DNA extraterrestre? Exames de uma amostra de cabelo de um suposto alienígena revelou algo intrigante

No âmbito da Ufologia, é comum ouvirmos uma expressão que se refere ao fenômeno. Algo mais ou menos assim:

“Certas pessoas só irão acreditar que aliens existem quando tiverem uma prova de um DNA extraterrestre.”

O nosso caso gump de hoje coloca fogo nessa gasolina com uma situação intrigante que nos permite debruçar sobre a viabilidade dessas “máximas” de que incontestável mesmo, só o DNA.
Há realmente poucos casos envolvendo extraterrestres e amostras físicas estudáveis, que dirá a obtenção de um amostra de DNA. Conseguir este tipo de coisa é uma tarefa esplêndida, e que realmente poderia nos levar a traçar questionamentos muito mais profundos sobre a existência, quiçá origem desses seres. Uma vez que haja um DNA a ser estudado, o foco do estudo, ou seja, o ALIEN, passa da dimensão mítica hipotética e fantástica, para uma dimensão mensurável, física, biológica e empírica.

Essa história começa com o australiano Peter Khoury. Por 30 anos ele manteve o que considerou ser a primeira amostra do mundo de material biológico de um ser extraterrestre em sua posse. Em particular, estamos falando de uma mecha de cabelo loiro que Khouri coletou após um bizarro contato estranho com uma mulher humanóide.

Peter Khoury era originalmente do Líbano, mas imigrou para a Austrália em 1973. No início dos anos 1980, ele conheceu uma garota chamada Vivian, que em 1990 se tornou sua esposa e juntos tiveram dois filhos.

Em fevereiro de 1988, quando Peter e Vivian estavam namorando, eles testemunharam um OVNI uma noite que circulou acima deles no céu noturno. Nada mais estranho aconteceria com eles naquela noite, mas alguns meses depois, em julho daquele ano, Peter acordaria à noite em sua cama com a sensação de que algo havia agarrado suas pernas.

Antes que pudesse abrir os olhos, ele percebeu que não conseguia falar e não conseguia se mexer, estava paralisado. No entanto, ele permaneceu consciente e viu que em seu quarto, ao lado da cama, havia três ou quatro criaturas humanóides baixas em mantos com capuz.

Esses seres enviaram contatos telepáticos para seu cérebro e o aconselharam a se acalmar e não ter medo, porque “tudo será como da última vez”.

Peter não entendeu de que “última vez” ele estava falando, mas enquanto pensava no que estava acontecendo, um dos alienígenas pegou uma agulha longa e fina e a enfiou na cabeça de Peter, após o que ele perdeu a consciência.

A frase nos leva a concluir que como em uma significativa parcela de casos ufológicos, ele era um abduzido sistemático.

A primeira evidência física

Quando acordou, ainda era noite e ele estava em seu próprio quarto. Ele correu para os quartos de seu irmão e pai e descobriu que eles estavam dormindo pacificamente. De manhã, Vivian notou uma marca de punção na cabeça de Peter e havia um pouco de sangue seco nela.

Naquela época, Peter não sabia nada sobre OVNIs, sobre o fato de alienígenas abduzirem pessoas e, em geral, nada sobre ufologia, mas todas as suas tentativas de se convencer de que era apenas um pesadelo foram malsucedidas, ele se lembrava de tudo muito vívido e bem.

Alguns meses depois, Peter acidentalmente viu um anúncio da obra “Comunhão” de Whitley Strieber, no qual Strieber falava sobre sua própria abdução alienígena. Quando Peter leu este livro, ele finalmente percebeu que não estava sozinho.

E em julho de 1992, Peter Khoury teve um contato ainda mais estranho e assustador com o fenômeno. Era de manhã cedo e ele estava na cama. Ele havia sofrido uma pequena lesão no trabalho no dia anterior quando trabalhava na sua própria empresa de fabricação de cimento e agora estava esperando a ferida cicatrizar enquanto tomava analgésicos.

Não havia ninguém na casa além dele, Vivian já havia saído para o trabalho. E de repente Peter viu que ali, diante dele, estavam duas mulheres completamente nuas e as duas estavam lascivamente sentadas em sua cama com os olhos penetrantes travados nele.

Parece um roteiro de Emanuelle no espaço, do Band Privê, mas segundo o homem, foi exatamente assim, duas aliens peladas apareceram pra ele na cama; e as duas estavam com “intenções”, se é que me entende.

Farra Fawcett alienígena

Peter imediatamente percebeu que aquelas duas moças não eram humanos, embora sua forma fosse muito parecida com a das pessoas, não eram os baixinhos cabeçudos de sempre, (felizmente, né?). Uma era o que parecia um tipo de asiática com cabelos pretos na altura dos ombros e olhos escuros, a outra era tipicamente a loura gostosa arquetípica com visual escandinavo na aparência, grandes olhos azuis claros e longos cabelos loiros que chegavam ao meio das costas.

Peter prestou atenção especial ao cabelo dela, pois foi estilizado em um penteado incomum:

“Eu nunca vi esse cabelo antes. Eles eram como o penteado da Farra Fawcett (atriz americana), mas muito mais magníficos. Parecia um pouco incomum”, disse Khoury.

 

Farrah Fawcett marcou toda uma geração e seu cabelo apelidado de “penteado pantera” foi muito famoso.

Foi principalmente por causa dos rostos das mulheres que Peter percebeu que elas não eram humanas. Seus rostos eram peculiares – não exatamente sem atrativos, mas excessivamente esculpidos, com maçãs do rosto extremamente altas e olhos duas ou três vezes maiores que o normal em humanos.

Peter prestou atenção especial à loira. Parecia-lhe que o rosto dela era muito comprido para um ser humano, de qualquer forma, nunca tinha visto pessoas com rostos tão alongados antes na vida.

Khouri disse que percebeu que numa relação hierárquica, a loura era a principal das duas, e Khouri também achava que eles estavam se comunicando telepaticamente. Externamente, os rostos das mulheres não expressavam nenhuma emoção, eram “vazios”, como se fossem dois manequins de carne.

Embora Khoury estivesse atordoado com a aparição repentina das mulheres, ele só teve alguns momentos para se perguntar como elas poderiam ter entrado em seu quarto quando a loira estendeu as duas mãos e agarrou a parte de trás de sua cabeça, trazendo seu rosto perto de seu peito. Ele se opôs. Então ela o puxou ainda mais forte.
Era um estupro.

A mulher alienígena estava tendo uma reação puramente mecânica, como se tivesse visto algum tipo de filme erótico de como os seres humanos copulam e sem entender bem o que se passava, e estivesse tentando reproduzir, na base da violência.

“Ela era muito forte. Ela me puxou para ela e minha boca estava praticamente em seu peito. Desesperado, eu a mordi lá.”

Amputou a teta da Et!

Peter Khoury disse que não sabia por que ele mordeu a mulher, mas apesar de sentir um pequeno pedaço de seu seio saindo de seus dentes, ela não gritou de dor. Mas a “expressão” de seu rosto era como “ué… algo não está certo”. De certa forma, ela estava claramente confusa.

“A loira olhou para a asiática e depois olhou para mim como se não fosse do jeito que deveria ser. Foi como me dizer: ‘Ei, otário, você fez errado.’

Um momento depois, Khouri tossiu enquanto involuntariamente engolia um pedaço de carne que havia sido mordido. E então as duas mulheres desapareceram, e Khouri de alguma forma sentiu uma forte vontade de urinar.

Nessa parte eu acredito que ele possa estar com um efeito de missing time. Certamente os caras desligaram Peter, fizeram o que queriam fazer e o que ele se lembra é de quando elas estavam sumindo, mas isso é o que eu acho. Pq eu acho isso? Por causa do que ocorre a seguir. Vamos continuar com o caso:

Uma vez no banheiro e urinando, o homem de repente sentiu que havia algo estranho em seus órgãos genitais e, quando o examinou, encontrou longos cabelos loiros presos ao redor dele. Ele os tirou com grande dificuldade, porque parecia que seu cabelo estava deliberadamente puxado muito apertado. E então Peter os colocou em uma pequena bolsa.

Tudo isso parece claramente algo muito duvidoso e cheira a fantasias eróticas, (tirando arrancar a teta do Et na dentada e engolir) mas Peter Khoury garante que tudo foi exatamente assim e que ele próprio também ficou chocado com as coisas estranhas que lhe aconteceram.

Ele também sabia que isso seria bem bizarro para sua esposa, então contou a ela só duas semanas depois. E ele ficou muito surpreso quando ela… Acreditou.

Além disso, Peter Khoury tentou entrar em contato com ufólogos locais e contar a eles sobre sua estranha experiência, mas tudo terminou com o fato de que em abril de 1993 ele fundou seu próprio grupo ufológico, a UFO Survivor Support Association (UFOESA).

E em 1999, o International UFO Reporter publicou um artigo sobre o que aconteceu com Peter Khoury e sobre a amostra de cabelo que ele tinha e foi submetida a vários estudos.

Um DNA de alta qualidade

O cabelo loiro era incrivelmente fino para cabelo humano e quase incolor. Concluiu-se que o cabelo nunca havia sido tratado quimicamente, caso contrário pouco ou nenhum DNA mitocondrial teria sido obtido. No entanto, foi relatado que usando o método PCR (reação em cadeia da polimerase) foi possível restaurar o DNA de alta qualidade.

Além disso, amostras de cabelo de Peter Khoury e sua esposa Vivian foram obtidas para comparação. O DNA do cabelo de Peter foi efetivamente extraído, mas o DNA do cabelo de Vivian não pôde ser recuperado, provavelmente devido ao processamento químico.

Especialistas do Anomaly Physical Evidence Group chegaram a um resultado impressionante depois de estudar cuidadosamente amostras de cabelo. Afirmaram que esse cabelo loiro fino, que parecia pertencer a uma mulher branca de pele clara.

Em vez disso, apesar de ainda serem reconhecidos como humanos, os cabelos tinham cinco marcadores de DNA diferentes, indicando um subgrupo raro do tipo racial mongolóide chinês.

Uma revisão completa da literatura sobre a variação do DNA mitocondrial, que incluiu dezenas de milhares de amostras, descobriu que apenas quatro pessoas no mundo tinham todos os cinco marcadores incomuns em seus cabelos. Além disso, TODOS ELES tinham cabelos pretos.

O DNA mitocondrial é transmitido exclusivamente de mãe para filho e, portanto, fornece um método de rastreamento da linhagem materna. Os dados do Alien curl mostraram que a loira misteriosa e todos os quatro participantes chineses compartilharam um ancestral feminino comum. No entanto, nenhuma explicação direta de como isso poderia acontecer foi dada pelos pesquisadores.

O teste de DNA nuclear, se pudesse ser extraído de cabelos loiros, seria mais difícil e caro do que os testes anteriores, mas poderia revelar que a genealogia do pai da loira era ainda mais estranha que a da mãe.

Infelizmente, o grupo não tinha fundos para estudos de DNA mais complexos, mas mesmo o resultado obtido foi impressionante. Sem o padrão de cabelo loiro, a história de Peter Khoury era apenas mais uma em uma série quase interminável de contos de sequestro angustiantes, mas inverificáveis. No entanto, esse fio de cabelo misterioso mudou tudo.

Detalhes do caso e dos resultados do DNA foram aprofundados neste livro

Era inegavelmente um cabelo real, e uma extensa análise forense mostrou que seu DNA era anômalo. Ninguém com cabelo loiro e esse tipo de DNA parece ter existido na cidade de Sydney, ou no continente australiano, ou provavelmente em qualquer outro lugar do mundo.

Quem, então, era a entidade cujo cabelo loiro estava inexplicavelmente enrolado no pênis de Peter Khoury?

Este estudo e a publicação do artigo ocorreram graças ao principal ufólogo da Austrália naqueles anos, Bill Chalker . Aqui está como ele mesmo reagiu às descobertas da equipe de pesquisa:

“Estamos lidando com ‘pessoas’ de algum outro lugar, ou pessoas com DNA humano, embora muito raros e um tanto anômalos?

Este caso levanta todos os tipos de questões, como a “panspermia” humana – a teoria de que criaturas semelhantes a humanos podem ter migrado para a Terra em um passado relativamente recente de outros lugares da galáxia, possivelmente levando ao súbito surgimento do moderno Homo sapiens, um espécie que não é descendente direta de seus predecessores imediatos, os neandertais.

Além disso, dadas as ligações com os mongolóides asiáticos, consideramos o problema dos tipos asiáticos raros semelhantes europeus no passado. A esse respeito, a história das controversas múmias Taklamakan (Tarim) encontradas no remoto oeste da China é algo a se considerar.

Entre essas múmias, há pessoas bastante altas, com cerca de 180 cm ou mais, e algumas delas são louras. Não estou sugerindo nenhuma conexão aqui, mas você entende que esta investigação abriu muitas possibilidades interessantes sobre a natureza biológica de algumas das criaturas envolvidas nos casos de abdução.”

Múmias Louras da idade do bronze descobertas no deserto da China. Saiba mais

Infelizmente, o misterioso caso do homem que foi estuprado por duas alienígenas e só ficou com um fio de cabelo misterioso para provar sua história super esquisita termina assim, tão sem pé nem cabeça quanto começa. Mas efetivamente, o que podemos pensar sobre esse DNA anômalo?

Pessoalmente eu acredito que espécies alienígenas estão com um longo e complexo programa de hibridização alienígena-humano, e mais ainda, estão retirando pessoas daqui e estão “semeando com gente” outros planetas similares ao nosso, fazendo quase que a mesma coisa que nós fazemos quando criamos “jardins botânicos”.
Entre as perguntas que decorrem da análise deste caso, uma em particular é interessante: Se as criaturas queriam esperma, por que não imobilizar a cobaia e extrair com uma simples seringa?
A metodologia usada aqui parece rudimentar e esquisita para uma espécie mais desenvolvida.
Se a memória não estiver me traindo, eu me recordo vagamente que uma abduzida recorrente que havia sido previamente hipnotizada pelo Doutor David Jacobs, e publicado em seu livro “A ameaça”.
David teve a sagacidade de perceber que no processo de abdução as criaturas conseguiam de alguma forma, bloquear uma área de memória do cérebro, gerando um tipo de “confusão onírica” que funcionava como uma memória-tampão. Esse processo nem sempre era eficaz para todos os abduzidos, e alguns permaneciam com memórias confusas, e misturadas sobre os acontecimentos, e ao terem a regressão hipnótica, as memórias registradas eram parcialmente recuperadas, mas ainda com dificuldade. David sabia disso e tentou inovar. Com algumas pacientes que eram abduzidas recorrentemente, ele usou um método ativo e não passivo de registro de memória, como a regressão. Ele pré-hipnotizou toda essa galera e deixou geral hipnotizado, de modo que quando ocorresse a abdução eles “gravariam” como se fossem câmeras de video o processo de abdução. Ao fazer isso, ele conseguiu uma proeza: deu um “S” no Et.
Os aliens sem saber que suas cobaias estavam sendo obtidas com um sugestão hipnótica prévia “rodando no background”, fizeram seu trabalho e depois misturaram suas memórias como faziam recorrentemente , mas aqui vem o X da jogada: Ao registrarem a própria abdução como se fossem câmeras, seguindo sua sugestão hipnótica prévia, todo esse material mnêmico parece ter sido guardado em algum outro tipo de instância de memória, que os aliens não conseguiram acessar mais para apagar. A explicação para isso é facilmente compreendida ao estudar os processos biológicos com o qual nossa memória é armazenada. temos basicamente uma memória de curto prazo e uma memória de longo prazo. O alien conseguia ferrar a memória de curto prazo, mas ao ser hipnotizada a pessoa armazenava as lembranças no campo das memórias de longo prazo.
Sabe quando uma pessoa tem um quadro de doença de Alzheimer? Ela perde as lembranças recentes, mas ainda lembra de coisas antigas? É porque a doença vai destruir inicialmente as lembranças de curto-prazo, enquanto as de longo prazo, são bem mais complexas de afetar.
Isso deu a David Jacobs um acesso nunca antes obtido por qualquer investigador ou hipnoterapeuta até hoje. E numa dessas abduções recuperadas como se fosse um filme num video cassete (era esse o comando que David dava às pacientes) uma das abduzidas em telepatia perguntou ao alien diversas coisas sobre o processo, e o alien inesperadamente -certamente confiando que tudo seria apagado – disse a ela que eles estavam testando como a hibridização com relações sexuais produzia híbridos diferentes de cruzamentos genéticos in vitro.

Seria essa a explicação para a metodologia sexual que ocorre em diferentes casos, relatados em livros como o Intruders, do Budd Hopikins, e em casos famosos como o Caso Villas Boas ou estupros pouco conhecidos, como o caso Huggins? São muitos casos que envolvem conjunção carnal física entre gente e não-gente.  Entre eles os casos de Howard Manger, Shane Kurz, Jocelino de Mattos, caso Mirassol, enfim, o volume de casos é enorme. Uma pesquisa da MUFON elencou cerca de 215 casos envolvendo este tipo de abordagem, sendo a atividade sexual direta (carnal) somando 5% desses casos. Há inclusive relatos estranhos envolvendo indução sexual entre pessoas abduzidas, ou seja, dois abduzidos que não se conhecem sendo forçados a copular.

Isso seria feito para que os alienígenas pudessem monitorar algum tipo de atividade cerebral no processo? Não se sabe.

Caso Villas Boas: O caso mais famoso de tentativa forçada de induzir uma cópula entre espécies

Claro que o livro de Jacobs bem como suas conclusões e toda essa conexão hipotética são puras especulações, mas eu pessoalmente considero extremamente fascinantes. O que temos desse caso curioso é uma amostra de um DNA, que tem suas origens em povos orientais, de onde inclusive, provém a história curiosa dos discos do povo Dropa.
Seja como for, o DNA está aí pra jogo e tudo permanece tão inconclusivo quanto sempre foi.

Outro elemento presente neste caso que considero estranho: O cara amputa o mamilo da Et e tipo fica por isso mesmo? Ela não esboça reação de dor, mas sim de confusão. Isso poderia nos levar a um questionamento se de fato esse cara estava diante de seres autônomos, ou se realmente era exatamente como ele disse que pareciam: Manequins de carne controlados remotamente, como robôs biológicos construídos com material genético humano.

Poderiam elas ser algum tipo de robô genético como as estranhas criaturas do Caso Leme, ouça aqui o caso no podcast Hangar 18 

Casos com manequins e “clones” biológicos também aparecem em outros relatos ufológicos e eu falei disso aqui. 

Manequins fake para induzir relações sexuais? A gente tb faz isso com os animais.

Seja como for, o caso é muito interessante. Isso ninguém pode negar!

Bom, eu vou ficando por aqui. Agradeço se vc teve saco e chegou até aqui. Se vc gostou, compartilhe.
Até o próximo post.

fonte fonte

Receba o melhor do nosso conteúdo

Cadastre-se, é GRÁTIS!

Não fazemos spam! Leia nossa política de privacidade

Philipe Kling David
Philipe Kling Davidhttps://www.philipekling.com
Artista, escritor, formado em Psicologia e interessado em assuntos estranhos e curiosos.

Artigos similares

Comentários

  1. Muito interessante mesmo, Philipe, mas fica uma questão em aberto, a saber: não foi feito o exame de DNA Nuclear por ser mais caro, de maneira que não foi possível investigar a ascendência paternal da dona do cabelo. Mas o caso tendo ficado famoso, tendo sido publicado até livro, esse exame não foi feito a posteriori não? Ou será que o exame de DNA materno usou todo o material?

  2. Muito bom o post. Gosto muito do assunto, participo de um grupo de ufologia e realmente o pessoal tem muitas histórias, a maioria só vivia a vida cotidiana e foi foi pego de surpresa por fenômenos UFOs. Tem uma pesquisadora a Dr. Gilda Moura que faz bons estudos aqui no Brasil.

  3. é pracaba, aparecem duas aliens gostosas nuas querendo sexo na casa do cara e ele se nega a fazer sexo, poxa vida, eu não nasci com uma sorte dessas, 2 ALIENS cara pqp

  4. Philip a historia fica ainda mais estranha porque ha pouco tempo descobriu-se que essa historia tem ligação TAMBEM com o caso mais famoso da abduzida BETTY HILL…. exames de DNA conseguiram ligação TAMBÉM com DNA raro encontrado no caso da Australia…. mais ou menos isso…. pesquise ….. DA PRA DAR CONTINUIDADE A ESSE POST … sim A COISA FICA AINDA MAIS LOUCA!!!!!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Advertismentspot_img

Últimos artigos