Noite de combo de sonhos estranhos

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Categorias
Night mode
Mais uma noite com vários sonhos esquisitos. Isso não tá normal. E lembro deles cada vez mais.

Os invasores

Eu morava numa casa térrea, bem pobre num bairro de periferia e era de madrugada. Eu estava dormindo com a Nívea numa cama apertada quando acordei ouvindo um trovão ao longe. Então, para meu arrepio, ouvi um cochicho. Olhei pela janela entreaberta ao lado da cama e vi uma careca do lado de fora. Não era bem uma careca, era um cara de cabelo reco tipo Febem. Eu olhei e como ele estava imóvel no quintal, fiquei olhando para ter certeza que não estava me confundindo. Então ele olhou pra dentro do quarto e vi a sobrancelha e o olho. Fingi que estava dormindo. Quando ele saiu da janela acordei a Nívea e cochichei do cara no quintal. Mandei ela fingir que estava dormindo.
Levantei e olhei por um buraco na parede de tijolo do meu barraquim e vi que eram dois mano magrelo, o da frente tava com um 38 enferrujado na mão.
Me deu um desespero pq vi eles girando a maçaneta da porta da sala devagar. E eu não tinha um revólver. Me odiei por não ter uma arma pra socar o aço neles. A agonia foi aumentando e quando eles abriram a porta, acordei e o sonho acabou.

Assombração no quarto do Davi

Nesse sonho já era aqui em casa e eu estava dormindo quando o Davi foi lá no quarto reclamar que tinha um homem invisível mexendo nele lá no quarto dele.
Levantei com sono e sem saco. Fui lá colocar o Davi na cama, pq estava claro que era só um pesadelo do meu filho. Botei ele na cama dizendo que homem invisível só existe em filme e quando peguei o travesseiro senti um puxão e o travesseiro ficou atravessado no ar, num bizarro cabo de guerra com ninguém. Me caguei totalmente de medo e acordei.

O Youtuber

Nesse sonho, havia um menininho que era muito fã de um Youtuber infantil do cabelo colorido. Mas era muito, muito fã.
Um dia o menino cisma de encontrar seu ídolo, mas todos dizem a ele que é inútil, pois o Youtuber é recluso, não ia a eventos, não dava entrevistas, nada.
Mas obstinado o garotinho acampa na porta da mansão do seu ídolo, que é parecida com o casarão da família Adams.
Passam-se os dias. O menino lá. Sob sol, sob chuva. A mídia começa a cobrir, mas o Youtuber não sai da mansão. O interesse da mídia esfria, a multidão já não existe, mas o garotinho está lá, sozinho.
É um domingo de tarde. Não há viva alma na rua, só o menino sentado no meio fio com os olhos fixos na mansão.
Então ele se levanta. Arregala os olhos. Vem alguém. O portão de grades pretas retorcidas da mansão macabra se abre. Sai um velho. É igual ao falecido príncipe Philip. Ele vem andando lentamente e para de pé diante do menino, com visível cara de decepção.
– Estou aqui. O velho diz.
O menino não entende. Quer o Youtuber jovem do cabelo colorido e sobrancelha feita no salão.
O velho ri e diz que aquele é ele, quando jovem.
O menino sem entender.
O velho explica que foi tão famoso como Youtuber na juventude, que contratou experts em programação e comprou os maiores computadores do mundo para criar sua réplica digital e fazer os programas.
Era tudo automatizado.
Sua duplicata nunca cansava, nunca estava de mau humor e nunca envelhecia.
O menino fez menção de chorar, porque no fundo, percebeu no falar daquele velho decrépito, a verdade. Era ele mesmo, seu ídolo, parecendo uma múmia egípcia.
O velho agradeceu e disse que o menino era seu único fã de verdade.
Novamente o menino não entendeu, pois o Youtuber tinha milhões de fãs.
-São acessos comprados. Eu tenho computadores no mundo todo assistindo aos meus vídeos! Sou uma fraude lá dentro e aqui fora. – Disse, estendendo seu dedo magro e trêmulo.
Mesmo assim, o menino abraçou o velho, e foi embora. O velho entrou em sua mansão pela última vez.

A piscina do tubarão

Eu estava com a família num churrasco e nesse churrasco tinha uma piscina de fibra azul. Pensei em entrar, mas então notei uma sombra na água e vi que havia um tubarão dentro dela. Minha mãe fez aquela brincadeira de quinta série fingindo que ia me empurrar lá dentro.

Mufy

Eu estava viajando em algum país com a Nivea e o Davi quando paramos para comer num restaurante de fastfood chamado Mufy ou Moofy (já não tenho certeza). Esse sonho não tem história pq passei o tempo todo no Mufy me deliciando com a comida maravilhosa e admirando o design da loja. A marca era muito poderosa, estou com ela na cabeça até agora, com letras marrom chocolate em fundo amarelo. O Mufy tinha um ursinho branco muito bonitinho como personagem. Eu fiquei olhando tudo, cardápio, folhetos, quadros, arte do copo, tudo era bem legal. Os copos da Mufy tinham uma realidade aumentada, que vc pagava um extra e no combo vinha um óculos VR que vc comia vendo o Mufy brincando na mesa. O Davi ficou alucinado. Ia acontecer alguma coisa legal mas a Nivea me acordou, e o sonho do Mufy acabou aí.

Comments

comments

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

Uma resposta

  1. Oi, acompanho suas postagens a anos, é automático : ligo o PC e já entro aqui para ver as novidades.
    Esses teus sonhos estão parecendo sonhos (lúcido) ou (viajem astral), já percebi que tu entende desses paranauê. Eu cheguei a dormir uns 6 meses com um facão embaixo do travesseiro pra pegar uns caras que apareciam la em casa de vez em quando quando eu pegava no sono, depois que a ficha caiu eu aquietei e hoje nem ligo mais (+ ou =). Também nem falo mais pra ninguém, ja cansei de ser chamado de esquisito pelos amigos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

© MUNDO GUMP – Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução sem autorização.