Experiências sensoriais na escuridão

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Categorias
Night mode

Durante certo tempo eu achei que ia ficar cego. Isso se devia ao fato de que com o meu trabalho, de fazer esculturas, bonecos, monstros, efeitos e etc já tive o desprazer de sentir plastico derretido pingar no meu olho esquerdo, espirrei formol ( nos dois olhos tentando imbecilmente empalhar um tubarão), espirrei super-bonder nas pálpebras ( consegui fechar os olhos à tempo) quando aquela porra maldita de embalagem reteu uma gotinha na ponta do bico que virou uma pedra. Apertei o tubo como pude e nada. Aí tive a idéia genial de olhar bem dentro da ponta do bico e perfurar a cola ressecada com uma agulha – o que gerou um MIJO de superbonder bem na porra do meu olho.
Ok, sou burro, eu sei.
Então, entre conjutivites e tersóis, pedaços de plastico, papel, metal, tintas e solventes caindo nos olhos, até caldo de limão, eu tinha certeza que seria questão de tempo para a merda federal ocorrer e eu virar um Jatobá sem “Doutor Quartz” para ajudar.

Daí que comecei com uma estranha prática que era de andar de olhos fechados pela casa. Todo mundo que estranhava ficava ainda mais intrigado quando eu comentava ser um treinamento para não passar aperto quando eu definitivamente ficasse cego.
De fato, entre as muitas experiências que fiz de bancar o cego, tomar banho na mais absoluta escuridão foi uma das mais legais. Primeiro porque desperdiçamos luz ao tomarmos banho com a luz acesa. Não faz nenhum sentido nem há necessidade de enxergarmos para tomar banho, tem? Claro que quando você sabe qual é seu shampoo, fica mais facil, hehe.

Este restaurante no japão oferece esta experiência num nível ainda maior.
O restaurante é em absoluta escuridão. Tão breu que se você ficar pelado lá no meio ninguém – a não ser o garçom que usa óculos de nightvision militar- saberá. A comida vem em absoluta escuridão.

Com os demais sentidos desligados, seus neurônios poderão saborear melhor a comida.
( Na prática, o efeito sobre a mente é contrário, já que os mecanismos cerebrais gastam mais energia tentando repor um sentido supostamente perdido, creio eu.)

Comments

comments

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

© MUNDO GUMP – Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução sem autorização.