É Paris, só que na China

A China é famosa por suas mega obras de arquitetura pelo mundo inteiro, sobretudo lá mesmo. Não raro, abordamos aqui cidades abandonadas por construtoras chinesas e até mesmo cidades inteiras que nem habitada chegaram a ser ainda. Mas o que muita gente nem imagina é que a China copiou nada menos que Paris, e está praticamente abandonada:

Parece Paris, mas é na China

Como você pode ver, não é só uma torre Eiffel, como várias que tem pelo mundo. Eles fizeram os prédios, jardins, praças, enfim, capricharam.

1 Bilhão de dólares jogados fora?

Pelo que pesquisei, o custo de criar essa replica de Paris foi de um bilhão de dólares, aproximadamente. Olha, eu achei isso meio maneiro e meio bizarro ao mesmo tempo.

paris na china
É muito louco que isso seja na China, meu.

Fico imaginando como um lugar legal assim poderia atrair turismo, mas pelo visto, não funcionou.

Tianducheng – a pequena Paris

Tianducheng, também chamada de Sky City, é um conjunto habitacional nos subúrbios de Hangzhou, na província de Zhejiang que imita muitas características do design de Paris.

Tianducheng é francês e chinês. 

Tianducheng conta com a réplica da Torre Eiffel, a fonte dos jardins de Luxemburgo, uma praça chamada de Champs Élysées, edifícios habitacionais semelhantes aos do centro parisiense e vários jardins, as semelhanças ficam por aqui.

paris na china

A construção de Tianducheng começou por volta de 2007. Sua característica central é uma réplica de 108m da Torre Eiffel e 31km2 de arquitetura, fontes e paisagismo em estilo parisiense.

A região foi inaugurada em 2007 e poderia acomodar mais de 10.000 residentes.

paris na china

 No entanto, a ocupação inicial foi muito baixa, com cerca de somente 2.000 pessoas morando na cidade em 2013, levando alguns a rotulá-la de cidade fantasma.

Em 2017, sua população havia crescido para 30.000 e o desenvolvimento foi ampliado Uma estação de metrô de Hangzhou na Linha 3 estava para ser inaugurada em 2021.

Hoje, o maior movimento que existe nas ruas são dos curiosos ou de noivos que aproveitam o cenário romântico de Paris para fazer sessões fotográficas.

Quem mais usa o local são os pobres agricultores das áreas circundantes que vieram à procura de algo melhor, os espaços que deveriam ser jardins ou algo mais, são agora campos de milho e arrozais.

Uma cidade dentro de outra cidade

Sua característica central é uma réplica de 108 metros de altura da Torre Eiffel, que é cerca de um terço do tamanho da original. Além disso, a cidade conta com 31 km² de arquitetura, fontes e paisagismo em estilo parisiense, incluindo uma cópia do Arco do Triunfo, uma versão reduzida dos Jardins de Luxemburgo, uma imitação da Basílica de Sacré-Cœur e até mesmo uma réplica da Esfinge do Egito.

Ela foi construída por volta de 2007, como parte de um projeto imobiliário da empresa Zhejiang Guangsha Co. Ltd

paris na china

A ideia era diminuir a pressão populacional nos centros urbanos e atrair turistas, investidores e moradores

Eu achei a foto da maquete do projeto original.

Mas por que alguém iria querer morar em uma cidade que imita outra? Segundo alguns moradores, Tianducheng oferece uma alternativa mais tranquila, limpa e bonita do que as grandes metrópoles chinesas, além de um certo status social. Outros, porém, se sentem isolados, entediados e deslocados em uma cidade que parece artificial e sem identidade própria.

Tianducheng é um exemplo de como a China tem se inspirado em outras culturas para criar seus próprios espaços urbanos.

Além de Paris, existem outras cidades que reproduzem elementos de lugares como Veneza, Londres, Nova York e até mesmo da antiga Roma. Essas cidades são vistas como formas de atrair turistas, investidores e moradores, mas também como manifestações de um certo fascínio, admiração e até mesmo, inveja pelo Ocidente.

A paris original e sua versão made in China

No entanto, essas cidades também revelam uma certa falta de originalidade, criatividade e autenticidade na arquitetura e no planejamento urbano da China. Além disso, elas podem gerar problemas de identidade, integração e sustentabilidade para os seus habitantes e para o meio ambiente.

Por isso, é importante que a China valorize e preserve a sua própria cultura, história e diversidade, ao mesmo tempo em que se abre para o mundo e para o futuro.

Tianducheng foi iniciada pela empresa imobiliária Guangsha Group, que iniciou este enorme projeto em 2001. Foi um projeto pioneiro naquela época, pois esta empresa queria construir uma cidade satélite autossustentável em torno de Hangzhou e lutou para liderar o processo de urbanização na China. Na página web desta propriedade, anuncia-se como “tomando a cultura francesa como a cultura da sua cidade” ao mesmo tempo que “definindo ‘negócios, turismo, residência e educação’ como a sua indústria pilar nesta cidade” ( http://www.guangsha.com/index.php/newsinfor/23/3682). A Torre Eiffel e o parque próximo foram concluídos antes da venda dos prédios de apartamentos. Eles apresentam uma imagem clara da cultura francesa para atrair pessoas para comprar propriedades e se estabelecerem em Tianducheng

Outra similaridade: A Torre quase rodou

Curiosamente, a construção da Torre Eiffel original e da Torre Eiffel chinesa foram calorosamente debatidas.

Inaugurada em 1889, a torre francesa foi muito criticada pela elite cultural da época, mas tornou-se um enorme sucesso popular. Prevista para ser desmontada após 20 anos, a torre de 324 m de altura tornou-se um bem valioso para a cidade e não só foi mantida até os dias atuais, mas também copiada diversas vezes em outros locais do mundo.

Construída em 2007, a Torre Eiffel chinesa de 108 metros de altura passou por polêmica semelhante. Em 20 de novembro de 2010, o Grupo Guangsha começou a desmontar a torre sem aviso prévio, o que causou reação entre os residentes.

Muitos moradores ligaram para a mídia para relatar o que estava acontecendo e penduraram faixas de protesto na torre. Após negociação, a empresa decidiu encerrar a desmontagem e devolver a torre ao seu estado original.

Mais que somente uma copia tosca

No caso de Tianducheng, tal como acontece com o original francês, os residentes locais constroem o seu sentido de lugar a partir da icónica torre, da sua magnífica vista durante o dia e do espectáculo de luzes exibido à noite, bem como de diversas actividades de lazer à volta da torre.

Durante o dia, é relativamente tranquilo. Quando a cortina noturna cai, fica animado e pode ser até difícil encontrar vagas para estacionar.

Muitas pessoas vêm aqui para dançar quadrilha com os amigos, visitar restaurantes e curtir o show de luzes da torre.

O que é mais importante não é a questão de saber se a arquitectura foi ou não copiada, mas como cada local contribui para a vida dos residentes locais e para o seu sentido de lugar.

 

Franceses vão até a pequena paris para conhecer a cidade

Achei esse video interessante. Nele, um grupo de youtubers franceses vai de Paris para Tianducheng conhecer o lugar.

Dá pra ver nesse video que gradualmente a cidade está se degradando. Os chineses meteram um monte de aparelhos de ar condicionado ferrando totalmente a estética dos prédios, e penduraram roupas nas janelas.

Uma boa parte do lugar está bem esculachada. E você pode se deparar com pobres tomando banho na Rua.

O elemento principal, que é a Torre foi abandonado e a praça em volta dela que devia ser a prioridade é um canteiro de obras abandonado. Mas apesar de tudo isso, parece que as pessoas que moram lá gostam bastante.
Não sei se essa cidadezinha chinesa causa o misterioso efeito da síndrome de Paris. 

Ao explorar essa curiosidade única, os visitantes mergulham em uma jornada que une dois mundos distintos, celebrando o melhor da arquitetura parisiense em solo chinês. Visitar essa réplica não é apenas uma experiência turística; é uma imersão encantadora na magia de Paris, sem sair da China.

É ridículo, é legal e é um pouco triste. Tudo ao mesmo tempo. Um misto estranho de sensações.

Receba o melhor do nosso conteúdo

Cadastre-se, é GRÁTIS!

Não fazemos spam! Leia nossa política de privacidade

Philipe Kling David
Philipe Kling Davidhttps://www.philipekling.com
Artista, escritor, formado em Psicologia e interessado em assuntos estranhos e curiosos.

Artigos similares

Comentários

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Advertisment

Últimos artigos