Estrada da agonia

Nesse fim de semana estive na abertura do Festival de Inverno de Campos do Jord√£o, para conhecer a tal “Su√≠√ßa Brasileira” que todo mundo fala, o Amaury Junior badala e etc e tal, lugar caviar, que eu s√≥ conhecia de ouvir falar.

Hotel sensacional nas ilhas Maldivas (pega o babador!)

Ent√£o voc√™ est√° no trabalho vendo emails, aquele monte de spam idiota. Voc√™ escuta o telefone tocando, v√™ seus colegas andando de um lado para o outro na sala e consulta o rel√≥gio para saber que horas ser√° finalmente o almo√ßo, e voc√™ ter√° um minuto de tranquilidade. Mas seus pensamentos s√£o interrompidos por mais compromissos, reuni√Ķes atrasaram e tudo parece odiosamente lento hoje. Voc√™ respira fundo, olha pela janela. A cidade cinza, com chuva e a feiura de sempre at√© seria vista, se n√£o fosse a sujeira na janela do pr√©dio que te faz sentir ainda mais enclausurado, um prisioneiro de sua pr√≥pria vida. Tudo que voc√™ queria era estar na praia, longe dessa merda toda.

O video lisérgico que te faz ficar zoado sem usar drogas

O meu irmão André mandou o link de um video que diz que consegue te deixar doidão sem usar drogas. Você vê o vídeo em tela cheia e pronto. São alguns segundos de puuuura viagem.

Eu tenho grande dificuldade de acreditar nessas coisas e sempre que me deparo com essas alega√ß√Ķes sensacionais acho que se trata de algum g√™nio do mal que resolveu usar esse ca√ī para aumentar seus views do youtube. Mas como foi meu irm√£o que indicou, levei f√© e… Porra, funciona!

O mundo de sal: O incrível e acachapante Salar de Uyuni

Estou com este post sobre um dos lugares mais incríveis do planeta agarrado na lista de posts a terminar faz tempo. Então, aqui está:

O mundo de sal

 

O sol se ergue sobre a vasta planície desolada. Ao longe, perto do horizonte que se estende infinito, como uma divindade onipresente, as vastas plataformas de pedra se iluminam, esquecendo a noite de frio cortante que poucas horas antes castigaram ferozmente o relevo.  O céu, antes dominado pelas estrelas, é agora  inundado com os primeiros raios de luz que mergulham sobre os montes de pedra e sal. A luz representando o renascimento da vida. As sombras que se contorcem lentamente sobre montículos brancos e brilhantes como infinitas estrelas, antes penduradas no firmamento e agora caídas pelo chão, surgem como a vida, desenhando contornos fantasmagóricos e estranhos, que nos remetem à aurora da existência humana.

Grandes plat√īs perdidos na bruma p√°lida que vagueia perto do ch√£o descrevem uma cena fant√°stica, interrompida por raros e fugazes sinais da vida moderna. Um jipe, um caminh√£o que estala suas rodas sobre placas endurecidas de sal, uma placa solit√°ria que balan√ßa ao sabor do vento, a poeira que flutua no ar e a t√™nue camada de √°gua que recobre mil√≠metros da superf√≠cie em certas √©pocas do ano…

Estamos no Salar de Uyuni, um lugar t√£o selvagem quanto perigoso, t√£o belo quanto assustador. A altura faz seu peito arder, mas n√£o tanto quanto seus olhos, castigados pela intensa luminosidade, que quatro minutos antes, sa√≠a de explos√Ķes violentas, na velocidade de 300.000 quil√īmetros por segundo da colossal bola flamejante que chamamos de Sol.

Leia maisO mundo de sal: O incrível e acachapante Salar de Uyuni