O sobrevivente parte 3

INT. Estação Orbital AZIMOV III – Aposentos do capitão

Paul atravessa com firmeza a sala de máquinas e sobe uma escada até um deque de comunicação.

Ali ele acessa um terminal.

PAUL

Computador?

COMPUTADOR

Pois não, Coronel Gillon.

PAUL

Alguma tentativa de contato da base ou estações próximas?

COMPUTADOR

Não senhor. Nenhum contato. Tentativas válidas por todo o período. Nenhuma resposta.

PAUL

Porra, não é possível. Não é falha do sistema?

COMPUTADOR

Sistemas funcionando perfeitamente, coronel.

PAUL

Computador, tente entrar no sistema de emergência por microondas do satélite ADUS na órbita do planeta Terra. Talvez através dele consigamos ampliar o sinal e receber uma resposta da base.

COMPUTADOR

Positivo, coronel. Iniciando transferência de pacotes de dados. Protocolo de emergência aceito. Aguarde um minuto.

PAUL

Certo…

Algum tempo se passa enquanto lentamente uma barra enche na tela. Ao chegar em 100% novamente ouve-se a voz do computador na cabine.

COMPUTADOR

Transferência de pacotes completa. Não houve resposta. Frequências normais e prioritárias escaneadas e só foi registrado estática.

PAUL

Computador, ainda permanece o link com o satélite ADUS?

COMPUTADOR

Sim, coronel. Aguardando seu comando.

PAUL

Entrar no módulo de escaneamento biológico do satélite. Colher dados.

COMPUTADOR

Acessando dados. Dados liberados. Descompactando… O sinal de frequência biológica retornou um valor de 0.000.885% de resultados positivos de escaneamento biológico.

PAUL

Hã??? Quê?? Não é possível!

COMPUTADOR

Leituras realizadas e verificadas. Relatório confirmado. Não há sinal de vida no planeta, coronel.

PAUL

Não!!!! Não pode ser… Como? Computador, acessar dados históricos do ADUS e iniciar análise da última verificação de dados vitais no planeta Terra.

COMPUTADOR

Dados acessados com sucesso. Iniciar verificação. Verificação concluída. Ultimo registro de acesso data de seis de maio de 3012, quatro horas vinte e nove minutos e seis segundos.

PAUL

Acessar registro.

COMPUTADOR

Registro acessado. Dados referentes a uma gravação remota emitida pelo planeta.

PAUL

Acessar gravação.

COMPUTADOR

Gravação acessada. Trata-se de um aviso de emergência. Um cataclisma ocorreu no planeta Terra deixando-o estéril. Os registros anexos apontam para um desequilíbrio atômico em cadeia nas cadeias de carbono. Dados do ADUS do período indicam que a onda da reação em cadeia que reduziu o carbono no planeta Terra se deu por uma falha de processo um experimento classificado. A desestruturação das cadeias de carbono do planeta se deram em aproximadamente seis horas.

Paul está perplexo. Não acredita no que está ouvindo.

PAUL

Quer dizer… A humanidade e toda a vida do planeta… Derretidos?

COMPUTADOR

…nenhuma gravação subseqüente realizada a partir do planeta após evento. Iniciar outra análise reatroativa?

PAUL

Não… Não precisa. Quer dizer… Quer dizer que eu sou o último humano do planeta?

COMPUTADOR

Há um grau de possibilidade matemático de 98,7% de chance de que o Coronel Paul Edward Gillon seja o último remanescente vivo da espécie humana.

Paul cobre o rosto com as mãos e põe-se a chorar. Então numa explosão de fúria grita como louco.

PAUL

Nããããããããããããããooooo…

EXT. Estação Orbital Azimov III

A nave está vagando pelo espaço.

NARRADOR

Noites glaucas de preto e cinza. Dias opacos que rastejam a lentidão da imensidão vazia do cosmos. Estação Orbital Azimov III, a cápsula restante de vida que como um ovo guarda dentro de si apenas o silêncio e sofrimento. Azimov III, a estação final, dorme em silêncio, apenas quebrado pelo murmúrio das flutuações de rádio, o gemido dos reguladores, os passos metálicos do robô, o clique dos campos magnéticos e o ronronar constante dos geradores. Durante dias e meses Paul Edward Gillon desliza entre a angústia e o sono, o sono e a resignação, depois a revolta e de novo, o sono…

PASSAGEM DE TEMPO

INT. Estação Orbital AZIMOV III – Aposentos do capitão

Paul está deitado na cama. Uma lágrima escorre de seus olhos. Ele está parado. Quieto. Deprimido. Em seguida ele se levanta. Corre até a unidade de comunicação da nave.

PAUL

Computador?

COMPUTADOR

Sim Coronel?

PAUL

Certo. Vou gravar uma mensagem. Programe para repetir em todas as frequências e nas três frequências de emergência de meia em meia hora.Traduza minha mensagem em todas as línguas disponíveis no banco de dados.

COMPUTADOR

Tudo preparado. Ditar quando estiver pronto.

PAUL

Meu nome é Paul Edward Gillon. Coronel de navegação dois, patente 8897. Sou o único sobrevivente na estação de pesquisa e zoneamento espacial Azimov III com destino a Urano… Se alguém receber esta mensagem por favor, me ajude. Estou no setor G-664 quadrante três a partir de 45 graus da Terra. Dados codificados de localização precisa estão em formato xf5 universal anexo na mensagem. Por favor, repito, sou o único sobrevivente na estação de pesquisa e zoneamento espacial Azimov III. É uma emergência. Tentei contato com o planeta Terra e não há vida no planeta. Alguém pode me ouvir?

(paul para e fica em silêncio por alguns instantes enquanto tenta inutilmente estancar uma lágrima que corre de seus olhos.)

COMPUTADOR

Gravação pausada. Coronel, deseja incluir mais alguma coisa a sua mensagem?

PAUL

Sim, inclua um protocolo de emergência para robôs e pilotos automáticos também.

COMPUTADOR

Mensagem concluída. Ciclo de repetição do sinal iniciado em 360 graus da emissão.

Paul sai dali triste e caminha pesadamente pelos longos corredores recobertos por tubulações grades e fios da nave. Apenas o som dos geradores ecoa no vazio.

passagem de tempo

Cenas do espaço.

Ext. Estação Orbital AZIMOV III

Vivaldi – As quatro estações – Inverno toca a todo volume ecoando no espaço.

INT. Estação Orbital Azimov III –rampa de acesso ao passadiço

Paul Edward Gillon dança animadamente com Aude. Entorpecido de vinho. A garrafa caída ao chão junto a outras. Ele está bêbado. A robô segue seus passos como um boneco sem vida.

A música aproxima-se de seus acordes finais e Paul aproxima-se lentamente do rosto plástico, inexpressivo e branco de Aude. Ele fecha os olhos e lentamente beija a robô inerte, impávida.

Paul abre os olhos. Empurra Aude. Bêbado e transtornado.

PAUL

Filha da Puta!

Aude não responde.Permanece com sua fisionomia gelada e branca. Parada no centro da sala como um manequim.

PAUL

Fala alguma coisa sua vaca!

Aude aproxima-se lentamente.

AUDE

Desligo a música coronel?

PAUL

Porra! Que merda. Eu sozinho aqui com o robô e ela quer saber se eu desligo a música.

Paul começa a rir descontroladamente. Do riso louco Paul passa ao choro e cai de joelhos. As mãos tampando a face.

AUDE

Sehor…

PAUL

Vai embora! Sai daqui! Sai daqui!!!

AUDE

Como quiser, senhor.

Aude sai, fechando a porta de conexão do corredor da nave atrás de si. Paul fica sozinho no corredor escuro. Seu choro soluçado permanece por alguns instantes como o único som a perturbar o barulho contínuo dos geradores e o flicar das lâmpadas alógenas defeituosas.

(continua)

Related Post

14 comentários em “O sobrevivente parte 3”

  1. Se você escrevesse um romance Sci-Fi com uma história dessas eu seria um dos primeiros a comprar, tá muito bom de ler. E olha que eu não suporto ler coisas na tela do PC, ams esse aí valeu a pena acompanhar. :happy:

  2. Otima homenagem a Asimov sim. Mas prefiro sua narrativa ao modo ‘roteiro on’ que vc adota, apensar de ser detalhoso e funcinar bem nossas mentes.
    Uma coisa que nao gosto muito eh que o cara eh um coronel, alguem importante e para chegar onde chegou (ser membro da tripulacao de uma nave importante assim) ele deve ter um conhecimente/experiencia e tanto. Enfim, ele nao eh o Paulo, Ze ou Joao de suas outras historias, entao acho que ele devei falar menos “Po!” e outras palavras cheias de giria de um ser vivente na nossa sociedade.

    Acho que eh isso. NO mais, ta otimo como sempre.

    • Thiago este texto é de 2003, e é o primeiro tratamento de um filme que eu quase fiz. Ao fim da história vou colocar um post contando a história dessa história. E aí vai dar pra entender porque o cara fala assim.

  3. Está ficando cade vez melhor, mas eu não concordo com vc, Thiago no sentido de retirar as gírias, eu acho que esse é o toque pessoal do Philipe e que deve ficar assim para descontrair um pouco o ambiente 😉

    Abraços

  4. Cade a parte 4444
    asdpaoskdoakd
    philipe mais uma vez meus parabens pela incrivel historia
    Quanta coca cola jah tomaste pra fase essas partes? rsrrs

    abraço

  5. Será que ele vai dar um “cata” na AUDE?
    Ela já foi lá no quarto dele…..
    Ele já deu um beijo nela…..(trebado)
    Tá caminhando legal a estória….posta mais…..

  6. Me lembrou o filme Lunar… Para quem não viu vale muito apena!!
    coloquei o link do trailer: http://www.youtube.com/watch?v=twuScTcDP_Q&feature=fvw
    Ótimo texto
    Parabéns

  7. Eventualmente leio algum conto mais longo quamdo tenho tempo.
    De onde saia tanta energia? uma mensagem a cada meia hora? essa nava não estava navegando por milhares de anos?
    E como tinha vinho hein?
    Se quiser…explique!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares