Pin It


O relato de um MIB – parte 2


(translate to english at the end)

Caro Philipe,

Desculpe ter errado seu nome na nossa última mensagem. Queria antes de tudo fazer alguns agradecimentos específicos por você ter cumprido o que nós pedimos sobre não mencionar as partes marcadas nem a terceira criatura.

Foi engraçado quando vimos as partes que você inventou e descaracterizou da nossa mensagem original. Isso foi bom porque deu um tom bastante contraditório com os primeiros parágrafos. Foi engenhoso dizer que as cabeças eram 3d. Qualquer um vai acreditar nisso sabendo que você trabalha com bonecos e essas coisas de 3d, mas acho que seria mais realista dizer que eram bonecos, já que você faz bonecos.

“No meu grupo estão dois militares da reserva, um médico e um ex-policial civil.” -> Muito engraçado. E o que dizer desse título aí “O relato de um MIB”… Me senti até ator de cinema lendo aquilo. Nós não imaginávamos que o senhor era tão criativo. As partes inventadas até que ficaram bem misturadas.

Obrigado também por aceitar nossa sugestão sobre o conto. Só não entendemos porque o senhor não publicou todas as fotos que enviamos. Não está lá a foto de corpo inteiro do número dois, nem as vísceras do numero um. Por que?

Em resposta aos seus questionamentos:

Não, não sou um Men in Black. Isso é folclore. Ocorre que do mesmo jeito que aqui no país, organizações anônimas ligadas ao governo dos EUA começaram a fazer o trabalho de catalogação, coleta de dados e materiais. Embora tenhamos começado mais tarde, nos EUA este trabalho é desenvolvido desde a década de 50. Inicialmente, os homens usados para a operação de “limpeza” eram funcionários específicos alocados em gabinetes federais, como na USAF, Pentágono e até mesmo na Casa Branca. Havia um restrito protocolo de ação a ser seguido, e os caras agiam conforme as normas da época. Andavam em carros pretos como 90% dos americanos de meia idade nos anos 50. Usavam ternos pretos porque isso conferia uma certa sobriedade. Se você fosse a um banco na América do Norte dos anos 50, o gerente estaria vestido exatamente como um MIB. Muitas vezes, as ameaças eram decoradas dos manuais e a repetição exaustiva produzia um jeito monocórdio e robótico de falar. Isso aumentou ainda mais a sensação e as especulações totalmente infundadas sobre ligações dos MIBs com aliens.

Só pra deixar claro uma coisa: Há uma enorme diferença entre humanos e aliens. Gente é gente, aliens são aliens. Existem aliens que parecem gente. Mas eu nunca vi. Já li uma penca de relatórios mencionando isso. Mas até hoje só vi aliens de carne e osso, e nenhum deles pareciam gente. Nunca vi alien com cara de inseto nem de lagarto, muito menos extraterreno de porte ariano.

Quando o fenômeno MIB começou a virar um folclore similar ao folclore alienígena, alguém teve a brilhante idéia de tirar proveito disso, espalhando fatos assustadores sobre a frieza e a maldade dos MIBs. Isso tornou o trabalho relativamente mais fácil, uma vez que contaminado pelo folclore, a simples visita de um cara com o terno e a gravatas pretos, falando de um jeito mecânico que a testemunha devia parar de falar sobre sua experiência com Ufos e devia se preocupar com a própria vida e a dos familiares, era tão assustadora e funcionava tão bem que os caras lá até ajudaram muito na construção desse mito. Não posso negar que até hoje, em alguns casos, o expediente da “visita do MIB” funciona. Sobretudo quando são aquelas testemunhas new age, com a casa cheia de incenso. Esses, morrem de medo dos MIBs. Tem vez que nem precisa mostrar a coronha da pistola nem nada.

Então, respondendo mais uma vez a pergunta, eu não sou um MIB, embora reconheça que a idéia de Mibs são úteis para o meu trabalho. Racionalmente falando, quanto mais religião, mitos, lendas e folclore associado ao fenômeno ufo, como Chupacabras, Jesus no interior de disco voador, comandantes de frotas estelares e etc, mais difícil fica de estabelecer o discernimento dos fatos reais, logo, mais fácil de desconstruir as evidências.

O nosso objetivo não é esconder a verdade para sempre. Não somos inimigos da verdade. Mas precisamos fundamentalmente manter algum controle estratégico das informações, porque se o povo souber de uma vez tudo o que já sabemos sobre a atividade extraterrestre – e ainda é muito pouco – vai haver um caos econômico sem precedentes no mundo.

Veja, hoje basta uma insignificante nota de jornal sobre uma potencial crise econômica num grande país, como os Estados Unidos, para haver um surto de medo nos investidores internacionais que derruba as bolsas ao ponto da economia de países em desenvolvimento ameaçarem entrar em colapso.

Agora imagine isso amplificado um milhão de vezes, junto com uma profunda crise religiosa, moral, cultural, e tecnológica. O combustível fóssil que movimenta economias inteiras ficando obsoleto em poucas horas… A pressão popular sobre os governos aumentará rapidamente. Todos vão querer saber por que os governos negaram o que sabiam, e o que é pior: As pessoas vão exigir de seus governantes uma ação concreta sobre o fenômeno. Acredite em mim quando digo isso… Não há nada que se possa fazer. Os americanos estão desde os anos 60 tentando fazer as naves funcionarem, mas o que eles dizem é que estão pelo menos 50 anos defasados em termos de tecnologia para compreender como aquilo opera. Não só para a compreensão, mas para atingirmos o ponto necessário para operar aquilo como fazem as criaturas. Estamos esbarrando em limitações de nossa própria constituição física e tecnológica. O buraco é bem mais embaixo do que se pensa. E se um governo não pode proteger seu cidadão da ameaça externa, para que serve o governo? Compreende a natureza bombástica deste choque?

O resultado prático disso é que muitas pessoas vão morrer. Podem morrer por vários motivos. Poderá faltar comida em caso de pânico social. Milhares perderão seus empregos. Da noite para o dia, indústrias milionárias perderão o sentido de ser, despejando pessoas sem futuro nas ruas. A necessidade de informações sobrecarregará os meios de comunicação. Todas as estratégias mundiais de longo prazo, em que países e fundos de investimento que movem o planeta apostam terão que ser revistos. Muitas religiões se posicionariam contra o fenômeno e não raro religiões de inetresses opostos deflagrariam guerra religiosa em função de alienígenas. A ampla maioria dos que militam pela verdade do fenômeno ufo iriam sucumbir pelos desastrosos resultados de sua própria luta. Não sou contra a verdade. Muito pelo contrário, só que quando você descobre a verdade, caro amigo, começará a querer que ela não apareça, e fará de tudo para que ela continue assim. Nós estamos todos vivendo num sonho de segurança. Não podemos acordar as pessoas deste sonho. Há um planejamento de longo prazo que envolve muitas etapas até que a verdade venha a tona. O único problema é que os discos malditos não estão sob nosso controle. Mas eles não estão interferindo. Pelo menos não de maneira incisiva. E isso já é alguma coisa.

Sobre aquela questão do sigilo:

Eu infelizmente não posso falar muito, porque corro o risco de morte e posso colocar minhas filhas em perigo de vida caso os dados que me identifiquem e os que identificam certas pessoas cheguem ao público. É por isso que eu peço para o senhor só publicar o que não estiver sublinhado e seguir à risca minhas determinações. Entenda que este assunto está bem além do que o senhor pode imaginar. As implicações do meu trabalho não incluem uma aposentadoria normal. É como se diz por aí: “A ignorância é uma bênção”. Por este motivo, eu queria lembrar que em caso de algum dado restrito ser publicado, mesmo que por engano, interromperei a comunicação com o senhor imediatamente.

Respondendo sua pergunta sobre a questão material:

Nos últimos anos, uma série de cortes nos “custos operacionais” começaram a colocar nossas operações em risco. Eu gostaria de poder dizer que operamos com a mesma folga financeira dos caras ligados à NSA, GRU, MI5 e outras agências, mas o fato é que os últimos dois governos foram uma merda até mesmo pra nós, que estamos no olho do furação.

Veja, o Palácio do Planalto faz a festa com cartões de crédito que bancam luxos, mas as nossas operações que tem os custos 90% cobertos com um complicado e burocrático disfarce de pesquisa tecnológica e consultorias de diferentes tipos, estão em sua maioria limitadas por pouca verba desde o início do governo PT. Isso causou problemas graves, comprometendo o grau de segurança necessário para o funcionamento do grupo. Temos agentes pagando as despesas operacionais com viagens e estadias tirando do próprio bolso. Chegamos ao ponto de pagar para trabalhar. Nas últimas reuniões em que participei com meus superiores diretos em Brasília, reclamamos da falta de estrutura e verbas operacionais. E aí surgiram as más notícias. Mas antes de falar delas, vou tentar explicar como tudo começou:

Até o governo Sarney começar, o que havia era um grupo fechado de oito pessoas de profissões militares, ligados ao CIEX, SAE, CIM, SNI, operando em todo o território nacional. Esses eram os antecessores do tempo do regime militar e dois deles são os nossos chefes atualmente. Cada um deles tinha pelo menos dois auxiliares. Era obrigação desse grupo levantar dados sobre o problema dos discos e eventualmente usar a força para manter o assunto quieto. Mas este não era o único grupo que estava interessado no tema Disco Voador.

Parece que a FAB tinha um destacamento paralelo trabalhando neste assunto. Mas os dois grupos não tinham ligação alguma. Na região sudeste, sul e centro-oeste o período entre 1980 e 1984 foi até tranqüilo. Quando o Governo Sarney entrou, a questão dos discos voadores até parecia coisa do passado. Por isso, o grupo de pesquisa e acobertamento ficava apenas metade do tempo dedicado a isso. A outra parte do tempo era dedicada a afazeres governamentais.

Tirando aquela revista “Ufologia nacional e Internacional” e umas publicações de segunda linha, o assunto dos discos estava relativamente sob controle até que uma grande onda de discos colocou tudo a perder. Naquele tempo o sistema de rastreamento via satélite era um sonho distante. Fomos pegos de surpresa. Foi uma onda muito forte em 86 e a coisa caiu na mídia. Tentamos impedir o escândalo até onde foi possível, mas quando a Globo deu o furo, com o ministro Otávio Moreira Lima e pilotos na Tv, falando abertamente de discos em todos os canais, foi impossível fazer qualquer coisa.

O fenômeno foi grande e surgiu uma forte pressão popular para a FAB abrir o bico e falar o que estava acontecendo. Isso suscitou uma reunião de estado para deliberar sobre este assunto. O ministro da aeronáutica chegou a prometer até um relatório detalhado na TV. Inicialmente, isso foi uma tremenda besteira, mas no fim das contas, o relatório prometido funcionou, esfriando os ânimos. As nossas pressões para que a Globo apresentasse no Jornal Nacional ainda naquela semana outras opiniões “mais abalizadas” de astrônomos, físicos e qualquer um que desse uma alternativa que não fosse “disco voador” ajudou a criar ruído e distraiu o povo. Assim que o fato saiu da mídia, começamos a trabalhar nos pontos negligenciados que levaram à aquela crise. É o que chamamos de reunião Post-Mortem.

Foi nesta época que surgiram as primeiras idéias de reestruturação dos grupos de investigação nacional. O da FAB e o nosso, gerando um só grupo multidisciplinar civil/militar. Foi quando eu entrei no jogo. Até então, eu trabalhava num laboratório ligado ao XXXXXXXXXXXXXX e quando fui convidado, nem sequer acreditava em discos voadores. Na primeira vez em minha vida, tive que decidir entre aceitar ou recusar um trabalho sem saber direito o que era. Ninguém falou em OVNIS ou Aliens. Eu estava pensando que íamos roubar para o governo alguma coisa secreta ligada a computadores da IBM. Eu só pensava que o interesse em mim era ligado ao meu trabalho no laboratório e meu conhecimento com maquinas. Eles foram bem claros na segunda reunião. Eles só poderiam me falar qual era o trabalho se eu aceitasse. Se eu recusasse, a conversa acabava ali. Mas se eu aceitasse, isso seria para a vida toda. E se eu abrisse o bico eles me matariam. Foram bem enfáticos sobre isso, de um modo que não dá pra duvidar. Eu pedi para pensar e eles me deram dois dias. Eu tinha terminado um noivado meses antes e estava morando sozinho depois de perambular por algumas repúblicas.

Fiquei com medo mas topei, porque a grana era bem mais do que eu ganhava e eu pagava aluguel. Além do mais, eles me garantiam um carrão e roupas bem legais. (ao contrário do que todo mundo pensa, nada de terno preto e camisa branca com óculos escuros espelhados e fone na orelha) Eles pagaram todos os cursos de aperfeiçoamento técnico na minha área. Parecia ser um excelente negócio.
Se hoje eu pudesse voltar no tempo, talvez não aceitasse.

Eu entrei e participei do processo de treinamento de um soldado. Fui alistado no Exército Brasileiro onde comi o pão que o diabo amassou. Eles pegaram pesado comigo. Fiz inúmeros treinamentos e não podia falar pra ninguém sobre o meu trabalho. Após o período de adestramento militar eu passei para um tipo de academia, com os demais membros do grupo, onde estudamos o pouco que se sabia sobre Ufos, aliens e etc naquele tempo. Haviam uns poucos filmes e muitas fotos. Havia dados de satélite e pilhas de documentos e transcrições compiladas de vôos e gravações. Havia ainda alguns dados provenientes de revistas nacionais e estrangeiras. Estudamos telecomunicações, biologia, tivemos treinamento de combate na selva, treinamento tático, de assalto, vôo, sobrevivência e o pior deles, torturas. No grupo não havia ninguém com mais de 40 anos. A explicação para isso é que nossas carreiras seriam bem longas. Em compensação, estaríamos a um passo adiante sobre a realidade do fenômeno. Grande parte do nossos trabalho era gerar desinformação, ir ao local de avistamentos e preparar balões à luz do dia, junto com a imprensa, deixar a tv filmar. Para isso, nós tínhamos vários recursos engenhosos como crachás de universidades, carteiras de identificação militar de diversos tipos, polícia, polícia federal, jalecos, etc. Tínhamos um bom arsenal de piadas e se nada desse certo, dois caras iam até lá e faziam ameaças à família das testemunhas.

Um bom exemplo do trabalho de ocultamento é este:

Em 94 ou 95, chegamos até a esconder um parente próximo de uma vítima num trailer por quase uma semana para calar a boca de um fazendeiro das proximidades de Feira de Santana, que deu a sorte – ou o azar – de testemunhar uma acidente com dois ufos. Um se espatifou numas pedras em uma região rural praticamente desabitada. Esse foi resgatado dias depois, sem problemas, mas não sobrou quase nada. O outro, caiu numa lagoa na beira da propriedade do tal fazendeiro. O cara resgatou a nave, que estava danificada e de lá tirou dois corpos, um morto e um outro ainda agonizante. Eu não participei diretamente deste caso, porque estava no Mato Grosso num outro caso. Mas vi os relatórios e as fotos. O cara viu que tinha conseguido algo incomum e tentou tirar proveito daquilo, vender o achado para a tevê. Mas o sistema de rastreamento já tinha comunicado a central da FAB que acionou a equipe mais próxima pra ir até o local. Como era distante, foi necessário entrar em contato com a base próxima e solicitar ajuda, coisa que raramente vale a pena. Sempre que podemos, nós fazemos tudo sozinhos, e usamos as bases militares na região próxima apenas como pontos estratégicos, onde abastecemos os helicópteros, os veículos e eventualmente guardamos os materiais recolhidos até que o pessoal da logística venha e assuma a remessa. Naquele dia, nós chegamos lá logo depois do exército. Então apreendemos tudo. Uma equipe ficou na região esperando e monitorando os passos do fazendeiro que esqueci o nome. O cara começou a ligar e falar com jornalistas, ufólogos e etc. Continuava querendo aparecer em cima do caso, entende? Mesmo com as ameaças. Aí pegamos a parente dele como demonstração das nossas intenções.

Chegou a dar pena de ouvir mulher dele chorando no telefone, totalmente desesperada. Mas foi só assim que ele se tocou que podíamos realmente matar a familia dele. Aí ele resolveu ficar quieto e parar de atender telefones de ufólogos e jornalistas curiosos. E devolvemos a pessoa. Estou contando isso para mostrar que não há nenhum limite de ação para nossa atividade. Se for preciso matar, eles vão lá e matam, embora eu não goste nada disso. Acho que não precisa chegar nas vias de fato. Se souber fazer o trabalho, não precisa.

Mas voltando ao assunto, fizemos muitas vigílias nos anos 80 também, sempre traçando em mapas as rotas dos ufos, e usando esses dados para tentar prever os próximos passos das criaturas. Até em delegacias já tivemos que ir para pegar boletins de ocorrência. Não foi nem uma nem duas vezes que precisamos usar maços de dinheiro vivo para obter certas fotos, videos e documentos.

Como eu estava dizendo, o grupo da FAB seria então desarticulado e nos municiaria de dados. Em 1989 formou-se uma reunião entre diversos países sobre a questão dos UFOs. Essa reunião foi em Los Angeles e o Brasil enviou a pedidos da comissão internacional para tratar do assunto, três representantes do nosso grupo: Eu e mais dois superiores diretos. Nessa reunião, que aconteceu num centro de convenções na periferia da cidade, estavam representantes de diversos países, como Alemanha, Japão, Austrália, Canadá, Reino Unido, França e parece que havia até dois carecas lá da União Soviética, que naquela época já estava em avançado processo de abertura.

Nessa reunião, tivemos uma série de palestras iniciais sobre a questão dos Ufos. Ao fim da mesma, foi estabelecido um convite a cada país para ingressar em um sistema de investigação global do fenômeno, garantindo direitos de obtenção de benefícios tecnológicos diretos decorrentes das descobertas. Praticamente todos os países estavam às voltas com as questões de invasão de espaço aéreo. Além disso, soubemos na reunião que os OVNIS colocaram o mundo sob um iminente risco nuclear em dois episódios eficientemente abafados pelos EUA e URSS. Foram os dois países, motivados pelos riscos de invasão territorial no período da Guerra Fria que deslancharam as conversações iniciais que deram origem a aquele tratado de investigação conjunta.

Até então, era complicado justificar os encontros, e feiras e congressos internacionais eram as desculpas mais comuns. Viagens presidenciais também, porque elas são compostas de grandes comitivas de embaixadores, ministros e assessores. Posteriormente, em 1993, Durante uma viagem de Itamar para encontrar Bill Clinton, ficou estabelecido também um calendário internacional de reuniões para tratar coletivamente desse assunto. Este calendário, ocorre estratégicamente nos mesmos locais e datas das rodadas de negociações da Organização Mundial do Comércio, como a Rodada de Doha, Cancun, Genebra, etc, onde fica bem mais fácil para os governos enviarem suas delegações como partes da assessoria administrativa dos países participantes da OMC. Além disso, com todo o foco na questão das delegações e das discussões comerciais, nossas reuniões são facilmente encobertas. Nessas reuniões as novidades são postas na mesa, equipamentos de rastreamento, de contra-ataque, o saldo de casos, os resultados de diversas pesquisas e análises da atividade dos Ovnis, etc. Enfim, muita informação é trocada. Os EUA são os que mais gastam com este assunto e obviamente falam menos de 50% do que sabem.
O Brasil aderiu ao grupo tardiamente, porque essas decisões não deveriam passar pelo poder executivo, que estava sob ameaça em muitos países como o nosso, de vazamento de informações. Para piorar, não tinha nem ministro da defesa no Brasil. Nem o Sarney e nem o Collor alteraram essa situação. Nem mesmo os constituintes de 1988 conseguiram aprovar a criação de tal ministério. Uma proposta nesse sentido foi apresentada na Subcomissão de Defesa do Estado e da Sociedade mas se não me engano, o Ricardo Fiúza vetou a proposta alegando que “um ministro da defesa constituiria um grave risco para a democracia, pois ele se tornaria virtualmente um superministro no comando de todo o poder militar”. Havia um grande temor de outro golpe. A decisão de entrar no grupo foi tomada por um tipo de triunvirato que era a instância máxima ao qual estávamos submetidos. Embora o governo já fosse civil, estava bem longe do conhecimento do presidente certas coisas. A decisão foi muito mais motivada por um medo de ficarmos defasados tecnologicamente na América do Sul do que por interesse em Ets. Os militares estavam no maior salto-alto e fizeram diversas exigências com relação aos dados e sigilos com relação a eqüidade entre os participes. O medo maior era que alguns países ficassem com as melhores partes e os outros só pegassem cacarecos de informação. Basicamente, foi o que aconteceu, mas de um jeito um pouco diferente do que se esperava.

Assim quando entramos no grupo, chegamos bem atrasados, só entrando oficialmente como signatários no primeiro governo Itamar. O Brasil teve a sua primeira reunião (até então as reuniões ainda não eram em sincronia com as da OMC) ainda no governo Collor, no salão social do Copacabana Palace, durante a Eco 92.

A nossa contribuição para o tratado foi totalmente desenvolvida durante a gestão Collor, mas os termos de cooperação para o conhecimento extraterrestre só foi definitivamente aceito pelos demais parceiros no governo Itamar, porque houve um tremendo momento de instabilidade com a derrubada de Collor, que atrasou tudo. Eu gostaria de poder dar mais detalhes sobre o caso, mas isso é complicado. Pra se ter uma idéia, pessoas muito ligadas ao Collor chegaram a tentar chantagear a gente com o pouco que sabiam do mesmo, numa tentativa de preservar a estrutura podre e decadente daquele governo que já estava ruindo.

Nessa época, foi necessário endurecer o jogo e ameaçamos algumas pessoas de morte.Tiramos até o Paulo César Farias do país. Aliás, o PC era um pé no saco… Vivia se metendo em assuntos que não lhe diziam respeito e tinha um interesse excessivo em discos voadores desde que viu um quando era ainda muito jovem em Alagoas. Ele ficava bêbado e sempre repetia essa mesma história. As relações de pessoas do nosso grupo com o PC Farias azedaram de vez no fim do governo, quando desabou o castelo de cartas da turma de Alagoas. Por um erro estratégico, havíamos usado o interesse dele, municiando-o de dados no início da era Collor para provocar a criação do ministério da defesa, sob o qual, um guarda-chuva bem planejado estruturaria nossas operações. Queríamos só apressar as coisas, mas isso foi um belo tiro pela culatra, pois o Collor não foi macho para fazer o Ministério da Defesa e ainda por cima, quando a coisa pegou pro lado dele, com a PF no pé dele e até a máfia italiana, o Paulo César não teve medo de usar o que sabia posteriormente contra nós, ameaçando dar uma entrevista bombástica na Veja com gravações telefônicas e tudo mais se nós não usássemos nossa influencia para acobertar uma meia dúzia de problemas que começaram a pipocar, como as contas fantasmas e as pessoas do segundo escalão que estavam começando a dar com a língua nos dentes sobre o que o PC fazia. Antes que você conclua, nós não matamos o Paulo César Farias. Pelo menos, que eu saiba…

O problema é que no Governo Itamar, os compromissos assumidos anteriormente, ainda na era Collor (coisa pouco rara no Brasil) não foram cumpridos. Ficamos operando num escritório de transportadora que funcionava de fachada, montado numa cidade satélite até o fim do segundo mandato FHC. Aliás, se eu contasse o que tem de transportadora e empresa de aluguel de carros de fachada no Brasil, você não acreditaria.

As pressões só aumentaram, porque o governo pressionava para reduzir as verbas destinadas a pesquisa científica. Foi necessário criar mecanismos como caixa 2 e usar de expedientes vergonhosos, como empresas fantasmas. Criamos uma de táxi aéreo que até funcionou mesmo para burlar a emperrada máquina administrativa. É uma história longa e chata, que prefiro contar pessoalmente. O que interessa saber é que na última reunião, as coisas estavam claras que o Brasil não pretendia se retirar do tratado, mas o país foi pressionado pelos outros países, sobretudo os EUA para melhorar as operações de investigação e envio de material. Curiosamente, o número de casos de avistamento civil estava baixo, em contraste com os dados de satélite de rastreamento dos russos e americanos. Essa discrepância nos dados dava a entender que nós sabíamos mais do que deixávamos transparecer, o que até então, não era necessáriamente verdade. Posteriormente, soubemos que a FAB deixou de repassar grande parte dos dados que deveria ter feito. O contato dos órgãos de rastreamento passava por pessoas na FAB e seguia de lá para a central, que distribuía as ocorrências para os grupos. Quando expusemos a má vontade da FAB, aí apareceu uma explosão estatística de tráfego hotel em 1998, mostrando e confirmando a má vontade da Força Aérea para com a pesquisa oficial do assunto.

Mas até então, nossos relatórios mostravam que a atividade do tráfego hotel no país estavam praticamente estagnadas, com uma situação pontual eventualmente aparecendo em lugares distantes. 90% dos casos eram de abdução. No governo do FHC todo mundo trabalhou duro para conseguirmos efetivamente criar um ministério da defesa que abrigasse nosso grupo, pois o Brasil estava numa vexatória situação sobre isso com relação aos demais países. Havia também uma sutil pressão para o Brasil aderir ao sistema internacional de hierarquização do conhecimento aplicado a defesa. Em 1999 surgiu finalmente o ministério que queríamos e nós pensamos que agora tudo estava resolvido.

Levamos outra rasteira.

Quando o Lula assumiu, ainda no primeiro mandato, apareceu uma ordem de “proibição” de envio de informações. Não era exatamente uma proibição, mas um sinal para “segurarmos” um pouco. Haveria uma dança das cadeiras e isso poderia afetar o grau de silêncio das operações. No Brasil, devido a estrutura governamental e a influência de amigos políticos, cada governo que entra é uma ameaça nosso trabalho. Como todas as decisões são feitas longe dos olhares e conhecimentos dos políticos, incluindo presidente, ministros e parlamentares, é sempre um risco que alguém influente seja destituído para dar lugar a algum companheiro de sindicato. Daí, ficamos segurando um pouco as pesquisas e envios de dados até as coisas se estabelecerem no país. Nosso objetivo era passar o grupo para debaixo do ministério da defesa. Eles queriam estabelecer um sistema similar ao americano, com uma verba não declarada de uso militar.

A idéia, como muitas outras, era ótima, mas nunca aconteceu. Só complicou tudo ainda mais. Sem definição e com a lei do silêncio, ficamos praticamente decorativos. Veja só, um grupo especializado em Ufos, com praticamente vinte anos de prática invisível e totalmente decorativo.

O silêncio do Brasil para com o resto do mundo repercutiu mal. Ficou parecendo que havíamos descoberto alguma coisa importante e optamos para guardar pra nós. Os EUA fazem isso e todo mundo lá sabe, mas finge que não. Só que eles bancam sozinhos grande parte das pesquisas nesse campo. Já o Brasil dar uma de esperto, fica complicado.

A política do superávit foi matida ainda pior do que era no FHC2 e o silêncio Brasileiro sobre os Ufos foi fruto de incompetência e tumulto nos quadros de confiança. Nada mais. Só que ninguém acreditou que isso pudesse ser assim e a coisa ficou ainda mais feia pra nós. A Casa Branca sugeriu uma atuação mista pedindo inclusive a entrada dos grupos Norte-Americanos para operar aqui em parceria conosco. Em troca, ia entrar uma bolada do cofre sem fim deles, com cooperações em muitos aspectos, inclusive o aeroespacial, que era de interesse estratégico para o país, por conta dos satélites. Mas depois de uma enorme demora em responder, o Brasil recusou preemptóriamente alegando aquela conversa já manjada da soberania nacional e prometeu investir a própria grana aqui.

Foi quando o foguete explodiu. A coisa pegou mal. Fiquei sabendo de telefonemas entre os dois lados com acusações mútuas de chantagem e sabotagem. Tenha aquele episódio sido acidente ou sabotagem, usar essa fragilidade era o clássico e sutil modus operandi dos Estados Unidos empurrar seus interesses.

Mas o Brasil bancou o durão e prometeu investir. Até surgir a primeira crise política e parar tudo novamente.

Depois veio as eleições e mesmo com a crise, deu PT novamente. Em seguida, várias outras sub-crises. Algumas até problemáticas para nós, como a crise aérea.

Até uma nova chefia assumir, operamos em compasso de espera, tocando o nosso barco como podíamos. Finalmente realocaram o grupo e houve uma súbita pressão por resultados. Era fim de 2006 e no início de 2007 tivemos sinal verde para “mostrar serviço”. Foi isso que desencadeou a operação de Tasso Fragoso. Ficamos na cola daquela atividade durante quase 11 meses. Paralelamente, tentávamos uma reaproximação com os outros grupos, mas o Brasil já estava bem queimado.

Ficou pior ainda quando a FAB abriu um canal oficial de contato com os ufólogos, permitindo até mesmo a entrada de jornalistas na sede do CONDABRA. Eu acho que a FAB fez isso de sacanagem. Era a única explicação plausível. O que me leva a crer nisso, é que alguém an FAB provavelmente soube da situação do Brasil no grupo internacional e então manipulou deliberadamente os ufólogos e o Fantástico da Globo para mostrar algo chocante para os EUA. Foi um tipo de recado. Isso deu certo e gerou uma tremenda confusão, com ligações desesperadas dos gringos para evitar que o Brasil abrisse os seus arquivos. Além disso, pegava mal explicar que não tínhamos nada a ver com aquela decisão. Como esses descompassos malucos são típicos do Brasil, ninguém lá fora iria acreditar. A solução foi ficarmos quietos.

Como muitos países já estavam num processo de rever a liberação de informações, como por exemplo o CNES francês ameaçando liberar muita coisa que não convinha, os EUA ficaram igual a siri na lata, porque lá em Washington tem uma pilha quase da minha altura de processos contra o sigilo governamental, só esperando mais dados para bater firme no governo. Isso precipitou a viagem do Bush ao Brasil. Com ele, vieram os representantes do grupo.

Não sei como foi que isso se deu, mas depois da vinda do George Bush e sua comissão no país, surgiu um boato de que o Brasil iria ceder à pressão dos EUA e permitiria que os caras deles entrassem e operassem aqui. Além disso, voltaria a lei do silêncio total. O Brasil baixou a cabeça para o Tio Sam. Inclusive, aventou-se a hipótese de desmanchar o nosso grupo de pesquisa nacional e deixar tudo relacionado a ufos 100% na mão dos EUA, trocando os especialistas de campo por uma pequena comissão de dois ou três supervisores que acompanhariam os dados obtidos e enviariam relatórios para XXXXXXXXXXXXXXX saber o que se passava. Em troca, o Brasil daria sinal verde para os gringos.

O que seria feito do meu pessoal, de mim mesmo e do resto? Ninguém dizia. Começamos a nos reunir em pequenas reuniões informais para debater o nosso futuro.

Ficou claro que a desconfiança americana – na verdade o olho grande mesmo – colocou em grave risco nosso trabalho. Aliás, nossas vidas. Sabemos como são as coisas nessa área. Sem um trunfo nas nossas mãos, eles poderiam fazer como nos manuais da GRU, apagando os arquivos em uma série de acidentes isolados. Um assalto aqui, um ataque cardíaco ali, um atropelamento… Sabe como é.

Como ninguém aqui é burro e quer morrer, nós sabemos que o único jeito de evitar isso é tendo algo bastante valioso para negociar. Espero que tenha dado para entender os nossos motivos. Qualquer dúvida eu respondo na próxima mensagem.

Como prometi no último contato, demos uma pausa. Agora estamos enviando novas notícias, já que tem quase oito meses desde nosso email anterior.

Philipe, tenho boas notícias. O número três ainda está vivo. Tivemos alguns problemas em escondê-lo, porque ele estava muito agitado. Eu também ficaria se visse meus amigos ou parentes morrendo daquele jeito. Nós conseguimos esconder o número três na caçamba fechada da caminhonete e enviamos o ser para a propriedade de um compadre meu. Essa pessoa é da minha total confiança e não acreditava em ufos até ver aquilo. Foi engraçado ver a cara dele quando abrimos a caçamba. Passado o susto, o meu compadre nos ajudou a prender a criatura numa caixa de madeira e ajudou no transporte dela numa penosa viagem feita com duas caminhonetes (a minha e a dele) e o caminhãozinho trucado-baú de propriedade do cunhado dele, onde levamos a criatura de Santa Filomena para uma casa que fica os fundos de uma chácara alugada na periferia de Uberlândia. Foram vários dias de viagem, seguindo por estradas ruins para evitar os postos policiais. Embora alguns homens que estavam no comboio pudesse facilmente impedir o acesso dos policiais à carga, evitamos todos os riscos possíveis até Uberlândia. É onde ele está agora. Essa cidade foi escolhida por estar relativamente perto de São Paulo, Brasília e Rio.

Depois de despacharmos os materiais físicos e os corpos do 1 e do 2, tivemos que dar um tempo para esperar a “poeira baixar”. Eu achei que haveriam perguntas sobre a cápsula ter três assentos e só termos enviado dois corpos, mas ao que parece, ninguém se ateve a esta particularidade, já que não é a primeira vez que ufos com mais lugares aparecem contendo menos tripulantes. Ainda bem.

Por sorte, o lugar do pasto era bastante ermo e não teve testemunhas. Mas ainda assim foi um risco esconder ele num carro comum. Ainda mais com o coitado naquele estado. A viagem debilitou ele bastante, já que o calor no interior caminhão era insuportável. Tivemos que começar a viajar durante a tarde, noite e madrugada e parara de dia, porque ele com certeza ia acabar morrendo.

Nós seguimos as idéias que o senhor deu e ele ficou mais calmo mesmo. Meus subordinados estavam com medo, mas no fim, tudo deu certo. Sem a colaboração de todos, seria impossível fazer isso. É como o senhor mesmo falou, seria muita maldade entregar a criatura viva para os americanos. Com certeza dissecariam o infeliz e colocariam ele num daqueles aquários. Enquanto ninguém abrir o bico, e ninguém é maluco de fazer isso, ficaremos com este trunfo nas mãos.

Ainda não sabemos exatamente o que vamos fazer com ele, nem quanto tempo ele aguentará em cativeiro. Os nossos contatos poderão ser interessantes para apontar caminhos em que direção devemos seguir com essas pesquisas paralelas. Por enquanto, a nossa idéia é dar um tempo com a criatura lá na chácara até que saibamos mais sobre ela e a sua natureza. Então, depois de nos certificarmos que essa informação será mantida sob o sigilo que merece, pretendemos escolher alguns ufólogos para ver o 3 de perto e documentá-lo vivo. Até este dia, efetuaremos todos os exames, incluindo DNA e tudo mais. Tintim por tintim, mas você entende, nós não poderemos aparecer, pois isso poderia colocar até as nossas famílias em risco.

Esses dados e exames ficarão guardados num cofre e também em poder de algumas pessoas específicas, como o senhor. O alien será mantido como nossa garantia de sobrevivência. Caso algo aconteça com a gente, desculpe a grosseria, mas vamos “jogar a merda toda no ventilador”, e exporemos a criatura e os exames laboratoriais para o mundo, escancarando de vez com o segredo.

O nosso biólogo está mexendo os pauzinhos para conseguir o exame lá na Unicamp. Mas antes, precisamos nos certificar do grau de segurança, porque o exame precisa ser sem maiores perguntas, já que é bem possível que o resultado seja diferente de tudo que já andou neste planeta. O mesmo exame será feito em outros laboratórios. Por enquanto, precisamos ser o mais discretos possíveis.

Não pode ter furo. A apresentação do alienígena, caso o pior aconteça, precisa ser feita através do senhor, de modo que nossos superiores não desconfiem que um exemplar vivo vazou. Pedimos uma confirmação se o senhor aceitará intermediar o encontro de pelo menos três representantes e investigadores idôneos com o ser. Será uma preparação para o dia em que a verdade não poderá mais ser encoberta.

Caso afirmativo, envie os nomes das pessoas escolhidas e os números de contato. Na próxima mensagem mandaremos mais dados de como proceder.

Houve uma atividade mais intensa desde que capturamos as criaturas no dia 15 de março do ano passado. Pelos registros, outras naves vieram procurar pelas três criaturas capturadas em Tasso. Aconteceu uma grande descida de naves, com dois tamanhos. A cápsula maior igual a que já conhecíamos e uma menor. Nós temos suposições que sejam veículos táticos, de um único piloto, ou até mesmo objetos operados remotamente. Esses veículos funcionam como se fossem aviões de caça deles.

As descidas começaram na região norte e foram seguindo uma rota em sentido sul. Ficou claro que a atividade estava relacionada a buscas pela primeira nave, que duraram mais ou menos vinte dias.

Nenhuma das naves efetuou pouso. Foi uma varredura aérea a baixa altitude, que começou bem no pasto onde interceptamos a nave. Nós aproveitamos esta oportunidade para realizar estudos de registros de vídeo e emissão de ondas, mas sem grandes resultados além de fotos e vídeos de melhor qualidade do que as que já tínhamos.

Mas voltando ao numero três, nós pensamos que ele ia morrer. Ele ficou bem fraco. Eu cheguei a pensar em escrever para o senhor sobre o fato dele estar entre a vida e a morte, mas os outros acharam melhor esperar um pouco antes de fazer outro contato. O 3 recusou água e verduras durante vários dias. Ele ficou totalmente em jejum e acabou bastante magro. Com o tempo, ele foi ficando mais calmo e passou a temer menos a nossa presença. Eu acho que a música clássica foi uma ótima idéia e ajudou muito nessa adaptação. Mas ele não comia e isso nos preocupava muito.

Pudemos perceber que ele estava excretando de tempos em tempos um líquido viscoso com cheiro forte de amoníaco. Mais ou menos de três em três dias. Sempre no mesmo lugar do quarto. Concluímos que o sistema digestivo dele lembra o de algumas aves. Nós vamos analisar o material excretado para saber mais sobre o sistema biológico dele, mas isso ainda deve demorar um pouco. Se nós tivéssemos o 1 e 2 em nosso poder, tudo isso seria mais fácil. Mas as coisas são como são e não como gostaríamos, não é?

Devido ao lugar em que nós escondemos o número três, fica difícil fazer análises de qualidade sobre sua saúde. Não podemos correr o risco do povo descobrir que um deles está vivo e ainda mais que nós o escondemos. Os relatórios foram feitos com base em apenas dois tripulantes se descobrirem o 3 agora, isso com certeza vai criar um puta dum mal estar na cúpula. Ia ser um problema até mais sério que o de 1986, já que isso confirmaria a desconfiança dos gringos.
No final da segunda semana, após recusar a comer verduras, folhas e frutas, ele finalmente comeu alguma coisa. Comeu papinha de neném. Engraçado, porque ele sempre recusa a salgada, mas adora a doce. Ele tem comido papinha de frutas desde então. Para ele comer, nós colocamos a papinha num prato e deixamos no canto do quarto. Então ele fica sozinho lá por algumas horas e quando voltamos o prato já está vazio. O bicho nunca come na nossa presença. Ele demonstrou uma certa predileção por um canto e passa o dia todo emitindo aqueles zumbidos e estalinhos chatos ali. Nós estamos desconfiando que é uma espécie de mantra, música ou oração, porque já sabemos que ele fala e a voz dele não tem a ver com os zumbidos.

Ele emite uns estalos com a língua contra o céu da boca, mas são estalos mais baixos, e numa seqüência muito rápida. Isso provoca um tipo de silvo que lembra um barulho de abelha. É um som irritante. Ele faz isso na mesma hora, uma vez ao dia desde que foi preso. Por isso começamos a imaginar que é alguma forma de reza ou canto. Depois do ritual, ele fica mais calmo e acessível. É aí que entramos com a papinha e voltamos depois só para pegar a vasilha.

Nós ainda não temos certeza se ele é de outro planeta ou outra dimensão. Também não temos certeza se ele tem consciência total sobre o que está acontecendo com ele. A impressão que nós temos é que ele é o mais jovem naquele disco. O 1 e o 2 eram mais altos que ele. Ele mede 1,22m e os outros dois mediam 1,35 e 1,47.

Nesse período de convivência com a criatura mostramos fotos dos seres abatidos na tela do notebook.

Ele ficou impassível, olhando fixo para os dois sem demonstrar sofrimento ou emoção. Fizemos isso repetidas vezes e um dia ele emitiu um barulho, que foi sua primeira “fala” em cativeiro. Infelizmente, não estávamos preparados para aquilo e não gravamos. Foi uma série longa de barulhos, com intervalos que deu pra perceber, estruturava um tipo de frase, incompreensível pra nós, mas dava pra notar claramente que aquilo era uma fala. Comunicação oral em língua alienígena. Eu não estava naquele dia. Nosso companheiro que é o tratador foi quem ligou pra contar. Eu estava em Brasília por força dos negócios. No dia seguinte, voei para a fazenda o mais rápido que pude. Até aquele momento, nós pensávamos que ele não falava. Foi uma surpresa descobrir que estávamos errados.

Depois daquele dia, ele repetiu umas palavras da tal frase quando via o corpo do numero dois. Só com o dois, o que nos levou a imaginar que este ser tem uma ligação de algum tipo com o dois, mas não demonstra nada para com o corpo do um. Isso é algo ainda a investigar. Nós não mostramos aquela foto das vísceras pra ele porque não sabemos o que isso poderia provocar no comportamento dele. Na dúvida, vamos esperar.

Mostramos apenas as fotos dos rostos do 1 e do 2. Aquelas feitas com celular que eu enviei, eram do um. A do dois que eu mandei, o senhor não publicou.

O nosso visitante emitiu uma espécie de nome para o número dois. Era um som esquisito. Então nós tivemos uma idéia. Tiramos uma foto dele mesmo com a maquina digital depois e mostramos pra ele no próprio equipamento. Ele apontou para si mesmo e para a tela. Foi quando ele demonstrou ter conhecimento de si próprio. Ele emitiu um gemido estalado se reconhecendo e concluímos que aquele barulho só podia ser o nome dele.

Como o barulho era impossível de reproduzir, nós demos um nome humano pra ele: Juca, em homenagem ao pequeno ajudante do palhaço Bozo. Uma dessas idéias bobas e engraçadas que acabam dando certo. O nome pegou e agora só chamamos ele de “garoto juca”.

O pequeno Garoto Juca, como nós o batizamos, não nos deu tantas informações quanto gostaríamos que tivesse dado até agora, mas é óbvio que estamos fazendo progressos.

Nós fizemos as experiências que o senhor sugeriu, mas nenhuma forma de comunicação telepática foi obtida. Ele parece interessado em nós tanto quanto nós estamos interessados nele, mas nossa aproximação tem que ser feita com muito cuidado. Pra falar a verdade, é tudo muito parecido com um contato com índios.

O Juca não apontou para nenhuma estrela naquele mapa celeste. Nós mostramos a ele no notebook as fotos que o senhor mandou e ele ficou olhando fixamente para a tela. Mas não houve nenhuma reação que pudéssemos perceber como sendo um sinal de onde ele vem nem o que conhece. Pra falar a verdade não teve demonstração alguma de curiosidade com nenhuma galáxia. Abrimos um atlas pra ele e ele ficou olhando apenas para o planeta Terra. Num esquema simples do sistema solar, ele apontou para a Terra e nada além. Depois, em outra imagem, ele apontou para o Brasil.

Foram as duas únicas coisas pra onde ele apontou no atlas. Concluímos que ele sabe dizer onde está, mas não sabe, não quer ou não pode dizer de onde vem. Ele nem ri nem faz expressões faciais emocionalmente marcantes, ou mesmo reconhecíveis. A única reação emocional clara dele é a de medo e a tremedeira clássica que sempre acontece quando ele fica assustado. Dá pena de ver. O bichinho treme como vara verde.

Naquela noite no pasto em Tasso, quando o jogamos o infeliz no carro, ele tremeu tanto que eu pensei que estava tendo convulsões.

Ao contrário do que eu falei na primeira mensagem, ele não é tão inteligente como nós pensamos que seria um gray. Nós estamos sériamente desconfiados de que aquela nave deles é de alguma outra tecnologia, quero dizer, de alguma outra raça. O Juca não parece ser inteligente o suficiente para criar máquinas complexas como aquele disco voador. Este é um ponto em que nós não estamos de acordo, porque se pensarmos nos seres humanos, temos poucas pessoas mais inteligentes, muitas pessoas burras e um número deprimente de pessoas que são completamente idiotas. Se aqui é assim, lá pode ser também.

É o que eu costumo falar. Se a gente pegar alguém aleatóriamente no meio de São Paulo, qual a possibilidade de pegarmos um exemplar humano mais inteligente da população do planeta? 10%, 5%, 1%? Muito provavelmente, absolutamente menos.

Se for desse jeito, a ironia do destino é que o único que ficou vivo, é o mais retardado. O único que ficou ali parado tremendo e não correu pra nave nem pro mato. Eu estou apenas imaginando, mas pode ser que ele tenha sido treinado para fazer só uma determinada operação simples e não saiba nada além daquilo. Um dos nossos parceiros tem uma hipótese de que ele é um tipo de macaco, um bicho treinado para fazer certas coisas limitadas. Se for assim, as criaturas podem ser dispensáveis e o foco da tal busca está na recaptura da cápsula.

Mas isso não é uma coisa completamente definida, porque o Juca pode ser uma criatura esperta que está só se fazendo de idiota como forma de se proteger. Como ele não fala nossa língua e só temos ele, não podemos correr o risco de apertar demais e perdê-lo. Não podemos torturá-lo nem usar expedientes “menos ortodoxos”. Estamos seguindo por um caminho de conquistar a confiança dele.

O Juca gosta muito de doces. Ele agora está comendo tudo que seja doce. Mas tem que ser muito doce mesmo, e preferencialmente mole, pastoso ou viscoso. Ele rejeita sólidos como balas e chocolates. Isso me levantou a suspeita de que eles se alimentam apenas de líquidos. Acho que não tem nada muito doce lá no planeta dele, porque ele parece gostar muito de doces, avançando para o prato tão logo fechamos a porta (sabemos disso pelo barulho).

Seguindo nesta idéia, nós experimentamos oferecer mel de abelhas pra ele e deu certo. Na hora que for, você coloca mel no pratinho e dali a uns minutos, já não tem mais nada. Além disso, nós demos cobertura de sorvete pra ele. Ele bebeu água, mas em poucas quantidades.

Nossas observações do Juca tem mostrado que ele não dorme, mas entra num tipo de modo de letargia na parte da manhã e no fim da tarde. Nesse período, ele praticamente não se move e todos os reflexos ficam bem lentos. Durante a noite, ele fica bem mais ativo. Fiemos algumas conjecturas sobre isso. Se ele for de um outro planeta como tudo indica, pode ser que a rotação do planeta seja mais rápida que na Terra, e a noção de dia e noite pra ele é duas vezes mais rápida que para nós. No início nós pensamos que ele estava entrando em hibernação, reduzindo o processo metabólico em função da falta de alimentos, como fazem alguns animais na Terra. Mas depois de passar a comer ele continua saindo do ar nas mesmas horas.

Notamos também que ele não gosta de muita luz. Rejeitou violentamente a luz do dia numa manhã que tentamos levar ele para um “banho de sol”. Ele deu um tipo de “pití” na luz. Talvez isso ajude a explica a falta de referências a contatos imediatos com criaturas na luz do dia, sendo em mais de 90% das ocorrências no fim da tarde e durante a madrugada.

Embora recuse a luz do sol, ele não reage mal a luz artificial. Testamos com infravermelho e ultravioleta também. USando o controle remoto da Tv conseguimos notar que ele vê a luz infravermelha. Além disso, jogamos fachos de lanterna nos olhos dele e as pupilas não dilatam nem se contraem. Olhando de perto, dá pra ver que ele tem uma íris bem escura. Mais escura que a de um cavalo. Além disso, ele tem pálpebras que parecem ter a função de humidificar os olhos.

A boca dele é pequena, sem lábios ou mucosas aparentes. O interior dela não parece ter dentes, mas sim uma dura gengiva que se assemelha um pouco com a de crianças recém nascidas. Não pudemos examinar o Juca com detalhes. Sabemos isso pelo que vimos nos corpos dos outros. Pouquíssimas vezes ele permitiu que o tocássemos. Embora esteja acostumado com o tratador dele, eu e mais dois amigos, ele ainda é muito arredio ao toque e se assusta fácil.

Nos primeiros dias, quando achávamos que ele dormia, colocamos um colchonete pra ele dormir mas ele nunca nem chegou perto. Só ficava ali no canto, sentado no chão. Nós introduzimos uma cadeira de bar no quarto dele e depois de ver o tratador sentar algumas vezes naquela cadeira, ele sentou também e agora, senta-se eventualmente na cadeira.

Juca nunca esboçou reação de fuga ou algo assim. Não se aproxima da porta e as janelas estão trancadas com cadeado. Ele é curioso, mas excessivamente medroso.

O Juca tem 4 dedos nas mãos, sendo dois grandes e dois pequenos, que terminam numa espécie de unha grossa. Os pés são bem pequenos e tortos, sem unha, parecendo meio atrofiados. A pele é fina e com muitos vasos sanguíneos. O sangue é vermelho como o nosso e ele não é cinza. Parece uma espécie de cor de pele pálida, com alguns lugares mais avermelhados, como se fossem queimadura de sol em alguns pontos. Outras partes tem um tom meio despigmentado. Olhando bem de perto, dá pra notar máculas puntiformes de tom vermelho escuro, que dão o tom da pele. Lembra a pele de uma lula, mas é um pouco mais grossa que a da lula e não é gosmento. Não há orelhas, apenas um canal auditivo, sem pavilhão auricular. Nem órgão sexual aparente. A temperatura corporal é ligeiramente mais baixa que a humana. Há uma fenda discreta onde nós supomos que exista um órgão reprodutor embutido. Eles tem o ânus e esfíncteres similares aos dos humanos. Notamos isso também pela observação superficial dos outros corpos.

Não há pelo nem cabelo algum. Ele inclusive é muito curioso com o fato de termos cabelo. Fica olhando os nossos cabelos fixamente. Nós tentamos dar roupas de criança pra ele, mas ele recusa-se a vesti-las. Fica nu o tempo todo e não parece sentir calor ou frio. A cápsula dele era muito fria e eu pensei que ele iria sentir muito calor aqui, mas não notamos nenhum suor.

Ele respira ar normalmente. Nós nos preocupamos que de alguma forma ele pegue algum tipo de germe ou vírus. Isso provavelmente seria fatal para ele.

Nossas recentes experiências incluem tentar ensiná-lo a falar. Ele até aprendeu a falar algumas palavras simples, mas é como ensinar um macaco a falar. Os macacos só não falam porque são impedidos fisicamente. Mas o Juca fala. Ele ainda não articulou uma frase sozinho, da cabeça dele, mas estamos tentando fazer isso acontecer. Por enquanto ele só repete algumas palavras, como um autista.

No video que enviamos, você vai ver que ele está repetindo as coisas com certa dificuldade, mas precisamos ter paciência. Para chegar neste nível levamos mais de um mês massificando e repetindo diariamente as palavras. Nem sempre temos a paciência necessária para ensiná-lo e é frustrante em muitos momentos ver o alien só gemer barulhos incompreensíveis. Mas estamos persistindo. Não tratamos ele com ignorância. A ocorrência do vídeo foi um caso isolado.
Eu relevo isso e tento manter a calma dos meus parceiros dizendo que ele está se esforçando. Está fazendo a parte dele. Se a situação fosse inversa, ninguém aqui conseguiria imitar a sessão de zumbidos dele.

Nós tentamos passar desenhos animados pra ele. Ele vê Bob Esponja de vez em quando, mas não ri e com muita certeza não compreende o que se passa no desenho. Fica mais interessado no aparelho da tevê. Ele olha o fio, os botões e tenta olhar pelas gretas de refrigeração do aparelho, interessado no interior. Nós desconfiamos que o nível de abstração dele é ligeiramente diferente do nosso. Tentamos dar alguns brinquedos pra ele, mas Juca não mostrou maior interesse, excetuando-se uma bola, que ele ficou girando as mãos, parecendo altamente concentrado por vários minutos. Tivemos que tomar a bola dele, porque ele ficava praticamente em transe com ela.

Tivemos medo que ele conseguisse alguma forma de comunicação com o povo dele, mas felizmente isso não aconteceu. A fazenda em que ele está é bastante afastada do local da captura e não houve nenhum avistamento significativo na região. Quando surgiram aquelas especulações de ufos amassando canaviais no interior de SP, tivemos receio que pudesse ser alguma nave chegando mais perto da região do cativeiro, mas até agora, ele está em segurança.

Bom, não quero me alongar mais nem tomar seu tempo. Já escrevi meia Bíblia aqui pro senhor. Se quiser, pode publicar daquele jeito que fez na última vez. Só peço que o senhor apague as partes sublinhadas. Pode reescrever o que achar melhor. E se fizer aquele esquema do conto, com certeza todo mundo vai aceitar.

Sobre o vídeo, acho que dá pra mostrar também. Se quiser passar para algum amigo ou ufólogo, fique a vontade. Se quiser cortar alguma parte, incluir uma marca d´água, link ou tirar o som, faça como quiser. Se fizerem perguntas, fale que é o mesmo boneco das fotos. Acho que o Juca vai passar fácil pelo 1 porque as fotos estavam ruins. Mas omita os dados sublinhados, Ok?

Sobre aquela questão da cápsula, já comecei a copiar os documentos. Mando mais informações no momento oportuno.

Espero que goste do video e das fotos. Desculpa pelo tamanho.

Fique com Deus

Ps: Invente um codinome bem impressionante aí pra mim. E não esqueça de fazer os procedimentos descritos no TXT para destruir o email aí no seu computador, Ok?

imagem017501qj6 O relato de um MIB   parte 2   Curiosidades

ESTE MATERIAL É UMA OBRA FICCIONAL

TRANSLATION (due the automate process of translation, may be some incorrect words. I hope to fix this soon)

Dear Philipe,

Sorry Tuesday his name wrong in our last message. I would first of all thanks to some specific because you have accomplished what we ask about not mention the parties nor marked the third creature.

It was funny when we saw the parts that you invented and misread of our original message. That was good because it has a tone quite contradictory with the first paragraphs. It was ingenious say that their heads were 3d. Anyone vai believe that knowing that you work with these things in heaven and 3d, but I think that would be more realistic to say that was heaven, because you do dolls.

“In my group are two of the military reserve, a doctor and a former civilian police.” –> Very funny. And what about that title that “The report of a MIB” … I felt by film actor of reading that. We did not imagine that he was so creative. The parties were invented until well blended.

Thank you also to accept our suggestion on the story. Only we do not understand because you did not publish all the photos I sent. Is not there a picture of the whole body of number two, nor the viscera of number one. Why?

In response to your questions:

No, I’m not a Men in Black. This is folklore. It occurs that the same way that here in the country, anonymous organisations linked to the U.S. government began to do the job of cataloguing, collecting data and materials. While we have started later, in the U.S. this work is developed from the 50’s. Initially, the men used for the operation of “cleaning up” specific officials were allocated in federal offices, and the USAF, Pentagon and even the White House. There was a restricted protocol of action to be followed, and the guys acted as the standards of the time. They use in 90% of black American cars in the years of middle age 50. They also used black suits because it conferred a degree of sobriety. If you were a bank in North America of the 50´s, the manager was dressed exactly like a MIB. Often, the threats were decorated repetition of textbooks and produced a comprehensive way and robotic way to speak. This further increased the feeling and totally unfounded speculation about links of MIBs with aliens.

Only get one thing be clear: There is a vast difference between humans and aliens. People are people, aliens are aliens. There are people who seem aliens. But I have never seen before. We have read a hand of reports indicating that. But so far only seen aliens of meat and bone, and none of them seemed people. I have never seen with alien face of insect or lizard, much less extraterrestrial life form with arian apparence.

When the MIB phenomenon began to turn a folklore similar to folklore alien, someone had the bright idea to take advantage of it, spreading frightening facts about the coldness and evil of MIBs. That made the job relatively easier, since contaminated by folklore, the visit of a simple face with the black suit and ties, talking about a mechanical way that the witness should stop talking about your experience with Ufos and should worry about life itself and the family, was so frightening and worked so well that the guys there until very helped in the construction of this myth. I can not deny that until today, in some cases, the concept of the “visit of the MIB” works. Especially when those witnesses are new age, with the house full of incense. They are dying of fear of MIBs. It as not need to show the coronha the gun or anything.

Then, once more answering the question, I am not an MIB, while acknowledging that the idea of Mibs are useful for my work. Trully speaking, the more religion, myths, legends and folklore associated with the phenomenon ufo, as Chupacabras, Jesus within the flying saucer, commanders of star fleets, etc., is more difficult to establish the real facts of discernment thus easier to deconstructing the evidence.

Our goal is not to hide the truth forever. We are not enemies of truth. But basically we need to keep some strategic control of information, because if the people know at once what we already know about the alien activity – and still is very little – Will be an unprecedented economic chaos in the world.

See, now just a minor note of newspaper about a potential economic crisis in a large country such as the United States, to be an outbreak of fear in the international investors that tips the scholarships to the point of the economy of developing countries threaten to come into collapse.

Now imagine that amplified a million times, with a deep crisis religious, moral, cultural and technological. The fossil oil fuel that moves whole economies become obsolete in a few hours … The popular pressure on governments will increase rapidly. Everyone will want to know why governments have denied what they knew and what is worse: People will ask their leaders to concrete action on the phenomenon. Believe in me when I say this … There is nothing we can do. The Americans are from the the 60 ships trying to do the work, but what they say is that are delayed at least 50 years in terms of technology to understand how it operates. Not only for understanding but to reach the point necessary to operate as what are the creatures. We esbarrando in limitations of our own constitution physics and technology. The hole is much below than you think. And if a government can not protect its citizens from external threat, for it serves the government? It bombástica the nature of this shock?

The practical result of this is that many people will die. They can die for several reasons. You may miss food in case of social panic. Thousands will lose their jobs. From night to day, milionárias industries will lose the sense of being, dispensing people without future on the streets. The need for information sobrecarregará the media. All the world’s long-term strategies, in which countries and investment funds bet that move the planet should be reviewed. Many religions will be in opposition, against the phenomenon and often conflicting religions intrests will isurge an religious war against aliens. The large majority of those who argue for the truth of the phenomenon ufo would succumb by disastrous results of its own struggle. I am not against the truth. Quite the contrary, only that when you discover the truth, my dear friend, begin to want it does not appear, and will do everything so that it remains so. We are all living in a dream of security. We can not agree the people of this dream. There is a long-term planning that involves many steps until the truth will surface. The only problem is that the cursed discs are not under our control. But they are not interfering. At least not so incisive. And that is something.

About one issue of secrecy:

I regret I can not speak much, because they run the risk of death and I can put my daughters in danger of life if the data that I identify and identifying certain people reaching the public. That is why I am asking you to publish only what is not highlighted and followed to the letter my determinations. Understand that this matter is well beyond what you can imagine. The implications of my work does not include a normal retirement. It’s like they say there: “Ignorance is a blessing.” For this reason, I wanted to remind you that in case of any given restricted be published, even if by mistake, interromperei communication with you immediately.

Answering the question on the subject material:

In recent years, a series of cuts in “operational costs” began to put our operations at risk. I wish I could say that operate with the same financial clearance of expensive related to NSA, GRU, MI5 and other agencies, but the fact is that the last two governments were a shit even get us who are in the eye of the hurricane.

See, the Planalto (center of Brazil government) Palace is the party with credit cards that bancam luxuries, but our operations that have cost 90% covered with a complicated and bureaucratic guise of technological research and consultancy of different types, are mostly limited by little amount since the beginning of the government PT(the popular and historically opposition political partie in atual government). This caused serious problems, compromising the level of security necessary for the functioning of the group. We have agents pay the operational costs to travel and taking the own pockets stays. And that’s the point of paying to work. In recent meetings which I attended with my direct superiors in Brasilia, calling the lack of structure and operational funds. And then came the bad news. But before talking about them, I will try to explain how it all started:

Until the government starts Sarney, which had was a closed group of eight people, military occupations, linked to CIEX, SAE, CIM, SNI, operating throughout the national territory. These were the predecessors of the time the military regime and two of them are our leaders today. Each of them had at least two assistants. It was that group obligation to raise the problem of data on disks and possibly use force to keep the matter quiet. But this was not the only group that was interested in the flying saucers theme.

It seems that the FAB (Brazil Air force) had a parallel deployment working in this matter. But the two groups did not have any connection. In the southeast, south and central-west the period between 1980 and 1984 was to calm. When the government came Sarney, the issue of flying saucers seemed to thing of the past. Hence, the group of search and acobertamento was only half the time devoted to that. The other part of the time was devoted to practical tasks government.

Apart from that Ufos magazine was Ufology National & International “and some publications of the second line, the subject of the disks was relatively under control until a large wave of discs put everything to lose. At that time the satellite tracking system was a distant dream. We were caught by surprise. It was a very strong wave in 86 and dropped something in the media. We try to prevent the scandal to where it was possible, but when the Globe gave hole, with the Aeronautic Minister Otávio Moreira Lima and pilots in TV, talking openly of records in all channels, it was impossible to do anything.

The phenomenon has emerged a large and strong popular pressure for FAB open the beak and speak what was happening. That prompted a meeting of state to decide on this matter. The minister of aviation reached a promise to a detailed report on TV. Initially, this was a tremendous bullshit, but at the end of the day, the report promised work, esfriando the very souls. Our pressure so that the world still present in the Official National week that other views “more choices” by astronomers, physicists and anyone that such an alternative that was not “flying saucer” helped create noise and distracted the people. So the fact that emerged from the media, started working in points neglected that led to this crisis. It is what we call meeting of Post-Mortem.

It was at that time that they were the first ideas for restructuring of the research groups nationally. The FAB’s and ours, generating only a multidisciplinary group civil / military. It was when I entered the game. Until then, I worked in a laboratory connected to XXXXXXXXXXXXXX and when I was invited, not even believe in flying saucers. The first time in my life, I had to decide to either accept or refuse a job without knowing what was right. No one spoke in OVNIS or Aliens. I was thinking that we were going to steal something the government secretly connected to computers from IBM. I just thought that the interest in me was connected to my work in the laboratory and my knowledge with machines. They were very clear in the second meeting. They could only talk me what the job if I accept. If I refused, the conversation ended there. But if I accept, that would be for life. And if I open the nozzle they kill me. They were well enfáticos about that, in a way that no doubt can tell. I asked to think and they gave me two days. I had an engagement ended months before and was living alone after perambular by some republics.

I was in fear topei but because the dollar was much more than I won and I paid rent. Moreover, they guaranteed me a carrão and clothing and legal. (contrary to what everyone thinks, no black suit and white shirt with dark glasses and mirrored phone in the ear) They paid all courses of technical development in my area. It seemed to be a great deal.
If today I could go back in time, we may not agree.

I went and took part in the process of training a soldier. I was listed in the Brazilian Army where I spent a hard training. They took heavy me. I had many training sessions and could not get anyone to talk about my work. After the period of military training I did for a type of academy, with the other members of the group, which studied the little that was known about Ufos, aliens and so at that time. There were a few movies and many photos. There was data from satellite and piles of documents and transcripts and recordings compiled from flights. There were still some data from national and foreign magazines. We studied telecommunications, biology, we had training in jungle combat, tactical training, assault, flight, survival and the worst of them, torture. In the group there was no one with more than 40 years. The explanation for this is that our careers would be well long. In return, we would be a step forward on the reality of the phenomenon. Much of our work was to generate disinformation, go to the place of sightings and prepare balloons in the light of day, along with the press, leaving the TV film. For this, we had several ingenious resources as badges of universities, military identification cards of various types, police, federal police, jalecos, etc.. We had a good arsenal of jokes and if nothing of that right, two guys went up and there were threats to the family of witnesses.

A good example is the work of concealing this:

In 94 or 95, until we come to hide a close relative of a victim in a trailer for almost one week to silence the mouth of a farmer from near Feira de Santana, who has the good fortune – or misfortune – to witness an accident with two ufos. One is in one espatifou stones in a rural region virtually uninhabited. This was redeemed after day, without problems, but not sobrou almost nothing. The other, fell into a pond on the verge of property such farmer. The face redeemed the ship, which was damaged and then took two bodies, one dead and another still agonizing. I did not participate directly in this case, because it was in Mato Grosso in another case. But I saw the reports and photos. The face he saw that he had achieved something unusual and tried to take advantage of what, sell the finding to the TV. But the tracking system had already communicated the central FAB that triggered the team nearest to go to the location. How far was it was necessary to contact the base near and request aid, something that rarely is worth. Where can we do everything alone and use the military bases in the region next only as strategic points where abastecemos the helicopters, vehicles and possibly keep the materials collected by the staff of the logistics and will take the consignment. On that day, we arrived there shortly after the army. Then apreendemos everything. A team was expected in the region and monitoring the steps of the farmer who forgot the name. The guy started to call and talk to journalists, ufólogos and so on. Continuava wanting to appear on top of the case, understand? Even with the threats. Then take the relative him as a demonstration of our intentions.

Now is the pain of listening to his wife crying on the phone, totally desperate. But it was only then that he was touched that the family could really kill him. Then he decided to stay quiet and stop answering phones ufólogos of journalists and curious. And the person returned. I am telling this to show that there are no limits of action for our activity. If it is necessary to kill, they go there and kill, but I do not like any of that. I think I need not reach the process of fact. If you know do the job, do not.

But back to the subject, we have many vigils in the 80 also, always plotting on maps the routes of ufos, and using this data to try to predict the next steps of the creatures. Even in departments have had to go to catch bulletins of occurrence. There was not one or two times we need to use bundles of cash to get some photos, videos and documents.

As I was saying, the group of FAB would then desarticulado and municiaria data. In 1989 formed up a meeting between various countries on the issue of UFOs. That meeting was in Los Angeles and Brazil sent the requests of the international committee to handle the matter, three representatives of our group: I and two more direct superiors. At that meeting, which took place in a convention center on the outskirts of the city, were representatives of various countries as Germany, Japan, Australia, Canada, United Kingdom, France and there seemed to be up to two carecas there of the Soviet Union, which at that time was already in advanced process of opening.

At that meeting, we had an initial series of talks on the issue of Ufos. At the end of it, was an invitation to each country to join a system of global research of the phenomenon, guaranteeing rights to obtain direct benefits arising from technological discoveries. Almost all countries were at turns with the questions of invasion of airspace. Also, we learned at the meeting that the OVNIS put the world under an imminent nuclear threat in two episodes efficiently cushioned by the U.S. and USSR. Were the two countries, motivated by the risks of territorial invasion during the Cold War that begin the initial talks that led to that treaty of joint research.

Until then, it was complicated justify the meetings, and international trade fairs and conferences were the most common excuses. Travel presidential also because they are composed of large Committees of ambassadors, ministers and advisors. Later, in 1993, during a trip to Itamar to find Bill Clinton, has also established an international calendar of meetings to collectively address this issue. This timetable, strategically occurs in the same places and dates of rounds of negotiations of the World Trade Organization, as the Doha Round, Cancun, Geneva, etc., which is much easier for governments to send their delegations as part of administrative advice of the countries participants of the WTO. Also, with all the focus on the issue of trade delegations and discussions, our meetings are easily disguised. At these meetings the news are put on the table, equipment tracking, counter-attack, the balance of cases, the results of various surveys and analyses of the activity of Ovnis, etc.. Finally, much information is exchanged. The U.S. are those who spend more to the matter and obviously speaking less than 50% of what you know.
Brazil joined the group later, because these decisions should not pass by the executive, which was under threat in many countries like ours, leak of information. To worsen, had neither the defence minister in Brazil. Neither Sarney and neither the Collor changed that situation. Even the constituents of 1988 managed to approve the creation of such ministry. A proposal to this effect was submitted to the Subcommittee on Defense of the State and Society but if I am not mistaken, Ricardo Fiúza vetoed the proposal arguing that “a minister of defence would be a serious risk to democracy, as it would become virtually in a super-minister command of all military power. ” There was a great fear of another coup. The decision to join the group was taken by a kind of triumvirate that was the highest instance of which were submitted. Although the government has to be civilian, was well aware of the president away from certain things. The decision was motivated more by a fear of staying technologically delayed in South America than by interest in ALFs. The military were in the largest high-jump and made several demands with regard to data and secrets with respect to equity among participants. The biggest fear was that some countries were having the best parties and the other only pegassem cacarecos of information. Basically, it happened, but in a slightly different way than expected.

So when we enter the group, and arrived late, only entering officially as the first signatory government Itamar. Brazil had its first meeting (until then the meetings were not yet in sync with WTO) still in government Collor, in the social hall of the Copacabana Palace, during the U.S. 92.

Our contribution to the treaty has been fully developed during the Collor administration, but the terms of cooperation for alien only knowledge was finally accepted by the other partners in government Itamar, because there was a tremendous moment of instability with the overthrow of Collor, which delayed everything . I wish I could give more details about the case, but that is complicated. To give you an idea, most people linked to Collor came to try to blackmail people with the little they knew of it, in an attempt to preserve the structure rotten and decadent that government that was already ruindo.

At that time, it was necessary to tighten the game and some people are threated of death. We Take off Mr. Paulo Cesar Farias of the country. Moreover, the PC (his popular nickname) was a very complicated man … Lived is putting in matters that concerned and it had an excessive interest in flying saucers since he saw one when he was still very young in Alagoas. He was drunk and always repeated the same story. The relations of people in our group with the PC Farias become more and more problematic of time at the end of the government,  when the house of cards collapsed of the class of Alagoas. For a strategic error, we used the interest it, it offering to Pc data at the start of Collor was to cause the creation of the ministry of defence, under which, an umbrella well planned estruturaria our operations. We wanted only to rush things, but it was a beautiful “shot in our feet”, as the Collor was not politically strong enough to create the Ministry of Defence and moreover, when the thing got pro beside it, with PF (federal police, like CIA-FBI in Brazil) in his foot and by the italian mafia, Paulo Cesar was not afraid to use it against us knew then, threatening to do an bombastic  interview with Look telephone recordings and everything else if we do not use our influence to cover up half dozen problems that began to appear, such as ghosts bank accounts and people who were starting the second step-up with many useful information about what the PC did. Before you think it, we do not kill the Paulo Cesar Farias. At least, I know …

The problem is that the Government Itamar (another president) , the commitments made earlier, was still in Collor (somewhat rare thing in Brazil) were not met. We are operating in an office of carrier operating in front, mounted on a satellite city by the end of the second term FHC. Indeed, if I comptait what needs to carrier and enterprise Rent a car in front of Brazil, you do not acreditaria.

The pressure only increased because the government pressure to reduce funding for scientific research. It was necessary to create mechanisms such as box 2 (money not contabillizated) and shameful use of expedients, as companies ghosts. We created an air taxi company, which ran until in problems even to circumvent the administrative machinery. It is a long history and annoying, I prefer to count personally. What matters is knowing that the last meeting, things were clear that Brazil did not intend to withdraw from the treaty, but the country was pressured by other countries, especially the U.S. to improve operations research and dispatch of material. Interestingly, the number of civilian sighting was low, in contrast with data from satellite tracking of the Russians and Americans. This discrepancy in the figures gave the impression that we knew more than deixávamos across, which until then was not necessarily true. Later, we learned that the FAB failed to send much of the data that should have done. The contact bodies of tracking people passed by the FAB and went from there to the center, which distributes the events for groups. When exposed the unwillingness of FAB, there appeared an explosion of traffic statistics hotel in 1998, showing and confirming the unwillingness of the Air Force to the official search of the subject.

But until then, our reports showed that the activity of the hotel traffic in the country were virtually stagnant, with an occasional situation possibly appearing in distant places. 90% of the cases were abducted. In the government of FHC everyone worked hard to achieve effectively create a ministry of defence that abrigasse our group, as Brazil was in a vexatória about that situation with respect to other countries. There was also a subtle pressure for Brazil to join the international system of hierarchy of knowledge applied to defence. In 1999 the ministry finally came up we wanted and we think that now everything was resolved.

We take another stroke in our plans.

When Lula took, even in the first term, appeared an order of “prohibition” of sending information. It was not exactly a ban, but a sign for “wait more” a little. There would be a dance on the chair and this could affect the degree of silence of operations. In Brazil, because of governmental structure and the influence of political friends, each government is a threat that enter our work. Because all decisions are made far from the eyes and knowledge of politicians, including President, ministers and parliamentarians, is always a risk that someone influential is removed to make room for a companion of union. Hence, we are holding a little research and the items of data to establish whether the things in the country. Our goal was to pass the group under the ministry of defence. They wanted to establish a system similar to the U.S., with an amount of unreported military orçament money use.

The idea, like many others, was great, but never happened. Only everything even more complicated. Without definition and the law of silence, we are almost decorative. Look into our situation: a group dedicated to Ufos with almost twenty years of practice become totally invisible decorative.

The silence of Brazil to the rest of the world reflected badly. It seemed that we had discovered something important and chose to save get us. The U.S. do that and everyone there knows, but pretends not. Only they alone pay large part of research in this field. We have to give Brazil a inteligence, it is complicated.

The policy of national economical superavit was been still even worse than it was in FHC2 (Second government of Fernando Henrique Cardoso)  and silence on the Brazilian Ufos was the result of incompetence and circunstances in the tables of confidence. Nothing more. But no one believed that it could be well and was even more ugly thing get us. The White House suggested a mixed performance claims including the entry of North-American groups to operate here in partnership with us in Brazil. In exchange, would enter a safe state of endless them, with cooperation in many aspects, including the aerospace, which was of strategic importance for the country, on account of the satellites. But after a huge delay in responding, Brazil refused claiming that classic conversation of “national sovereignty” and “promised to invest their dollar here”.

It was when the rocket exploded. (the explosion of the first rocket made in Brazil, killing many of scientists and operation personal. It still under investigation of the reazon. Many people claim for some type of sabotage) The thing got bad. I was aware of phone calls between the two sides with mutual accusations of blackmail and sabotage. Be that episode was an accident or sabotage, use this weakness was the classic and subtle modus operandi of the United States push their interests.

But the Brazil become hard partner and promised invest. Until the first emerging political crisis and stop it all over again.

Then came the elections and even with the crisis, gave PT again. Then several other sub-political-crisis. Some even problematic for us, as the air crisis (aviation chaos during more than six month at all).

Until a new leadership take over, operate a bar of waiting, playing our boat as we could. Finally realocated the group and there was a sudden pressure for results. It was end of 2006 and early 2007 had green light to “show service.” That is what triggered the operation of Tasso Fragoso. We track that activity for almost 11 months. In parallel, we try a rapprochement with other groups, but Brazil was already well burned.

It was even worse when the FAB opened an official channel of contact with the brazilian ufologists, allowing even the entry of journalists at the headquarters of CONDABRA. I think that the FAB did this to slutty. It was the only plausible explanation. This leads me to believe this, that someone is an FAB probably knew the situation of Brazil in the international group and then deliberately manipulated the ufologists and the TV show “Fantastico” of the Globo Television to show something shocking to the U.S.. It was a kind of scrap. This gave some confusion and generated a tremendous, with links desperate to avoid the country partners in Ufo research that Brazil open their files. Also, it was very bad to Brazil reputation in group, to explain that we had nothing to do with that decision. Because these crazy unknowed decisions are typical of Brazil, no one outside would believe. The solution was standing still.

How many countries were already in the process of reviewing the release of information, such as the French CNES threatening release should be not much that the U.S. remained furious like a “crab in the can with boiled water”, because in Washington there is almost a stack of my time to process against government secrecy, only hoping to hit more data firm in government. This precipitated Bush’s journey to Brazil. With it, came the representatives of the group.

I do not know how it was that happened, but after coming of George Bush and his committee in the country, came a rumour that Brazil would accept the U.S. pressure and would allow them enter and operate freely here. Moreover, would total law of silence. Brazil fell to head for Uncle Sam. Even suggest the possibility of cutting up our group of national research and leave everything related to ufos 100% in U.S. hands, exchanging experts from the field by a small committee of two or three supervisors just to take a look at that data obtained and sending reports XXXXXXXXXXXXXXX to know what was happening. In return, Brazil would give green light for the yankees.

What would be done by my staff, myself and the rest? No one said. We have begun to meet in small informal meetings to discuss our future.

It was clear that the distrust American – indeed the same great eye – put in serious risk our work. Moreover, our lives. We know how things are in that area. Without an asset in our hands, they could do in textbooks as the GRU, deleting the files in a series of accidents alone. An attack here, a heart attack there, one running over … You know how it is.

Nobody here is a dumber and want to die, we know that the sole way to avoid having something that is very valuable to negotiate. I hope it has given to understand our reasons. Any questions I answer in the next message.

As promised in the last contact, we have a break. Now we are sending new news, as it has almost eight months since our previous email.

Philipe, I have good news. The number three is still alive. We had some problems in hide it, because he was very agitated. I would also be seeing my friends or relatives dying that way. We managed to hide the number three in the bucket closed the small truck and sent to be the property of a compadre mine. This person is of my full confidence and did not believe in to see what ufos. It was funny to see his face when opened the bucket. After the fright, a very confiable friend mine helped us arrest the creature in a box of wood and helped transport it in a painful journey made with two trucks (and my thereof) and a little truck car of ownership of coined it, where we are creature of Santa Filomena for a house that is the funds from a rented house in the outskirts of Uberlândia. Several days of travel, followed by bad roads to avoid the police posts. Although some men who were on the train could easily prevent access by police to the load, avoid all possible risks to Uberlandia. It is where he is now. This city was chosen because it is relatively close to Sao Paulo, Brasilia and Rio

After send the physical materials and the bodies of 1 and 2, we had to wait a while for the dust down. ” I found that questions about the capsule would have three seats and have sent only two bodies, but it seems that nobody ateve to this particularity, since it is not the first time that ufos appear in more places with fewer crew members. Even well.

Luckily, the place of the grass was very wilderness and had no witnesses. But still it was a risk hiding in a car commercial. Even more with that sorry state. The trip weakened it considerably, since the heat inside truck was unbearable. We had to start to travel during the afternoon, evening and night and part of day, because for sure he would end up dying.

We follow the ideas that you gave and he was even more quiet. My subordinates were afraid, but in the end, everything worked. Without the cooperation of all, it would be impossible to do that. It’s like you yourself said, would deliver a very evil creature alive for the Americans. Certainly kill it and open it in autopsy the unfortunate and he would in those aquarium chambers. While no one open the beak, and nobody is crazy to do this, we will be with this asset in the hands.

We still do not know exactly what we do with it, nor how long it will remain in captivity. Our contacts may be interesting to point to ways in which direction to follow parallel with these searches. For now, our idea is to give a time with the creature back in the house until we know more about it and its nature. Then, after make sure that this information will be kept under the secrecy it deserves, we want to choose some ufologist to see the 3 closely and documenting him alive. Until this day, we will be some of examinations, including DNA and everything else. part by part, but you understand, we can not appear, as this could pose to our families at risk.

These data and examinations will be kept in a safe and also in power of some specific people, as you. The alien shall be maintained as our guarantee of survival. If something happens with us, sorry the rude way, but we will “play the shit in the whole fan,” and presented the creature and the laboratory tests for the world, uncoverind many decades of lies in one day.

Our biologist is stirring the contacts to get there in the examination UNICAMP. (University of Campinas)  But first we must make sure the degree of security, because the examination must be no more questions, since it is quite possible that the result is different from everything that has walked this planet. The same examination will be done in other laboratories. For now, we need to be as discreet as possible.

There may have hole. The presentation of the alien, if the worst happens, needs to be done through you, so that our superiors not believe how that a copy is alive. We asked to confirm whether you accept broker the meeting at least three representatives and researchers to be suitable. It will be a preparation for the day when the truth can not be hidden.

If so, please send the names of the persons chosen and the numbers of contact. The next message send more data on how to proceed.

There was a more intense activity since that collect the creatures on March 15 last year. Those records, other ships were searching for three creatures caught in Tasso. A great fall of ships, with two sizes. The capsule more equal to that already knew and a minor. We have assumptions that are tactical vehicles, a single pilot, or even remotely operated objects. These vehicles act as if they were hunting aircraft from them.

The decreases began in the north and were following a route in south direction. It was clear that the activity was related to searches for the first ship, which lasted more or least twenty days.

None of the ships made landing. It was a sweeping air at low altitude, which started well in the grass where us intercepts the ship. We take this opportunity to undertake studies of records and video issuance of waves, but without great results as well as photos and videos of better quality than those we already have.

But back to number three, we think that he would die. He became very weak. I came to think of writing to you about the fact he is between life and death, but the others found better to wait a bit before making another contact. The 3 refused water and vegetables for several days. He was totally in fasting and just very thin. Over time, he was getting more calm and has less fear our presence. I think that classical music was a great idea and helped much in that adaptation. But he ate so we were very concerned.

We understand he was excreting from time to time viscous liquid with a strong smell of ammonia. More or less every three days. When the fourth in the same place. We conclude that the digestive system it recalls some of the birds. We will examine the material excreted to learn more about the biological system it, but it should still take a while. If we had the 1 and 2 in our control, it would be easier. But things are as they are and not as we would like, is not it?

Due to the place where we hide the number three, it’s difficult to make analysis of quality on their health. We can not run the risk of people find that one of them is alive and still more that we hide. The reports were made based on only two crew members if they discover the 3 now, it’s sure to create a gtreat problem. It would be a problem even more serious than that of 1986, as it confirms the suspicions of yankees.
At the end of the second week, after refusing to eat vegetables, leaves and fruit, he finally ate something. The Alf just eat baby smashed food. Funny, because he always refuses to salt, but loves the sweet. He has eaten fruit baby food since. To eat it, we’ve put the baby food in a dish and left in the corner of the room. Then he is there alone for a few hours and when we return the dish is already empty. The beast has never come into our presence. He has a certain predilection for a corner and going all day and sending those tinnitus noise flat there. We are thinking which is a kind of mantra, music or prayer, because we know he speaks and his voice has nothing to do with tinnitus.

He gives us noise with the language against the sky mouth, but are noise lower, and a very rapid sequence. (like cetaceus noise) This causes a kind of forest that resembles a bee of noise. It is an irritating sound. He does this at the same time, once a day since he was imprisoned. So I began to imagine that is some form of prayer or song. After the ritual, he is more calm and accessible. That is where we enter the baby food and then returned only to pick up the container.

We have still not sure whether he is from another planet or another dimension. No sure he has full consciousness of what is happening with him. The impression we have is that he is the youngest in that disk. The 1 and the 2 were higher than him. It measures 1.22 meters and the other two measured 1.35meters and 1.47meters.

In this period of coexistence with the creature show photos of slaughtered beings on the screen of the notebook.

He was impassive, looking for both fixed without showing emotion or suffering. We did this repeatedly and one day he delivered a noise, which was its first “speaks” in captivity. Unfortunately, we were not prepared for that and not could record. It was a long series of noises, with intervals giving pra understand, with structured a type of sentence, incomprehensible get us, but we can noticed that what was clearly a speech. Communication in oral language alien. I was not that day. Our partner that is the attendant who was called to inform. I was in Brasilia at business. The next day, i flew to the farm as fast as I could. Until that moment, we thought that he did not speak. It was a surprise that we find wrong.

After that day, he repeated a few words of this sentence when the body via the number two. Only with the two, which led us to imagine that this must be a connection of some kind with the two, but does not prove anything to with the body of one. This is something still investigating. We did not show that photo of guts for him because we do not know what this could lead in his behaviour. In doubt, we will wait.

We show only pictures of the faces of 1 and 2. Those made with mobile I sent, were of one. The two of which I sent, you have not published.

Our visitor gave a kind of name for the number two. It was a strange sound. Then we had an idea. Take off a picture of it with the digital machine and then show for him in their own equipment. He pointed to himself and to the screen. It was when he demonstrated its knowledge of itself. He delivered a moan noised is recognizing and concluded that noise could only be the self name.

As the noise was impossible to play, we have a human name for him: “Juca”, in homage to the small helper Bozo the clown. One of those dumb ideas and funny that just giving certain. The name caught and now only call it the “boy juca.”

The small Boy Juca, as we baptized, given us as much information as we wish it had given so far, but obviously we are making progress.

We have the experience that you have suggested, but no form of telepatic communication was obtained. He seems interested in us as far as we are interested in it, but our approach has to be done very carefully. To speak the truth, everything is very similar to a contact with Indians.

The Juca not pointed to any star in that celestial map. We showed him the notebook in the photos that you sent and he was looking firmly to the screen. But there has been no reaction that we could understand as a sign of where it comes from or what they know. To speak the truth has not had any demonstration of curiosity with any galaxy. Open an atlas for him and he was looking only for the planet Earth. In a simple diagram of the solar system, he pointed to the Earth and nothing beyond. Then in another image, he pointed to Brazil.

They were the only two things get where he pointed the atlas. We conclude that it knows where you say, but do not know, does not want or can not say where it comes. He does not laugh or facial expressions emotionally significant, or even recognizable. The only clear his emotional reaction is to fear and tremedeira classic that always happens when he is scared. It pity to see. It shakes as a cell in vibra-call.

That night in the grass in Tasso, when the unfortunate play in the car, he trembled so much that I thought I was having seizures.

Contrary to what I told the first message, it is not as smart as we think it would be a gray. We are seriously suspicious that that ship them is a different technology, I mean, in any other race. The Juca not appear to be intelligent enough to create complex machines like that flying saucer. This is a point where we are not in agreement, because if we think of human beings, we have few people more intelligent, many people not so smart and a depressing number of people who are completely idiotic. If this is so, there may be also.

That is what I usually speak. If we get someone randomly in the middle of Sao Paulo ou New York, where the ability to take a more intelligent human copy of the population of the planet? 10%, 5%, 1%? Most probably, absolutely less.

If this way, the irony of fate that is the only one who was alive, is the most delayed. The only one who stopped there was totally in panic and not get run ship or to bush. I’m just wondering, but it may be that he has been trained to do only a simple operation and not know anything beyond what. One of our partners is a chance that he is a type of monkey, a creature trained to do certain things limited. If so, the creatures may be dispensable, and the focus of this search is the recapture of the capsule.

But this is not something completely defined, because the Juca can be a smart creature that is only making the idiot as a vehicle to protect. As he does not speak our language and we only have it, we can not run the risk of tightening too much and lose it. We can not going torure it or arrange to use “less orthodox” way. We are following a path to win the confidence of him.

The Juca much like the candy. He is now eating everything that is sweet. But it has to be very sweet indeed, and preferably soft, pasty or viscous. He rejected as solid candy and chocolates. That I raised the suspicion that they were fed only liquids. I think it has nothing very sweet planet there in it, because it seems like much of sweets, advancing to the dish as soon as closing the door (also known by the noise).

Following this idea, we try to offer honey bees for him and it worked. At the time it is, you put honey in jar and from there a few minutes, no longer has any more. Furthermore, we have coverage of ice cream for him. He drank water, but a few volumes.

Our observations of Juca has shown that he never sleeps, but enter into a kind of way of lethargy in the morning and at the end of the afternoon. In that period, he barely moves and all reflexes are well slow. During the night, it will be much more active. E make some conjecture about it. If it is from another planet as it seems, may be that the planet’s rotation is faster than on Earth, and the notion of day and night for him is two times faster than for us. At the beginning we think he was entering into hibernation, reducing the metabolic process in light of the lack of food, as do some animals on Earth. But after moving to eat it still leaving the air in the same hours.

Also note that he does not like a lot of light. It rejected violently the light of day in a morning that he tried to take a “bath of sunlight.” He gave a kind of “crazyness” in the light. This may help explain the lack of references to contacts with immediate creatures in the light of day, being over 90% of the events in the evening and during the night.

While refusing the sunlight, it does not react badly to artificial light. We tested with infrared and ultraviolet as well. Using the remote control of TV we note that he sees the infrared light. Also, to play flashlight beams in his eyes and the pupils dilate or if no contract. Looking closely, One would see that he has an iris and dark. More that than a dark horse eye. Moreover, he has eyelids that appear to have the function to moisten the eyes.

The mouth of it is small, without lips or mucous apparent. Inside it does not seem to have teeth, but a hard gum that looks a bit like that of newborn children. We can not examine in detail the Juca. We know that we have seen in the bodies of others. Little times he allowed the touch. Although accustomed to the attendant him, I and two friends, he is still very suspicious to the touch and that scares easily.

In the early days, when think he slept, put a foam carpet for him to sleep but he never arrived or close. Only there was in the corner, sitting on the floor. We introduced a chair to bar him in the fourth and after seeing the attendant sometimes sit in that chair, he also sat and now, possibly sit on the chair.

Juca never outlined reaction of flight or something like that. Do not close the door and windows are locked with lock. It is curious, but too afraided.

The Juca has four fingers on the hands and two large and two small, ending a kind of nail thick. The feet are small and well not good shaped without fingernail, looking through shrivelled. The skin is thin and with many blood vessels. The blood is red like ours and it is not gray. It seems a kind of skin color of pale, with some places more red, as if they were burning sun, in some points. Other parties is a way despigmentado tone. Looking as closely as possible, can tell noted macules Stipped tone of deep red, giving the tone of the skin. Remember the skin of a squid, but it is a little thicker than that of squid and is not slimely. No ears, only one ear canal, without ear. Neither apparent sexual organ. The body temperature is slightly lower than the human. There is a slight cleft where we suppose that there is an organ player embedded. They have the anus and sphincters similar to those of humans. Also note that the surface observation of other bodies.

There is not by any hair. He is also very curious terms with the fact hair. It is looking at our hair firmly. We try to make children’s clothing for him, but he refuses to clothe them. It is naked all the time and does not seem to feel heat or cold. The capsule it was very cold and I thought he would feel much heat here, but not noticed any sweat.

He breathes air normally. We are concerned that in any way he get some kind of germ or virus. This probably would be fatal to him.

Our recent experiences include trying to teach him to speak. He even learned to speak some simple words, but how to teach a monkey to speak. The monkeys not only speak because they are physically prevented. But the talks Juca. He has not articulated a phrase alone, the head of it, but we are trying to make this happen. For now he only repeated a few words, as an autistic.

In the video we send, you will see that he is repeating things with some difficulty, but we need to have patience. To reach this level take more than a month repeating and repeating the words daily. We do not always have the patience necessary to teach it and it is frustrating in many moments see the alien only moan incomprehensible noises. But we persist. Do not treat it with ignorance. The occurrence of the video was an isolated case.
I emphasis that and try to keep calm of my partners saying that it’s working. You are making of it. If the situation were reversed, no one here could imitate the session of tinnitus him.

We try to pass cartoons for him. He sees Bob Sponge (cartoon television character)  from time to time, but not with much giggling and certainly not understand what is happening in the design. It is more interested in the TV unit. He looks the wire, buttons, and tries to look for cracks of the refrigeration unit, interested in the interior. We believe that the level of abstraction it is slightly different from ours. We try to give some toys for him, but Juca not shown more interest, except to a ball, he was turning his hands, seems highly concentrated for several minutes. We had to take the ball it, because it was almost a trance with her.

We fear that he could some form of communication with the people it, but fortunately it has not happened. The farm where he is is quite removed from the site of capture and there has been no significant sighting in the region. When speculation emerged of those ufos crumpling sugarcane inside SP (some type of bizarre crop circles and sightings ocour near São Paulo), we fear that some ship could be getting closer in the region of captivity, but until now, he is in security.

Well, I do not want to dwell more or take your time. I have written here half Bible for you consideration. You can publish anything you did that last time. I ask only that you delete the parties underlined. You can write what you feel better. And if you do that sketch of the story, of course everyone will accept.

On the video, I can tell that show too. If you want to move to any friend or ufologist, is the will. If you want to cut some part, contain a watermark, link or make the sound, do as you like. If they questions, ask what is the same doll pictures. I think that Juca will pass easily by 1 because the photos were bad. But, please omit the data underscores, right?

About one issue of the capsule, already started to copy the documents. I will sebd more information at the right time.

I hope you enjoy the video and photos. Sorry by size.

Stay with God

Ps: You can create a nice codename quite impressive there for me. And do not forget to make the procedures described in TXT to destroy the mail there on your computer, right?

 O relato de um MIB   parte 2   Curiosidades Category: Product #: Regular price:$ (Sale ends ) Available from: Condition: Good ! Order now!
Reviewed by on. Rating:


Designer, blogueiro, escritor e escultor. Seu passatempo preferido é procurar coisas interessantes e curiosas para colocar neste espaço aqui. Tem uma grande atração por assuntos que envolvam mistérios, desconhecido e tecnologia. Gosta de conversar sobre qualquer coisa e sempre tem um caso bizarro e engraçado para contar. Saiba mais...

98 Comments

  1. biancantunes@hotmail.com'

    Nem li ainda,muita coisa

    Reply
  2. angeloaffonso@hotmail.com'

    Rapaz vc devia escrever um livro com certeza ia ser algo genial semelhante a arquivo x, acredito que seria um grande sucesso

    Reply
  3. eclipse_dark_1@hotmail.com'

    Nossa, 40 minutos lendo isso…

    Cara, no primeiro e-mail desse cara eu nem liguei muito, parecia mto fake pro meu gosto, mas dels, os detalhes desse segundo, ninguem seria tao otario de fazer tantos detalhes só pra criar um e-mail alvoroçante num blog como o Mundo Gump…

    É realmente de dar medo…
    Só não entendo qual é a intenção desse cara em ficar mandando e-mails para o blog e dps vc postar aqui, qual o propósito disso?
    E oq o cara pretende fazer com o ET, transforma-lo em mascote?

    Reply
  4. patola@patola.org'

    Hahahaha, MUITO bom. Bastante criativo e convincente, exceto por aquela especulação mais infantil de a criatura ser de “outra dimensão”.

    E o filme já foi removido do youtube! Que droga :/

    Reply
  5. ivan_maiacampos@hotmail.com'

    foi mal cara, admiro muito seu blog e tudo mais, mas esse post ficou muito grande, maior que o necessario, as vezes é so uma dica, mas vc deveria as vezes separar em partes e ir colocando aos poucos. Com o intuito de tornar uma leitura mais rapida para todos ( rapida que eu digo nao no sentido de facil, mas pouco cansatica) , e tambem de envolver o leitor a ponto de ele querer esperar ansiosamente pela segunda parte.

    Aí que entra minha segunda ideia, você nunca pensou em escrever uma história, e ir publicando aqui no MG semanalmente?
    Eu acho que seria uma boa ideia, ainda mais porque vc é uma pessoa bem criativa e que escreve bem ( na minha opiniao, claro).
    Espero que tenha considerado minha crítica anterior como construtiva ou entao como uma mera opiniao e nada ofensiva.

    Abraço

    Reply
  6. ivan_maiacampos@hotmail.com'

    [quote comment=""]foi mal cara, admiro muito seu blog e tudo mais, mas esse post ficou muito grande, maior que o necessario, as vezes é so uma dica, mas vc deveria as vezes separar em partes e ir colocando aos poucos. Com o intuito de tornar uma leitura mais rapida para todos ( rapida que eu digo nao no sentido de facil, mas pouco cansatica) , e tambem de envolver o leitor a ponto de ele querer esperar ansiosamente pela segunda parte.

    Aí que entra minha segunda ideia, você nunca pensou em escrever uma história, e ir publicando aqui no MG semanalmente?
    Eu acho que seria uma boa ideia, ainda mais porque vc é uma pessoa bem criativa e que escreve bem ( na minha opiniao, claro).
    Espero que tenha considerado minha crítica anterior como construtiva ou entao como uma mera opiniao e nada ofensiva.

    Abraço[/quote]

    Foi mal mas teve um erro que me incomodou um pouco, eu quis dizer cansativa e nao cansatica. hehehe

    Reply
  7. robsonenke@gmail.com'

    Se da última vez ele sumiu por dois dias, dessa vez vai ficar fora pelo menos uma semana (espero que não, porque apesar de não comentar muito ultimamente, leio sempre)

    Então, vamos ao que interessa. Não vou tentar discutir a veracidade do depoimento, pois depois dos comentários do primeiro relato ficou meio difícil de acreditar (apesar de você ter aberto um rota de escape muito boa com essa história de que alterou partes do email e não publicou certas fotos, que poderiam ser mais chocantes).

    O texto tem várias partes muito interessantes, como por exemplo a negativa do ser em se comunicar ou ter qualquer relação de proximidade com os humanos. Acho que foi aqui mesmo no mundo gump que eu li uma vez: “É muito legal ir ao zoológico ver os bichos, mas nem por isso você vai tentar falar siriema”. E é veradade. Imagine que você foi capturado por um grupo de macacos e é mantido como uma espécie de refém. Seria um ato de hostilidade por parte dos macacos, e você, mesmo sendo mais inteligente e tendo consciência disso se manteria o mais afastado possível e não tentaria se comunicar com eles, afinal de contas você pedir para ser solto ou perguntar se o macaco prefere banana de manhã ou à tarde seria a mesma coisa para ele. O máximo que você faria seria tentar xingá-los de vez em quando, o que provavelmente o ET tentou fazer =)

    Se seres de outros plantas chegaram até aqui, é porque a sua tecnologia é muito mais avançada do que a nossa. Então por que diabos eles tentariam manter contato conosco? Para nos estudar? Não é necessário, eles podem nos observar. Afinal de contas, ninguém nunca perguntou à siriema qual é o modo de vida dela.

    Outra parte curiosa é quando o agente fala que foi à um encontro nos EUA, junto com dois superiores. Oras, para quem não quer ser identificado, isso é muito descuido. Só seria necessário descobrir quem foi na missão e verificar qual era o orelha-seca dos três. E então apertá-lo, para que revele onde se encontra o nº 3, que está nos arredores de Uberlândia. Ou não.

    E o principal, que dá ares hollywodianos à saga de nosso agente, é o vídeo. Cara, deve ter dado um trabalho dos infernos prá fazer isso. Vídeo que me lembra outro fato curioso sobre extraterrestres: ninguém nunca pensou em filmar um et em um ambiente iluminado? Thomas Edison já inventou as lâmpadas à algum tempo. Por que será que ninguém conseguiu até hoje juntar no mesmo lugar uma câmera, uma lâmpada e um alien?

    Acho que é isso. O blog tá demais. Parabéns.

    PS. Foi só eu ou mais alguém notou que a voz ao fundo no vídeo se parece muito com a voz que ouvíamos nos gumpcasts? =)

    PS2. O que houve com os gumpcasts? Foram para o limbo?

    Reply
  8. nuno@nuno.com'

    O post da macaca careca foi muito mais relevante…

    Reply
  9. andrekling@uol.com.br'

    Cararra, se superou agora, ta muito bacana a historia, verdadeiro enrredo de RPG. O youtube ter tirado o video do ar ficou ate mais maneiro, dando um ar de q e algo super secreto.
    Agora so falta fazer o Bruxa de Blair alien :D
    abracao cara
    Andre K David

    Reply
  10. reginaldor@gmail.com'

    Meu filho, depois de ler isso tudo, eu só posso dizer:

    PARABÉNS!

    1- Se você inventou isso da sua cabeça, você é um gênio
    2- Se você está usando um modelo de contos para encobrir uma coisa real, você tem muita coragem. É muito macho mesmo.
    3- Esse video intrigante aí… Se você disser que isso é 3d, eu acredito. Mas se não for é a coisa mais assustadora que eu já vi.
    4- Se isso for real, você já pensou nas consequencias do que está fazendo?

    Reply
  11. Pessoal, dessa vez eu não vou sumir.
    O texto é ficção. É conto. Eu inventei isso. O video é 3d. Não existem aliens em casas abandonadas de Uberlândia.

    Reply
  12. arthur_gbr@hotmail.com'

    Nó, o “fala seu filho da puta!” deu dó!
    “Não existem aliens em casas abandonadas de Uberlândia.” Uai, não era um sítio na periferia?

    flw

    Reply
  13. carloszip@oi.com.br'

    Com as fotos da primeira parte ficamos imprecionados, se não forem reais, que critério precisaria pra ser consideradas verdadeiras? De todas as fotos que vimos, essas são as melhores. A segunda parte também faz muito sentido, o vídeo é assustador e diferente de tudo q já vimos. Eu e meus irmãos já avistamos três objetos decolando de uma montanha, foi tão diferente de tudo que conheciamos que ficamos olhando um pro outro atônitos pq não estavamos acreditando q podeia ser o que estavamos pensamdo q era. Não gostamos de relatar isso pq é preciso muita coragem pra se expor à reações preconseituosas, também não temos provas como fotos ou vídeos. Apreciaria muito se puder me enviar as outras fotos. Abraço.

    Reply
  14. dbn09@yahoo.com.br'

    Eu tinha percebido que era 3D, muito bem feito por sinal.

    Mas você não precisava ter contado, né? ahuaha

    Reply
  15. para_raio_de_doido@yahoo.com'

    você chamou o alexandre frota para bater no et?

    isso quer dizer que o próximo vídeo será do(a) et peladinho(a) dando uma abduzida no frota?

    oh my.

    Reply
  16. kentaro.mori@gmail.com'

    Caramba, Philipe, sempre surpreendendo!

    Reply
  17. Incansavelmente apenas tentando.

    Reply
  18. lfbr7@hotmail.com'

    se nao fosse pelas foto eu nem desconfiava!

    Reply
  19. fxarte@fxarte.com'

    Philipe, cara, você é genial!!!!

    O enredo associado ao vídeo provocou uma reação muito semelhante àquela que Orson Welles conseguiu ao narrar pelo rádio a “Guerra dos Mundos” de H. G. Wells!!
    Tudo que você criou seria extremamente original e interessante para se tornar um filme!
    Parabéns, amigo!!

    Reply
  20. filipehagabo@hotmail.com'

    Seria mais legal não ter admitido que era fake, tenho certeza que todos os que leram esses contos apesar de achar q era mentira la no fundo tinham uma certa incerteza, mesmo assim ficou tudo muito bom, só a foto do ET na cadeira que ficou meio extranha porque quase ele não faz sombra, e a cadeira faz, se vc mecher mais um pouco nesse ponto ficaria assustadoramente real, de qualquer forma esse blog é dez!!! abraçosss

    Reply
  21. tenebrae_df@yahoo.com.br'

    Muito bom, Sr Kling! Excelente!
    Como alguém já comentou, dá um ótimo enredo de RPG, mesmo!

    Abraço!

    Reply
  22. [quote post="1699"]Seria mais legal não ter admitido que era fake, tenho certeza que todos os que leram esses contos apesar de achar q era mentira la no fundo tinham uma certa incerteza, [/quote]

    Filipe, o meu objetivo desde o início é apenas criar um enredo completamente ficcional e não uma fraude ufológica. O relato de um MIB é como Taken, Lost e Arquivos X. Ficção pura. Só que envolvendo pessoas reais, alguns fatos reais e a realidade nacional. Se eu tivesse acesso a um canal de Tv, transformaria isso numa série.
    Mas o que eu posso dizer é que ainda não acabou.

    Reply
  23. clisand@CTFO.gov.br'

    Bem feito até demais. Eu conheço pessoas no governo que me confirmaram a algum tempo alguns dos dados descritos neste texto. Eu posso garantir que isso não é inventado como você diz. O alien até pode não ser real nem o video. Mas tem informações aí que quase ninguém sabe.

    Assuma que você tem um informante. Qual o objetivo disso?

    Reply
  24. caveman@caveman.com.br'

    [quote post="1699"]Bem feito até demais. Eu conheço pessoas no governo que me confirmaram a algum tempo alguns dos dados descritos neste texto. Eu posso garantir que isso não é inventado como você diz. O alien até pode não ser real nem o video. Mas tem informações aí que quase ninguém sabe.
    Assuma que você tem um informante. Qual o objetivo disso?[/quote]

    Com certeza nesse angú tem caroço!

    Cara você é maluco. A essa hora os serviços de inteligência já estão grampeando seu telefone. É claro que você sabe mais do que esta dizendo saber e está visívelmente inventando este conto para esconder a pessoa que está contando essas coisas.
    Você não tem medo de morrer? Esse assunto incomoda muita gente.

    Ah, claro. O Philipe vai negar até a morte dizendo que ele que inventou tudo isso aí.KKKKKKKKKKKKKK :))

    Outra coisa, isso aqui:

    [quote post="1699"]Em 94 ou 95, chegamos até a esconder um parente próximo de uma vítima num trailer por quase uma semana para calar a boca de um fazendeiro das proximidades de Feira de Santana, que deu a sorte – ou o azar – de testemunhar uma acidente com dois ufos.[/quote]

    Aconteceu mesmo! Foi na fazenda do Beto Lima e ele se recusa a falar sobre isso até hoje.

    Mostra aí pra nós o modelo 3d?

    Reply
  25. [quote post="1699"]É claro que você sabe mais do que esta dizendo saber e está visívelmente inventando este conto para esconder a pessoa que está contando essas coisas.
    Você não tem medo de morrer? Esse assunto incomoda muita gente.[/quote]

    Então, acho melhor pedir pra galera clicar aí nos anúncios pra eu poder comprar um colete à prova de balas!

    [quote post="1699"]Mostra aí pra nós o modelo 3d?[/quote]

    Infelizmente não poso mostrar o modelo 3d.

    Reply
  26. simeoni666@hotmail.com'

    Concordo plenamente “Com certeza nesse angú tem caroço!”.

    Reply
  27. leandro.montanaro@gmail.com'

    caraca .. dá onde vc tira essas ideias ?

    ” o Pc Farias era um pé no saco ” ..

    sausuahusa .. ficou muito bom cara .. e esse video da MEDO ..

    abraço ..

    Reply
  28. cb4malkav@hotmail.com'

    Philipe, extremamente engraçado esse Post. E bem mais complexo de o que primeiro, mas ainda me parece claro que é fake.

    E não vejo muito problemas nos posts grandes. Os seus melhores, na minha opnião, são os grandes.

    Bem divertido!

    Reply
  29. felipe@verillo.com'

    hahaha muito bom
    voce deveria escrever um livro!
    o mais engracado ‘e que tem gente que REALMENTE acredita haha
    continue com a serie de qualquer forma muito bom

    Reply
  30. marcoskp@pop.com.br'

    [quote comment=""][...] a segunda parte de "relato de um MIB", outra obra do artista brasileiro Philipe Kling David, do MundoGump. Para ficar claro: é tudo [...][/quote]

    Segunite Philipe… a história foi boa de inicio mas vi que era “picareta” :-) logo que começaram os detalhes de onde estava o alienigina, sobre existirem 3 e sobre só dois terem sido entregues para o governo. Ou seja, se ele nao queria ser descoberto ele nunca iria deixar vc publicar sobre um terceiro alien, muito menos a região onde ele estaria escondido. O governo seria informado do teu blog e iria atraz do alien na hora. Alem disso, a foto é evidentemente 3D. Eu gosto muito de computação gráfica e raramente sou enganado por imagens 3D. Aquela realmente parece ser 3D.

    De qualquer forma, o post foi divertido, só muuuuuuuito longo. E o blog é muito bom, também.

    Abraços

    Reply
  31. Valeu Marcos. Vc é muito perspicaz.

    Reply
  32. mccrw@hotmail.com'

    Opa…

    Muito bom o conto … mas eu concordo com alguém que falou que ele deveria ser dividido em partes. .. ilustrado com algumas fotos e tal…

    mas parabéns mesmo , vc se supera sempre ! Quem nos dera fazer um filme disso hein =)

    ia ser legal pacas !

    Reply
  33. fbax.files@gmail.com'

    Fico pensando, como alguém que não pode se identificar, disponibiliza um vídeo com pessoas falando? Obviamente, diante de “serviços de inteligência”, ele rapidamente seria identificado. Além disso a foto, pra mim, é terrível. Eu faço em casa uma igualzinha, fazendo parede e chão mais realistas.
    Mas sempre é bom pensar a respeito, não?

    Reply
  34. Faz aí então.

    Reply
  35. thi@spfc.net'

    seu nome é com um L e escrevi com 2. haja!

    Reply
  36. Esquenta não, véio. Até eu escrevo meu nome errado de vez em quando.

    Reply
  37. roneypootz@gmail.com'

    Philipe, parabéns pelo conto. Tá ótimo.

    Comecei a ler seu blog há umas duas semanas e posso dizer que agora virei leitor assíduo.

    Gostei muito da forma como você está relacionando a estória com fatos reais ocorridos no Brasil. Show! Parabéns mesmo.

    Quem dera você pudesse criar uma obra cinematográfica em cima dessa estória hein!?

    Reply
  38. fredrocknroll@gmail.com'

    kra…. vc supera mesmo…

    Mt boa a historia, fikei em duvida um bom tempo me perguntando se isto realmente seria verdade hehehe…. quando começou a dar detalhes como o do PC, ae eu comecei a rir… da historia, acho q somente a questão do anonimato que deixou claro o fake, pois como ja disseram, naum teria como se omiter passando essas informações…

    O video ficou louco, tirando o kra zoando o alien no video (ao melhor estilo joselito)… a imagem tb ta otima, mas ficou meio “inorganica”, emborrachada (opnião chata pois eu naum faria algo bom assim)… a propósito foi vc quem fez o vídeo? Isso da uma propaganda e tanto pro seu blog … me faz lembrar a historia de Orson Welles na decada 40 uhahuahuauh…

    Mt bom kra…

    Reply
  39. Sim eu que fiz tudo, a modelagem o conceito, a animação, as fotos, as texturas, as imagens, até as vozes. Incluindo a história.
    Tudo já está pensado. Até o que parece não bater. O relato ainda não acabou. Sobre a história, tudo que eu posso dizer por enquanto, é que eu recebi a terceira mensagem ontem a noite. Ele respondeu algumas das minhas perguntas. Mas preciso esperar o sinal para divulgá-la. Divulgar a mesma antes da hora pode colocar tudo a perder. As pessoas acham que eu publico o relato assim que recebo, mas a verdade é que cada passo é cuidadosamente planejado para ocultar certos detalhes.
    Vcs acham que eu devia publicar as fotos mais sinistras? Pensei em não fazer isso, pq algumas são muito chocantes.

    Reply
  40. alesbier@gmail.com'

    cara… textos gigantes sao os melhores…
    mas pra eu que leio em “etapas” seria bom nomear capitulos, ficaria mais facil pra identificar uma pausa na leitura.

    Eu sou fã dos seus textos… se um dia eu for fazer um curta metragem, vou te convidar para roteirista ou pedir permissao pra usar uma das suas historias.

    Abraço.

    Reply
  41. abiegno@yahoo.com'

    Muito bom tudo Felipe, montagens, desculpas, respostas e filminho. No caso de tudo ser a mais transparente expressao da verdade eu posso sugerir algo? O Juca nao gosta de luz pq de onde ele vem as cidades sao subterraneas, e ele tem tudo para ser uma “criança” alem de ser o copeiro da nave, ou algo equivalente (se uma arrumadeira de cama sobreviver a um naufragio, ela pouco saberia sobre o sistema de direçao-piloto do navio…).
    Ha duzias de mecanismos explicantes em nosso modo de entender o que seja real e dizer q voce montou tudo e esta no puro exercicio de sua imaginaçao e´uma bela tentativa de fugir da vertigem, assumir que sua historia seja real como eu assumo deixa dois caminhos bem claros: ou nao fazer nada (na medida q somos espectadores) ou interagir com essa verdade (o que seria algo bem diferente do que começar xingando o Juca de filho-da-puta e querendo dele um relato detalhado sobre seus ultimos anos como visitante aqui).
    Nao achei as outras fotos que foram mencionadas neste site (nao me lembro se vc as postou ou nao), mas gostaria de ver o restante do material que voce recebeu e conversar sobre isso de outro modo, q nao neste de espanto-duvida-e-curiosidade-de-fim-de-semana…
    Abraços, cordialmente
    C.

    Reply
  42. sss@terra.com.br'

    Felipe, posta as outras imagens aí ninguem vai acreditar de qualquer forma.

    Reply
  43. verena.peres@gmail.com'

    Ae Philipe!

    Não li inteiro, mas ainda vou ler… mas não ressiti e vi o videozinho… só não sei o que o pessoal achou de assustador no video… sei lá, eu ia estranhar mais se ele tivesse umas tatto tipo do Noturno no cocoruto…

    Mas tá legal dimais.

    Outra coisa, na foto dele na cadeira, como ele é sensivel a luz (pelo que falaram nos comments) ele podia estar com um pouco de.. dor?

    Beijão

    Reply
  44. Ele não é sensível a luz não. Acho que não gosta é de sol mesmo.
    Só não me pergunte porque, hehehe. Não faço nem idéia.

    Reply
  45. [quote post="1699"]e dizer q voce montou tudo e esta no puro exercicio de sua imaginaçao e´uma bela tentativa de fugir da vertigem[/quote]

    Cara acho que estou quase em velocidade de escape para sair da vertigem.
    [quote post="1699"]Nao achei as outras fotos que foram mencionadas neste site (nao me lembro se vc as postou ou nao), mas gostaria de ver o restante do material que voce recebeu e conversar sobre isso de outro modo, q nao neste de espanto-duvida-e-curiosidade-de-fim-de-semana…[/quote]
    Eu gostaria de poder divulgar tudo, mas não posso devido a natureza da questão.
    Estou segurando a parte 3 pq estão tentando invadir minha maquina. Já estou com uns especialistas aqui me ajudando e assim que houver total garantia, eu postarei.

    Vou aproveitar a carona e avisar para os hackers que estão tentando invadir a minha maquina em busca do material, para não perderem o seu tempo com isso, já que os dados que você acham que estão lá, sempre estiveram em outro computador. Eu não ia ser otário para dar este tipo de mole. Além do mais, o email pelo qual recebo as mensagens já é outro faz tempo.

    Além disso, ligações com ameaças de morte não me intimidam. Na próxima, eu vou gravar e isso vai virar um belo post no Mundo Gump.
    Eu estou desconfiado que tem gente graúda ficando com a pulga atrás da orelha.
    Pessoal, “O relato” é uma obra quase 100% ficcional. Eu já disse!
    Ameaças não mudarão este fato.

    Reply
  46. abiegno@yahoo.com'

    Felipe

    Ha medidas legais que voce pode tomar em relaçao tanto a proteçao do material que estao te passando (ta, eu sei, tudo nao passa de ficçao, mas eu to considerando a possibilidade de nao ser) quanto a garantir a integridade do teu informante.
    Uma consulta ainda que anônima à Policia Federal pode te esclarecer algumas coisas que nao dao pra ficar extendendo aqui. Se isso tudo for ficçao entao esta ótimo, se nao for, voce poderia muito bem entrar em contato com o pessoal do Disclosering Project… seria interessante e ainda aterrador para os que ja estao com pulgas atras da orelha. Imagine juntar proteçao legal às ideias de um movimento que tem tomado corpo e lutado pela “transparencia ufologica”? Seria de arrepiar os cabelos realmente. Minha vó dizia chi pecora si fà, il lupo si la mangia, quem se faz de cordeirinho…

    Abraços de sempre
    C.

    Reply
  47. taroeel@aim.com'

    I have something for you, Philippe. It is something you never had before. It is to do with you write. Email for instruct.

    -Taroeel

    Reply
  48. [quote post="1699"]Ha medidas legais que voce pode tomar em relaçao tanto a proteçao do material que estao te passando (ta, eu sei, tudo nao passa de ficçao, mas eu to considerando a possibilidade de nao ser) quanto a garantir a integridade do teu informante.[/quote]

    Opa, eu não estou autorizado a tomar nenhuma atitude sem consultar essas pessoas, e a única garantia de continuar recebendo informações é seguir estritamente o que eles falam. Vamos ver até onde isso vai.
    Claro que estou falando isso na perspectiva da ficção, blz?

    Reply
  49. maxcarvalho.br@gmail.com'

    Parabéns Philipe! Você tem muito talento para escrever. Apesar de ser uma ficção, ele contém muito fatos reais como a coletiva dada pelo ministro da Aeronáutica em 1986.

    Reply
  50. taroeel@aim.com'

    I tried to answer your email, but there was some governing of this. They wouldn’t let the message through. I have a technology. Stating that you can create and destroy matter. I want to help the Brazilian government.

    Reply
  51. abiegno@yahoo.com'

    E´ claro, me esqueci da exigência de sigilo e tal, mas lembrar a sua fonte que ha toda uma estrutura como a dos caras que tocam o Disclosering Project nao custa, e se isso servir de idéia pra se fazer algo no Brasil, fica a dica. Claro que haveria a estrutura do DP contra a do exercito ou a agência brasileira que encobre esses “eventos”, mas ai seria de se organizar, formar uma resistência, criar uma rede, usar a net, etc. Claro que se isso tudo for verdade, sei que estamos lidando com uma obra de ficçao, que tudo nao passa de exercicio de imaginaçao e que estamos sozinhos em meio a milhares galaxias, milhoes de planetas com possibilidade viavel de vida inteligente, centenas delas mais velhas que nós, dezenas delas podendo estar nos tutelando, afinal, tudo nao passa de ilusao mesmo, “a realidade e´um sonho, uma brisa, uma bolha de sabão, o reflexo da lua sobre um lago…”

    C.

    Reply
  52. marcus.sl@oi.com.br'

    Agora entendi aquelas pesquisas feitas de relatos de ovins que você andava fazendo.
    Muito bom!!!

    Reply
  53. rcpilot05@gmail.com'

    Olá… onde encontro o vídeo citado?

    Grato!

    Reply
  54. diogov8@hotmail.com'

    eh tudo mentira gente, et num existe, a terra naum eh redonda, o homem foi a lua e pousou la (=P), os ataques terroristas realmente aconteceram e Osama eh realmente um perigo, tramando planos mirabulosos enterrado em uma montanha, e o Philipe só ta viajando aki, eh tudo uma grande, gorda e mau cheirosa mentira…

    kkkk

    o Philipe que coisa hein pessoas te ameaçando ae naum!! Isso mostra q a coisa ta ficando séria e vc connhecido!!!

    Philipe pra presidência!!!

    o/

    abraço cara continue assim

    Reply
  55. [quote post="1699"]Olá… onde encontro o vídeo citado?[/quote]
    Procura por captive gray no you tube

    Reply
  56. elveter@gmail.com'

    Parebens…ignore os comentarios que devem ser ignorado…quero ver ate o final dessa “saga”…o Juca na nave deve ficar Show

    Abraço

    Reply
  57. mar.cesar31@hotmail.com'

    Philipe

    Já entendi o recado que vc dá neste blog…desinformação! Essa tática é velha, porém, eficiente…só acho que vc se arrisca demais! Corajoso mesmo…

    Reply
  58. Joca, se eu quisesse gerar desinformação eu não colocaria o aviso sobre o conteúdo ser ficcional. Eu abriria uma revista ufológica para “investigar” muitos fenômenos e concluir que eles são fenômenos meteorológicos raros. :D

    Reply
  59. mar.cesar31@hotmail.com'

    NESTE CASO, ACHO QUE NEM O CHRIS CARTER CONSEGUIRIA UMA FICÇÃO COM UM ENREDO TÃO BOM! VC ESTÁ DE PARABÉNS MESMO! FIQUEI FÃ DO NEGÓCIO..HEHE…E EU COM UMA PULGA ATRÁS DA ORELHA…RS SOU PÉSSIMO CONCLUIR SOBRE ALGO QUE NÃO CONHEÇO BEM…RS/ABRAÇOS!

    Reply
  60. Valeu, Joca. Cara a parada já tá na parte 5. Cê viu, né?

    Reply
  61. mar.cesar31@hotmail.com'

    Vi sim! Eu que sou atrasado…rs…e ansioso pela parte 6!
    Abraços

    Reply
  62. chrislan11@hotmail.com'

    [quote comment=""][...] by Thiago dos Reis on 11 Mar 2008 at 01:21 am | Tagged as: Espelhando Após ler esse excelente post escrito pelo Phillipe do Mundo Gump, me veio um pensamento diferente na cabeça. Algo que não sei [...][/quote]
    he thought the ball was a planet.. that’s why he was so intrested in it. contact me please… we need to talk.

    Reply
  63. emilser2001@yahoo.com.ar'

    Pero la pregunta :X del millon es….es real o no el video del alien capturado, a :argh: :] :wow: :ohhyeahh: esta altura del partido he visto tantas cosas que uno no sabe ya que creer, por favor :happy: :D contestame ….ory

    Reply
  64. filipe_n_silva@yahoo.com.br'

    ESTE MATERIAL É UMA OBRA FICCIONAL

    rsrsrssrs. sei sei…

    responde

    Reply
  65. sfxmars@googlemail.com'

    I need to know more about interrogation…
    Contact-me.

    Reply
  66. triade00@gmail.com'

    eu acredito no que li, e gostaria de ajudar ,compartilhando informaçoes, esse ser se alimenta absorvendo comida pela pele , e tb expelindo os restos pela pele tb. que é o liquido que eles viram no quarto do ser, por isso nao se alimenta na frente dos homens, talvez com medo. pode ser que ele seja de um dos varios tipos de grays, portanto , possivelmente ele vive num sistema de colmeia , em conjunto com os outros da raça dele, e estando separado perde a noçao do que fazer ou pensar , pois so consegue raciocinar em grupo , uma mente universal , ele é como um dos neuronios que foi separado do cerebro, esta sem rumo, e desorientado, suas naves funcionam assim , com a soma da energia das mentes dos tres tripulantes, juntos eles sao o motor da nave, que usa energia psiquica altamente polarizada. se ele ficar muito tempo sem a companhia dos outros certamente morrera com o tempo.
    sugiro tentar comunicaçao atraves de desenhos como cartas ilustradas como nas escolas infantis, ja que como diz o ditado chines , um desenho vale por mil palavras, arrumem um desenhista , e se precisarem eu estou disponivel , pois desenho muito bem desde os 4 anos de idade sem que ninguem tenha me ensinado.
    e prometo manter sigilo absoluto, em concordancia com o que disse o agente , sobre as consequencias da revelaçao a nivel mundial do fenomeno ufo.

    Reply
  67. compassoesquadro@hotmail.com'

    Quando associamos fatos quase comprovados à uma história ficcional, escrito por um autor talentoso, criamos em nossas mentes, algo como uma lenda urbana. Queremos acreditar e então vamosa atrás de provas. Temos que pesquisar muito, pois 90% do conteúdo sobre Ovnis na internet é lixo. Este lixo vem ajudar a nos manter ignorantes sobre o que realmente se passa. E o que se passa ? Aí é que entra o Philipe e o seu talento invejável . Parabéns !

    Reply
  68. psyquizlabor@gmx.de'

    The world is ready to know the truth about other human species from outer worlds… :love:
    I hope the day of the first official contact will come before I die…

    Reply
  69. __@___.com'

    Isto não parece ser ficticio , pode ser loucuro no momento em que li a parte q ele fica vendo a Tv a minha que estava ligada ficou sem imagen emitindo sons , O “Juca” n parece estar contente , porque estão deichando ele em cativero ? e se fosse vc no lugar dele ?

    Reply
  70. [quote comment="34985"]Isto não parece ser ficticio , pode ser loucuro no momento em que li a parte q ele fica vendo a Tv a minha que estava ligada ficou sem imagen emitindo sons , O “Juca” n parece estar contente , porque estão deichando ele em cativero ? e se fosse vc no lugar dele ?[/quote]

    eu não queria estar na pele do Juca

    Reply
  71. gustavosouzarabello@gmail.com'

    Philipe, conte a verdade para estas pessoas. Não engane os trouxas com este papo de “obra ficcional”. A verdade já foi exposta. http://www.youtube.com/watch?v=hvtXeoi9QdM
    Cai nesse papo de 3d quem quer.
    Pode deletar quantas vezes quiser meus comentários, seu otário! Eu vou continuar postando.

    Reply
  72. gustavosouzarabello@gmail.com'

    Gus não se comportou nos comentários e foi moderado

    Reply
  73. gustavosouzarabello@gmail.com'

    Gustavo foi moderado

    Reply
  74. underlost@uol.com.br'

    Rapaz tu tem algum problema?

    Credo mas cada maluco que me aparece… :(

    Reply
  75. aa@gmail.com'

    I do recommend eating – just wash well-controlled nervous system-attentive to neurosis-know Freud? You know how to behave with neurotic patients? And the sexuality of quell’entità? Continue to write other things, who knows nothing of you! Abide also made anonymous, but please let us know something-else-I learned of an expert in psychology who responded to our messages-but now Let magnitude alien-analyze what else would you like? By studying quantum physics will be able to have many answers.
    Some writings are treated with special care, but left somewhat forgotten-it is likely that we can write a piece of history!

    Reply
  76. aa@gmail.com'

    Please answers!

    Reply
  77. Cara so tenho uma pergunta sobre a montagem:
    Voce usou um modelo Base pra ele, como um humano neh?
    Pq com todo respeito mas as unicas pessoas que eu ouvi falar que conseguem simmular a contração de um musculo (no caso do alien é notavel quando ele fala os musculos do pescoço contraem).

    Reply
  78. [quote comment="56194"]Cara so tenho uma pergunta sobre a montagem:
    Voce usou um modelo Base pra ele, como um humano neh?
    Pq com todo respeito mas as unicas pessoas que eu ouvi falar que conseguem simmular a contração de um musculo (no caso do alien é notavel quando ele fala os musculos do pescoço contraem).[/quote]

    Não, cara. O lance é tudo 3d mesmo.

    Reply
  79. 22050hz@gmail.com'

    Phillipe, te mandei um email ontem e gostaria se possivel se voce me mandasse um print, uma imagem do wireframe, da tela, ou qualquer coisa que eu possa publicar que mostre que o captive gray alien foi mesmo feito por voce, tipo o alien em uma imagem still, so ele, qualquer coisa.

    Por favor verifique meu email, me ajude amigo!

    Um abraco

    Claudia
    http://22050hz.blogspot.com
    22050hz@gmail.com

    Reply
  80. :curious: :worry: :] :$ :argh: :shocked: :) :love: :lol: x_x :love: :*( :B

    Reply
  81. felinox10@hotmail.com'

    pra mim a imagem e real e vc quer tirar seu cuzinho daseringa por maltratalo o que foi ele fugiu??????

    Reply
    • Fugiu nada. E quem maltratou não fui eu.

      Reply
  82. felinox10@hotmail.com'

    ele fugiu nao foi filha da maesei que nao e mentira e nem montagem uma destas coisas aparecerao aqui em santo antonio do taua (belem do para )capturadas por uma camera de celular eles sao rapidos quando correm o video esta no you tube e mesma criatura e naoe montagem pois quem filmou esta com medo de voutar la cara nao tem como ser mentira ou montagem sua nao o problema e que vcs maltratarao eles e estao fazendo represarias para vcs e estao com medo agora cara uma coisa desta nao e um bixo qualquer para serem tratados como cavalos posso ate esta enganado mais como o que vc esta explicando esta meio mal contado pra cassete

    Reply
  83. anson@iband.com.br'

    Olá parabens pela historia gostaria de saber ond esta o primeiro relato ja que so li o segundo dos relatos por favor me envie um e-mail anson@iband.com.br quero te propor algo!

    Reply
    • Está bem aqui na barra lateral. Ali onde está escrito: “Contos do MUndo GUmp”

      Reply
  84. felixcsd@hotmail.com'

    caro sou pesquisador por historia reais do desconhescido parabens e te digo existe nesse planeta criaturas que sao conpletamente desconhescidas da humanidade isso se chama evoluçao peco por favor mande material pelo meu imal se puder eu ja vi video real de coisas estranhas obrigado

    Reply
  85. sandro.cna@hotmail.com'

    Oi philipe!!
    achei seu blog por acaso e é muito bom!!

    tenho a seguinte opinião!
    e não tem nada a ver com a sua: 100% ficção!

    gostaria de trocar umas ideias comm vc! embasamentos, historicos e religiosos(principalmente)….

    aguardo resposta amigao!!

    parabens!

    Reply
  86. xd.xandy_floripa@yahoo.com.br'

    isso pode vir a ser um ótimo filme de ficção cientifica

    Reply
  87. raniey.rocha@yahoo.com.br'

    Estava começando a acreditar, mas quando vi o video…… que furada. montagem feita em 3d, ta muito boa, mas da pra ver que não é real.

    att.: Soares ( Designer Gráfico)

    Reply
  88. brunoperetti@ig.com.br'

    Parabéns! A qualidade do texto demonstra uma grande intimidade com a matéria.

    E aí: Já viu algum mesmo ou só se baseou nos filmes e contos de Sci-Fi ???

    Reply
    • Eu nunca vi um ufo ao vivo e a cores.

      Reply
  89. bia_hfo@hotmail.com'

    Puuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuts, tomei o maior susto com o video e o alien.
    Manda um abraço pro Juca por mim? A.A rsrsrsrsrs

    Reply
  90. carlosdecristorj@hotmail.com'

    O conteúdo desta história é interessante, os vídeos e as fotos são reais, e o blog é diversificado. 
    O que incomodou mais, nestas histórias não sãos os aliens e os discos voadores, para quem não tem medo de nada e de ninguém, mais a forçação da manipulação das informações, tanto do  informante ser manipulado pelo sistema de governo mundial, e não ter apoio total do governo do seu país, e como o autor do blog ser obrigado a manipular as informações, para continuar seu blog no ar! Já que o Brasil revelou em seus arquivos ultra secretos, os 50 MIL documentos de inteligencia da Aeronáutica, que eram mantidos em sigilo nacional, destes, 35mil ESTÃO AGORA DISPONÍVEIS NO ARQUIVO NACIONAL EM BRASÍLIA desde 2010.
    Gostaria que um dia tudo isso que está oculto venha ser trazido a luz e ao conhecimento de todos não de uma forma subliminar e contos de blog, e jornais, mais liberados pelo governo, e visível e patente aos olhos de todos os que quiserem. 
    Deus abençoe a todos!

    Reply
  91. danielreis123@gmail.com'

    Eles sao clones e talvez uma outra especie tenha os criados, porem ele só tem instintos primitivos basicos… Ele consegue segurar um lapis e desenhar? Tenta ensinar ele a desenhar e se comunicar atravez de desenhos…

    Reply
  92. bezaleo@hotmail.com'

    CAOS TOTAL! Industrias milionárias perderão o sentido de ser. Despejarão funcionários desempregados nas ruas, faltará comida e o “DINHEIRO PERDERÁ O VALOR”, porque, pra que serve o dinheiro se não há mais nada pra comprar? E a comida agora escassa, será a moeda de troca.
    Acho que já vi isso em algum filme!

    Reply
  93. bezaleo@hotmail.com'

    . Temos agentes pagando as despesas operacionais com viagens e estadias tirando do próprio bolso. Chegamos ao ponto de pagar para trabalhar.

    UMA VEZ BRASIL, SEMPRE BRASIL, KKKKKKKKKKKK!

    Reply

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

x
Clique em CURTIR para receber as melhores histórias da web!