Maratona do golpe

Fiquei boquiaberto com o grau de vagabundagem no México durante a última maratona da cidade.

Nada menos que  11 mil corredores dos 30 mil participantes da Maratona da Cidade do México do mês passado foram desclassificados pelos organizadores por trapacear no percurso de 42 quilômetros.

Trapacear na maratona não é exatamente inédito. Já ate falei dessa 171 marota aqui.

Isso é algo que pode ocorrer em qualquer esporte, e normalmente, os infratores incluem alguns dos atletas mais aclamados do mundo, como a ultramaratonista australiana Joasia Zakrzewski, que foi acusada de usar um carro durante uma corrida , ou Kelly Agnew, que supostamente se escondeu em banheiros portáteis para assim evitar correr várias voltas de corrida . No entanto, a Maratona da Cidade do México deste ano pode ter estabelecido um novo recorde de vagabundagem e posteriores desclassificações devido a fraude.

O número impressionante de  11.000 corredores dando 171 na corrida implica em mais de 1 em cada 3 participantes do evento, que foram desqualificados por usarem vários meios de transporte para cortar trechos da corrida.

“O Instituto de Esportes da Cidade do México informa que procederá à identificação dos casos em que os participantes da XL Maratona da Cidade do México Telcel 2023 demonstraram atitude antidesportiva durante o evento e invalidará seus tempos de inscrição”, disseram os organizadores da maratona ao jornal espanhol Marca .

Uma investigação começou quando os organizadores receberam diversas reclamações sobre corredores que usaram carros, transporte público e bicicletas para trapacear durante a corrida de 27 de agosto. Ao verificar os dados dos rastreadores de 5 km que monitoram se os participantes passaram por todos os trechos da maratona, descobriram que milhares de corredores não haviam realmente completado todo o evento.

Alguns dos corredores desqualificados contestaram as acusações, alegando que os rastreadores estavam com defeito, (hahahaha o rastreador funcionou com todo mundo, só com o espertão que não) mas até agora os organizadores da Maratona da Cidade do México, um dos eventos de corrida mais importantes da América do Norte, mantiveram a sua decisão de ferrar os caras.

A principal maratona do México já foi afetada por trapaças massivas antes. Em 2017, nada menos que 6.000 corredores perderam as suas medalhas de finalização depois de se descobrir que não tinham completado a corrida inteira, e no ano seguinte outros 3.000 participantes foram desqualificados, mas o escândalo deste ano é definitivamente o maior até agora.

Felizmente, nenhum dos corredores de elite participantes estava entre os picaretas desclassificados.

Vergonha da professón!

 

Receba o melhor do nosso conteúdo

Cadastre-se, é GRÁTIS!

Não fazemos spam! Leia nossa política de privacidade

Philipe Kling David
Philipe Kling Davidhttps://www.philipekling.com
Artista, escritor, formado em Psicologia e interessado em assuntos estranhos e curiosos.

Artigos similares

Comentários

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Advertisment

Últimos artigos