interessado em assuntos estranhos e curiosos.

Artigos similares

Comentários

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Advertisment

Últimos artigos