Exorcismo – Possessão diabólica existe? Veja videos reais de exorcismo aqui.


Semana passada fui com meus amigos Rafael (o Gus) e o Fernando, meu primo, ao cinema. Nós fomos ver este novo filme, O ritual.

Eu fui mais na fé de ver o Antony Hopkins dando show em alguma coisa que lembrasse o Exorcista, mas tirando a cena do gato, achei tudo meio fafal. (engraçado usar o termo fafal. Mas é isso que é. Um filme meio fafal.)
Tudo bem, é um filme, eu diria Ok. Mas não dá medo, não dá ansiedade, nem angústia, nem merda nenhuma. O diabo que eles escolheram (não vou falar o nome porque seria spoiler) mas sei lá. Achei meio caído. Até exorcismo na Igreja Universal dá mais medo.

Em termos de medo, eu ficaria com “O exorcista” original, e com uma mistura boa de “A profecia” com aquele que já esqueci o nome e estou com preguiça de procurar “Atividade paranormal”.

Não sei se algum dia um filme irá superar o Exorcista original, e embora a cena, na época horripilante, da cabeça da menina virar 180 graus pareça piada hoje em dia, foi muito bem feito, muito bem conduzido, com sacadas discretas mas de grande efeito visual, como filmar certas cenas dentro de um frigorífico, de modo que as pessoas exalassem vapor, retratando a friaca absurda que pode ocorrer numa sessão deste tipo.

Além de O exorcista, outros filmes tentaram a sorte nesta senda aí. Um dos filmes mais cotados sobre exorcismo é “O Exorcismo de Emily Rose”.

Ao que parece, o filme se baseia numa trágica história de exorcismo ocorrido no final de 1970. No caso, uma jovem alemã chamada Anneliese Michel foi possuída por espiritos malignos. Inicialmente, pensava-se que apenas algumas fotografias e fitas de áudio do exorcismo de Anneliese Michel realmente existiam. Mas surpreendentemente, alguém descobriu que havia também filmagens, que foram guardadas devido ao impacto que poderiam produzir nas pessoas. Os videos abaixo podem ser perturbadores:

Serão reais? Serão esses videos uma prova da menifestação do mal sobre a Terra?

Isso é o que vem sendo alegado pelos produtores que pretendem juntar estes videos em um DVD a ser lançado em 01 de março.

“Anneliese: As fitas do Exorcismo” será lançado no dia 01 março pela produtora The Asilum.

É justamente a mesma empresa que ofereceu aos espectadores fraudes ao alegar que usaram “cenas reais” em “O Exorcismo de Emily Rose” e “A possessão de Gail Bowers”. Agora os caras alegam que tem em sua posse imagens gravadas do incidente real que inspirou os dois filmes da empresa. No site, eles disseram não garantir se o material é real ou não:

Não muito tempo atrás, um dos nossos colegas alemães me contou uma história que eu nunca tinha ouvido antes: Anneliese Michel [...] que teria sido a verdadeira inspiração para o filme O Exorcismo de Emily Rose [...], que morreu depois de passar por dezenas de exorcismos para impedir uma possessão demoníaca.

Intrigado, eu procurei na internet para obter detalhes sobre a história e deparei com este site. O dono do site, Dixon Engle, alegou que tinha as cenas de exorcismo real de Anneliese a partir dos anos 1970. Entrei em contato com ele sobre as fitas, mas ele me disse que já tinha negociado com outro produtor em Hollywood.

Imagine minha surpresa quando descobri que este produtor foi Jude Gerard Prest, que produziu vários documentários na TV (e também atuou em alguns dos nossos filmes). Judas mostrou-nos as imagens que ele havia compilado e nós ficamos impressionados. Nós não temos idéia se ela é realmente Anneliese … mas é absolutamente arrepiante.

Quando eu estava na Alemanha na semana passada, eu tentei ver se eu conseguia rastrear alguém envolvido no processo inicial, mas como eu não falo alemão, não pude gastar o tempo suficiente para encontrar qualquer pista.

Entretanto, fizemos um acordo com Judas e Dixon para nos lançar as imagens antes que alguém o fizesse. Nós estaremos apressando-o para lançar em DVD em 01 de março de 2011 e você pode decidir por si mesmo se é ou não é real.

fonte

Justamente pelo site que é possível ver alguns trechos de video de momentos sombrios envolvendo a possessão demoníaca.

O site também apresenta um par de pequenos trechos do livro a partir das fitas que seriam alegadamente de Anneliese Michel, que foram enviados para o YouTube, os quais foram incluídos aqui no post. A maioria dos clipes não tem áudio.
Não precisa ser muito esperto para sacar que isso é claramente toda aquela conversa fiada que precede mais um filme fabricado para parecer real. Uma metodologia cinematográfica de alto realismo inaugurada em “A bruxa de Blair”. A coisa virou moda e se expandiu para além dos limites do terror. Um dos casos mais emblemáticos deste tipo de promoção que busca numa suposta realidade provocar o desconforto no espectador é (o mico cinematografico) que levou Mila Jovovich a dar uma declaração dizendo que o filme Fouth Kind era baseado em videos reais de pessoas abduzidas no Alaska. Obviamente tudo fake e tudo claramente elucidado pelos investigadores da ufologia antes mesmo da película estrear nos cinemas.
Este tipo de atitude que une a fraude com o entretenimento alarga as fronteiras da discussão sobre até que ponto os cieneastas e produtores podem dizer uma mentira aos espectadores e sair ilesos depois.
E indo além, até que ponto o cinema prescinde dessa necessidade da busca pelo real. Estamos vivendo uma época em que não basta parecer real. Precisa ser real. Hoje vemos os Reality Shows em quase todos os canais, os telejornais viraram shows de realidade e o humor que antes era restrito aos estúdios, saiu para as ruas, fazendo deboche e apresentando pessoas reais pagando mico.

A ficção está em crise? Talvez sim, talvez não. Nem os videogames escapam. Neles, as novas tecnologias vão surgindo para tornar o game cada vez mais real, cada vez mais como um filme. E vai além. Hoje já se joga interagindo no mundo real. O game se libertou da interface baseada em controle e o aparelho já consegue ver os movimentos do jogador no mundo real.
Em paralelo, os games como os da série GTA e Red dead Redemption, que não seguem o padrão linear tradicional, ao oferecerem uma plataforma de jogo em que não existem fases, mas sim missões, vão se tornando mais e mais populares, justamente porque permitem “tudo”, e ao permitirem “tudo”, emulam o mundo real, onde a única coisa que te impede de pular pela janela é seu medo de morrer.

O limite do enquadre da realidade já não existe mais. Hoje o espectador quer o audio realista, multifônico 3d com trocentos canais individuais. As tvs e os equipamentos de video, como os blu ray players oferecem tecnologias que reduzem cada vez mais o pixel, dando maior realismo a imagem, que é apresentada cada vez mais e telas gigantes, com imersão, preferencialmente. Existem as Tvs de led, tvs de plasma, e tvs de LCD que usam luz por trás para expandir a visão periférica e/ou oferecem recursos fantásticos como óculos 3d para 3 dimensões. Os filmes já sairam das telas, o audio te faz entrar na cena, as atuações se baseiam em interações cada vez mais realistas, muitas vezes relegando os scripts e roteiros a um segundo plano. Os planos sequencia são longos e há cada vez mais cenas em PV. (point of View)
Nem a internet escapa. Hoje o que as pessoas querem na internet? Querem relacionamento. Isso explica porque blogs fazem sucesso, porque as redes sociais vão bombando e o chat nunca morre. As pessoas querem a realidade virtualizada.
Há todo um sacrifício para enfiar o espectador na tela. Nessa corrida por oferecer ao sujeito cada vez mais uma fuga para outras realidades, uma necessidade premente de fazer com que ele esqueça quem é, onde está e o que precisa fazer, para imergir completamente em outros mundos, outras ideias. Quando isso é proposto de uma maneira clara, não vejo problema. O que me leva a refletir é justamente a questão de dizer que um material é real quando na verdade não é. Isso é uma coisa que me atrai justamente porque eu mesmo nadei nesta praia ao fazer O relato de um Mib (está aqui do lado ó ——–>) , que era ficcional, parecia que não, e me rendeu ameaças de morte reais. Então, a moda hoje é a do: Vale tudo desde que o cara acredite que aquilo é real.

Mas isso realmente é necessário?

Estamos entrando numa fase em que a “supressão da descrença” está entrando em crise? A supressão da descrença é um mecanismo mental pelo qual, ao prestar atenção em um game ou num filme, o seu cérebro consegue anular todo o senso de lógica e acredita que aquilo é real. É isso que faz com que as pessoas sintam palpitações quando um ator se agarra na beira de um precipício durante o filme.
Os efeitos especiais trabalham para auxiliar seu cérebro a praticar a supressão da descrença. Do mesmo jeito, nos games, portas trancadas. Já se perguntou porque existem portas trancadas em tudo que é jogo? Qual o sentido de colocar uma porta quando não se vai passar por ela? Não só portas, como carros, prédios e casas em que não se pode entrar também estão ali por causa disso. Você não pode entrar, mas o seu cérebro é iludido a pensar que pode. E graças a isso, ele começa a se iludir de que aquele boneco não é um boneco, mas sim uma pessoa real.
Eventualmente, quando pinta na tela alguma coisa muito mentirosa, ela chega a ponto de despertar o cérebro do cara da supressão da descrença (tipo as mentiradas de Missão Impossível, ou a cena da Geladeira no último Indiana Jones).
Eu fico aqui pensando que num mundo marcado pela necessidade da busca do real, do realismo, nós enquanto sociedade, talvez estejamos enfraquecendo o nosso potencial de supressão da descrença ao tornar tudo excessivamente realista, 3d em full hd com 7.3 canais. As pessoas estão ficando cada vez mais céticas com tudo, e talvez daí nasça essa necessidade de dizer de antemão ao espectador que o que ele verá é um video real. Quando na verdade, nunca foi.
A questão filosófica que decorre disso é justamente: O que é o real?

Voltando aos videos reais de exorcismo, pra mim estaria bom se o cara dissesse que é baseado na realidade. Mas não… Baseado já não é mais suficiente. A tônica agora é mostrar o video real, mostrar o capeta, o saci ou o Et de verdade!
Eu não sei se ao fazer algo assim, o cara está cometendo realmente um grande erro, porque hoje, diferente do que era há duas ou três décadas atrás, as pessoas que quiserem saber da verdade estão a meros dois cliques dela. Basta olhar a cara dessa menina do video Real de exorcismo e comprara com a foto da verdadeira Annelise Michel que foi possuída por uma legião diabólica:

anneliese michel Exorcismo   Possessão diabólica existe? Veja videos reais de exorcismo aqui.   Curiosidades

São pessoas claramente diferentes!
Então, será que o alcance da verdade, por estar tão mais perto do espectador faz com que a mentira do produtor se torne menos problemática? É uma pergunta que deixo no ar.

Voltando a Annelise Michel, ela se dizia possuída por nada menos que seis demônios diferentes: Lúcifer, Caim, Judas, Nero, Hitler e Fleischmann (padre do século XVI). Mais tarde, a Conferência Episcopal Alemã veio dizer que não se tratou de uma verdadeira possessão.

Mas não é bem isso que o povo pensa.
A jovem possuída morreu no dia 1 de Julho de 1976, num estado de grande debilidade física. E os seus pais, bem como os padres, foram acusados de homicídio por negligência e condenados.
Aqui está um video documentário sobre a possessão de Annelise Michel:

Aqui está um audio real da possessão:

Embora o video seja real, é bom não misturarmos as coisas. Em primeiro lugar, muita gente diz que as pessoas são possuídas pelo Diabo. O que é uma errado, já que – a demonologia diz que o diabo nunca faz isso.
Quem possui seres humanos são os demônios, um ou mais. Então, a luz do estudo das entidades demoníacas, seria errado falar em “possessão diabólica”. O que acontece é possessão demoníaca.

E isso pra quem acredita, claro. Pessoas “endemoniadas” existem desde o princípio dos tempos. E em muitas culturas. Dos índios de tribos isoladas na Amazônia aos muçulmanos, todos praticam os exorcismo e na idade média, grande parte dos casos de loucura (quando ainda não se tinha a compreensão de certas doenças cerebrais) atribuía-se aos demônios a responsabilidade para casos de esquizofrenia, surtos psicóticos e principalmente surtos epilépticos. Entretanto, por mais que a Ciência jogue luz sobre certas situações, alguns casos ainda chocam, intrigam e assustam, de tal maneira que talvez nunca saberemos se de fato as possessões diabólicas realmente existem, e até em que ponto os exorcismos são realmente efetivos.
O que eu posso dizer é que eu já tive uma casa onde umas manifestações estranhas começaram a ocorrer e precisei exorcisar de verdade a casa junto com um padre. E então as manifestações pararam. E isso foi realmente verdade. Vou te contar, não tem filme de hollywood, 3d, som 7.1 THX e imagem full Hd que consiga provocar o cagaço homérico de acordar no meio da madrugada com um homem rindo alto no seu quarto, quando você está sozinho em casa. As pessoas querem o real, mas quando o real se manifesta, tudo que você quer é sumir e voltar para o conforto do seu mundinho de faz de conta.
fonte, fonte, fonte



Escreva o que achou deste post. (Apreciaremos sua educação)
  1. Uronim disse:

    Philipe, já estamos esperando um post detalhado a respeito da sua experiência com um exorcismo real

    Responder
  2. Philipe3d disse:

    Tive que chamar o padre quando a Nivea viu um homem de chapéu passar no corredor da minha casa. Olha, vou te contar, nem gosto de falar sobre isso, tamanha a merda que é. ( e essa foi só a segunda casa mal assombrada da minha vida. A primeira eu já contei aqui. )

    Responder
  3. wolFexx disse:

    Ao meu ponto de vista, os 3 primeiros vídeos obviamente são fakes, tem um tom muito publicitário, sem contar se você colocar ele em uma análise de “waveform”, você vê claramente que existe uma quantidade de informação de vídeo bem grande o que seria impossível para um vídeo datado de 1970. E o tratamento da imagem também está bem “broadcast safe”, ou seja respeitando os limites para veiculação em mídia.

    Responder
  4. Iury BAS disse:

    Esse tal vídeo da Anneliese Michel é claramente mentiroso, mas a historia real em si é bastante segura. Já tinha visto essa historia dessa menina alemã antes, e desde então fiquei muito convencido de sua veracidade.

    E assim como o Uronim, estou esperando um post sobre essa sua experiência.

    Responder
  5. Alexandre João Pessoa disse:

    Fala Philipe, fazia tempo que nao lia um post. Estou agora escrevendo pro meu blog ja faz 2 anos. Putz! Dois anos? ainda me lembro como era ser um assíduo leitor Gump. Tava no face quando vi essa materia replicada. Mais uma vez um show do mestre! Parabéns.
    Alexandre João Pessoa

    Responder
  6. Mário Barao disse:

    As pessoas querem o real, mas quando o real se manifesta, tudo que você quer é sumir e voltar para o conforto do seu mundinho de faz de conta.

    FALOU TUDO AI…. A MAIS VERDADEIRA DAS VERDADES

    Responder
  7. Mollrimbaud disse:

    Philipe, a casa era a mesma do episodio do cachorro assistindo teve? Escreve mais detalhadamente sobre a tua experiencia e da tua mulher!

    Eu nunca vi nada, mas leio muito sobre isso e ouço muito pessoas que tem “facilidade” pra ver, e sao muitas as pessoas que veem esse tal homem com chapeu (pode ser o que alguns chamam de Capa Preta) ! Tem gente que diz que é uma entidade ruim, outros que ele aparece pra encaminhar algum espirito que esta na casa. Vai saber? Mas acho muito incrivel como certos relatos sao recorrentes…

    Puxando a brasa pro meu assado, muitos ufologos nao gostam nem de considerar a hipotese, mas eu acho que os fenomenos espiritas e os ufologicos de alguma forma estao relacionados. Nao digo que sejam o mesmo fenomeno, mas é fato que pessoas que veem espiritos tem mais avistamentos de ovnis que pessoas que nao veem…

    No filme “Atividade Paranormal” essa hipotese é bem clara, que as duas coisas, ufologia e possessoes podem ser confundidas… E ufologos que estudam abducoes estao comecando a acreditar que elas nao acontecem no nosso mundo fisico, mas num outro plano. Quero deixar claro: nao sou espirita e nao quero que esses assuntos fiquem no terreno da religiao. Mas acho que um dia descobriremos que existe um outro mundo fisico que pode interferir no nosso.

    O ex-namorado de uma amiga, e um primo dele, sempre viam ovnis quando iam pra praia (numa das vezes teve o testemunho da mae de um deles), ateh que um dia viram humanoides muito grandes na agua, se aterrorizaram de tal forma que essa mesma mae resolveu leva-los a um centro espirita pra “fechar o canal”, e eles nunca mais tiveram avistamentos.

    Ja aproveitando: sobre o outro topico, sobre invisibilidade, como tu bem lembrou do “Predador”, é possivel que os ” visitantes” usem alguma tecnologia similar .

    Obs: as pessoas (me incluo) querem o real, mas desde que o real nao ultrapasse esse “nosso mundo” rs rs

    Responder
    • Philipe3d disse:

      A casa em que meu cachorro viu a coisa era outra. Naquela, eu mesmo tinha feito uma solene (gigantesca) cagada quando abri um portão no meu quarto ao fazer uma invocação, sem saber o que eu estava fazendo, nem como conduzir a invocação. Ou seja, no primeiro caso, eu pedi pra me foder. E me fodi.
      O segundo caso de casa assombrada ocorreu mais rapidamente que o do portão, porque eu já estava mais escolado e tão logo saquei o que estava rolando ali, tomei providências antes que a coisa crescesse.
      Foi o primeiro lugar que eu morei quando casei. No inicio estava tudo bem, mas então, um dia, a dona do apartamento surgiu na porta. Uma velha de 90 anos, manca que usava bengala e que não falava NADA em português, só italiano.
      Ela disse que estava lá porque estava com saudades da casa. Nós ficamos com pena e eu deixei ela entrar. E ela foi em CADA cômodo e beijou as paredes, chorou muito no meu quarto, lembrando do marido dela que morreu lá.
      ELa ficou mais ou menos uma hora lá em casa e foi embora. Ela foi, mas a “entidadew” ficou e daquele dia em diante começaram as mais bizarras manifestações na minha casa.
      A sensação que eu já não tinha fazia tempo, de uma presença me olhando voltou com força total. As portas batiam sem vento, livros pulavam da estante, coisas trocavam de lugar. A noite eu ouvia copos se arrastando pela pia.
      Luzes que passaram a acender ou apagar sozinhas, coisas que se quebravam. Um copo explodiu. Parece até zoação, mas até meu computador começou a agir estranho daquele dia em diante. Foi quando começaram os vultos. Primeiro no corredor, onde ela beijou as paredes, e deopois no banheiro, no quarto e na área de serviço. Era vulto toda hora. Eu comecei a ficar com cagaço de ficar sozinho naquela casa. Inúmeras vezes eu ouvi coisas pesadas sendo arrastadas no teto. O apartamento era o último do prédio (tipo uma cobertura) e eu sabia que não tinha nada em cima. Mas mesmo assim, em duas vezes o barulho foi tão real que eu fui lá fora para olhar. E não vi nada.
      Dava pra sentir que a casa estava “carregada”, como se fosse uma grande “pilha”. Então chamamos uma amiga nossa que era muito religiosa e ela ao ouvir que a Nivea viu o homem de chapéu no corredor, correu e convocou um padre amigo dela, que era padre exorcista. Nós fizemos uma cerimônia de exorcismo da casa e o cara jogou água benta e cada lugar que a velha beijou. Naquele dia mesmo o troço parou.

      O engraçado é que no dia que ela viu o cara de chapéu, ele surgiu no escuro, e ela gritou lá do quarto: “Amor o que você está fazendo de chapéu aí no escuro na sala?”
      Eu – Quê?
      Então quando eu apareci na porta do escritório e ela sacou que não era eu na sala, ela quase teve um troço, coitada.

      Responder
      • Dani disse:

        Não vou dizer que não acredito, ou que só acredito vendo, pois não gostaria de passar por tal experiência, mas uma coisa me intriga profundamente: se são espíritos, porque ficam tão ligados a coisas materiais (a casa, por exemplo?) Será que uma ‘conversa’ com a tal entidade (ideia bem louca, eu sei), explicando que infelizmente, ele está em outro plano e não precisa mais das coisas materiais, e que agora você é o dono da casa e precisa usufruir dela, não resolveria as coisas? Sendo que você nunca fez nenhum mal a este ser, PRA QUÊ te assombrar? =/
        A casa da minha mãe tinha um ar muito pesado também, acredito que por ter morado gente doente, e ainda ter muitas recordações, sei lá… nunca ocorreram manifestações desse grau, mas de noite fazia muitos estalos e por vezes eu tinha pesadelos e não conseguia dormir…

        Responder
        • eu disse:

          “Espíritos de gente morta” não existem. O que existe são demônios que se passam por estes para te confundir, te assustar, te influenciar, te atormentar, e te afastar das coisas de Deus.

          Afastar das coisas de Deus, porque muita gente, ao invés de procurarem padres exorcistas, para repelir as manifestações e enviá-las de onde vieram, procuram espíritas, feiticeiros, umbandistas, etc., que terminam “maquiando” e piorando a situação, uma vez que o proprio diabo usa as falsas doutrinas para afastar as pessoas da verdadeira doutrina, que é a pregada pela Igreja de Cristo.

          P.S.: Manifestei minha opinião. Não estou dizendo que sou o dono da verdade, nem estou tentando convencer ninguém a nada. Nem muito menos estou trollando as outras religiões.

          Responder
          • Lee Andrews disse:

            Não está trollando outras religiões? Seu discurso te condena:

            “….porque muita gente, ao invés de procurarem padres exorcistas, para repelir as manifestações e enviá-las de onde vieram, procuram espíritas, feiticeiros, umbandistas, etc., que terminam “maquiando” e piorando a situação, uma vez que o proprio diabo usa as falsas doutrinas para afastar as pessoas da verdadeira doutrina, que é a pregada pela Igreja de Cristo”

            Abraço

        • Ricardo disse:

          “…se são espíritos, porque ficam tão ligados a coisas materiais (a casa, por exemplo?)”

          Materialismo é o que mais há nesse mundo.
          O engano está em achar que as pessoas mudam quando morrem.
          O materialista continuará sendo materialista, o fumante continuará fumando, e o bêbado continuará com seu vício.
          E nem todos tem consciência do que se passa com eles.

          Nesse caso, parece ser mais saudosismo. Aquela casa deve lhe trazer boas lembranças e ela quis recordar parte de sua vida.
          Ela pensou com emotividade e paixão, e atraiu o espírito para o local, que compartilhava os mesmos sentimentos.

          Responder
      • Mollrimbaud disse:

        !!!!!!!!!!!!!!
        !!!!!!!!!!!!!!
        !!!!!!!!!!!!!!

        Entao quer dizer que esse homem do chapeu nao é coisa boa…

        Responder
      • Jackie disse:

        Cara da próxima vez que coisas assim acontecerem me chame para ter com voces pessoalmente. Sério, não é zoeira, nem vou te cobrar meus 10 % (kkkkk) de dízimo, ou velas para o trabalho kkkkkkkk. Eu estrudo fenomenos assim há anos e é de longe meu assunto favorito. Sabe “aquele famoso livro espiritista sobre Capela e os astros “chupões”? Sim eu tenho acesso ao filho do Sr. Edgard Armond, um grande pesquisador brasileiro. E sem falar que tirando revoada de pombos, pererecas que grudam, lagartixas que tentam morder, grilos que pulam sobre a gente, mariposas que ama se enfiar nos meus cabelos, ratos, baratas e taturanas, de passar pelas linhas vermelhas e amarelas e de atravessar sozinha a Praça da República à noite, eu não tenho medo de nada.

        Responder
      • Charleneavelino2 disse:

        Esse homem de chapeu ela chegou a descrever? Pois eu um tempo atras vi um homem de chapeu, com roupas de uma epoca bem antiantigga nao sei dizer qual…mm as lembro q era vermelha a roupa dele e usava bota por cima da calça e ele tinha barba.

        Responder
  8. Olavocruvinel disse:

    Os primeiros vídeos, à mim, são ”FAKÍSSIMOS” !!!

    Já sobre a verdadeira ou falsa história de Anneliese Michel, é realmente uma questão de fé – ou descrença por parte de cada um. Eu sou cético em relação a ”possessão demoníaca”, porém, o caso de Anneliese eu acredito que seja real. Quando assisti o filme pela primeira vez, fique impressionado com a história da moça. Existem alguns mistérios que desafiaram toda ciência envolvida neste caso, como por ex: tratamentos médicos sem sucesso algum por um longo período de tempo. Foi justamente o contrário, quando ela se submetia aos exames médicos e tratamentos clínicos, ela piorava seu estado de saúde – já bem crítico.

    Além disso, Anneliese Michel provou falar outros idiomas, como latim, entre outros. Sem ao menos ter estudado estes antes em sua vida. Estes, talvez não possam ser consideradas evidências de uma possível possessão, mas são inidícios fortíssimos de que Anneliese Michel esteve realmente possuída por demônios.

    Em resumo, o caso de Anneliese Michel realmente é o ÚNICO caso em que sempre me fez acreditar (e ainda continuo) em um mundo sobrenatural malígno.

    Responder
  9. Olavocruvinel disse:

    Putz, Philipe! Seu depoimento é realmente impressionante! Coitada da patroa, hein!? Vc quietinho no escritório e a coitadinha perguntando porque vc tava de chapéu. hahaha.

    A gente ri, mas, no fundo não tem nada engraçado. Estive lendo um artigo do Alex Altorfer em que o mesmo destacou sua experiência com resultado:

    ”Surpreendido pelo Inexplicável”

    Compartilho com vc o bom texto, caso queria ler, Philipe:

    http://bulevoador.haaan.com/2011/02/16/advocati-fidei-n%C2%BA-2-surpreendido-pelo-inexplicavel/

    Responder
  10. Ricardu21 disse:

    Sobre possessões demoníacas, vou deixar meus comentários, lembrando que são apenas só um ponto de vista, havendo pessoas que vão concordar e outras não, isso é normal.
    Lá no texto o Philipe disse que o Diabo nunca é o responsável direto pela possessão, e está correto. O “caramunhão chefe” se preocupa apenas com estratégias e coisas do estilo dominação global, e não se ocupa com almas individualmente.
    Demônios são almas dos que se (re)voltaram para o mal, e não ficam neste estado eternamente, sendo que em muitos casos podem atuar coletivamente.

    Fenômenos materiais como sons estranhos, vozes, coisas que se quebram, ou mudam de lugar, SEMPRE precisam de 2 coisas: o espírito manifestante e um doador de ectoplasma, que pode retirar de uma pessoa, ou de um animal abatido , só pra citar um exemplo (nos abatedouros da cidade). Reparem que em casos de poltergeist, sempre há um morador da casa, na maioria das vezes adolescente ou criança, que é o doador inconsciente, e muitas das vezes, é o mais assustado!

    O cara de chapéu, que visitava a casa do Philipe, era apenas uma alma muito apegada ao mundo ainda, como a senhora de 90 anos lá q o havia visitado será um dia provavelmente. Quando é realizado o exorcismo, o espírito é esclarecido sobre a situação e convidado a se retirar, mesmo que à força. Não é um ritual mágico. Não é permitido perturbar a vida das pessoas, exceto no caso de laços cármicos, mas aí já é outra história.

    Responder
  11. Felipe disse:

    Amigo Phillipe, eu como católico praticante que sou, não poderia deixar de assistir o filme e também de comentar seu post.

    Gostaria só dizer que ADOREI o filme e dizer que ele não foi tão “assustador” porque procurou mostrar como se dá uma possessão demoníaca REAL e não as fraudes acontecidas diariamente nas igrejas universais da vida.

    Expulsar um demônio não é simples como dizer “em nome de Jesus SAI!”. Infelizmente não é e você já deve saber bem disso.

    Então é isso que o filme procurou mostrar: como o demônio se manifesta, na realidade e como o exorcismo é feito, na realidade.

    Talvez para quem não é católico praticante como eu, que inclusive faço parte de uma comunidade católica e membro de seu caminho formativo, não vê com os mesmos olhos que eu vi o filme e não entendeu o que ele mostra.

    Acredito que o filme foi assessorado por membros da Igreja Católica, do contrário não teria sido tão realista.

    Então é isso: fantasia 10% + 90% de realidade, é o que o filme mostrou (no que diz respeito à possessão e ao exorcismo).

    Inclusive o demônio retratado no filme existe e a bíblia fala dele em várias partes, como no livro do profeta Jeremias. Lá diz sua origem, que era uma divindade suméria e cananéia. E que seus adoradores faziam sacrifícios de crianças em sua homenagem, além de dizer que Deus condenou seus adoradores e etc. e tal.

    Abração e fica com Deus.

    Responder
  12. Incrível como essas histórias de exorcismo só envolvem mulheres.
    Esses relatos se valem de clichês e preconceitos estabelecidos através dos séculos (como a imagem da bruxa por exemplo) e são alardeados por setores da sociedade que levam vantagem na disseminação do medo, como a igreja, a indústria do entretenimento e parte da mídia.
    É só pensar ceticamente. O que é mais verossímil? Que os estúdios estejam em campanha para os filmes ou que existam demônios? Que uma mulher tenha problemas psiquiátricos ou que uma entidade desconhecida tenha tomado seu corpo? Ficções travestidas de verdades são ferramentas de publicidade usadas há milênios. O medo é um ótimo negócio e fomos “bem” educados pelo cinema americano a crer antes de duvidar. Cabe a nós não cair na armadilha.
    Ao que depender de demônios ocultos, durmam sossegados. Ao que depender do homem, bom… aí é melhor trancar as portas. Como disse Sartre, o inferno são os outros.

    Responder
    • Philipe3d disse:

      Legal seu comentário, mas existem casos documentados de possessão em homens também. Daí se são espíritos ou não, se são doenças mentais, já são outros 500. Mas só pra deixar claro que não se dá apenas com mulheres. Nem nos filmes.

      Responder
  13. Luciano disse:

    olhem isso aqui… http://www.youtube.com/watch?v=9VGfoi3Rn7k estranho….muito estranho…

    Responder
  14. Alexandre Santos disse:

    Não quero ser o dono da verdade, mas também dou meu pitaco baseado em 17 anos de espiritismo kardecista. Não acreditamos em demônios e nem no diabo, pelo simples fato que são espíritos iguais a gente, mas de baixa vibração por uma série de fatores ou problemas que só cabe estudo mais sério de quem não é kardecista. Mas posso garantir que exorcismo e rituais são tão eficazes quanto cantar: ” atirei o pau no gato, tô tô”!
    O que importa é a fé e apresença de bons espiritos para influir contrariamente a entidade presente. Que pode levar a ” marcação” de ser maléfica pelo fato de estar prejudicando ou praticando o mal a outrem. Todavia, sem rituais ( por favor) com um pouco de paciência e um bom médio o espírito pode ser resgatado ou afastado de tal lugar ou pessoa. Não quero também dizer que o que Philipe falou não exista; existe sim, e é quase igual ao filme, com cama se mexendo e tudo! Só que o espirito sozinho não faz nada! É necessário pessoa com energia suficiente para estar ” doando” mesmo sem saber. Uma vez cessada o canal de energia, ele terá que se submeter a lei de causa e efeito. Perante a Deus todos são iguais. E nem mesmo legião de espíritos com a conotação “do mal” pode contra Deus. O que Philipe fez foi encontrar respaldo na fé para afasta-lo; repito se é que afastou mesmo!

    Responder
    • Jorge-rcc Saomiguelarcanjo disse:

      kkkkk,quanta ignorancia,ou vc cre em Deus ou não cre,afastar ou expulsar demonios ou o mal,não é ,nunca foi e nunca será possível através de mediun,porque Deus é muito claro nas escrituras sagradas,quando diz que nao devemos nos contaminar com espiritismo,sortilégios adinhação evocaçao dos mortos etc ,etc, etc,,,espiritismo  kkkkk. essa foi pra acabar kkkk

      Responder
  15. 10000 people, maybe more! disse:

    Olá Philipe,

    Como já disse várias vezes, curto quando seus posts nos levam à reflexão. Nos fazem pensar e, pelo menos, analisar o que você escreveu.

    De fato, acredito estarmos vivendo um momento na história da arte onde esse “contemporâneo” está causando aquele frenesi que a arte costuma causar.
    Foi assim com Van Gogh e Paul Gaugin, foi assim com o Monet e Manet. Havia um conceito pré estabelecido que não se queria que fosse quebrado.

    Porém, eu acredito que no caso do cinema a história seja outra, não acha?
    Pois alcançamos um tecnologia grande o suficiente para, como você mesmo disse, fazer o giro da cabeça da menina de O Exorcista parecer piada.
    Nos primórdios do cinema, dois dinossauros lutando causavam medos intermináveis na plateia. Aquilo era novo! Espetacular!
    Para mim, no cinema, a ideia é fazer o espectador se sentir “traído” pela própria percepção. Por exemplo nos finais dos filmes como Os Outros, Sexto Sentido, etc…
    Espera-se por um final, mas descobre-se outro.
    Nesses casos específicos, o espectador se sente como que enganado e que estava o tempo todo correndo perigo, pois ele estava “do lado” dos mortos. Digo isso no sentindo de que ele se afeiçoou com os personagens, criou identidade e foi traído, pois aqueles personagens eram o “perigo” o tempo todo.
    Passada essa fase, acredito que o cinema, pelo menos nos casos de filme de terror, precisam, hoje, segurar o espectador com outro truque que não o “susto”, simplesmente.
    Seria muito batido, em todo filme, colocar uma cabeça girando 180 graus…

    E cá entre nós, levar o cara a crer que tudo aquilo que ele está vendo pode ser real, é um ótimo truque. É o tal do alto realismo.
    E até mesmo na sua área, o design, não são tão bem vistos os trabalhos do hiper-realismo? Não é uma tentativa de se aproximar, o máximo possível, da realidade?

    Teorias da conspiração, lendas urbanas e fofocas – quando bem “tramadas” pelo locutor -, fazem qualquer um, por mais apressado que esteja, parar para ouvir do que se está falando.
    Daqui a pouco a coisa cai de moda e outra coisa irá surgir, com certeza.

    Outro ponto que você abordou – e que nesse caso me faz estranhar um pouco o que você quis dizer – é que: se “Vale tudo desde que o cara acredite que aquilo é real”, e como você bem disse, “nadou nessa praia”, por que essa aspereza ao fato de tentar fazer a ficção ser real?
    Pois sua tentativa em tentar fazer isso, ainda que de uma forma diferente, pois você afirmava que o Relato de um MIB era uma ficção, nada mais foi que uma forma de enganar seus visitantes e leitores para ganhar crédito em sua obra.
    Não entenda mal o “enganar”. Não é no sentindo pejorativo que digo isso. Afinal, fui enganado também e cá estou visitando seu blog.
    Como eu trabalho com marketing, consigo ver que a sua tentativa de criação do tal “transrealismo”, que você inventou, nada mais foi que uma forma de promover sua obra.
    E tenho que dar muito crédito, pois li o relato inteiro, do começo ao fim, e acompanhei o blog fora do ar, visitei o site do Gustavo, etc, etc…

    No fim, vale aquela máxima que sempre digo aqui: “O blog é seu e você escreve nele o que quiser. Quem não quiser, não entra.”

    Outra coisa que gostaria de mesclar aqui, é se você não faz parte disso aqui que você disse: “Este tipo de atitude que une a fraude com o entretenimento alarga as fronteiras da discussão sobre até que ponto os cieneastas e produtores podem dizer uma mentira aos espectadores e sair ilesos depois.”

    Até que ponto podem sair ilesos depois?
    O tal “transrealismo” não está inteiramente ligado a essa questão?

    E aproveito para deixar uma pergunta no ar: Vale tudo pela arte? Seja no cinema, pintura, literatura, etc, etc?

    Abraços!

    Responder
    • Philipe3d disse:

      Está ligado, mas eu vejo de uma maneira um pouco diferente. No caso daquele filme em que o produtor afirma categoricamente que é baseado em casos reais e que contém cenas reais dos abduzidos, por exemplo. Ele está usando uma mentira para ganhar dinheiro do espectador.
      Quando o cara diz que o filme mostra cenas reais do exorcismo da garota e na verdade foi tudo feito em estúdio, está mentindo para ganhar o dinheiro do espectador.

      Quando eu crio um conto, que sempre disse ser conto, e as pessoas começam a desconfiar que na verdade pode não ser tudo ficção como eu estava dizendo, é algo que parte do público, não de mim. Obvio que em paralelo eu alimento isso, criando personagens ficcionais que interagem com as pessoas reais, brigam, discutem e conspiram contra mim. Esses personagens “tiram o blog do ar” por mais de uma semana. É uma semana inteira sem ganhar um puto.
      Obvio que como eu não sou burro sei que o valor de criar algo original ultrapassa muito o faturamento de adsense e correlatos durante sete dias, mas na minha cabeça fica bem clara a separação entre construir uma estrutura baseada na mentira, iludido as pessoas a pagarem por algo que não é aquilo de verdade, e outra é um conto, num blog, aberto a qualquer um, gratuito, onde eu gasto a grana do meu bolso para fazer uma história realista para agradar o leitor. Além disso, eu jamais disse diretamente que o relato de um Mib era real. Isso nunca aconteceu. Eu apenas torci a história de modo a causar no leitor a desconfiança de que talvez as coisas não fossem como pareciam.

      Com relação a questão do realismo, creio que você tenha me entendido mal. Eu sou fã do realismo. Eu trabalho o tempo todo tentando chegar no realismo. Mas isso não me impede de ter também uma visão crítica sobre a necessidade permanente de obter o realismo maximo. O que não signifique que eu condene a técnica e o trabalho CORNO que dá se propor a algo assim.
      Um bom exemplo de super-realismo que eu acho legal é Cloverfield.

      Será que o terror não consegue se manter num nível aceitável de medo sem ser alegando que aquilo é real? Eu penso que consegue.
      Um filme não precisa alegar que é baseados em fatos reais ou que incorpora cenas reais para encantar e maravilhar, vide Contatos Imediatos.
      Por exemplo, “The ring”, é um bom exemplo, na medida em que poderia, mas não parte da premissa de que pessoas reais morreram depois de ver a fita. Ele gira em torno da fita, ele mostra o video e o espectador é que cai na real que também viu e por isso está fodido. Mas o produtor não precisou dizer isso pra ele.
      Eu penso que confundir o leitor/espectador, provocar duvidas nele, é bem mais honesto que vender gato por lebre.

      Responder
  16. Lfazzi disse:

    Rapaz, as situações que vocÊ já passou são tensas demais, eim.
    Eu com meus “meros” vultos, risada e coisas sumindo já me cago de medo, imagina ver de fato uma pessoa, ou ouvir claramente alguém falando. Aí é coisa de outro mundo.
    Essa história (a real) do exorcismo da garota é foda, muito trash. Gosto bastante do “exorcismo de Emily Rose”, elucida bem os acontecimentos mais não “viaja muito na batatinha”. Ainda faz umas ligações interessantes e relativamente sutis, como o caso das 3h (hora do dêmonio), ao qual a fita começa a tocar na casa da advogada. Não é uma obra-prima, mas é um filme bom.
    Vi o ritual e gostei bastante. Acho que ele se perde em dois pontos: 1 – a trilha sonora, que é uma droga completa e definitivamente ATRAPALHA o filme, inclusive o clima de suspense. 2 – O efeito de contraste da fotografia, que inexiste e acaba não dando um clima sombrio para o filme. Adicionando essas duas características, o filme melhoraria 60%.
    É uma história interessante, contada de maneira bem relevante (mostrando a dúvida de um padre que, supostamente, não poderia duvidar) e ainda tem a bela atuação de Anthony Hopkins.

    Quanto ao tema em si, gosto bastante. Não só de “exorcismo” em si, mas de toda “mitologia” (se é que esta é a palavra, em torno de demônios, anjos, mágica e afins, relacionado aos primórdios da Igreja. Inclusive, estou lendo o livro de São Cipriano e A Chave Menor de Salomão, ambos muito interessantes.
    Acho que o problema de, de fato, ter uma experiência sobrenatural ou algo do tipo, envolvendo aparições, possessão ou afins, está nos questionamentos que se surgem e que definitivamente mudam nossa visão de mundo:

    1 – Se eu vi, senti, presenciei, é que algo existe. Se um demônio existe e, por algum método desapareceu, há de se crer no bem. Logo, se o bem existe, Deus existe? Vida após a morte existe? Céu (no sentido de paraíso) existe?

    2 (e pior) – Se existe o “mal” e pode ser presenciado no nosso mundo, existe um inferno, demônios, diabo etc.

    É um tema interessante, bem complexo e de boa discussão

    Responder
    • Lee Andrews disse:

      O inferno é aqui mesmo………

      Responder
    • Philipe3d disse:

      “Se eu vi, senti, presenciei, é que algo existe” – Não necessariamente. Nossos sentidos nos enganam o tempo todo e nossa percepção falha do mundo é o pior dos idicadores para determinar se algo realmente existe ou não. Se fosse assim diríamos que David Blaine realmente levita e que Cris Angel passa através das paredes.
      A Magica é um bom exemplo, porque ela é algo que vemos, sentimos, presenciamos e parece real, no entanto, não é.

      Responder
  17. Fabiocb2006 disse:

    O cara que faz o papel no filme “A Profecia” é o Gregory Peck. Só isso já faz dele um filme muito melhor que a refilmagem, que perdeu muito da magia do primeiro filme. Aquela cena no cemitério, onde começam a aparecer cachorros de tudo que é lado, é demais. Outro filme legal, é “as duas vidas de Audrey Rose”, em que o pai da menina é o Anthony Hopkins, bem novinho.

    Responder
  18. Ricardo disse:

    Exorcismo é pra quem pode e está preparado. Não dá pra brincar.
    Senão, pode acontecer isso aqui ó:

    13. Alguns judeus exorcistas que percorriam vários lugares inventaram invocar o nome do Senhor Jesus sobre os que se achavam possessos dos espíritos malignos, com as palavras: Esconjuro-vos por Jesus, a quem Paulo prega.
    14. Assim procediam os sete filhos de um judeu chamado Cevas, sumo sacerdote.
    15. Mas o espírito maligno replicou-lhes: Conheço Jesus e sei quem é Paulo. Mas vós, quem sois?
    16. Nisto o homem possuído do espírito maligno, saltando sobre eles, apoderou-se de dois deles e subjugou-os de tal maneira, que tiveram que fugir daquela casa feridos e com as roupas estraçalhadas.
    (Ato dos Apóstolos, cap. 19)

    Tenso!

    Responder
  19. Rodrigo disse:

    Pow… agora perdeu a credibilidade totalmente com essa histórinha de envocação Philipe… Eu ja vinha acessando cada vez menos depois daquela outra engraçada que você tentou empurrar, a do ET e o senhorzinho sequestrado (Que por incrível que parece tinha gente acreditando naquele roteiro de HQ) mas depois de hoje eu parei de vez!
    É um comentário chato eu sei, mas como antigamente acessava diariamente, um membro assíduo, me senti no direito de expor a opinião de um ex-leitor. Boa sorte.

    Responder
  20. Edi disse:

    Só um pequeno adendo: A moda não foi inaugurada com Bruxa de Blair. Bem antes da historia da Bruxa fazer sucesso outro filme foi lançado alguns anos antes, gerando tanta polêmica que as autoridades fizeram os responsáveis provar que os atores envolvidos nas filmagens ainda estavam vivos, chamado “holocausto cannibal”, que meio que inaugurou esses tipos de pseudo-documentários que se passam por verdade.

    Responder
  21. Jorge-rcc Saomiguelarcanjo disse:

    essa de que o exorcismo da seita universal da mais medo,,foi a do ano kkkkkkk

    Responder
  22. Nilson disse:

    Mas tb vcs acreditarem nessas coisas, por favor, tentem evoluir um pouquinho, vcs não têm a mínima noção do mundo que os cerca, como pode no século 21 as pessoas terem crêndices tão ingênuas… Falta cultura e inteligência.

    Responder
  23. Karina disse:

     eu acho que isso é TUDO mentira , porque é muito lógico que nessa época era quase impossivel alguem ter cameras de seguraça na casa !!

    Responder
  24. Laura Vivian Borba disse:

    Nossa, posso dizer que sempre tive medo dessas coisas, mas que sempre acabei presenciando coisas. Mas minha prima é premiada com essas coisas muito mais que eu. No meu blog eu contei meus 3 piores casos, se quiser da uma lida ai:  http://kooh-jhena.blogspot.com/2010/11/experiencias-fantasmagoricas.html

    Parabens pelo blog, eu nunca me canso de ler, e ja perdi as contas de quanto eu ja falei do seu blog pra outras pessoas! Abraços!

    Responder
  25. Joaomarcosfedex disse:

    ola carissimos irmaos e irma: que a paz de nosso senhor esteja convosco.Sou seminarista joaomarcos fedex, E é um prazer poder postar esse pequeno comentario. Carissimos, depois dever algusn comentarios postados aqui nesse chat, sobre exorcismo, confesso ter ficado surpreso com muitos. post. Creio que ao falar a palavra Exorcismo ou exorcista,  muitos temem. mas pa? Nao nego que embora, esta cituaçao seja facil, pois é uma batalha espiritual muito complexa. entre o exorcista e o demonio em disiuta da alma, da pessoa pocessa. Carissimos o demonio nao é um ser que possui rabo ou chifres, o  demonio nao se pode ver, ele nao é um espirito nem nem alma penada. ele é um demonio. um ser maligno. que se alimenta cria forças quando caimos nos deixamos levar pelas tentaçoes. esse é a maior fortaleza dele. cuidado. Quanto ao ritual exorcismo. esse mesmo cerve, como motivo de salvar almas para cristo. esse mesmo é um ritual no qual conheemos a açao do demonio. concerteza é obvio devemos ter cautela nao brincar com essas coisas. pois Sao seres sobrenaturais que estao em açao. Agradeço a atençao a todos e espero poder ajudar em algo. louvado seja nosso sehor jesus cristo. Cordialmente seminarista maiso joao marcos fedex.

    Responder
  26. Angelicafabiano disse:

    so digo que se a igueja universal esistise ela nao teria morido
    e seria outra hisroria…!
    ass: angelica

    Responder
  27. Wheverton disse:

    eu ja tive nun real no olho dagua das cunhan ma ela ci chamava meri vii com meus proprios lhos

    Responder
  28. Micca Silveira disse:

    quanto mais eu pesquiso, mas me deixa maluca, sei lá, curiosa, não sei …

    Responder
  29. Betop_own disse:

    Acho interessante vcs discutirem religião como só existissem Católicos, Evangélicos, Espiritas etc…

    Ninguém é melhor do que ninguém e outra, o mesmo Deus, Jesus que comentam é o mesmo Deus em outro formato e nome além da história diferente na Ásia em que prega o Budismo, Taoísmo, Confucionismo etc..  Só para saberem, o Dragão na China é considerado um Deus com virtudes Boas para aquele povo e tem seu significado! Assim como Deus dos indios que trata do Tupã onde nem sabem de certo quem é ou foi Jesus.

    O Respeito aqui é essencial e cada crença deve respeitar suas virtudes então não é legal ficar tentando tirar vantagem sobre casos de demônios, seres malignos etc. sobre outras religiões. O certo é a pessoa acreditar que existe o Bem e o Mal e optar em qual caminhos seguir pois em cada caminho existe um ser superior que pode trazer boas ou mas coisas dependendo do que a pessoa também procure.

    O Assassino, bandido, estuprador como exemplo seguem um caminho que é o mal, muitos o julgariam que irão para o inferno, digamos pelo um princípio que estes sim serão questionados, porém como em muitas religiões explicam a salvação só dependerá depois da punição aqui na terra e arrependimento do mesmo com uma certa prestação de conta que difere de religião para religião. Então não vamos ser hipócritas sobre este assunto aqui.

    Responder
  30. Thaylah disse:

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkk adoro ver esses videos mas esses nao teve a menor grassa

    Responder
  31. bbbbb disse:

    isso so acontese que nao tem  fe   em deus a pessoa que tem fe em deus  nos livra de todos os maus

    Responder
  32. Anna disse:

    O filme em si não se trata de dar medo ou de exorcismo e sim de fé, assista novamente para entender.

    Responder
  33. Paulo Varjão disse:

    sou palestrante espirita kardecista estou preparando palestra sobre subjugação e possessão e procuro vídeos para a mesma assisti alguns de seus vídeos e como sou clarividente aflorado consegui ver nas alguns irmão desencarnado al lado das pessoas e senti energias incomum ,muito bom o interesse de vc pela veracidade dos vídeo ,forte abraço

    Responder

Responder.