10 situações tão macabras que fizeram as pessoas dormir com as luzes acesas

Todo mundo que eu conheço tem alguma história esquisita/assustadora/macabra para contar. Eu mesmo tenho as minhas, como esta aqui. E adoro ler ou ouvir as histórias mais estranhas que ocorrem com praticamente todo mundo. Acredito que a coisa mais chata que tem é uma pessoa ao qual nada de estranho já aconteceu. Certamente existem pessoas assim, que nunca passaram por nada incomum, nunca ouviram barulhos estranhos, nem tiveram sensações incomuns ou mesmo se depararam com algo insólito em suas vidas, mas convenhamos que as pessoas que já vivenciaram certas experiências são muito mais interessantes, independentemente se suas alegações podem ser produto de confusão, má interpretação, sonhos, erro nos processos cognitivos ou simples situações que parecem incomuns, mas são plenamente compreendidas pela ciência, como a paralisa do sono, por exemplo.

Muitas vezes, apenas a sensação de que “Há algo errado aqui” pode provocar calafrios e gerar um desconforto ancestral na mente humana, uma sensação de que talvez você possa estar sendo observado, como uma presa prestes a enfrentar seu algoz.
Neste post trago 10 pequenas situações publicadas no Reddit que colocaram pessoas morrendo de medo. Confira:

1-O cão no escuro

Do usuário do Reddit xo_Derpasaur_ox :

No tempo do ensino médio, eu geralmente ficava acordado a noite inteira jogando. Eu tinha um cachorro grande na época que dormia no meu quarto.

Eram 2 da manhã e eu finalmente estava indo para a cama, mas meu cachorro não estava comigo, então fui procurá-lo. Atravessei a casa até a cozinha/sala de jantar. Estou parado no único batente da porta que leva a esse lado da casa. Tínhamos uma ilha na cozinha com um banquinho onde o lixo eletrônico geralmente era guardado. Então me aproximo, chamo meu cachorro e o vejo caminhar passando de trás da ilha para trás da mesa da sala de jantar. Ele inclusive derrubou todas as correspondências ao fazê-lo.

Eu bufo e acendo a luz – não tem o cachorro. Eu surto, corro de volta pela casa e acabo encontrando ele… no quarto dos meus pais.

Conto a história no dia seguinte para meus pais e minha irmã mais nova (que muitas vezes diziam ver coisas em nossa casa) diz: “Ah, essa é a coisa alta e preta. Sim, às vezes ela gosta de rastejar de quatro pela casa”.

 

2-Está vindo de dentro da casa

Do usuário do Reddit rhinestone_eyes- :

Quando eu era mais jovem, morava nessa casa super velha e detonada no meio da floresta. Havia uma pequena clareira com um quintal de tamanho médio, e o resto era de mata fechada.

Uma noite eu estava andando até nosso portão para entrar e vi uma figura muito alta olhando pela janela do meu quarto. Minha luz estava acesa, o que era estranho, já que eu não tinha estado lá ou acendido, então pude ver a figura com o rosto e as mãos pressionadas contra a minha janela. Fosse o que fosse aquilo, deve ter me ouvido, porque ele olhou na minha direção antes de sair para os fundos do quintal e, presumivelmente, para a floresta, já que não havia mais para onde ir e a área do quintal não era cercada.

Nunca mais dormi naquele quarto.

3-O sótão do pesadelo

Do usuário do Reddit  enbymaybeWIGA :

Esta não a minha história, mas de um amiga da faculdade.

Uma casa em que sua família morou por um tempo quando ela era criança tinha um sótão que percorria toda a casa, e o acesso era por uma porta na parte de trás do armário de seu irmão na extremidade. Seus pais os proíbem de brincar lá em cima porque estava cheio de caixas de inquilinos anteriores (o proprietário disse: “Eu não me importo se você mexer nelas, mas eu não sei o que está lá, então faça isso por sua conta e risco .”) e porque se alguém se machucar se algo cair na pessoa e coisa e tal. Para tornar as coisas mais estranhas, bem no fundo do sótão (tão logo acima de seu quarto) havia um pequeno quarto trancado.

Bem, minha amiga começou a ser acordada à noite pelo som de alguém se movendo, que sempre se resumia a rangidos rápidos e silenciosos, quase bem acima dela. Ela achou que fosse seu irmão. Como ele teria que atravessar o quarto dos pais também, ela imaginou que ele seria pego eventualmente, e apenas fez o possível para ignorar o som ou pensar no que um adolescente poderia estar fazendo para causar isso.

Um dia durante o verão, era fim de semana e ela estava dormindo. Quando ela acordou, ela olhou para fora e viu seus pais trabalhando na grande horta que eles plantaram. Ela foi tomar café da manhã, então voltou para seu quarto para brincar com seu gameboy. Pela primeira vez depois de meses sendo acordada, ela ouviu os barulhos durante o dia. Curiosa para pegá-lo em flagrante, ela se esgueirou até o quarto do irmão.

A porta do armário estava aberta. O acesso ao sótão estava aberto. Ela silenciosamente subiu as escadas íngremes e estreitas para que pudesse apenas espiar, e viu primeiro que um caminho havia sido aberto, e então que o colchão que seu pai tinha colocado na frente do quartinho havia sido empurrado para o lado.

O mais surpreendente, porém, foi que a porta trancada nos fundos estava entreaberta.

Seu irmão colocou a cabeça para fora, viu-a imediatamente e sorriu, chamando-a. “Você tem que vir ver isso!” E então voltou para dentro do quarto escuro.

Ela disse que a única outra vez em que sentiu um medo tão instantâneo, foi na primeira vez que ouviu um puma gritar à noite na floresta. Ela instantaneamente berrou “NÃO” e voou até o andar de baixo e para o quintal para dedurar seu irmão – apenas para dar de cara com ele lá em baixo, carregando coisas e ajudando seus pais. Como ele esteve toda a manhã e tarde, aparentemente.

Chocada e com medo de não ser acreditada, mesmo que eles perguntassem por que ela parecia com tanto medo, ela simplesmente respondeu: “Acho que há alguém no sótão”. Ao ser pressionada, ela disse que ouviu passos e viu que a porta estava aberta quando foi olhar.

Seu pai xingou e foi buscar sua arma no caminhão e os instruiu a esperar 15 minutos. Se ele não voltasse, todos deveriam entrar no caminhão e dirigir até a casa do vizinho a alguns quilômetros de distância e chamar a polícia (não havia celulares naquela época).

Ele entrou, e depois de uma espera muito ansiosa, ele voltou chateado, exigindo que as crianças confessassem quem dos dois estava brincando lá em cima.

Ambos negaram, e a família fez uma incursão ao sótão, com minha amiga relutantemente na retaguarda. Alguém havia realmente empurrado todas as caixas e o colchão para fora do caminho. A porta estava realmente destrancada e… aberta.

Tudo o que havia dentro – sem luz, sem janela – era uma velha cadeira de balanço, e tudo coberto por décadas de poeira, sem nenhum sinal de que alguém além deles estivesse no quarto. Sem rastros, nem pegadas, apenas cocô de rato e uma cadeira velha. O irmão apontou para isso como prova de que ele não poderia ter ido lá, porque como ele não deixaria pegadas? Na ausência de outras explicações, o pai deles não acreditou.

Irmão ficou de castigo pelas próximas duas semanas por quebrar as regras e se esgueirar, e minha amiga se recusou a voltar para o sótão o resto do tempo em que moraram lá, dormindo no sofá da sala do andar de baixo quando ela podia. – porque o som de passos e o balanço ainda a acordavam regularmente.

Ela contou essa história em algumas reuniões como uma resposta a solicitações semelhantes de “ qual a coisa mais assustadora que aconteceu com você?”, mas os detalhes deixados de fora incluíram algumas notas estranhas:

Bem na idade adulta, anos e anos depois que eles se mudaram, ela ainda tem pesadelos recorrentes sobre aquele sótão. É sempre o mesmo sonho, mas segue um de dois caminhos. No sonho, é como se ela estivesse em um trilho, e não importa o quanto ela tente parar, retroceder, etc., ela simplesmente desliza suavemente. Subindo as escadas, descendo o corredor, entrando no quarto do irmão, subindo os degraus do sótão, incapaz de fechar os olhos ou virar as costas. A maneira como geralmente acontece é que ela está congelada no ponto onde ela pode ver o sótão, e a porta do quartinho está aberta. O rosto sorridente de seu irmão emerge, mas ela sabe em seu coração que aquilo ali não é ele. O não-irmão sorri e acena, e o sótão fica cada vez mais curto, ela incapaz de se virar ou fugir, até que ela esteja ao alcance do braço; e assim que ele se lança para ela, ela acorda encharcada de suor frio e chorando. Em outra versão, é o mesmo até o sótão – mas quando o rosto de seu irmão aparece, ela sabe que é ele. Nesta versão, porém, ele está coberto de poeira espessa; seu cabelo, sua pele, etc., exceto que as lágrimas marcaram seu rosto. Ele a chama, mas não faz barulho. Ela não consegue entender o que ele está tentando dizer, exceto por duas palavras: “Ajude-me”. Então, algo o puxa de volta para dentro, e ela fica congelada, sabendo em seu íntimo que algo terrível está acontecendo com ele, mas ela não pode salvá-lo. Isso continua até que ela acorda devastada pela culpa e pelo medo.

Conheci o irmão dela em um churrasco e perguntei sobre a casa e o quartinho. Aparentemente, ele nunca ouviu o lado dela da história (eu não lhe contei detalhes). Ele jurou que nunca foi lá por medo de aranhas e estava chateado por ter ficado  de castigo, já que era inocente, porque significava perder algumas coisas de verão que ele e seus amigos haviam planejado. Ele sempre assumiu que era uma brincadeira de sua irmã onde ela entrou em pânico e mentiu quando seu pai reagiu todo sério e pegou sua arma. Perguntei-lhe se ele se lembrava de alguma coisa estranha sobre a casa, e ele disse que a única coisa que achava estranha era que acordava sabendo que tinha sonhado, mas não se lembrava dos sonhos. Disse que era apenas estranho porque ele normalmente não tem a sensação de sonhar, antes ou depois daquela casa, mas enquanto eles estavam lá a sensação acontecia o tempo todo.

Nunca tive a impressão de que ela estava mentindo. Sempre me assustei ao ouvir a história, porque assumindo que todos os detalhes estão corretos, há muitas grandes questões. O que ela estava ouvindo à noite? Por que a porta do sótão estava aberta? Quem moveu todas as caixas? Como o quartinho foi destrancado quando nenhum deles tinha a chave? Se alguém havia entrado – ou saído – como não havia marcas na poeira?

E o mais importante – se aquele não era o irmão dela, o que ela viu lá em cima?

4- Os pés misteriosos

Do usuário  SatanWithFur :

Não estava sozinho em casa, mas [eu era o] único no lado direito da casa. Fui ao banheiro da minha mãe lavar as mãos e vi um par de pés atrás da porta entreaberta. Ri e disse: “muito engraçado, mãe, estou vendo você”, então terminei e saí.

Esbarrei em minha mãe na cozinha desempacotando. Ninguém mais estava na casa. Estou feliz que o que estava lá atrás da porta, não apareceu.

5- Os visitantes indesejados

Do usuário tullyinturtleterror :

A primeira casa para a qual me mudei depois do ensino médio enquanto ia para a faculdade, era uma casa muito antiga e muito pequena em uma cidade que remontava à Guerra Civil. Eu morava lá com três outros caras numa república, já que os aluguéis eram altos, mas juntos conseguimos pagar. A casa foi construída em uma colina e tinha uma pequena entrada na frente com uma entrada em forma de U nos fundos. Tinha um porão cheio de tralhas e era de propriedade de uma pessoa com muitos imóveis de  aluguel na área. Eles nos disseram que tínhamos acesso total ao andar de cima, mas que eles usavam o andar de baixo para armazenamento e nunca desciam porque estava entulhado com coisas deles.

Nós nunca questionamos isso, porque o aluguel para este local específico em relação a média local, era baixo; ainda estávamos tecnicamente no campus, mas nossa casa estava cercada por outros estudantes universitários, então podíamos fazer festas sempre que quiséssemos.

Tudo estava ótimo até que começamos a receber… visitantes indesejados.

No início, as coisas eram muito fáceis de ignorar ou descartar completamente: um colega de quarto sozinho entrou certa vez em um quarto e estranhou que as luzes estavam acesas embora ele estivesse sozinho em casa e não tinha acionado nenhum interruptor.  Outra pessoa ouviu claramente uma torneira abrir e fechar em uma sala sem ninguém. Tentamos fazer o que pudemos na época e descobrimos que a pressão da água pode fazer com que as torneiras façam algumas coisas malucas por conta própria e que picos de energia podem fazer coisas semelhantes com luzes piscando. Infelizmente, as coisas ficaram cada vez mais estranhas.

A certa altura, um colega de quarto, que estava sozinho em casa, saiu do chuveiro, olhou no espelho para começar a se barbear e notou que bem atrás dele, um vulto de outra pessoa saiu do chuveiro e passou para o quarto. Ele vasculhou a casa, mas não conseguiu encontrar mais ninguém em casa naquele momento.

Mais tarde, um colega da república teve vários itens desaparecidos de seu quarto, incluindo suas chaves e um canivete. Mais tarde, ele os encontrou em nosso micro-ondas. Mais uma vez, ninguém mais estava em casa no momento.

Eu, pessoalmente: cheguei em casa em um dia em que ninguém mais estaria lá pelas próximas duas horas entre as aulas. Havia uma cadeira dobrável na varanda da frente ao lado da porta, e eu tinha uma braçada de livros. Coloquei os livros na cadeira, destranquei e empurrei a porta da frente, virei e peguei meus livros, e quando fui entrar em casa, a porta bateu na minha cara. Achei que o vento tinha apanhado a porta e fui abri-la, mas descobri que a porta havia literalmente se trancado novamente, tanto a maçaneta quanto a trava!

Por último, três de nós estávamos sentados juntos em um sofá assistindo TV quando ouvimos um baque alto e pesado, como se algo tivesse sido arrastado de uma cama em um quarto dos fundos. Nós três confirmamos mais tarde que podíamos ouvir distintamente os dois passos andando pela casa, bem como o som de algo pesado sendo arrastado. Por último, a porta dos fundos se abriu e se fechou, embora estivéssemos todos na sala de estar, e não deveria haver mais ninguém na casa.

Uma semana depois, começamos a sentir cheiro de gás na casa. Chamamos as autoridades no meio da noite e eles revistaram a casa enquanto todos nós esperávamos aflitos no gramado da frente. Finalmente, eles nos disseram que não conseguiram encontrar um vazamento de gás e nos pediram para abrir o porão. Nunca havíamos estado lá a pedido dos nossos proprietários, mas como era o corpo de bombeiros que estava exigindo, abrimos a porta da garagem. Bem na nossa frente estava uma motocicleta Honda Shadow com uma grande poça de gasolina embaixo dela, onde o tanque de gasolina aparentemente vazou para o resto da casa.

Os bombeiros viram isso e decidiram ir embora, enquanto nos restava olhar o resto do porão. A maior parte do que encontramos foram prateleiras e mais prateleiras de vegetais enlatados, mas bem no meio do andar, sob os quartos de todos, havia uma mesa mortuária e um segundo dispositivo. Ainda não tenho certeza de qual era o segundo dispositivo; era cilíndrico, com uma pequena escotilha na porta da frente. Parecia ter alguns lugares na parte de trás para mangueiras ou canos se conectarem a ele, embora nada estivesse conectado quando o encontramos. Era do tamanho certo para duas garrafas de refrigerante [de dois litros] caberem dentro.

Logo depois, descobrimos que nosso proprietário trabalhava à noite em um hospital local. Fosse o que fosse, decidimos que bastava, e todos decidimos nos mudar assim que nosso contrato de aluguel terminasse.

Eu fui o último lá, e asseguro que os últimos sete dias que passei lá sozinho foram os dias mais longos que passei em qualquer lugar desde então.

Eu sou um cínico autoproclamado que não acredita no sobrenatural, mas também posso admitir quando não tenho absolutamente nenhuma explicação para um conjunto de eventos. Tenho certeza de que alguns cientistas do Reddit serão capazes de explicar tudo o que aconteceu comigo agora que muitos anos se passaram, mas não preciso mais de  explicações. Eu apenas aceito que ficar sozinho em casas antigas não é uma boa ideia e faço o meu melhor para evitá-las completamente.

6- Não era apenas o vento

De Almirante-Ferret :

Eu estava no meu apartamento da faculdade e minha colega de quarto tinha acabado de se mudar. O quarto dela ficava bem em frente ao meu, com a sala de estar entre nós. Limpei o quarto dela e fechei a porta. Deixei a porta do meu quarto aberta quando fui tomar banho uma noite. Meu banheiro era conectado ao meu quarto. Eu também deixei a porta do banheiro aberta. Enquanto eu estava no chuveiro, pensei ter ouvido uma mulher falando. Eu nunca tinha ouvido meus vizinhos conversando antes, mas imaginei que eles estavam conversando no banheiro deles, que [talvez] compartilhava uma parede ou algo assim com o meu.

Quando saí do chuveiro, fiquei surpreso ao ver apenas um vazio preto [onde] deveria estar a porta fechada branca brilhante do meu antigo colega de quarto refletindo o luar. Achei que tinha esquecido de fechar a porta e fui e fechei.

Na noite seguinte, mais uma vez fui tomar um banho e deixei meu quarto e a porta do banheiro aberta. Mas desta vez, verifiquei se a outra porta estava trancada e a porta da frente estava trancada com duas voltas na chave. Quando voltei, mais uma vez dei de cara com o vazio com a porta aberta. Eu bati minha porta fechada e tranquei essa merda o mais rápido que pude.

Eu me convenci de que havia uma explicação lógica, então, na noite seguinte, mais uma vez verifiquei todas as portas e fechei a porta do meu quarto. Desta vez, eu saí do chuveiro e a porta do meu quarto estava aberta, junto com a outra porta. Tomei banho e dormi com a porta do meu quarto trancada a partir daquele momento.

Eu acho que isso aconteceu durante várias noites quando estava sozinho em casa, e eu posso nem ter estado sozinho. Ainda é a coisa mais assustadora que já aconteceu, no entanto.

7- O corredor da estrada

De  DoriValcerin :

Eu cresci em uma área muito rural – nossa casa ficava no final de uma estrada sem saída no meio da região rural do Meio-Oeste. No ensino médio eu fazia cross country e atletismo e achava mais fácil correr tarde da noite em noites em que não havia treino. Uma noite, bastante iluminada pela lua, eu estava correndo os últimos 400 metros até minha casa e vi outra pessoa correndo em minha direção na estrada, vindo na direção da minha casa.

Eu moro em uma estrada sem saída. Não há nada além de campos agrícolas por trás dela, e definitivamente não era minha mãe correndo. Isso me surpreendeu tanto que parei por um segundo para considerar o que estava vendo.

Eu me lembro exatamente do que o corredor estava vestindo, e eu a observei correr mais cinco ou seis passos em minha direção antes que ela desaparecesse ou se misturasse à noite como se fosse o Predador ou algo assim.

Agora [eu] poderia estar [sofrendo de] exaustão ou desidratação, eu acho, mas eu corri muito mais longe e por muito mais tempo do que naquela noite sem ver ninguém se materializar e evaporar. Também nunca mais corri naquela estrada.

Foi a coisa mais assustadora que já aconteceu comigo. Eu corri para casa chorando lágrimas de pânico, e não tenho vergonha de falar sobre isso. Não consegui correr à noite novamente por um mês.

8- O homem do chapéu

De  Yuk1yuk11 :

Isso aconteceu quando eu era criança.

Eu costumava dormir com a porta fechada e não tenho ideia de que horas eram, mas ouvi minha porta se abrir. Quando abri os olhos, só consegui distinguir a figura de um homem alto e estranho com um chapéu e um casaco. Ele apenas se sentou na minha cama e olhou para a mim. Isso continuou por alguns minutos antes de ele se levantar e sair.

Não tenho muitas lembranças da minha infância, mas essa posso reviver muito bem.

9-O coletor de amostras de solo

De Homelander44 :

Levantei-me no meio da noite para fazer xixi e aconteceu de olhar pela janela para o meu quintal para ver uma figura amarela brilhante que parecia estar coletando… amostras de solo do meu quintal. Eu praticamente “me caguei” e esbarrei na pia. A figura parou o que estava fazendo e olhou para mim. Corri de volta para o meu quarto e acordei minha esposa, mas quando voltamos, ele havia sumido.

O engraçado é que eu contei essa história para outras pessoas, e a esposa de um amigo meu começou a chorar e disse que tinha visto a mesma coisa quando era criança, mas ninguém acreditou nela.

[Para] pessoas pedindo mais detalhes, parecia ter cerca de 2 metros e dez de altura, pois quando se levantou, era bem mais alto que minha cerca. Eu não pude ver nenhum detalhe porque estava brilhando muito forte e minha adrenalina estava bombeando como um louco. Eu moro em um subúrbio muito populoso de Sydney… Também era entre 2 e 3 da manhã.

Também lembro que vi aquilo através de uma tela mosquiteira e janela aberta do banheiro do andar de cima…

10-A esposa que nunca esteve lá

De ButCaaaaarrll :

Uma noite eu não estava me sentindo muito bem, e o andar de cima tinha um banheiro maior (no andar de baixo havia um lavabo antigo, e eu queria deixar isso para [minha esposa] se ela precisasse usá-lo à noite), então eu Achei que eu poderia muito bem dormir no quarto de hóspedes. Minha esposa não teve um problema com isso, pois ela tinha que trabalhar cedo no dia seguinte e eu estava constantemente saindo da cama com intoxicação alimentar (piriri).

Em algum momento da noite, acordei com a porta se abrindo lentamente e uma voz feminina perguntando se eu estava me sentindo bem. Presumi que era minha esposa e respondi: “Sim, querida, estou bem, vejo você pela manhã”. Mas a porta nunca fechou, e nenhum passo desceu as escadas […] Eu os teria ouvido nesta casa de 1800 com seus pisos e escadas de madeira originais. Estávamos sozinhos em casa naquela noite.

Perguntei à minha esposa sobre isso na manhã seguinte, e ela disse que nunca veio falar comigo, muito menos acordou durante a noite. Eu estava de costas para a porta quando aconteceu, e o silêncio inesperado após a pergunta me fez virar para verificar. A porta estava escancarada. Nenhuma luz estava acesa, e não ouvi nenhum passo.

 

Espero que tenha curtido essa pequena seleção de dez histórias estranhas. E você? Já passou por algo que não consegue explicar? Conte pra nós nos comentários sua experiência.

Receba o melhor do nosso conteúdo

Cadastre-se, é GRÁTIS!

Não fazemos spam! Leia nossa política de privacidade

Philipe Kling David
Philipe Kling Davidhttps://www.philipekling.com
Artista, escritor, formado em Psicologia e interessado em assuntos estranhos e curiosos.

Artigos similares

Comentários

  1. Gosto muito do seu blog, mas tem uns posts traduzidos com o google translate, sem revisão do texto, que dá até dó.

  2. Quando eu tinha uns 3 ou 4 anos de idade meus pais me deixaram uma tarde com a minha avó materna.
    A sala da casa tinha uma janela que ficava atrás do sofá e dava pra ver a garagem.
    Minha vó conta que em certo momento eu fiquei em pé no sofá virado pra janela e disse que tinha homem na garagem com camisa laranja e calça branca.
    Como ela não viu nada, fomos andar pelo quintal pra confirmar que realmente não tinha ninguém.
    Quando meus pais foram me buscar, ela comentou o que eu havia visto e eles entraram em choque pois haviam me deixado lá para ir reconhecer o corpo do meu avô paterno que havia falecido em um acidente de carro e usava uma camisa polo laranja com calça jeans branca.
    Não é assustador pois tudo indica que foi meu avô me visitando, já que eu era seu único neto nascido. Eu mesmo não me lembro dos acontecimentos pq era muito novo, mas sempre que me lembro fico todo arrepiado.

  3. Morava em uma casa com minhas duas irmãs e a filha de 03 anos de um delas. A casa tinha dois andares e uma das saídas se dava por um corredor onde ficava uma “casinha” que protegia o motor da bomba d’água que usávamos para abastecer as torneiras, chuveiros etc. Minha irmã mais velha adoeceu e no dia que a levamos pra o hospital para ela não mais voltar ela esbarrou o joelho naquela casinha. Coisa de uma semana depois do enterro passamos pelo mesmo lugar e minha sobrinha de 03 anos, que nao tinha visto nada, vira e diz: foi aqui que a Titia se machucou.

  4. Por volta dos meus 5-7 anos, meus pais costumavam sair de noite para jantar com os amigos e me deixavam em casa sozinho (anos 80 raiz). Lembro que em uma dessas saídas eu dormi no sofá da sala e eles se foram, em algum momento da madrugada eu acordei, percebi que estava sozinho e fui assistir televisão, lembro que a TV só pegava Globo e estava passando um filme de pirata antigo que logo acabou e encerrou a programação do dia, iniciando aquelas faixas coloridas na vertical com aquele barulhinho agudo.

    Perdi o sono e resolvi descer o prédio pelas escadas, morava no 3o andar e fui até a portaria ficar com o porteiro noturno.

    Quando os meus pais chegaram e me viram na portaria foi uma surpresa geral, pois eles se perguntaram como eu tinha chegado até a portaria tendo em vista que naquela madrugada a cidade de Cabo Frio estava com um apagão de energia (na época, blackout), e como eu disse, eu assisti televisão e depois desci pelas escadas (na minha lembrança, estavam plenamente iluminadas, até porque eu era meio cagão e dificilmente teria descido com tudo escuro).

    Acho que nesse dia o sobrenatural veio cuidar de mim…

  5. Cara, tem uma situação que aconteceu comigo há muitos anos, e até hoje não encontro uma explicação lógica. Quando eu tinha uns 12 ou 13 anos estava com mais uns 3 ou 4 amigos, à noite, sentados na calçada do prédio e contando histórias de terror. Estávamos eu e mais 2 ou 3 sentados na guia com as pernas pra rua, e 1 ou 2 sentados na rua de frente pra nós. De repente, e eu não tenho uma explicação para isso, eu “vi” nitidamente um homem passar na calçada atrás de mim, vindo da esquerda, parar, olhar para nós, arrumar a jaqueta, olhar para a frente novamente e continuar a andar, mas ao olhar para a direita ele havia sumido!
    3 coisas não tem explicação: Primeiro, eu estava de costas e isso tudo que ele fez foi atrás de mim e de meus amigos, então como eu pude ver isso? Eu não sei se foi com a visão periférica, talvez não estivesse exatamente atrás, mas sem tentar encontrar alguma coisa lógica para escrever, a impressão exata que tive naquele momento é que eu estava enxergando a partir da minha nuca, ou algo assim. Segundo, quando me assustei e levantei, os 2 que estavam sentados ao meu lado fizeram o mesmo, e descreveram EXATAMENTE a mesma coisa. Viram o mesmo cara passar, parar, mexer na roupa e sumir. Terceiro, os 2 que estavam de frente para nós e que teriam visão clara para o que passasse atrás de nós não viram absolutamente nada. Só quem estava de costas viu, com riqueza de detalhes, mas pelo que parece, não com olhos físicos, mas com algum tipo de visão de 360º.
    Já fazem mais de 20 anos, não tenho mais contato com nenhum dos que estavam comigo naquela noite, mas quando o assunto é “coisas estranhas que já nos aconteceram” esse fato sempre vem em minha lembrança.

    • Excelente relato! Tem um caso de EQM que ocorreu com um cara que se não me engano era engenheiro ou físico, e o que ele conta é interessante, pq assim que ele sai do corpo, a primeira coisa que ele faz é tentar entender como é que ele poderia estar vendo em 360 graus.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Advertisment

Últimos artigos