10 mortes estranhamente gumps

Essa galera morreu de jeitos muito loucos

Dizem por aí que tão certo quanto os impostos, só a morte. De fato, seja rico seja pobre, a gente segue numa linda passarela em direção ao fatídico dia que deixaremos esse mundo para sempre.

Às vezes a morte é sorrateira e não conseguimos antecipar. A morte não nos deixa espaço para nos prepararmos ou encontrarmos um encerramento. As mortes acidentais, especialmente, podem acontecer de formas totalmente inesperadas e por razões bastante triviais e comuns. Às vezes, as mortes acontecem tão repentinamente que, se tivermos a infelicidade de testemunhar as mesmas, são tão impressionantes que temos dificuldade em reunir a nossa inteligência o suficiente para fazer alguma coisa. Aqui está uma pequena lista de algumas mortes incomuns que são bizarras e inacreditáveis demais para não contar isso numa mesa de bar.

1- O rei cego que foi pra guerra morrer

João da Boêmia, depois de ficar cego por 10 anos, lutou na Batalha de Crécy. Ele queria participar da batalha apesar de ser cego, então pediu a dois de seus cavaleiros que amarrassem seu cavalo ao deles para serem direcionados ao inimigo. Todos os três morreram.

João, o Cego, foi Conde de Luxemburgo até 1309. Ele então ascendeu ao cargo de Rei da Boêmia a partir de 1310 e apenas um ano depois, Rei da Polônia. Ele perdeu a visão quando tinha trinta e nove ou quarenta anos devido a uma inflamação nos olhos que começou em 1336, enquanto ele fazia uma cruzada na Lituânia. Ele foi tratado por um médico famoso chamado Guy de Chauliac, mas o tratamento não teve sucesso. Com a chegada da Guerra dos Cem Anos em 1337, aliou-se ao rei Filipe VI da França. Dez anos depois, em 1346, durante a Batalha de Crécy, ele controlou a guarda avançada de Filipe e as tropas de Carlos II de Alençon e de Luís I, Conde de Flandres.

Segundo o historiador medieval Jean Froissart, mesmo sendo cego, João estava decidido que queria lutar na batalha e por isso ordenou aos seus cavaleiros que o levassem adiante para que ele pudesse atacar com sua própria espada. Talvez ele esperasse que  a Providência Divina lhe salvasse da morte, não sei. Só sei que eles amarraram todas as rédeas e avançaram. Diz-se que ele até conseguiu desferir alguns golpes como desejava, embora não seja surpreendente que tenha sido morto. No dia seguinte, ele e seus homens foram encontrados mortos com os cavalos ainda amarrados uns aos outros.

 

2- A melhor demonstração de uma tese jurídica na História

Clement Vallandigham, advogado e político, morreu após atirar acidentalmente em si mesmo enquanto demonstrava justamente “como a vítima poderia ter se matado enquanto sacava a arma”.

Em 1871, Vallandigham representava Thomas McGehan, acusado de assassinar um homem durante uma briga de bar em Hamilton, Ohio. No seu quarto de hotel no Lebanon House, agora Golden Lamb Inn, ele mostrava aos seus colegas advogados de defesa como demonstraria o que realmente aconteceu enquanto defendia o seu caso no tribunal. Ele escolheu uma pistola que pensava estar descarregada, colocou-a no bolso e começou a encenar os acontecimentos que poderiam ter acontecido durante a briga. Durante a reconstituição, ele prendeu a arma em suas roupas, momento em que a arma carregada disparou uma bala em sua barriga. Ao provar seu ponto de vista, McGehan, seu cliente, foi absolvido e libertado, apenas para ser morto a tiros quatro anos depois. Vallandigham recebeu um ferimento fatal e os cirurgiões não conseguiram remover a bala de seu corpo. Ele morreu no dia seguinte devido ao ferimento a bala. Ele estava mesmo certo. Morreu cheio de certeza.

 

3- A primeira pessoa da História que ganhou uma corrida depois de morto

Frank Hayes, era um um jóquei, que inesperadamente, teve um ataque cardíaco e morreu bem no meio da corrida de cavalos.
Seu cavalo, completamente alheio ao fato de que levava um defunto no lombo, venceu a corrida com o corpo ainda na sela, tornando-o o primeiro e único jóquei a vencer uma corrida após a morte.
Detalhe, foi a primeira vez que ele ganhou.
Embora às vezes corresse, Hayes era na verdade treinador de cavalos de profissão e nunca venceu nenhuma corrida em sua vida. O nome do cavalo que ele montava naquele dia, ironicamente, era “Sweet Kiss” e pertencia à Srta. AM Frayling. Aos trinta e cinco anos, Hayes aparentemente morreu de ataque cardíaco enquanto ainda estava na sela, no meio da corrida, em 4 de junho de 1923. Sweet Kiss venceu a corrida por uma cabeça. Ninguém sabia que ele havia morrido até que a Srta. Frayling e os oficiais da corrida vieram parabenizá-lo. Diz-se que Hayes teve que reduzir seu peso de 142 libras para 130 libras em um tempo muito curto para se adequar aos requisitos de peso para a corrida daquele dia. Acredita-se que esse estresse combinado com a excitação das corridas lhe tenha causado um ataque cardíaco. Após o incidente, Sweet Kiss nunca mais correu e foi apelidada de “Doce Beijo da Morte” pelo resto de sua vida.

4- Cachecol mortal

Isadora Duncan, uma dançarina americana, morreu quando seu longo cachecol ficou preso no no eixo da carruagem em que ela viajava e quebrou o pescoço.

Angela Isadora Duncan foi uma bailarina aclamada que se apresentou por toda a Europa e ficou conhecida por desenvolver uma técnica de dança que envolvia movimentos livres e naturais. Ela viveu uma vida agitada, mas trágica. Ela perdeu três filhos e sua vida pessoal e profissional declinou, colocando-a em dificuldades financeiras. Na noite de 14 de setembro de 1927, ela usou um lenço longo e esvoaçante de seda pintado à mão, presenteado a ela por um amigo em um passeio de carruagem com ele. Ele a incentivou a usar também uma capa porque ela iria cavalgar ao ar livre em dias frios. Duncan, no entanto, concordou em usar apenas o lenço que ficou preso na roda e no eixo, jogando-a para fora da carruagem e quebrando seu pescoço.

5- Ela morreu de susto quando viu que tinha morrido

Essa é Gump demais! Uma mulher de 49 anos chamada Fagilyu Mukhametzyanov morreu de ataque cardíaco, supostamente devido ao choque de ressuscitar em seu próprio funeral.

O susto de ver que tinha morrido foi tamanho que aí ela morreu de novo. (já imagino você contando isso no bar e ninguém acreditando)

Fagilyu Mukhametzyanov, da Rússia, foi declarada morta pela primeira vez pelos médicos devido a uma suspeita de ataque cardíaco ou outros motivos relacionados ao coração. Durante o funeral, segundo seu marido Fagili Mukhametzyanov, seus olhos tremeram e ela foi imediatamente levada de volta ao hospital. Lá ela viveu apenas 12 minutos e foi declarada morta mais uma vez por insuficiência cardíaca devido ao choque de voltar à vida em seu próprio funeral.

6- A vaca que caiu do céu


Num incidente bizarro, um homem chamado João Maria de Souza foi esmagado por uma vaca que caiu do telhado de sua casa. Sua esposa, que estava deitada ao lado dele, e a vaca saíram ilesas. (fiz post desse caso aqui)

João Maria de Souza, de 45 anos, estava na cama com a esposa quando uma vaca da fazenda próxima, vinda de uma colina adjacente, escapou e subiu num barranco. De lá, ela escorregou e caiu no telhado. O telhado corrugado cedeu sob o peso da vaca e a vaca de 1,5 tonelada caiu sobre ele de uma altura de 2,5 metros. A tragédia de sua morte foi que não houve ferimentos visíveis, exceto uma perna fraturada. Ele estava consciente e falando normalmente, então seu tratamento não foi apressado. Segundo sua família, eles ainda esperavam que os médicos o atendessem quando ele morreu de uma hemorragia interna.

7- Remedinho do capiroto

Um famoso industrial americano morreu após beber quantidades excessivas de rádio. Ele desenvolveu dor persistente após uma queda em 1927, para a qual lhe foi prescrito Radithor , um medicamento patenteado que continha 1 microcurie de cada um dos isótopos 226 Ra e 228 Ra. Ele bebeu um total de cerca de 1.400 doses, que se concentraram em seus ossos, irradiando-o continuamente. Em 1931, seus ossos estavam se desintegrando e sua mandíbula foi removida; ele morreu no ano seguinte. Tem post sobre o caso aqui. 

8- O engolidor de peixes

Essa é dura de acreditar também!  Robert Mwaijega, um pescador, morreu depois de um dos peixes vivos que apanhou ter saltado e caído certinho dentro da sua boca e ter-se espremido pela sua garganta e peito, sufocando-o e matando-o.

Mwaijega, de 47 anos, natural de Kanga, distrito de Kyela, Tanzânia, estava pescando em um dos rios que deságuam no Lago Nyasa, no Vale do Rift da África Oriental, quando morreu. Segundo Emmanuel Mwammgunda que o acompanhou juntamente com alguns outros pescadores, eles capturaram muitos perege, um membro comum da espécie de tilápia, que ainda estavam vivos e balançando no seu barco. Um desses peixes saltou de repente e entrou certinho pela boca de Mwaijega enquanto os outros  pescadores ficaram chocados com o que aconteceu. Eles tentaram ajudá-lo, mas não conseguiram fazer muito, pois o peixe desceu por sua garganta e travou na traqueia do cara. Quando o levaram ao centro de saúde próximo, já era tarde demais.

9- “Foda-se o jacaré”

Pediram a um homem do Texas que não nadasse em uma marina porque houve avistamentos de crocodilos bem ali.  Então o banhista apenas disse “Foda-se esse jacaré” e pulou na água. Ele foi morto imediatamente por um jacaré.

Na Marina Burkhart, em Orange, Texas, Tommie Woodward, 28 anos, pulou no que hoje era o lar de répteis que haviam sido desalojados por causa de uma forte chuva. Como também era época de reprodução para eles, os jacarés também se tornaram extremamente territoriais. Os donos da marina que avistaram os jacarés em algumas ocasiões colocaram uma placa de alerta para manter as pessoas fora da água. Apesar dos apelos de seus amigos e dos sinais de alerta, Woodward pulou na água para nadar e quase imediatamente gritou por socorro. As testemunhas viram seu corpo flutuar um pouco de bruços e depois ser arrastado de volta para a água. Ele sofreu um trauma grave em um membro e só duas horas depois os restos de seu corpo foram encontrados.

10- Era muito engraçado aquele treco!

Alex Mitchell era um pedreiro de Kings Lynn, Norfolk, no Reino Unido. Ele gostava bastante de The Goodies , um programa de esquetes cômicos da BBC, e estava assistindo a um dos episódios intitulado “Kung Fu Capers” em 1975. Neste episódio em particular, um personagem ataca as pessoas com uma morcela e uma delas se defende com sua gaita de foles. Segundo a esposa de Alex, Nessie, o marido começou a rir e não parou por nada menos que 25 minutos, ao final soltou uma grande risada e morreu.

Sua morte ficou muito famosa na época, e Nessie até escreveu para The Goodies agradecendo por “tornarem os últimos minutos de vida de Alex tão alegres”.

Em 2012, os médicos descobriram que ele tinha síndrome do QT longo, quando sua neta, Lisa Corke, foi levada ao hospital após uma parada cardíaca. A LQT pode fazer com que os batimentos cardíacos se tornem irregulares ou até mesmo causar uma parada cardíaca quando a pessoa que sofre dela sofre estresse ou esforço contínuo.

Os médicos acreditavam que ela havia herdado do avô, Alex. Iqbal Malik, cardiologista consultor e diretor do Hammersmith Hospital, em Londres, afirmou que assistir ao programa de comédia poderia ter desencadeado sua condição que levou à sua morte. E embora em alguns casos o coração volte ao normal após alguns batimentos, este não foi o caso de Alex Mitchell, que morreu de rir, literalmente.

fonte

Receba o melhor do nosso conteúdo

Cadastre-se, é GRÁTIS!

Não fazemos spam! Leia nossa política de privacidade

Philipe Kling David
Philipe Kling Davidhttps://www.philipekling.com
Artista, escritor, formado em Psicologia e interessado em assuntos estranhos e curiosos.

Artigos similares

Comentários

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Advertisment

Últimos artigos