O homem pássaro

Compartilhe

homempassarogw7 O homem pássaro

Estava passando homem pássaro na televisão. Eu gostava de assistir ao desenho do Homem Pássaro que passava  na Globo, na Sessão Desenho, que era depois de Mundo Animal.

Minha mãe estava terminando de colocar o almoço. Meu pai lia o jornal. Aí o desenho acabou e eu resolvi mostrar pra eles como é que eu era o Homem Pássaro.

Eu juntei duas cadeiras então subi no espaldar de uma e me equilibrando pisei no espaldar da outra. Minha mãe vinha chegando com uma travessa de estrogonoff na mão quando me viu gritar:

-Homem pássaro!

E o que se seguiu foi algo tenebroso. Eu despenquei das cadeiras uma delas caiu em cima de mim e com a quina fez um puta dum corte na minha testa. Eu não me lembro bem do que aconteceu na hora, só de ter aquela sensação de arrepio na espinha que era comum quando eu fazia merda e pensava que ia apanhar.

Mas para meu espanto, a voz da minha mãe não era aquela voz de quando ela estava brava, era uma voz de preocupação, de desespero. E isso só significava uma coisa: Eu DEVIA abrir o bocão e chorar o mais que pudesse. A voz dela era a minha garantia de que aquele sim, era o momento certo de colocar a boca no mundo.

Eu me lembro que ela jogou uma fralda do André na minha cara e em menos de um minuto eu estava com um pano encharcado de sangue na cara. Isso dizia pra mim que chorar não era o suficiente. Eu devia dar um pití inacreditável.

Pra piorar, meu pai estava sem o carro. Eu estava no colo dele, meu pai e minha mãe correndo pelas escadas da casa em direção a rua. Falaram algo sobre o vizinho.

O vizinho era um cara que tinha um dálmata enorme. Isso era tudo que eu sabia sobre ele.

Eu me lembro de estar no banco de trás do carro do cara, no colo da minha mãe indo para a COTREL.

Eu me lembro bem deste nome. COTREL. certos nomes as pessoas não esquecem. Tipo, pergunta para uma vítima do Hitler se ele esquece o nome “III Reich” ou “Auswitz”? Não, não esquece.

Chegamos no lugar, e eu não me lembro mais. Daí rola um bloqueio igualzinho aqueles de quem é abduzido por aliens olhudos.

O que eu sei é o que minha mãe conta. E o que ela conta é que correu um monte de medico para me atender. Era um corte na testa, não muito profundo, mas saía uma sanguera de dar dó.

Eu berrava e gritava o quando podia. Do nada um dos medicos tentou me segurar. Eu comecei a me debater, achando que eles iam me machucar. Então um ão foi suficiente. Veio outro, e estes não deram conta. Foi chegando mais e mais gente, enfermeiros, auxiliares, maqueiros, meu pai, no fim das contas, minha mãe diz que eram seis pessoas mais o meu pai para segurar um bacuri de 5 anos em completo fenesi.

Minha mãe conta que eu xinguei “bunda”, “cocô”, “piroca”, e toda sorte de nomes feios que eu sabia. Quando acabou meu limitado repertório, comecei a mixar novos palavrões.

Ela diz que viu com o coração apertado que eu fui gradualmente perdendo as forças ante a multidão que me segurava para o médico de plantão dar pontos na minha testa.

Daí veio meu medo de hospital.

Minha memória seguinte só voltou quando eu já estava em casa, me olhando no espelho. O corte na testa estava inchado e eu via os pontos costurados no espelho.

Naquele dia, eu descobri que não era o homem pássaro. Homem pássaro era coisa do passado.

…Afinal, era muito mais legal ser o Frankenstein.

Artigos relacionados

39 comentários em “O homem pássaro”

  1. Porra, queria ter uma memoria boa assim, porque eu so lembro do que a minha mãe me conta. E lendo esse texto lembrei que ela me contou uma vez sobre eu ter cortado o queixo eu acho e o médico com medo que fizesse o mesmo que você, ou seja, ter 5 caras para me segurar, resolveu colocar uma camisa de força. Diz minha mãe que quando foram fazer os pontos eu não dei nem um piu. Seria meu inconciente me controlando? Pois ia adiantar fazer porra nenhuma mesmo com aquela camisa de força. haiuhaiuhahaiuhaiohuha

  2. Sou cirurgiã e dou plantão em um pronto-atendimento. Morri de rir com a cena, pois vejo isso todos os dias, kkkkkkkkkkk.
    Muita falta de sensibilidade desses médicos de antigamente. Comigo a lábia faz mais efeito que segurar.
    E vou te contar, Philipe, faltou no sua atuação cuspir, e hj em dia a meninada tem um repertório mais elaborado e mais xulo (por incrível que pareça O_o ) pra tentar se livrar da sutura.
    abraços!
    😀

  3. Ja mandei uma enfermeira tomar “suco de Caju amiginho..” por causa de uma injeção. Apanhei feio naquele dia. ehehehehhe.
    Muitos de nós na nossa infancia, tivemos o seu momento “homem pássaro”.

  4. Pois eu não gosto de hospitais, mas nem motivo. Não gosto por não gostar. Mas já freqüentei muitos deles.

    Mas a última eu já tinha uns 19 anos, estava bêbado, com um puta corte na cabeça… o médico queria raspar minha cabeça para dar os pontos… eu não deixei de maneira alguma… não podia perder a cabeleira daquele modo… quando ele concordou em dar os pontos sem raspar minha cabeça, eu concordei… mas foi só as enfermeiras chegarem para ficar legal de verdade… eu bebaço cantando as enfermeiras e mandando o médico tomar cuidado… é canseira…

  5. Po cara, quando eu era pequeno ja tive um acidente bizarro assim. Quando eu tinha uns 4 anos eu escovava o dente na pia em cima de um baquinho, porque a pia era alta demais e eu nao alcançava.

    Um dia o banquinho virou e eu, caindo rente a parede, consegui cortar o supercilio – acredite se quiser – no parafuso (mal colocado) do interruptor.(BIZARRO)
    Eu nem senti o corte, me preocupei mais com a queda. De repente minha visao ficou avermelhada e minha chegou com esse mesmo tom da sua mae.
    Aquele Tom sinistro de que alguma coisa não tá bem.

    Só lembro de, em seguida, entrar no carro do vizinho com minha mae enrolando com força minha uma toalha branca na minha face. a caminho do hospital, ela tirou a toalha e pasmem, a toalha estava VERMELHA de sangue.

    Mas eu fiquei mais calmo que voce. tomei alguns pontos e tudo ficou bem em seguida. Mas com certeza, sao aqueles momentos que voce nunca mais vai se esquecer. heheheh

  6. AUHAHAHAHUAUHAUHUAHUHA

    ACABO DE LER ESSE POST E…..

    Sorte de hoje: Nós somos o que pensamos (só não pense que você é um super-herói e não tente voar)

    a sorte de hj no orkut esta EXATAMENTE assim AUHAHA

  7. Grande King Kling!
    Sumimos! Bem, importante é restabelecer os contatos.
    Seguinte: essa sua visão é interessante pois se analisarmos bem seria a mesma de um passarinho que tivesse levado uma bela estilingada na testa, concorda? Só que o outro bichinho (eu disse bichinho, hein?) não ia gritar nadica de nada e ia sair prá outros vôos, outros estrogonofes, outros galhos ou espaldares de cadeiras para novos saltos. E vida que segue.
    Logicamente o tal passarinho bodocado nem teria sua verve e nem platéia para textos assim, bons que nem alpiste fresco!

  8. uma vez eu separando a briga dos cachorros cortei a perna e tive que levar cinco pontos e como o medico foi grosso comigo ameaçaei de cancelar meu convenio e processar a unimed pedindo indenizaçao mas ele nem ligou e como eu berrava aos montes ele socou uma gase na minha boca pra mim parar de falar e me encheu de desaforos e eu morrendo de vontade de lhe dar uma bifa mas uma enfermeira feia de doer e meu pai me imobilizaram x_ :X

  9. hum Phelipe tu tava doidim doidim nese dia num e mano?me lembro do meu primo q bateu a testa na ponta de um prego ele chegou do hospital com uma faixa na cabeça muito puto!obs:quando vi aquela cena quase vomitei nele,hehehehehehehe! :B :B :B :B 😀 😀 😀 😆 😆 😆 :lol2: :lol2: :lol2:

  10. NUNCA MAIS PAREI D RIR…
    vc escreve muito bem… eu leio seus posts o dia todo desde q descobri e meu chefe fika me olhando achando q eu tô doida e o povo todo pára pra ler comigo…
    tá d parabéns!!!

  11. Ei Phillipe , vce é uma comédia
    Mas se ainda estiver fzendo bico de homem-passaro me contrate como ajudante, pois sou um otimo robin , quando numa vez amarrei uma corda (de pula corda)numa abertura da grade da porta e resolvir me segurar e ir , a porra da porta partiu e eu parti a cabeça :B .
    Me contrate por favor , kkkk 😛

  12. Caro Philipe,

    Embora perceba algumas situaçoes quase exatas do que aconteceu aquele dia enquanto trazia a travessa de strogonoff outras soam como exageros de um pequeno menino de uns 5 anos. Nada que nao me faça sorrir ao reencontrar meu menino adorado!

    VOCE CONTINUA O MESMO MENINO QUE SEMPRE ME ENCANTOU.

    BEIJOS DE SUA MAE.

  13. hehehe so voce mesmo pra conceguir tornar uma historia simples do tipo tava brincando cai e cortei a testa levei varios portos se tornar un texto tão longo, ingraçadinho e interessante como este hehehe voce é muito fera pra escrever mesmo parabens. se existe reincarnação na outra vida voce deve ter sido um xama contador de historias de alguma tribo indigena hehehe :lol2:

    • Sabe que eu me sinto extamente como um xamã contador de histórias pós moderno? As minhas histórias podem não ser lá essas coisas, mas é bom poder fazer isso, realizar este exercício ancestral que está gravado no mais obscuro porão do nosso dna.

  14. “Minha mãe conta que eu xinguei “bunda”, “cocô”, “piroca”, e toda sorte de nomes feios que eu sabia. Quando acabou meu limitado repertório, comecei a mixar novos palavrões.”
    Hahaha, muito bom, não paro de rir aqui!

  15. Um dia,eu estava andando de bicicleta,no morro da casa,a algum tempo,e tem uma curva,e já me achando “Expert”,fui freiar seco,cara,eu nem me preocupei que o pedal da bicicleta tava meio ferrado (nada de mais,consertou depois),só abri a boca e fiz o berreiro desgraçado.
    Meu dedão,demorei a ver,mas quando vi,mais berreiro.
    Tava arrebentado e quando eu vi que doeu pra caralho. :B

  16. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK ISSO ME LEMBRA QND EU TINHA 6 ANOS, EU NEM LEMBRO OQ EU TENTAVA FAZER, MAS EU TAVA EM CASA COM MINHA AVÓ E MEU IRMAO, Q NESSA EPOCA DEVIA TER UNS 10 ANOS, AI TINHA UMA CADEIRA. SINCERAMENTE, EU N LEMBRO DIREITO OQ EU QUERIA FAZER, MAS DECIDI PULAR DE COSTAS DAQUELA CADEIRA, SO Q NO SEGUNDO Q EU PULEI, EU ME ARREPENDI, SO Q JA ESTAVA NO AR, ENTAO DEI COM O QUEIXO NA CADEIRA, LEVEI VARIOS PONTOS, KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK. FORAM NECESSARIOS 3 MEDICOS PRA ME SEGURAR. PARECIA Q EU TINHA TOMADO 1 GOLPE DESSES CAMPEONATOS MALUCOS DE LUTA, E MEU QUEIXO ABRIU.

  17. Putz, agora te descobri… O jeito é ler, um a um cada conto! Adorei teu cantinho, Philipe! Alias, penso que também escrevo alguma coisa (risos), então, se quiser me visitar é só acessar

    http://recantodasletras.uol.com.br/autor.php?id=3302.

    Que seu Novo Ano seja de muita inspiração e realização total! Abraço.

  18. Olá Philipe!

    Cara, já li umas 10 aventuras tuas e tow quase me mijando de rir! Parabéns velho, se a zorra total tivesse UM humorista tão bom quanto vc seria programa diário!

  19. algumas das suas his ou estorias me faz lembrar das minhas umas tristes outras de aventura como as suas!Queria ter coragem de conta-las tb não não possuo então relembro do passado com suas historias.

  20. Olá, parabéns estou adorando suas histórias e meu marido tb…rsrsrs…
    Essa eu preciso comentar, eu passei por algo um pouco parecido. Tinha uns 5 anos de idade, estava brincando com as outras crianças da vila que eu morava, e decidimos varrer a vila, então cada um correu para pegar a pá de lixo da sua casa(que tínhamos esquecido), como a minha casa era a mais próxima de onde estávamos, eu sabia que eu que ia “chegar primeiro”, só que para pegar a tal pá que minha mãe pendurava na parede, só eu subindo em uma tábua que ela colocava na porta da cozinha, por medo de entrar algum bicho, e aí  em segundos em escorreguei assim que consegui pegar a pá…Caí no chão e fiquei parada com a barriga pra baixo, não estava sentido nada, mas minha mãe correu, me levantou e quando viu a quantidade de sangue no meu queixo quase desmaiou e começou a gritar e pedir socorro para os vizinhos, então nesse momento eu comecei a gritar e chorar, me deram banho no meio da vila mesmo, e me levaram para o Hospital, minha mãe e uma vizinha, quando chegamos lá minha mãe não teve coragem de entrar, e ficou lá fora, a vizinha que era enfermeira entrou e (coitada), tentou ajudar a me segurar, mas não adiantava tinham quatro pessoas além do médico , mas eu não parava de me contorcer, então, me colocaram na camisa de força, fora que todas as pessoas que estavam por lá foram ver o que estava acontecendo, parecia que estavam “matando uma criança” por causa do meu escândalo…rsrsrs…E mesmo na camisa de força eu joguei minhas sandálias de fivela longe de tanto esfregar os pés.
    Detalhe: Isso tudo por apenas 3 pontinhos… E eu nunca mais me esqueci desse dia, com todos os detalhes, né?!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.