O mistério do roubo de Hatton Garden

Como eles conseguiram roubar essa fortuna?

No coração de Londres, um assalto surpreendente abalou a famosa área de Hatton Garden. Os ladrões responsáveis deixaram para trás uma verdadeira fortuna no chão do cofre – barras de ouro reluzentes, diamantes cintilantes e joias deslumbrantes.

No entanto, algo mais intrigante surgiu das investigações policiais. Parece que esses criminosos não estavam apenas atrás de uma pilhagem comum; eles estavam em busca de um objeto misterioso e específico.

Um negociante de ouro, que foi uma das vítimas desse audacioso roubo, afirmou que os seis suspeitos pareciam estar determinados a encontrar algo único. O caso se torna ainda mais estranho quando se descobre que apenas 72 das 999 caixas de segurança foram abertas, mesmo com tempo de sobra durante o longo fim de semana da Páscoa, quando o crime ocorreu.

Embora o número exato de itens espalhados pelo chão ainda seja incerto, relatos conflitantes surgiram das vítimas. Enquanto uma delas alegou que apenas algumas poucas peças foram encontradas, outra afirmou que eram centenas. A verdade permanece envolta em mistério.

Anatomia de um roubo ousado

Vamos recapitular os eventos que cercaram esse assalto intrigante:

Quarta-feira 1 de abril : cabos elétricos sob a calçada em Kingsway pegaram fogo, causando sérios problemas no centro de Londres. O incêndio continuou pelos próximos dois dias, com chamas saindo de uma tampa de bueiro de uma tubulação de gás estourada, antes de serem extintas. Vários milhares de pessoas foram evacuadas de escritórios próximos, no entanto, os residentes locais ficaram sem comida e eletricidade, e vários teatros do West End cancelaram apresentações. Houve também interrupções substanciais na infraestrutura de telecomunicações.  Esse problema elétrico é uma incógnita. Não se sabe se ele foi uma parte engenhosa do plano opara esvaziar os arredores evitando que o som da perfuração fosse notado. Mas tambpem pode ter sido uma coincidência que ajudou aos ladrões.

Quinta-feira 2 de abril  21h19: funcionários do depósito trancaram as portas para o fim de semana da Páscoa

Quinta-feira, 2 de abril:  Alguns especularam que os ladrões já estavam escondidos dentro do edifício, esperando para serem trancados. Eles desceram ao cofre,  puxando lixeiras com rodas.

Sexta-feira, 3 de abril: A polícia não encontrou sinais de entrada forçada no local, mas um alarme de intrusão disparou no depósito de segurança do porão às 00h21. Curiosamente, nenhuma. patrulha policial foi enviada. Os comerciantes afirmaram que um guarda de segurança compareceu ao local, mas não inspecionou os cofres, alegando que não era de sua responsabilidade.

 4 5 e 6 de abril: Embora a hora exata do ataque não tenha sido confirmada, considera-se que os ladrões levaram várias horas para perfurar a parede de concreto e abrir as 72 caixas de segurança.

Terça-feira, 7 de abril: Os funcionários retornam ao prédio às 8h e são recebidos por uma cena de caos. A polícia é imediatamente chamada ao local. A Scotland Yard expressou conhecimento de que um roubo havia ocorrido

10 de abril: The Daily Mirror divulgou imagens de CCTV  mostrando os ladrões

19 de maio: A Polícia Metropolitana anunciou que havia prendido nove suspeitos 

1 de setembro: Hatton Garden Safe Deposit Company entrou em liquidação 

28 de março de 2018: Outro homem foi preso 

O cofre depois do roubo

Imagens dramáticas divulgadas posteriormente pela Scotland Yard revelaram os métodos ousados usados pelos ladrões durante o roubo de £60 milhões em Hatton Garden. Elas mostraram um buraco meticulosamente perfurado, com 50 cm de profundidade, na parede de concreto do cofre, permitindo acesso ao depósito de ouro e pedras preciosas. A polícia também descreveu o porão de Hatton Garden como coberto de lixo e relatou que a porta de ferro forjado havia sido arrombada. Entre as caixas de segurança, foram encontradas uma rebarbadora, brocas de concreto e pés de cabra.

como foi o roubo

As autoridades de Londres observaram que não havia sinais de entrada forçada do lado de fora do prédio, sugerindo que os ladrões possuíam uma chave ou que alguém dentro do prédio facilitou sua entrada. A quadrilha do roubo aparentemente desativou o elevador comunitário do segundo andar antes de utilizar o poço do elevador, que foi destruído quando a polícia chegou, para descer até o porão. A partir daí, os ladrões abriram as portas do porão e fizeram furos na parede do cofre.

O buraco do roubo

Sabe-se que eles usaram uma furadeira gigante para abrir o buraco na parede de concreto. Eles perfuraram as paredes do cofre de 50 cm de espessura com uma furadeira industrial Hilti DD350.

Esse roubo misterioso em Hatton Garden continua a intrigar tanto a polícia quanto o público. O motivo por trás da busca pelos itens específicos, além do motivo de tantas outras caixas de segurança não terem sido abertas, barras de ouro e fortunas em diamantes que foram largadas para trás permanece um enigma. A investigação desse roubo está em andamento na esperança de desvendar o que realmente motivou essa ousada empreitada criminosa e descobrir o destino do objeto misterioso.

Prejuízos do roubo e ladrões presos

Segundo fontes oficiais, o total roubado teve um valor estimado de até £ 14 milhões (equivalente a £ 17 milhões em valores mais recentes), dos quais apenas £ 4,3 milhões (equivalente a £ 5,1 milhões hoje) foram recuperados.

Sabe-se que esse roubo foi planejado e executado por seis homens idosos que eram ladrões experientes, todos os quais foram presos. Eles se declararam culpados e receberam sentenças de prisão em março de 2016. Outros quatro homens também foram julgados por suspeita de envolvimento; três foram considerados culpados e enviados para a prisão, enquanto o quarto foi inocentado.

Em 19 de maio de 2015, Brian Reader, de 76 anos, que já havia se envolvido na lavagem dos lucros do roubo de Brink’s-Mat , foi preso em conexão com o roubo por oficiais do Flying Squad Em novembro de 2015, Carl Wood, William Lincoln, Jon Harbinson e Hugh Doyle foram todos acusados ​​de conspiração para cometer roubo e conspiração para ocultar, converter ou transferir propriedade criminosa. O roubo foi descrito como o “maior roubo da história jurídica inglesa”.

Três anos após o roubo, em 28 de março de 2018, Michael Seed, 57, foi preso após sua casa em Islington , Londres . Ele foi acusado de conspiração para roubar e conspiração para ocultar ou disfarçar propriedade criminosa.

Em março de 2016, membros de uma gangue foram condenados por conspiração para cometer roubo. Alguns receberam sentenças de prisão de sete anos, enquanto outros foram condenados a seis anos e três meses. Um dos acusados foi considerado inocente. Em 2018, uma decisão de confisco determinou que alguns membros da gangue deveriam pagar £27,5 milhões ou enfrentar mais sete anos de prisão. Alguns deles não cumpriram a ordem de confisco e tiveram suas sentenças estendidas. Em 2019, outro membro foi condenado a 10 anos de prisão e a pagar £6 milhões em danos ou enfrentar mais sete anos de prisão.

Terry Perkins morreu na prisão sem detalhar exatamente o que eles estavam buscando no cofre. As alegações são de que eles saíram do cofre com o que dava para levar. O grupo teria saído com cerca de £ 13,69 milhões em ouro, joias e pedras preciosas, mas as especulações é que eles estavam em busca de algum segredo muito mais valioso, e essa coisa seria tão importante que nenhum deles jamais revelou a verdade.

Haja ou não algum motivo misterioso por trás do roubo ao cofre, o fato é que foi um plano engenhoso e extremamente Gump ainda mais se considerado que foi tramado e executado por alguns velhinhos foras da lei.

 

Receba o melhor do nosso conteúdo

Cadastre-se, é GRÁTIS!

Não fazemos spam! Leia nossa política de privacidade

Philipe Kling David
Philipe Kling Davidhttps://www.philipekling.com
Artista, escritor, formado em Psicologia e interessado em assuntos estranhos e curiosos.
Previous article
Next article

Artigos similares

Comentários

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Advertismentspot_img

Últimos artigos