fbpx

Textos

Hoje estou com preguiça. Amanhã também estarei. E depois…

Esse ET aí no thumbnail do post é um bait violento. Não venha esperando ufologia que não tem hoje. Tô com preguiça....

Escrito por Philipe Kling David · 6 Minutos de leitura >

Pode parecer estranho, mas eu não postei nada aqui nos últimos dias porque simplesmente esqueci de postar. Sempre que me lembro “poxa não postei nada no Mundo Gump” eu estou agarrado fazendo alguma coisa tipo na estrada, dirigindo, ou fazendo um modelo 3d “pra ontem” pra algum cliente.

Nesse meio tempo teve um monte de coisa para me tirar a atenção, como a Black Friday. Se vc deu mole não pegou meu alien com mais de cem reais de desconto, perdeu!

Mas o principal motivo que me afastou de escrever todo dia aqui nesse espaço é o estudo.

Eu venho estudando mais a fundo o mercado de criptomoedas. Eu acabei me aproximando no mercado de cripto há um tempo, quando a febre do NFT chegou pra valer e eu entrei nessa, vendendo alguns NFTs no Hic Et Nunc, tipo esse:

Juca.

A despeito da explosão de promessas e a empolgação inicial do NFT, eu confesso que meu tesão passou rápido, porque ele foi sendo carcomido por um certo desgosto de ver que uma significativa parcela dos grandes negócios no NFT era nada além de lavagem de dinheiro, com obras de qualidade duvidosa sendo vendidas muito caro. Pessoalmente isso me cheira muito como uma ação entre amigos onde um cara vende para si mesmo uma arte afim de valorizar seu valor de mercado e eventualmente captar grana de algum trouxa com dinheiro sobrando. O grosso do que eu vejo nesses sites de galerias de nft são coisas fáceis. desenho coloridinho, tipo uns gif animados, uns rabiscos, uns pixal-art safados, esferinhas 3d pulando…

CryptoPunk #4156 -Sim são milhares deles. Esse em específico foi vendido por – 650 ETH ou em dólares, ($1,250,000)

 

O criptopunk acima esta aqui apenas para efeito ilustrativo. Eu sei a história dos criptopunks e como ela é importante e como isso reflete no preço de cada figura.

 

E a mutueira de um copiando o outro naquela porra? Meu Deus. Eu perdi a conta de quantos astronautas/macacos/robôs tem nessa merda de NFT. Parece até um tipo de doença contagiosa.

A sensação é de “faz qualquer coisa que vende”. Me desculpe a galera para o qual “tudo é arte”, mas se eu não vejo esforço artístico e empenho, eu não vejo razão objetiva para algo custar caro.

Ah, é a moda, é a jogada do momento! Ok, ok. Vai lá e faz. Nada contra quem consegue fazer esse milagre de separar um otário de seu dinheiro. Na real, eu sinto até uma boa dose de inveja do cara que faz algo assim no paint e mete um milhão de dolares no bolso, mas vejo que esse tipo de ganho não é pra mim, pq eu sou meio masoquista e gosto de trabalhos em que eu fico horas e horas encurvado detalhando coisa, cheirando resina toxica, modelando em 3d, imprimindo em 3d, fazendo molde em silicone, replicando em resina e quase morrendo com tintas cancerígenas e poeira nauseabunda para trazer ao mundo criaturas que a ampla maioria das pessoas acha estranho, tenebroso e feio.  Melhor seria eu fazer macaquinhos pixel-art. Ou ainda melhor, rabiscos:

Esta é a arte “The Best I Could Do” vendida por $1,650,000. Mais de um milhão de dólares. Sério.

Eventualmente se rabiscar alguma coisa parecer trabalho demais, eu poderia simplesmente recortar um meme do facebook e colar numa imagem de moldura. Tipo isso:

 

Doge – 1696.9 ETH ($4,000,000) – QUATRO MILHÕES DE DOLARES PELO Ctrl+C, Ctrl+V

O fato é que graças ao meu amigo de longa data Jovan eu consegui entender um pouco como eu poderia fazer para vender uma NFT do meu trabalho e ele ficou HORAS comigo no chat me ensinando como abrir uma conta numa corretora e como comprar algumas criptomoedas para poder subir meus NFTs (que praticamente não vendem). Embora a incursão no mundo do NFT tenha sido algo interessante, mas que não pude me empenhar como eu gostaria em função do fato de que a demanda do mundo real pelo meu trabalho estava mais aquecida que a demanda virtual e eu precisei atender esse segmento, foi muito bom justamente pelo fato do Jovan ter me apresentado à Binance.

A Binance é uma corretora, provavelmente a maior do mundo e uma das mais sérias.  Graças à isso, eu pude finalmente realizar um sonho, um sonho que pode até soar meio bobo pra você:

COMPREI BITCOIN

Durante muito tempo eu sempre quis poder comprar bitcoin, mas eu não fazia a mais puta ideia de como eu poderia fazer isso.

Sempre que tentei me aventurar a comprar essa criptomoeda, e pesquisava no google como comprar bitcoin (não tente) eu dava de cara com um mar de informação trucada e esquisita que desembocava num manancial de venda de cursos, empresas suspeitas, acusações de golpes, pirâmide, gente prometendo mundos e fundos, e muito ruído, Ethereum, Bitcoin, altcoin, shitcoin, gamecoin, token,  Shiba, DogeCoin, NFT, jogo, bridges, mineração, bloco, bear market, resistência, fibo, volume, suporte, carteiras, chaves criptográficas, protocolos, e por aí vai.

Eu já falei aqui antes sobre essa sensação de que “esse mar é muito grande para eu entrar com minha pranchinha”. É como ir comprar uma placa de video quando você não sabe nada de informática. O volume COLOSSAL de ruído que vc pega pela frente te engole de tal maneira, que é como levar uma onda na cara. Núcleos CUDA, memória, velocidade, cálculos de GPU, versões, sistemas de arrefecimento, portas, sistemas crosslink, tipos de saída, frequências, FPS e por aí vai milhões e milhões de tabelas comparativas, e a sensação final é que você precisa se formar em física quântica para comprar uma merda duma placa de video.

Eu imagino que deve haver um MONTE de gente que gostaria de poder ter a chance de comprar uns pedacinhos de bitcoin (chamados de Satoshi) mas simplesmente não sabem nem por onde começar. E em paralelo a isso, há a mais deslavada desinformação grassando livre leve e solta na planície das mentes dominadas pela velha mídia. A TV sempre à serviço do cliente – que como eu sempre digo, NÃO É O TELESPECTADOR, mas sim o ANUNCIANTE (leia-se Bradesco e Itaú) batendo na tecla tentando associar o Bitcoin com o ilícito, com pirâmides, hackers, crimes cibernéticos e golpes.

O fato é que pesa meu arrependimento de não ter entrado no bitcoin quando tive oportunidade ( e por isso não tenho hoje os 225 milhões de reais na minha conta que teria) láááá no inicio dessa aventura.

Eu comprei uma meia dúzia de satoshinhos para ver como era e comecei a entender – Muito lentamente, o que é lamentável – como as coisas funcionam. gradualmente fui aprendendo a ver os gráficos entender, interpretar fazer algumas analises preditivas. E assim eu venho gastando meu tempo que deveria estar procurando assunto para postar aqui, estudando esse assunto, e tentando entender um mercado que gera MUITA (mas é muita mesmo, pra caramba) GRANA.

Eu passei um bom tempo estudando o conceito do bitcoin, pq me intrigava como tanta gente poderia ter resolvido aderir a essa moeda digital, que não é de país nenhum, não tem dono, não está centralizada, não é controlada… Isso me intrigava muito e eu comecei a procurar informações sobre os fundamentos do Bitcoin, e eu fiquei verdadeiramente maravilhado, porque me pareceu uma das ideias mais redondinhas que já vi no conceito da liberdade. Não a toa, governos totalitários, como a China odeiam o Bitcoin e baniram a  mineração do país, (o que aliás considero que foi o maior tiro no pé geopolítico da história milenar chinesa).  Algo que me intrigava era como essa moeda poderia ter tanta valorização, na ordem de estonteantes 300 milhões de %.

A valorização do Bitcoin desde 2012

 

Algumas coisas importantes que aprendi até agora:

  1. Obviamente que a primeira coisa, o dado numero 0001 que você aprende é: Criptomoeda é investimento de alto risco. O câmbio flutua. Em algumas criptomoedas a volatilidade é imensa.
  2. A segunda grande coisa a saber é: Não se meta a surfar uma onda se vc desconhece os fundamentos da moeda. è preciso estudar cada moeda, pq são muitas, (hoje mais de dez mil) e cada moeda tem seu fundamento, sua logica, seu volume de capital no mercado, sua demanda. Não é tudo a mesma coisa, aliás, muito, muito longe disso.
  3. Entender o comportamento humano, sobretudo o comportamento errático de manada é interessantíssimo nesse negócio.
  4. Descobrir onde obter informação de qualidade é algo muito (MUITO) mais valioso que o dinheiro hoje. A cacofonia de informações não está aí a toa.
  5. Governos, bancos privados e bancos centrais não são confiáveis. (isso você já sabe. Se não sabe, acorda pra vida, você está na Matrix!)
  6. Nunca investir grana que vc precisa muito num prazo curto, por melhores que sejam as notícias.
  7.  A filhadaputagem come solta e só trouxa nada de peito aberto em cripto desconhecida sem se precaver nos investimentos.
  8. Nunca, jamais, em hipótese nenhuma, acredite em promessas de ganhos garantidos, em depositar suas moedas na conta de terceiros para que operem seu dinheiro pra você. Te prometeu lucro garantido, foge que é 171! Lucro garantido é I-LU-SÃO! Só a morte é garantida. 

E aí eu vou estudando, e lendo bastante sobre o assunto. Há muita besteira na internet, e isso torna bem difícil captar os dados sem embarcar num ou em outro viés.

A propósito, enquanto escrevo este post, o mercado vem em queda brusca, tornando uma ótima oportunidade de entrada para investidores.

Talvez se a galera se interessar eu posso criar uma série de posts ensinando do zero absoluto a comprar pedacinhos de bitcoin, para quem, igual eu, gostaria de se expor a essa nova moeda mas não sabia por onde entrar nesse mar revolto que cresceu 300 milhões de % em 9 anos.

A primeira coisa a fazer, é se cadastrar numa corretora. A que eu mais confio é a Binance, que é a que tem a maior liquidez no mundo e é uma das mais respeitadas. Aqui está um link de indicação que te dá um desconto vitalício de 5%. 

Se cadastrar na corretora é grátis. A grana que a corretora ganha é na intermediação, quando vc compra moeda de alguém lá dentro.

 

 

fonte

Escrito por Philipe Kling David
Designer, blogueiro, escritor e escultor. Seu passatempo preferido é procurar coisas interessantes e curiosas para colocar neste espaço aqui. Tem uma grande atração por assuntos que envolvam mistérios, desconhecido e tecnologia. Gosta de conversar sobre qualquer coisa e sempre tem um caso bizarro e engraçado para contar. Saiba mais... Profile

Força Ambiental

em Textos
  ·   2 Minutos de leitura

16 anos de Mundo Gump!

em mundo gump
  ·   1 Minutos de leitura

Feliz 2022

em mundo gump
  ·   43 segundos de leitura

8 respostas para “Hoje estou com preguiça. Amanhã também estarei. E depois…”

  1. Eu iniciei investimentos em criptomoedas recentemente e passei pelo mesmo que você, Philipe. Filtrar as informações foi complicado. O que me ajudou foi ter um amigo que é um cara bem racional e aplicado e me deu algumas orientações. Também tenho conta na Binance e até o momento só investi nas moedas mais “conservadoras”, tipo o próprio BNB e Gala [aliás, a Gala Games realizou um evento simultaneamente físico e virtual em las Vegas num centro de convenção, me parece que eles vão entrar no mercado com força].

    Enfim, eu particularmente gostaria muito que você fizesse posts sobre o tema. O que eu ainda não aprendi é como identificar moedas que acabaram de lançar [a preço de banana valendo décimos de centavo] e que tem potencial de hiper valorização. Esse é meu sonho ahahahaha.

    1. Eu entrei e comprei uma meia dúzia de satoshi, depois thezo, e depois eu comprei axs. Fui FELIZ nessa do AXS. Quando o bitcoin que eu estava monitorando deu aquela barrigada épica, eu joguei tudo pro BTC e estou esperando o salto quântico rumo aos 90000 que ainda não veio mas já fez o fundo duplo e eu tô confiante.
      Vou te passar uma lista do que eu estou de olho tudo pra hold:
      spell
      ice
      cvx
      bit
      1inch
      RBN
      Ftt
      yel
      Wag
      Umami
      sushi
      helium

      Segundo um amigo meu que adora especular, se vc gastar cerca de 60 mil para botar 5 pau em cada uma dessas é gol. Em um ano é uma chance concreta de vc ser multimilionário.

      1. Valeu pelas dicas! Preciso estudar como funciona o staking, pq é uma renda passiva e acho que pode ser interessante.

        1. Na Binance tem um sistema que é tipo uma poupança mesmo. Só que é uma poupança curiosa, pq ela tem uma taxa de retorno diferente para cada moeda. Chama-se “Binance earn”. VC se inscreve clicando num simples botão.
          vamos dizer que vc tenha por exemplo um X de Bitcoins. Na binance earn, eles te pagam 3% do seu X ao ano no rendimento desse volume de bitcoins. O volume que vc define que vai colocar para earn, é vc que define. Se quiser botar meio X ou 1/4 do seu X ou tudo… Vc que escolhe.
          A grana fica presa? Não. Vc opera normal. Se vc vender, é claro, ou trocar por outra moeda, aí esse earn para.
          Hoje o BTC ta dando 3% o BUSD dá 1,6% a BAL é a cripto que dá mais: 4,21% ao ano.
          No BNB Vault ela te dá 5,43% ao ano e paga com um plus muito interessante de outras moedas de lançamento. Hoje ela esta dando moedas do santos FC, moeda MC e moedas BNB. Essas moedas de brinde são variáveis.
          O BNB vault só funfa com a moeda da própria Binance, o BNB.

          Todo dia essa grana referente ao retorno cai na sua carteira. Todo dia. Então se vc tem uma boa grana de cripto, basicamente, é como todo dia ganhar dinheiro.
          Tudo sem taxa. Risco zero e rendimento estável. O bitcoin bombou? Vc continuará recebendo os 3% combinado ao ano, todo dia pinga uns satoshinhos.
          Achei foda esse troço e fiquei puto pq levei um ano para descobrir sozinho que isso existia. Ou seja deixei de aumentar em 3% meus satoshi.

  2. Interessante você postar isso felipe. Porque recentemente tenho começado a pesquisar muito sobre isso, para entrar nesa de NFTs. Ter uma renda extra lógico, e como você falou,é um furacão de informações para filtrar. Vi com vantagem poder de certa forma proteger, registra e financiar um trabalho digital que fazemos. Mas como dito no post e algo que eu suspeitava que ia rolar, o bando de gente que ia entrar fazendo imitações e bobagens de valor artístico valioso, apenas para lucrar na onda. Como você acho que o trabalho deve ter uma qualidade própria, não só fazer por vender. E claro, com tantos recursos digitais disponíveis e possibilidades, fazer um rabisco dos Simpsons como um dos exemplos do post é um afronte ao bom senso artístico e ao trabalho de quem rala para desenhar.
    Curto mais os trabalhos no seu estilo, ou daquele artista digitalque ganhou milhões com um leilão recentemente. As obras do Beeple. Ali sim é um trabalho longo. Maior que os criptopunks.

  3. Errata do comentário anterior: Eu quis dizer obras de valor artístico duvidoso, não valioso, no início do comentrário. kkk

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.