Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp

A mulher está sentada na cama. Tem os olhos vermelhos de chorar. Ela fica em silêncio. Um cigarro queima no cinzeiro sobre o criado mudo.

Ela olha para o telefone. Imóvel.

Limpa as lágrimas dos olhos.

O telefone toca. Ela atende em silêncio. Não diz alô nem pergunta quem está falando. Apenas escuta, segurando o quanto pode os soluços.

Do outro lado da linha, na rua, sob uma chuva torrencial, um homem fala no orelhão:

– Minha querida, não sei mais o que acontece comigo, não consigo tirar você da minha cabeça…

– Lá vem você de novo com esta conversa, doido pra me enrolar.

– Já não sei mais o que preciso fazer para provar…

– Não perca seu tempo.

– Nossa vida é a mais linda história de amor que alguém jamais poderia imaginar…

– Falar é fácil. Suas palavras doces não são mais suficientes para me enrolar.

– Não paro de pensar em você. Em casa, no trabalho. Você não me sai da cabeça…

-Vou desligar. Você é um doente, uma pessoa sem coração. Você é o fruto mais podre, que até os vermes vão recusar.

-Por favor não se vá. Me deixe terminar.

– Você é um mentiroso, um manipulador de ilusões. Um predador de almas…

– E você é o vento quente que me acorda na noite. É o frio do mar que me recobre o corpo. Você é o som que eu escuto, o gosto doce que sinto na boca, o perfume das flores, você é o pensamento feliz e as memórias boas de nós dois…

– Palavras, mentiras, mentiras. É tudo que você sabe dizer.

– É tudo que eu sei dizer, porque sou prisioneiro do amor…

– Prisioneira sou eu desse destino cruel de ter conhecido você. Me apaixonei cedo e olha o que me tornei… Uma mulher amarga, fria e triste, sozinha, sozinha, sozinha… Sem destino.

– O amor, só ele poderá nos libertar.

– Mentiras, mentiras, mentiras.

– O que eu posso fazer?

– Mentiras, mentiras, mentiras…

– Quero lhe provar…

– Mentiras, mentiras mentiras…

– É tudo o que você diz?

– Mentiras, mentiras, mentiras!

– Eu te amo! Eu juro!

– Mentiras, mentiras, mentiras, mentiras. Você só sabe mentir, desgraçado!

-Mas é verdade, a verdade é que você me pertence e eu sou todo seu. Somos feitos um para o outro mas você não quer aceitar…

-Você ligou, e vem ligando desde a semana passada. Não agüento mais. Vamos dar um basta nessa situação.

-Tudo que eu quero é que você me compreenda…

-Lá vem você…

– Eu ligo e ligarei quantas vezes for preciso…

-Você teve sua chance. Teve sua chance e resolveu desperdiçar…

– Aquela mulher não significou nada pra mim…

– É tudo que você sabe dizer…

– Repetirei hoje, amanhã… Não posso perder a esperança.

-Você volta como um rato, um ser abjeto e abusa da minha paciência.Volta pra outra, e talvez você seja mais feliz… Me deixe em paz.

-Você tenta se enganar. Eu sei que você também está sofrendo.

– Conversinha fiada de buteco não me ilude mais.

– O que preciso fazer pra te provar? Diga? Meu amor por você…

-Muito obrigado, enfie essa prova onde preferir, que eu tenho amor próprio. Sinto nojo de te ver rastejando, pedindo o perdão que sabe que não vai receber. Você é um canalha e ela uma bruxa. Destruíram a minha felicidade.

-Por favor, acredite nas minhas palavras.

-Palavras? Só mentiras, mentiras, mentiras.

-Me escuta, é tudo que eu te peço.

-Mentiras mentiras mentiras…

-Por favor, só mais uma chance.

-Mentiras mentiras, mentiras…

-Eu imploro!

-Mentiras, mentiras, mentiras, mentiras, é tudo que você vai repetir…

-Que você é minha…

-Mentiras, mentiras, mentiras…

-Que eu te amo…

-Mentiras, mentiras, mentiras.

-Que você ainda me ama…

-Mentiras, mentiras, mentiras…

-Volta pra mim….

-Mentiras, mentiras, mentiras… Tudo que sai da sua boca são mentiras. Que agora você desperdiça comigo. Você não some da minha vida. Eu sumo da sua. Adeus.

Ela desliga o telefone e encosta o cano frio da arma na cabeça. Com força puxa o gatilho e num estampido seco, tudo gradualmente se apaga.

Um relâmpago corta o céu iluminando a rua escura. O homem desliga o telefone e vai embora, perdendo-se na escuridão.

FIM

Sei lá de onde veio isso…. Quer dizer, eu sei. Eu estava escutando uma musica antiga em que a Dalida, canta com o Alain Delon. Tive vontade de readaptar a musica de algum jeito. Saiu isso aí. Quem ficou curioso, pode ver aqui:

O maluco tinha realmente um naipe fera. Quem me dera se eu tivesse um visual assim… Já tava na novela das oito.

Mentiras, mentiras, mentiras

Comments

comments

A mulher está sentada na cama. Tem os olhos vermelhos de chorar. Ela fica em silêncio. Um cigarro queima no cinzeiro sobre o criado mudo.

Ela olha para o telefone. Imóvel.

Limpa as lágrimas dos olhos.

O telefone toca. Ela atende em silêncio. Não diz alô nem pergunta quem está falando. Apenas escuta, segurando o quanto pode os soluços.

Do outro lado da linha, na rua, sob uma chuva torrencial, um homem fala no orelhão:

– Minha querida, não sei mais o que acontece comigo, não consigo tirar você da minha cabeça…

– Lá vem você de novo com esta conversa, doido pra me enrolar.

– Já não sei mais o que preciso fazer para provar…

– Não perca seu tempo.

– Nossa vida é a mais linda história de amor que alguém jamais poderia imaginar…

– Falar é fácil. Suas palavras doces não são mais suficientes para me enrolar.

– Não paro de pensar em você. Em casa, no trabalho. Você não me sai da cabeça…

-Vou desligar. Você é um doente, uma pessoa sem coração. Você é o fruto mais podre, que até os vermes vão recusar.

-Por favor não se vá. Me deixe terminar.

– Você é um mentiroso, um manipulador de ilusões. Um predador de almas…

– E você é o vento quente que me acorda na noite. É o frio do mar que me recobre o corpo. Você é o som que eu escuto, o gosto doce que sinto na boca, o perfume das flores, você é o pensamento feliz e as memórias boas de nós dois…

– Palavras, mentiras, mentiras. É tudo que você sabe dizer.

– É tudo que eu sei dizer, porque sou prisioneiro do amor…

– Prisioneira sou eu desse destino cruel de ter conhecido você. Me apaixonei cedo e olha o que me tornei… Uma mulher amarga, fria e triste, sozinha, sozinha, sozinha… Sem destino.

– O amor, só ele poderá nos libertar.

– Mentiras, mentiras, mentiras.

– O que eu posso fazer?

– Mentiras, mentiras, mentiras…

– Quero lhe provar…

– Mentiras, mentiras mentiras…

– É tudo o que você diz?

– Mentiras, mentiras, mentiras!

– Eu te amo! Eu juro!

– Mentiras, mentiras, mentiras, mentiras. Você só sabe mentir, desgraçado!

-Mas é verdade, a verdade é que você me pertence e eu sou todo seu. Somos feitos um para o outro mas você não quer aceitar…

-Você ligou, e vem ligando desde a semana passada. Não agüento mais. Vamos dar um basta nessa situação.

-Tudo que eu quero é que você me compreenda…

-Lá vem você…

– Eu ligo e ligarei quantas vezes for preciso…

-Você teve sua chance. Teve sua chance e resolveu desperdiçar…

– Aquela mulher não significou nada pra mim…

– É tudo que você sabe dizer…

– Repetirei hoje, amanhã… Não posso perder a esperança.

-Você volta como um rato, um ser abjeto e abusa da minha paciência.Volta pra outra, e talvez você seja mais feliz… Me deixe em paz.

-Você tenta se enganar. Eu sei que você também está sofrendo.

– Conversinha fiada de buteco não me ilude mais.

– O que preciso fazer pra te provar? Diga? Meu amor por você…

-Muito obrigado, enfie essa prova onde preferir, que eu tenho amor próprio. Sinto nojo de te ver rastejando, pedindo o perdão que sabe que não vai receber. Você é um canalha e ela uma bruxa. Destruíram a minha felicidade.

-Por favor, acredite nas minhas palavras.

-Palavras? Só mentiras, mentiras, mentiras.

-Me escuta, é tudo que eu te peço.

-Mentiras mentiras mentiras…

-Por favor, só mais uma chance.

-Mentiras mentiras, mentiras…

-Eu imploro!

-Mentiras, mentiras, mentiras, mentiras, é tudo que você vai repetir…

-Que você é minha…

-Mentiras, mentiras, mentiras…

-Que eu te amo…

-Mentiras, mentiras, mentiras.

-Que você ainda me ama…

-Mentiras, mentiras, mentiras…

-Volta pra mim….

-Mentiras, mentiras, mentiras… Tudo que sai da sua boca são mentiras. Que agora você desperdiça comigo. Você não some da minha vida. Eu sumo da sua. Adeus.

Ela desliga o telefone e encosta o cano frio da arma na cabeça. Com força puxa o gatilho e num estampido seco, tudo gradualmente se apaga.

Um relâmpago corta o céu iluminando a rua escura. O homem desliga o telefone e vai embora, perdendo-se na escuridão.

FIM

Sei lá de onde veio isso…. Quer dizer, eu sei. Eu estava escutando uma musica antiga em que a Dalida, canta com o Alain Delon. Tive vontade de readaptar a musica de algum jeito. Saiu isso aí. Quem ficou curioso, pode ver aqui:

O maluco tinha realmente um naipe fera. Quem me dera se eu tivesse um visual assim… Já tava na novela das oito.

Mentiras, mentiras, mentiras

Comments

comments

Eu dei duro aqui

Com 15 anos de sangue suor e lágrimas, eu me esforcei para fazer um dos blogs mais antigos e legais do Brasil. Mis de 5000 artigos, mais de 100.000 comentários, mais de 20 livros, canal, programa de rádio, esculturas... Manter isso, você pode imaginar, não é barato. Talvez você considere me apoiar no Patreon e ajudar o Mundo Gump a não sair do ar.
Ajuda aí?

Conheça meus livros

error: Alerta: Conteúdo protegido !!