Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp

O poço de Jacó é um dos lugares mais perigosos para se mergulhar. Ele está localizado em Wimberley, no Texas (EUA).

O nome “poço de jacó“, como já dá pra sentir, é baseado em uma referência bíblica. Este poço, já matou oito mergulhadores.

mergulho

 

A principio, ele até parece inofensivo. Lembra um buraco de quatro metros cravado no solo. A superfície calma e cristalina oculta o risco.

UjCz1_2c62bdffd2b49844ac6c40054478b612

Quatro câmaras em seu interior se estendem a vários metros abaixo da superfície. A primeira câmara é uma queda em linha reta de aproximadamente 30 metros. Ela recebe luz solar o suficiente para manter algas e vida selvagem em seu interior. Já a segunda câmara do poço de Jacó tem quase 80 metros de profundidade e abriga uma falsa saída que se revela uma perigosa armadilha para qualquer mergulhador corajoso ou burro o suficiente para tentar a sorte lá.

poco1

 

Na foto acima vemos a descida na segunda câmara

Chegar até a terceira câmara, igualmente perigosa e profunda, é insanidade. Para alcançá-la é preciso passar por uma abertura na segunda câmara do poço.

A entrada para a quarta câmara é uma passagem bem mais apertada. Poucos mergulhadores se arriscam a explorá-la. Por isso ela ganhou o apelido de “caverna virgem”. No fundo desta câmara, existe uma fenda mínima. Até mesmo mergulhadores profissionais que tentaram se arriscar nesta câmara, não conseguiram sair dali com vida. A última vítima conhecida foi Wayne Madeira Russell, de Austin.

Mesmo com as mortes, o poço exerce estranho fascínio aos caçadores de aventuras. Parece que quanto mais gente morre lá, mais interessados eles ficam.

Após muitas mortes, Don Dibble, dono de uma loja de mergulho na região com mais de 40 anos de experiência conclui:

“O Poço de Jacó, definitivamente, tem uma reputação nacional de ser um dos lugares mais perigosos para mergulhar.”

O próprio Dibble já se ferrou ali.

poco2

 

Na foto acima vemos a estreita passagem que conduz à terceira câmara.

Ele 1979, ele entrou no poço para retirar o corpo de uma das vítimas que tentou explorar a caverna submersa. Aquele foi um dos piores momentos de sua vida.

Dibble estava tentando recuperar os restos mortais de dois jovens mergulhadores de Pasadena, Kent Maupin e Mark Brashier, quando ficou preso. O cascalho se desprendeu e o enterrou até a cintura, na parte inferior da terceira câmara do Poço de Jacó.

Logo Dibble se viu sem ar. Por sorte, sua demora foi notada e ele foi resgatado por outros mergulhadores, mas ainda assim sofreu uma ruptura do estômago durante a sua rápida ascensão já inconsciente.

Em janeiro de 1980, Dibble tomou coragem e voltou às profundezas do Poço, para tentar lacrá-lo. Ele instalou uma tela de aço que impedia a entrada na terceira câmara.
Seis meses depois, ao mergulhar para verificar a tela, ele encontrou a grade desmantelada. Mergulhadores não só mergulharam lá com as ferramentas adequadas para retirar a grade, como eles também deixaram um bilhete para Dibble.

“Você não pode nos impedir de entrar”

Aquilo estava escrito em uma lousa de plástico. O escritor Steve Harrigan diz que, enquanto trabalhava em um artigo para o Texas Monthly, ele mergulhou no poço de Jacó, pelo menos 20 vezes no final dos anos 1970 e início dos anos 80. Ele ajudou Dibble a instalar a grade.

poco3

A passagem na terceira câmara é estreita e perigosa. Para piorar, os sedimentos do  fundo facilmente tornam o lugar um breu. Desesperar-se com a perda brutal da visibilidade que te impede de ver sua própria mão somado á desorientação, significa a morte.

“É um lugar muito misterioso, um lugar de adrenalina constante”, diz Harrigan, que escreveu até um romance centrado em torno do poço em 1984.

Até o momento, ninguém sabe qual é o final da caverna. O mistério certamente ainda vai atrair corajosos aventureiros para um fim trágico. Enquanto isso, jovens da região se divertem saltando no poço, muitos alheios ao fato de que lá no fundo, em meio a escuridão, repousam os restos mortais de muitos curiosos.

Este post foi uma dica do Guilherme Tochetto

fonte fonte fonte

 

 

Poço de Jacó: Mergulhos mortais no poço desconhecido

Comments

comments

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

21 ideias sobre “Poço de Jacó: Mergulhos mortais no poço desconhecido

  • 3 de fevereiro de 2014 em 14:36
    Permalink

    Finalmente um lugar onde o Google Earth (ainda) não chega… ^_^

    Resposta
  • 3 de fevereiro de 2014 em 17:14
    Permalink

    Um drone aquatico, seria esse o nome? rsrs ou mini submergivel nao tripulado, talvez mate a curiosidade de saber o que há la em baixo

    Resposta
    • 3 de fevereiro de 2014 em 17:30
      Permalink

      Verdade, tipo os que usaram para achar o que sobrou do Titanic

      Resposta
    • 3 de fevereiro de 2014 em 20:00
      Permalink

      Pensei nisso tb, poderiam inseri-lo lá e fazer as filmagens, porem com a baixa visibilidade acho que a tarefa ficará dificil não?

      Resposta
  • 3 de fevereiro de 2014 em 17:29
    Permalink

    Caramba, Philipe, você encontrou o Everest ao contrário!

    Resposta
    • 3 de fevereiro de 2014 em 19:36
      Permalink

      Mas esse Everest ninguém nunca conseguiu chegar ao topo. Quer dizer “fundo”.

      Resposta
      • 4 de fevereiro de 2014 em 15:48
        Permalink

        Mas o que tem de gente que morre tentando, né? :-\

        Resposta
  • 4 de fevereiro de 2014 em 10:53
    Permalink

    Cara que agonia do cão , só de ler as historias sobre o lugar me deu mal estar …. Tem um vídeo de dois maluco mergulhando sem equipamento e indo até uma parte que quase não tem mais luz e só dá pra ver a escuridão embaixo…. aff

    Claustrofobia nível 1000 aqui

    Resposta
  • 5 de fevereiro de 2014 em 10:45
    Permalink

    Eu li essa matéria relembrando o inferno de Dante. Um inferno aquático né, deve ter muito mais "câmaras" nisso e se brincar tem um capiroto vivendo na ultima câmara HAHAHA.

    Resposta
  • 5 de fevereiro de 2014 em 13:49
    Permalink

    poxa…acho que uma carretinha com uma corda ,resolveria o problema tbém…ou parte deles, pelo menos não se perderiam na volta…

    Resposta
  • 5 de fevereiro de 2014 em 16:39
    Permalink

    Meu Deeeus… assustador, cara. O poço é lindo, mas eu sou claustrofóbica, então… nunca. Nunca, jamais, jamé, vou chegar PERTO desse poço do Satã. Credo.

    Resposta
  • 5 de fevereiro de 2014 em 22:32
    Permalink

    Gente, não sei se compreendi a matéria direito. Mas qual o problema de se aprofundar nas cavernas usando equipamento de mergulho profissional?

    Pela descrição das câmaras, na minha cabeça da pra mergulhar tranquilo usando cilindros de oxigênio. Eu sei que o espaço pra mergulhar é estreito. Mas no lugar de lacrar, o cara lá devia era ter aberto mais pra facilitar o mergulho.

    Resposta
    • 6 de fevereiro de 2014 em 10:31
      Permalink

      O mergulho em cavernas é uma das atividades mais perigosas na Terra. Parece-me que além da passagem estreita, há problemas de deslizamentos internos. Creio que o cara fez isso pensando em impedir que mais mergulhadores se arrisquem e morram lá em baixo. POrém, sua ação de boa intenção teve um efeito inverso.

      Resposta
  • 5 de fevereiro de 2014 em 22:41
    Permalink

    Imagina ai que um mergulhador descobre que na verdade são seis câmaras, sendo que no fundo da última ele descobre um boneco do fofão estranhamente conservado em uma caixa de vidro. Dentro, além do boneco, ainda haveria velas como se acabassem de ter sido apagadas. E por último uma mensagem escrita em vermelho “não olhe pra trás”.

    Resposta
    • 9 de fevereiro de 2014 em 10:52
      Permalink

      fosse no Brasil ainda ia… lá tinha que ser um boneco do Chuck … XD

      Resposta
  • 16 de fevereiro de 2014 em 8:14
    Permalink

    Paulo isso deve ser imaginação há mais, kkkk, mas tenho acerteza que um dia tal mistério irá ser desvendado, era fixe que ká em Portugal houve-se um maravilhoso poço.
    A Natureza é fantástica.

    Resposta
  • 24 de junho de 2014 em 10:35
    Permalink

    O perigo nem é o poço em si,pois lugares perigosos existem dos mais variados,mas a atração e facínio que exerce nas pessoas que desafiam algo desconhecido.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Related Posts