28 Comentários

  1. Robson

    🙁 … se aquela porra de adesense do google estivesse ligada vc poderia ter esticado o conto neh?

    Responder

    1. Acho que não exatamente. Este conto ja tava ficando grande demais… Estava atrapalhando meus outros projetos. E ele seguiu sozinho ate o final.

      Responder
  2. João

    Belo final Philipe!
    Muito obrigado por mais uma estória bacana! O único problema é que eu acabo procrastinando e desviando a atenção do meu doutorado (que já era pra ter terminado, diga-se de passagem).
    Cara, já te acompanho há uns três anos… li todos os contos…
    Fiquei bastante chateado quando li o post sobre o adsense e infelizmente não tenho ideia de como ajudar… Sei fazer muitas coisas. Uma das que não sei é ganhar dinheiro!
    Esse ano vou ter minha primeira filha em julho e preciso terminar meu doutorado o quanto antes (já deu no saco), mas liberando um pouco o tempo posso tentar ajudar na produção de alguma coisa! Sou arquiteto, mestre (e quase doutor) em engenharia civil, na área de materiais e tecnologias não convencionais, tenho grande experiência com marcenaria e restauro de antiguidades, e adoro uma porção de outras coisas… enfim… se eu puder ajudar avise…
    Um abraço!

    Responder

      1. Fala Philipe,
        Deixei uma contribuição aí no paypal… espero que ajude!
        Aquela idéia da assinatura mensal do site, com fanzines impressos/sorteio de esculturas é bacana mesmo…
        Bom, tamos aí…
        Abraço

        Responder
  3. Renata

    Ameiiii o final do conto, só não leio todos os outros por agora, pois como o carinha aí de cima, estou precisando terminar uns projetos pessoais, mas caso precise de assessoria técnica em questões jurídicas estou à disposição.
    Se o meu paypal decidir funcionar, já que esqueci a minha senha, vou contribuir ao blog que me retira dos estudos…. Kkkkkk
    Espero que esteja dando retorno essa sua forma de contribuição.

    Responder
  4. Daniel Bart Pinheiro

    Final digno, e ainda deu um gancho para quem sabe um próximo conto com um certo caçador irônico. Parabéns mais um vez Philipe, de novo você confirma o motivo de eu ter você como um dos meus três escritores favoritos. E quanto ao livro do Zumbi, assim que sair (e assim que eu estiver em um bom estágio de Arquitetura e Urbanismo), comprarei.

    Responder
  5. juju

    Era para o Leonard aconselhar o Rogério a não entrar mais em contato com os mortos e jogar aquelas tralhas do porão fora…já pensou se começa tudo de novo???? mas eu gostei do final…muito bom, parabéns

    Responder
  6. Carlos Dente

    Um bom final e um belo gancho para a próxima história das Crônicas de Leonard (e não me refiro à viagem até a Biblioteca, e sim nos motivos de Lúcifer ter mandado Leonard de volta no tempo).

    Valeu, Philipe!

    Post-Scriptum: gostaria muito de fazer uma dozção para ajudar o MundoGump, mas não tenho cartão de crédito (nesse ponto, eu e o Leonard somos parecidos). Tem outras formas de ajudar?

    Responder
  7. Dhiego

    Conto sensacional! Tive a sensação de que ele teve um final meio abrupto, mas percebi que isso aconteceu porque eu adoraria que ele se prolongasse por muito tempo.

    As aventuras de Leonard sempre são incríveis. “A caixa” e agora “As crianças da noite” são obras que merecem todo reconhecimento.

    Você tem um talento para entrar na mente humana e despertar aqueles medos ancestrais que ainda escondemos.

    Um grande abraço de um fã do seu trabalho.

    Responder

  8. E EU ACHANDO QUE O LEONARD IA MORRER SEM CONSERTAR AS CAGADAS QUE ELE FEZ COM OS OUTROS!
    Não morreu, mas pelo menos cuidou dos outros que tinham morrido. Isso ficou bom. Interessante também um “mandachuva” demoníaco ter interferido e feito o que o demônio engomadinho tinha “prometido” fazer: tirar o Leonard do perrengue e mandar ele pra data que ele quisesse. Bom, não foi a data que o Leonard escolheu, mas foi a que ia resolver tudo.
    Agora, uma pequena opinião minha: com o passar dos capítulos do conto, o título de “As Crianças da Noite” já não foi se encaixando; foi se perdendo. O foco numa luta e poderes muito superior aos das crianças deixou o título sem ter onde se encaixar. Certo que eu esperava algo mais pro terror por causa do título (crianças com olhos escuros?? Tem coisa mais assustador que isso??? *-*) do que para a ação que foi se formando (luta de caçadores x bruxas). As crianças foram pouco exploradas, e elas davam muito medo mesmo (ainda mais com as imagens iniciais que vc colocava. Vc faz no Photoshop essas imagens?) E achei o final meio “tá longo d+, vamos acabar com isso e ponto final!” Não sei se isso é bom ou ruim, não deixar o leitor ter a sensação de que a história está findando e acabar de uma maneira abrupta. Enfim, minha opinião, sem xingamentos e linchamentos por favor xD
    Acompanho o site faz 6 anos e só agora que tomei coragem pra comentar pq PQP, COMO EU ODEIO O LEONARD, QUE VONTADE DE SOCAR ELE! Ele tem uma personalidade horrível! Mas eu gostaria de conhecer outros caçadores. É impressão minha mas suas recentes histórias estão ligando-se cada vez mais?
    Só finalizando: A Caixa. PQP, melhor conto!

    Parabéns por mais um conto finalizado, e que venham os próximos! Abraços!

    Responder

    1. Hehehe o Leonard muitas vezes é bem cretino mesmo. Mas eu acho legal isso nele, os defeitos do cara são produtos de sua história de vida. Esse conto seria inicialmente somente um conto de terror com as crianças da noite, mas não resisti aos apelos de alguns leitores para colocar o Leonard nessa história.

      Responder
  9. Aline Carneiro

    Muito bom, Philipe, muito bom!
    E como disse o Leonard, às vezes é melhornão passar pelas fortes emoções

    Responder
  10. Thiago chipset

    Parabéns. Eu comecei a ler pela metade esse conto, admito, mas por falta de tempo. Acho esse universo do Leonard incrível, muito rico e você sabe explorar muito bem isso nos revelando coisas que nem sabíamos que existia durante as andanças do velho caçador.
    Na próxima missão Loenard podia ajudar a encontrar o irmão do Aesh né?

    Responder
  11. Marcus Vinicius

    Parabéns pelo conto Philipe, li ele todo hoje (29/03/2014), kkkkkk, muito bom. Aquela parte do texto que descreve a cena em que o Leonard quebra o vaso falso do Rogério jogando ele contra a parede, foi inspirada na cena do filme Indiana Jones e a Última Cruzada em que o pai do Indiana, Henry Jones(Sean Connery) também quebra um vaso jogando contra a parede após descobrir que o mesmo é falso, estou certo?

    Responder
  12. WANDERSON MOURA

    Pow brother, deixei um comentário ontem pra vc gigante, mas vi que vc não o publicou. Falei algo q não devia?

    Responder

    1. Cara eu aprovo os comentários em blocos (hoje tem mais de 150 pra aprovar). Ontem eu estava viajando. Quando isso acontece acaba demorando para o comentário entrar, mas nunca mais de dois dias, ok?

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.