Descoberto o que era o objeto estranho na superfície de Marte

Semana passada nós repercutimos o artigo do The Sun que mostrava um estranho elemento nas imagens do Google Mars. Um cara chamado David Martines havia notado algo incomum que mais parecia uma fabrica instalada em solo marciano. Ele deu o nome de Biostation Alpha ao objeto, que acreditava ser uma estação espacial alienígena no planeta vermelho:

Descoberto o que era o objeto estranho na superfície de Marte

De fato, olhando pelo Google Mars, lá está o estranho objeto.

Após a imagem intrigar muita gente, os astrônomos amadores conseguiram enfim analisar as imagens originais, que foram posteriormente usadas pelo Google para formar a textura do planeta Marte. E de fato tinha alguma coisa na imagem original, só que não é uma fábrica nem estação espacial. Veja o detalhe da imagem o original em RAW :

Descoberto o que era o objeto estranho na superfície de Marte
Trata-se de um raio cósmico. Aqui está o link para a imagem original (355Mb)

Os Raios cósmicos são partículas extremamente penetrantes, dotadas de alta energia, que se deslocam a velocidades próximas à da luz no espaço sideral. Portanto, raios cósmicos não são raios, mas partículas.

Essas partículas, ao chegarem à Terra, colidem com os núcleos dos átomos da atmosfera, a cerca de 10 mil metros acima da superfície do planeta, e dão origem a outras partículas, formando uma “chuva” de partículas com menos energia, os chamados raios cósmicos secundários.

O número de partículas que chegam ao nível do mar, em média, é de uma partícula por segundo em cada centímetro quadrado.

Os raios cósmicos secundários são inofensivos à vida na Terra, mas os raios cósmicos primários são perigosos para os astronautas no espaço.

Quando o raio cósmico passou pelo sensor de imagem da câmera, ele depositou uma grande quantidade de carga elétrica no CCD afetando a geração da imagem. Isso é algo bastante comum em imagens do espaço, principalmente quando a partícula passa em um ângulo raso em relação ao plano da câmara. Quando isso ocorre, afeta vários pixels ao longo do seu caminho. O resultado é um traço brilhante na imagem. Exatamente como o detalhe da imagem RAW mostra.

Como as imagens originais são pesadíssimas, por não terem compressão (praticamente todas as imagens que você vê na internet possuem algum tipo de compressão) elas precisam passar por um processo matemático de filtragem e redução de dados redundantes, e como estes processos não são perfeitos, quando o software de compressão digital converte a imagem em um arquivo JPEG, ele produz um tipo de mancha na imagem bastante conhecido dos designers, chamados de “elementos”. Como resultado, temos uma imagem com aspecto pixelado, que somado ao desejo de achar uma base alien no planeta Marte, resulta nisso aí.

A imagem usada pelo Google para fazer o Google Mars provém da ESA’s Mars Express orbiter, que foi obtida com a câmera de alta resolução stereo. O ID da imagem é: ID: H5620_0000_ND2

Então, apenas para efeito ilustrativo, quando pegamos a imagem original e sobrepomos a imagem que aparece no Google Mars, note como elas se encaixam bonitinho:

Descoberto o que era o objeto estranho na superfície de Marte

Então é isso, não há muito mais a dizer além da explicação de que se trata de um raio cósmico. Mais uma alegação sensacional que se mostra uma questão corriqueira em imagens espaciais. Porém, não podemos culpar o cara, que realmente achou algo estranho na imagem. Quem demonstra isso é o usuário Snowen20, do forum ATS, que gerou uma imagem inspirada nas formas e cores de uma base real projetada pela Nasa para ser colocada em Marte e efetuou as correções na imagem similares as usadas pela compressão do Google Mars. Note como fica realmente parecido.

Descoberto o que era o objeto estranho na superfície de Marte

Dessa vez foi um tiro nágua, mas como a imagem acima mostra, poderia não ter sido. Como a questão da base marciana foi resolvida, o mistério que ainda permanece é a coisa estranha com forma de foguete enterrada na superfície da Lua. Essa com certeza não é raio cósmico:

Descoberto o que era o objeto estranho na superfície de Marte

 

fonte, fonte, fonte

Related Post

13 comentários em “Descoberto o que era o objeto estranho na superfície de Marte”

  1. Philipe,
    eu acredito no seu senso crítico, mas juro brother, essa explicação é bem doida…. RAIOS CÓSMICOS? WTF?!

    Parece aquela história quando e perguntamos:

    Mãe o que é isso? e ela responde: Chorizo …  :-/
     

    • MAs são raioos cósmicos mesmo. Certa vez eu li numa revista que os estudos dos raios cosmicos começaram quando os astronautas reportaram que viam clarões de luz surgir do nada dentro da cabine dos foguetes. Dutante muito tempo, corria a suspeita de que fosse algum tipo de alucinação, mas depois descobriram que eram microscópicas partículas de energia passando dentro do globo ocular dos astronautas. Com o tempo, o corpo vai gerando doenças devido ao bombardeio de raios cósmicos e isso é um dos mais complicados fatores para a permanência humana no espaço por longos períodos.

  2. Foi mais ou menos o que eu falei no post anterior: “A coisa nas imagens de Marte ME parecem com artefatos de imagem. Pode ser problema na captura ou na transmissão das fotos.”
    No caso foi um problema na captura…

    O da Lua realmente é uma forma interessante. Será que o Japão tem disponível em algum lugar as imagens da sonda deles?

  3. Essa imagem da Lua, há algum tempo atrás tinha um video da NASA que mostrava esse bichão ai na Lua. Incrivelmente é impossivel de achar esse video no YT, Video e todas as outras plataformas…
    Bem interessante ..

  4. Alguns efeitos dos raios cósmicos na fisiologia humana que não foram citados são combustão humana espontânea, flexibilidade músculo-óssea elevada, propriedades fotorreceptoras da pele alteradas e pedra nos rins. (E na vesícula, no estômago, no fígado… no corpo todo, na verdade.)
    Aproveitando a deixa, o artefato na lua já foi documentado em vários meios como sendo o lar de uma entidade que jurou apenas observar, sem jamais interferir.
    Bom, jamais é uma palavra definitiva demais, quem sabe umas duas ou três (mil) vezes.

  5. Leandro263 1 dia atrás

    Alguns efeitos dos raios cósmicos na fisiologia humana que não
    foram citados são combustão humana espontânea, flexibilidade
    músculo-óssea elevada, propriedades fotorreceptoras da pele alteradas e
    pedra nos rins. (E na vesícula, no estômago, no fígado… no corpo todo,
    na verdade.) Aproveitando a deixa, o artefato na lua já foi
    documentado em vários meios como sendo o lar de uma entidade que jurou
    apenas observar, sem jamais interferir.Bom, jamais é uma palavra definitiva demais, quem sabe umas duas ou três (mil) vezes.CARACA..AGORA TEM O VIGIA DA MARVELS PERAMBULANDO PELA LUA QUE NEM NAS SAGAS  DOS QUADRINHOS!!!NOOOSSSAAAA:)  ELE DISSE DE VERDADE LEANDRO Q NAO PODE INTERFERIR NO CURSO DA HISTORIA. BOM..ELE TA LA MORANDO NAQUELA NAVE VENDO TUDO Q ROLA AQUI NÉ?:D

  6. se raios cosmicos fossem algo comum em imagens do espaço entao muitas fotos da superficie de marte apresentariam pequenos pontos como este, concorda?
    Alias, raios cosmicos sao tao comuns que em outras milhoes de fotos nao aconteceram, apenas nesta.Nao sei o que é aquilo, pode ser qualquer coisa (raio cosmico, espaçonave, castelo de greiscol, ursinhos gummy) sò sei que para mim a questao nao se encerra assim facilmente.

  7. Alguém já reparou que o objeto na lua está sob uma formação que se parece com uma caveira? Seria uma espécie de Gólgota lunar? Veja lá se não é, ora…

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares