20 Comentários

  1. Dy yasashi

    Não entendi Philippi….
    Se da primeira vez que Leonard se encontrou com Naberius, ele se sentia jovem por não ter o peso do corpo carnal, por que dessa vez ele sentiu dor nas costas, e disse não ter mais idade pra isso??? Rs
    Mas fora essa minha inconveniente observação, esta ficando cada vez melhor:)
    Parabéns ????????

    Responder
    1. Robson

      Dy yasashi, esta realmente bom não é? Vou dar um pitaco sobre a tua pergunta pro Ph…

      Talvez a sensação possa mudar de acordo com o plano espiritual em que a consciência da pessoa se encontre… daquela vez, pelo que me pareceu foi num plano espiritual diferente… hehehe

      Abraços, ta show em Philippi

      Responder

    2. A dimensão astral em que ele se encontra com Naberius é uma dimensão diferente do plano intermediário. No plano intermediário ele está mais perto da matéria. Ele tem mais matéria no intermediário.

      Responder
  2. Dhiego

    Espero que “A caixa” e “As crianças da noite” se tornem livros e posteriormente, filmes. Que qualidade!

    Responder
  3. Yassushi

    Bom demais, Philipe!
    Aparência simpática, o Leraje… E a Kuran? Tem história, hein!
    Aguardando a próxima parte.

    Responder
  4. Daniel Bart Pinheiro

    Philipe, concordo com o Dhiego aí em cima, também espero que A Caixa e As Crianças da Noite virem livros (e quem sabe um prequel chamado A Busca de Kuran?). O conto fica cada vez melhor a cada capítulo, preciso descobrir como escrever otimamente assim)

    Responder
  5. Dy yasashi

    Gente, perdoem me o PARABÉNS com interrogação
    Meu teclado aqui no Japão as vezes me prega umas peças …. Q vergonha …. Só vi agora afff ????

    Responder
  6. Dy yasashi

    Kkkkkk acabei de descobrir oq é.
    São os que chamamos aqui de “emoji” ou os emotions, td vez q eu por um vai aparecer interrogação …. Rs

    Responder
  7. juju

    Philipi como vc consegue essas imagens? Do lareje. Dos caras que mataram o Aesh? Todas essas imagens. Vc pega do google imagens ou elabora, sempre quis saber

    Responder

    1. Eu crio elas. Geralmente eu fico horas navegando achando imagens de referência para modificar no photoshop, misturar, colar e também desenhar algumas partes. Dá um trabalho miserável.

      Responder
  8. Fernando

    Ei Philipe, como você protege seus escritos de cópia?
    Supostamente você deve registrar, mas registrar um conto que está sendo publicado em fragmentos não parece ser uma opção viável.

    Por curiosidade, diga me o que impossibilita alguém(fdp cabeça de vento) criar um blog e postar seus textos de propriedade criativa e não mencionar o verdadeiro autor, bem como a fonte.

    Obrigado. Obs.: Não sou um fdp cabeça de vento.

    Responder

    1. Diariamente, tem gente copiando texto meu. Já até recebi textos meus por email como sendo do LF Veríssimo.
      O que acontece é que se por ventura alguém copiar (e é bem fácil descobrir porque existem sites como copyscape e programas para tal) meu texto e publicá-los, na forma de plagio, eu posso meter um processo tão gostoso no infeliz que ele nunca mais vai fazer isso de novo.
      Eu já processei pessoas por violação de direitos autorais e uso indevido de material.
      Os contos, são um caso à parte, porque depois de terminados, eu os registro na Fundação Biblioteca Nacional, no Ministério da Cultura. Mas em tese nem precisa disso, já em que em caso de disputa judicial acerca de autoria, o juiz determina que o perito verifique quem publicou antes, e é relativamente simples descobrir isso. Não obstante, é fácil para um juiz perceber quem é o verdadeiro autor de um texto, (pelo menos no meu caso) porque meu estilo de escrita é bem conhecido, o blog tem muita visita, eu já fui até no Jô, tenho vários livros publicados e tal. Aí o suposto larápio de conteúdo vai ter o que para justificar? Árvores que dão um só fruto são suspeitas.
      Por fim, esse tipo de “malandragem” não é vantajoso no custo-benefício. Isso porque contos dão pouco ibope na internet. O cara que copia para tentar faturar com o conteúdo alheio quer conteúdo que dê retorno. Se ele copia meu site e coloca um adsense, por exemplo, eu denuncio ele e o adsense bane a conta do cara. Só de copiar ele já se fode, porque o algoritimo do Google detecta texto chupado dos outros e já baixa o valor do site, com isso ele vai pro fundo da listagem. No fim das contas, dá muito trabalho para pouco retorno e o cara vai preferir outro tipo de roubo de conteúdo. Por ex: Matéria sobre os BBBs da moda.

      Responder
      1. Fernando

        Obrigado por responder.
        Aliás, seus contos são muitos bons. Espero que um dia você seja uma espécie de Stephen king brasileiro.

        Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.