Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp

William Andrew Loomis (1892-1959) foi um dos grandes ilustradores da “era de ouro da ilustração”.

Andrew Loomis

Loomis é bastante conhecido por seu trabalho comercial, que teve destaque na publicidade e em revistas da época; no entanto, Loomis também é famoso como autor de uma série de livros de arte instrucional impressos ao longo da época mencionada. Muito depois de sua morte, o estilo realista de Loomis ainda é uma forte influência para artistas populares e talentos emergentes.

As ilustrações de Andrew Loomis nos levam a uma época altamente idealizada que, longe de ser a época perfeita que muitos nos querem fazer crer, ainda é, apesar de suas muitas falhas, considerada uma uma espécie de “idade de ouro”. Alguém poderia argumentar que o que Loomis representou após a Segunda Guerra Mundial em suas ilustrações foi a despreocupada América dos “vencedores” (as décadas de 1940 e 1950) sendo na realidade, um país prestes a entrar em uma montanha-russa contra-cultural que estava prestes a acontecer nas duas décadas seguintes.

É inegável que esta era uma cultura em que a moral e certos valores humanos básicos (embora de uma perspectiva muito cristã ) eram refletidos artisticamente, e no trabalho de Loomis não seria diferente.

Esse modo de vida se refletia diretamente na maneira como as pessoas se comportavam, se vestiam e professavam crenças.  Pelo menos é o que podemos testemunhar em obras de arte como as que aqui apresentamos. Apesar de tudo isso ser um pouco uma “ilusão”, imagens como essas podem nos provocar uma sensação de nostalgia por um lugar tão idealizado no tempo, isso é compreensível, mas também podem se tornar uma espécie de armadilha psicológica devido ao seu fascínio intrínseco (pelo menos para aqueles de nós que os apreciam).

 

 

Curta biografia

William Andrew Loomis nasceu em 15 de junho de 1892, em Syracuse , Nova York. Loomis cresceu em Zanesville , Ohio, e passou grande parte de sua vida profissional em Chicago, Illinois. Ele estudou na Art Students League de Nova York com George Bridgman e Frank DuMond quando tinha 19 anos. Loomis então voltou para Chicago para trabalhar em um estúdio de arte e estudar no Art Institute of Chicago .

Após o serviço militar na Primeira Guerra Mundial, Loomis trabalhou para algumas agências de publicidade antes de abrir seu próprio estúdio no centro de Chicago em 1922. Daquela época até o final dos anos 1930, Loomis produziu pinturas publicitárias para muitas grandes empresas como Coca Cola , Studebaker , Palmolive , Quaker Oats , Munsingwear e Kellogg’s . Uma dessas pinturas era o retrato de uma química de Marte, Frances Herdlinger . Herdlinger foi uma das três mulheres químicas que trabalhavam regularmente com Forrest Mars Sênior no desenvolvimento da nova barra de chocolate.

“Loomis possuía uma habilidade aguda de trazer o foco para o produto enquanto mantinha a aparência de belas-artes. Ele capturou momentos de valores americanos idealizados em figuras e cenários pintados suavemente que foram sugeridos nos anúncios dos produtos que ele estava promovendo… ” Sobre Andrew Loomis no site de História da Ilustração | Museu Norman Rockwell

A Titan Books relançou os títulos de Andrew Loomis em edições fac-símile entre 2011 e 2013. Antes disso, os livros estavam esgotados há décadas, disponíveis apenas como trechos pela Walter Foster Publishing . Alguns dos livros Loomis estão para sair em japonês via Maar Sha Co. Ltd . As primeiras impressões tornaram-se altamente colecionáveis ​​e procuradas por entusiastas e profissionais da arte. Por que será? As imagens abaixo explicam por si.

 

 

 

Loomis era racista?

Certa vez vi uma discussão num forum sobre se Loomis era racista ou não. Sei lá, possivelmente era.

Se formos ver o contexto, o Loomis era um homem branco nos Estados Unidos da América em meados de 1900, então dificilmente ele não seria afetado pelo mindset de seu tempo. Há quem suspeite disso pelo fato de que há muito pouca arte de Andrew Loomis mostrando negros. Em grande parte acredito que a razão disso é que Loomis era um ilustrador profissional, e trabalhava fazendo o que o cliente mandava, não o que ele queria. As agências não colocavam negros em propagandas nem em capas de livros ou qualquer coisa do tipo, porque o mundo era essa merda aí mesmo que a gente conhece, só que bem pior se você fosse preto.

Um dos poucos meninos negros desenhados por Loomis

Eu acredito que de uma certa forma o trabalho de arte de Andrew Loomis tenha influenciado diretamente o imaginário do cidadão republicano médio, com uma exaltação de valores e ideais que parece ter permeado essa idealização de uma sociedade branca-religiosa forjada no heroísmo e orgulhosa do seu “american way of life” tradicionais e “de bem”.

Realmente pesquisando pelas ares do Loomis não achei praticamente nenhum afrodescendente adulto sem ser este aqui, ilustrado em seu livro “o prazer de desenhar”:

 

A arte de Andrew Loomis (pega o babador)

Comments

comments

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

Uma ideia sobre “A arte de Andrew Loomis (pega o babador)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Alerta: Conteúdo protegido !!