Álbum de fotos dos mortos


Durante o século XIX, era comum que as pessoas ao morrer fossem fotografados. Esta atividade se chama Post mortem Photos.

Isso pode até parece mórbido hoje, mas naquele tempo, isso era um costume natural. Os álbuns dos mortos eram uma espécie de negação da morte ao mesmo tempo que tornavam-se coisas guardadas pela família para lembrar dos entes queridos. Além disso, fotos nesta época eram um grande luxo. A fotografia em si era algo bem caro e funcionava como última homenagem aos falecidos.

Dada a circunstância de fotografar a pessoa ainda fresca, eram criados verdadeiros cenários elaborados com composições muitas vezes complexas de estúdio para fazer os álbuns dos mortos. Em outros casos, depois de instalado o rigor mortis, era necessário inventar situações complicadas para a foto ficar natural. isso envolvia colocar calços sob cadeiras e inclinar a maquina para que a cena se ajustasse a posição fixa do cadáver.

A grande maioria é de pessoas deitadas na cama, como este arrepiante olhar pela janela da foto acima. Mas existem fotos bem estranhas, onde a posição dos cadáveres ficavam assustadoramente naturais. Essas eram obtidas com suportes de madeira ocultos sob as roupas.

Para essas fotos o importante era fazer parecer que as pessoas estavam dormindo. Com isso, era comum fotos de grupos de mortos e também de pessoas vivas sentados fazendo poses com cadáveres. Grande parte das Fotos de bebês eram coloridas artificialmente para dar um tom de vida ao cadáver infante.

Esses álbuns de fotos volta e meia acabam indo a leilão e ávidos colecionadores de bizarrices compram por uma nota preta estes álbuns de fotos para completarem suas coleções. Muitas dessas fotos estão à venda em mórbidos leilões no e-bay.

Há uma súbita tristeza mórbida em muitas dessas fotos, que parecem saídos diretamente dos porta-retratos de casas mal assombradas, como naquele filme “Os outros”, com a Nicole Kidman.

Este é o Mundo Gump patrocinando seus pesadelos. A seguir, uma galeria de fotos com algumas das mais arrepiantes fotos dos álbuns de fotos dos mortos.

A pianista

Pai com criança Dormindo (ambos mortos)

Criança “dormindo”

Menino “dormindo” note o blush rosa que colocaram sobre a foto para dar vida ao morto.

Vista da moça dentro do caixão

A moça morta é a do meio

Você consegue dizer quem está morto no momento desta foto? Não é o velho. É a menina no meio.


Juvenis em cadeirinhas eram um clássico.

Maquiadão e geralmente segurando flores.

Criancinhas mais jovens apareciam no colo de adultos vivos ou mortos ou ainda em fotos de estúdio. Como esta. Parece até coisa da Anne Guedes.


Também era um clássico do período as fotos de bebês dentro de caixões


Família reunida com o defunto “dormindo” no chão. Note que tá rolando uns quitutes na mesa ali.

Irmãos posando com o irmãozinho morto. Note o olhar maníaco do mais velho.

Falando em olhar maníaco, observe o olhar de desespero desta menina, forçada a posar com o irmão defunto com o braço no ombro dela. Cruzes!

No século XIX o lance era fazer o morto parecer vivo. Pra isso se usava uns suoprtes. Na foto acima podemos vê-los atrás dos pés da moça, que obviamente está morta.

Mais uma  posando com os pais, na clássica foto “dormindo”.  Note que como os pais estão vivos, eles se mexem um pouco e devido a exposição prolongada, ficaram mais borrados. Já a morta aparece super no foco justamente por isso.


Fonte

Fonte

Artigos relacionados

120 Comentários

Compartilhe suas ideias