A treta do ET está de volta! Famosa ufóloga dos EUA ganha dinheiro me atacando em live

O Celso, um amigo meu que tb é um artista, costuma dizer que “artista só se fode nessa vida”. Meu amigo enxerga o universo artístico mais como uma sina do que propriamente o que o senso comum ignorantemente credita a um dom ou vantagem divina.
De um certo ponto de vista, de vez em quando sou forçado a concordar com meu querido Celso, porque vc rala, se empenha, dá o sangue e muitas vezes o que tem de retorno são críticas, esculachos e – tragicamente – golpes e espertos se aproveitando de você. Entre empresas que não te pagam pelo seu trabalho, e pessoas que surgem pedindo trabalho grátis em troca de “vou te promover”, há poucas situações realmente vantajosas para um artista que não esteja no velho “esquemão” tipo os espertos que tomam dinheiro de trouxas com palavras bonitas e coisas sem sentido e trabalhos que beiram o estelionato deliberado, que cabem numa “arte contemporânea da vida”.

Tem trabalho que vc faz que é legal enquanto faz, mas tempos depois, aquilo vira uma encheção de saco sem fim. Tudo bem que eu sou meio doente e até me divirto com a estupidez alheia, e tal. Um desses trampos que eu fiz e que nunca consegui me libertar é o RELATO DE UM MIB. 

A história do Relato de um MIB

Criado há mais de dez anos atrás, no longínquo ano de 2008, quando este blog tinha apenas dois aninhos de idade, o Relato surgiu quando eu criei umas ilustrações de um Et morto e queria levar para mostrar para o meu amigo Thiago. Ele trabalhava comigo no Instituto Nacional de Tecnologia naquele tempo, onde eu era um pesquisador convidado pelo CNPq na Divisão de Desenho Industrial.  Eis que não achei o cabo de dados do meu celular e como estava atrasado, tirei foto da tela. Para minha surpresa, o resultado foi bem realista, mais que a imagem pura que eu havia feito. O meu amigo gostou das fotos e daí surgiu a ideia de criar uma pequena historinha com elas.

Intitulado o Relato de um MIB, a história contava, na forma de “cartas”, as desventuras de um homem contratado para trabalhar num restrito grupo secreto do Brasil especializado em resgatar, e tentar obter – a qualquer custo – qualquer tipo de objeto ou mesmo entidades biológicas de procedência alienígena. O trabalho de um verdadeiro MIB brasileiro se resumia a ameaçar pessoas, comprar silêncios, apagar certas pessoas mais incômodas, e perseguir naves usando todo tipo de ajuda, principalmente dos EUA. Ocorre que numa manobra inesperada, o FHC resolve autorizar a entrada dos investigadores do mesmo tipo, vamos dizer, os verdadeiros MIBS, aqui no nosso território.  O plano era acabar com o grupo local, que oficialmente nem sequer existia, sendo bancado com um esquema fraudulento de fundações, consultorias, e funcionários fantasmas espelhados por diversos órgãos governamentais e que enfrentavam diariamente problemas de financiamento, muitas vezes, tendo os MIBs  brasileiros, que pagar as despesas operacionais do bolso, como combustível de viaturas, e armamento próprio em operações. Como tudo aqui, até o MIB era meio   sucateado. Eis que os gringos começam a operar e os MIBs brasileiros vão lentamente morrendo em situações questionáveis. Temendo um tipo de “queima de arquivo” (interna ou externa) , os agentes brasileiros se reúnem e resolvem criar um “gatilho do homem morto”. Basicamente esse é um mecanismo de all win, porque em caso de você se ferrar, você consegue destruir o oponente. O gatilho é usado, por exemplo, em sistema de misseis nucleares. Caso os EUA lancem um ataque à Rússia, mesmo que eles mandem o Kremlin para o saco, automaticamente a Rússia lança TODO o seu arsenal para evaporar o Tio Sam. Isso é o “gatilho do homem morto”.

Então esses Mibs tupiniquins simplesmente sequestram uma entidade biológica alienígena, vamos chamar de EBE, e escondem esse alien vivo numa chácara. Aqui que entra o meu blog na história. Caso mais algum deles morra, o alien será apresentado no Fantástico e todo o segredo MUNDIAL dessa joça vai pro saco. Para a ameaça funcionar era preciso mostrar as armas, e eles usaram meu blog para mostrar o vídeo do alien e provar que estavam falando sério:

Por que meu blog? Porque ele era discreto, pequeno, eu fazia 3d e já falava de Ets. Ele despertaria pouca atenção e sempre poderiam alegar que o alien era uma criação minha.
Bom, a história segue por ai. O alien foi batizado de Juca e logo novas descobertas levariam ao fato de que o Juca não era um Et. Ele era um tipo de macaco sintético, controlado por uma serie de implantes usando uma banda de dados misteriosa, que parecia se originar a 7 km de profundidade na costa brasileira, justamente a área que está causando a “Anomalia do Atlântico Sul”. Entre explicar a morte do PC Farias, as relações do Brasil com o tal “pré-sal” e até o Caso Feira de Santana, a história se estendeu até meados de 2014! Mas a história é composta de apenas 10 partes, entre vídeo, textos, ilustrações 3d e de pintura digital,  e interação em redes sociais. Isso porque a história não se restringiu ao meu blog. Eu criei personagens NPcs na história, que atacaram meu blog, criaram sites para me difamar, tinham amigos no Orkut, e esses amigos tinham outros amigos e eu criei as relações eles, e esses personagens interagiram com os leitores, atacaram meu blog tirando o site todo do ar por duas semanas, enfim. Foi uma maluquice. Logo, conspirações paralelas surgiriam com pessoas investigando a fundo certas alegações, como a de ganhar um apartamento dos MIbs e terem dado uma “boquinha” para minha esposa ganhar um dinheirinho dos milicos na Escola Superior de Guerra…

Titia acha que é real!

Eis que agora, 14 anos depois de criar toda essa história – QUE EU SEMPRE DISSE QUE ERA FICÇÃO – aparece um novo personagem:

A famosa Ufóloga Linda Moulton Howe.

A Wikipedia nos conta que:

Linda Moulton Howe é uma jornalista investigativa americana e documentarista premiada com o Regional Emmy, mais conhecida por seu trabalho como ufóloga e defensora de várias teorias da conspiração, incluindo a investigação de mutilações de gado e a conclusão de que são realizadas por extraterrestres.

A última coisa que eu imaginava aqui no meu quartinho cheio de bonecos e monstros em Niterói era que uma jornalista magnata da ufologia, autora de um monte de livros na área e um nome sólido na pesquisa investigativa dos EUA que é até ganhadora de um Emmy, resolvesse acreditar que as artes que eu criei no Relato de um Mib eram de verdade. Até porquê eu fiz meio nas coxas um monte de coisas que eram só para efeito de ilustração da minha historinha.

Linda surgiu com a notícia bombástica em suas lives falando que uma “fonte” que ela tem na base militar de Wright Patterson teria mandado essas imagens da necropsia de um “alien laranja” – sim, ao que podemos ver, parece que o cinza esta ficando fora de moda, hahahaha.
O expediente é o de sempre. O manjado “recebi de uma fonte militar anônima” blá, blá,blá….

Este acima é o momento em que ela cita as minhas artes. Mas não para por aí. O negócio fez sucesso (deu $$$) e outra live surgiria.

É importante que se diga:

  1. Linda Moulton Howe NUNCA me mandou uma única linha perguntando qualquer coisa que seja. Provavelmente ela não achou necessário em sua “investigação”;
  2. Eu entrei no link da live expliquei que são artes ficcionais, mas ou minha mensagem se perdeu entre milhares ou alguém da produção apagou. Quero crer que por achar que eu era algum troll.

Nesse momento varias pessoas começaram a dizer que o alien era 3d e ela se mostra confusa com isso. EM vez de assumir que errou, ela simplesmente alega que o mais óbvio é que EU ESTAVA SENDO PAGO PELA CIA. (isso aí. pela CIA) para falsificar a foto real do alien morto e dizer que ela é 3d.
Depois ela usou um método de verificação altamente científico para corroborar a alegação. Chamou um paranormal para atestar a alegação. Esse cara:

Esse paranormal usou seu poder de “visão remota” e apontou que o alien do meu desenho é real e que foi abatido numa queda de ufo derrubado por lasers montados numa floresta na Amazônia na divisa do Brasil e Peru, e esse alien inclusive era um dos “soldados” de uma nave que era composta de tripulação mista de aliens nórdicos e grays alaranjados. Esse alien estaria realmente num subterrâneo de uma base militar e todo esse lance da CIA aí. E isso bastou para que a famosa pesquisadora reconhecida mundialmente batesse o martelo. O problema é que essas imagens podem ser rastreadas ate o meu blog como sendo onde elas efetivamente apareceram, em 2008  ( que mistério, hein? pq será, né?) e é aí que surge a hipótese de que nessa altura eu estava soltando esses materiais reais no meio da minha historia, pq afinal, eu sou pago pela CIA e dane-se!

Segundo Steve Cambian me disse, Linda teria dito que agora ela “possui os direito sobre essas imagens cedidas a ela” pela fonte militar anônima.

Linda estava tão convicta dessa verdade confirmada pelo paranormal e sua “fonte secreta” em Wright Patterson, que foi num programa de radio me difamar alegando que eu estava mentindo sobre ter feito as artes, e claro, a cereja do bolo é a alegação de que: “nenhum artista do Brasil pode ter um guindaste como o daquela foto”.

Ela se refere a esta “foto”:

Os caras da Área 51 Brasileira analisam a nave do JUCA

Bom, pra começo de conversa, não é um guindaste. É uma “ponte rolante”, hehehehe.
Note que isso seria bem improvável numa base militar dos EUA ou Pentágono, e o DNA brazuca esta ali bem do lado na nossa agua mineral MINALBA, propositalmente posicionada porquê como diz o Chapolim,  “todos os meus movimentos são friamente calculados”!

Como eu consegui fazer isso? Basicamente é só ir em uma instalação industrial qualquer – Nesse caso um centro de pesquisas em Petróleo e Gás e fotografar. Depois modelar um ufo, renderizar com scanline no 3dsmax8 e tirar uma foto da tela. Fim. Não é magia nem tampouco espiritismo.

Aqui estão algumas das imagens da área 51 que causaram grande alvoroço. (ela curiosamente parece ter cropado a foto tirando a garrafinha de Minalba)

eu não botei nem occlusion pass pq acho que nem tinham inventado isso naquela época, hehehe.

 

Esta foto aqui em específico vem causando celeuma. Na época eu queria mostrar algum detalhe e pesquisei na internet “fotos de cadáver”. Naquele tempo a internet não estava ainda “higienizada” pelas politicas agressivas do Google, e essas coisas com gente morta, cadáveres putrefatos e gente destroçada, apareciam fácil.  Essa foto era a mão de uma mulher morta, que eu simplesmente baixei do Google, estiquei os dedos dela no Photoshop. Eu sei, é tosco, mas titia ta acreditando até hoje!

E a cabeça do alien? Que provas eu teria de que isso não veio de Wright Patterson?

Aqui está.

Felizmente algumas pessoas de lá de fora, como o Steve Cambian  viram que isso não era uma coisa muito legal e que eu estava sendo massacrado por interesses questionáveis e desinformação deliberada, e fizeram videos me dando a oportunidade de explicar tudo.

 

Mas não importa. Ela foi confrontada pelas pessoas com essas imagens e segue dizendo que sou da CIA. Então basicamente é isso. Milhares de pessoas acreditando que eu sou um agente internacional de desinformação, lives com ganhos financeiros de milhares de dólares e eu chupando dedo e sendo chamado de fraudador, mentiroso, profanador de foto de defunto e sabe-se lá mais o que.

Então é isso. A gente ganha pouco, mas se diverte. Se pelo menos a CIA me mandasse logo minha parte no butim…

Receba o melhor do nosso conteúdo

Cadastre-se, é GRÁTIS!

Não fazemos spam! Leia nossa política de privacidade

Philipe Kling David
Philipe Kling Davidhttps://www.philipekling.com
Artista, escritor, formado em Psicologia e interessado em assuntos estranhos e curiosos.

Artigos similares

Comentários

  1. Philipe, a verdade veio a tona. Fontes militares reptilianas anônimas me disseram que na verdade vc nem é de Niterói, mas sim vive num bunker de luxo ultra-secreto bancado pela CIA, na borda da Terra Plana, onde o sinal de 5G não pode afetar suas ondas cerebrais.

  2. Uma pena a legenda do podcast estar completamente zoada.
    Provavelmente o cara usou algum sistema de tradução automática.
    Mas foi uma ótima entrevista!

  3. pqp que bizarro!!! To feliz e puto ao mesmo tempo…. Feliz que vc está desmascarando a Linda Moulton… Ela é nivel tipo iorgio Tsoukalos puto pela amadorisse dela kkkk

  4. PQP! kkkkkk! Tem coisa que só um palavrao define.
    Tua chance de ficar famoso mundialmente, mas se fosse vc redobrava a segurança. kkk
    Processe, uso ilegal de imagem, difamaçao e invasao de privacidade por remote view. lol
    De todas as coisas que aconteceu com vc, qnd vc acha que nada mais pode acontecer, isso acontece! lol

  5. Relato de um Mib é fantástico! Vão se passar décadas e ele sempre será revivido, como aquele relato do Brasil entregando a copa, que circulava por email e depois pelas redes sociais.
    Amazon Prime investindo em tanto lixo tupiniquin, perdendo a chance de transformar relato de um mib numa série pro mundo todo.

  6. Eu que acompanho o blog desde o começo, até tive que ir lá na matéria e comentar, que de fato não é difícil rastrear (pra quem manja um pouco) e chegar na conclusão que essa história é fictícia, sem contar que, assim como disse no meu comentário lá, isso descredibiliza e é um desserviço para todo o trabalho ufológico que já é feito

  7. Affe Maria tem um pessoal da |ufologia que passa uma vergonha escancarada. O problema do pessoal é que eles querem provas “irrefutáveis” nem que pra isso passem vergonha.

  8. Nossa que historia incrível, ja tinha visto ela em alguns comentários mas nunca imaginava que o trabalho dela seria desta forma, desinformação total, kkkkkk, abraço amigo, aqui do RS, acompanho seu trabalho, muito bom!

  9. Mas que poxa vida, eu acompanhei o a jornada de Relatos de um MIB ao vivaço. Acompanho seu blog desde os primordios. Inclusive acho que foi atravez do Orkut que acabei conhecendo. Adoro seus contos.
    E o “O experimento Carlson” continua quanto? Abraços

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Advertisment

Últimos artigos