“pegue o dinheiro e corra” – Artista é processado e condenado a devolver a grana após entregar tela em branco como “proposta artística”

"O mal do malandro é achar que todo mundo é otário"

Olha só essa história de “pegue o dinheiro e corra”. A gente sabe que no mundo da arte está cheio de “moleques expertinhos”, mas pelo menos nesse caso aqui o picareta se ferrou.

O artista dinamarquês Jens Haaning foi condenado a reembolsar o Museu Kunsten em Aalborg 532.000 coroas (76.000 dólares) depois de entregar duas telas em branco como obras de arte em um projeto que ele chamou de ‘Pegue o dinheiro e corra‘.

Em 2021, Jens Haaning, um artista conceitual dinamarquês cujo trabalho se concentra no poder e na desigualdade, foi contratado pelo Museu Kunsten de Arte Moderna em Aalborg para recriar duas de suas obras anteriores, nas quais ele usou um monte de notas para representar a renda média na Dinamarca e na Áustria.

O museu combinou isso aqui (que eu já acho uma proposta bem merda)

O artista concordou e o museu forneceu cerca de 532 mil coroas (76 mil dólares) para ele recriar as peças de arte, incluindo uma taxa de 40 mil coroas extras.

Somente quando a equipe do museu desempacotou as duas obras de Haaning é que encontraram duas telas em branco intituladas “Pegue o dinheiro e corra”.

Picaretagem pura!

Mas se você acha que o cara ia deixar barato, espere só até saber o que ele disse, que é o mais lindo cristal da malandragem:

“O problema é que peguei o dinheiro deles. Não é roubo. É uma quebra de contrato, e a quebra de contrato faz parte do trabalho.”

Jens Haaning: Alguns dizem que é pilantragem, outros que é “genial”.

O museu expôs as novas obras, mas ainda assim pediu ao artista que devolvesse as centenas de coroas que deveria usar para recriar as suas peças anteriores e, quando ele recusou, o museu se viu obrigado a abrir uma ação judicial contra ele. Os documentos legais afirmavam que Haaning recebeu apenas 532.000 coroas emprestadas para usar como meio para as obras de arte, mas em vez disso embolsou a grana.

“Não somos um museu rico. …Temos que pensar cuidadosamente sobre como gastamos os nossos fundos e não gastamos mais do que podemos pagar”, disse Lasse Andersson, diretor do Museu Kunsten, ao The Guardian na altura.

Agora, depois de uma longa batalha legal, um tribunal de Copenhaga ordenou que Jens Haaning reembolsasse ao museu 492.549 coroas, o que representa a quantia que o museu lhe deu menos os honorários do artista. Ele agora tem 14 dias para cumprir, mas também pode recorrer da decisão.

Falando após o veredicto do Tribunal, Haaning admitiu que a controvérsia em torno do seu projeto ‘Take the Money and Run’ tinha sido “boa para o meu trabalho”, mas acrescentou que também “me coloca numa situação incontrolável onde não sei realmente a pendência.”. Ele também disse que o Museu Kunsten também ganhou “muito, muito mais dinheiro” com a publicidade que este caso lhe trouxe.

Lasse Andersson admitiu ter rido alto quando viu as telas em branco pela primeira vez em 2021, descrevendo a ideia de Haaning como ‘humorística’, mas acrescentou que o museu não comentará a decisão judicial enquanto puder ser apelada, algo que o artista não manifestou interesse em fazer.

Falando em malandragem artística, acho que os quadros em branco não chegam nem aos pés da escultura invisível que esse cara vendeu. 

Receba o melhor do nosso conteúdo

Cadastre-se, é GRÁTIS!

Não fazemos spam! Leia nossa política de privacidade

Philipe Kling David
Philipe Kling Davidhttps://www.philipekling.com
Artista, escritor, formado em Psicologia e interessado em assuntos estranhos e curiosos.

Artigos similares

Comentários

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Advertisment

Últimos artigos