fbpx

Curiosidades

O desaparecimento dos irmãos Sodder

O desaparecimento dos filhos da família Sodder é um mistério que perdura até os dias de hoje.

Escrito por Philipe Kling David · 9 Minutos de leitura >

O mistério inexplicável do desaparecimento de cinco filhos da família Sodder

O caso dos Sodder é praticamente desconhecido no Brasil. No mundo, pessoas desaparecem todos os dias, muitos somem sem deixar vestígio e isso é uma coisa muito intrigante. Já falei aqui antes sobre alguns desaparecimentos bem misteriosos. Seria um crime ou uma tragédia familiar? Não sabemos ao certo, mas as circunstâncias do desaparecimento de cinco filhos de uma família é um mistério que se arrasta há décadas.

Na véspera de Natal de 1945, no meio da noite, um grande incêndio irrompeu na casa particular da família Sodder . A casa foi completamente destruída e apenas dois adultos e quatro dos nove filhos dos Sodders conseguiram sair.

Os outros cinco filhos, Maurice, de 14 anos, Martha, de 12, Louis, de 9, Jenny, de 8, e Betty, de 5, estão desaparecidos. Seus restos mortais nunca foram encontrados durante a limpeza da conflagração e nunca foram vistos novamente. O que aconteceu com essas crianças ainda é um mistério, embora muitos pesquisadores tenham estudado este caso e proposto várias teorias.

Mortos no incêndio ou algo ainda mais tenebroso ocorreu?

Chamada estranha

Os Sodders viviam na pequena cidade de Fayetteville na região montanhosa dos Apalaches, West Virginia, EUA. A casa deles era grande, bem construída, com sete quartos. George Sodder e sua esposa Jenny eram pessoas muito ricas, George era dono de uma empresa privada de carvão. Eles sempre sonharam com uma grande família e seus 9 filhos viviam com amor e carinho.

Os filhos juntos

Naquela véspera de Natal, os cinco filhos mais novos, Maurice, Martha, Louis, Jenny e Betty, persuadiram os pais a deixá-los sentar na sala perto da árvore de natal. Eles foram autorizados a sentar-se por um tempo, com a condição de que verificassem se a porta da casa estava trancada antes de finalmente irem para a cama.

À meia-noite e meia, quando todas as crianças já estavam dormindo, o telefone tocou no corredor da casa, Jenny (a mãe das crianças) atendeu e ouviu uma voz feminina desconhecida, que a chamou de algum nome. Uma risada alta de outra mulher foi ouvida ao fundo. Jenny disse “Você ligou para o número errado” e desligou.

Quando Jenny quis sair do corredor de volta para o quarto, ela percebeu que a porta da frente da casa não estava trancada.  Ela também percebeu que haviam luzes da casa acesas, a porta da frente estava destrancada a cortina não estava fechada. Normalmente as crianças apagavam as luzes e corriam a cortina antes de ir dormir.  Jennie então apagou as luzes, fechou a porta e as cortinas em seguida voltou para o seu quarto. Ela culpou o esquecimento das crianças, depois fechou a porta e foi para a cama. Quando Jenny já havia começado a adormecer, ouviu um estrondo alto e incompreensível e uma batida no telhado, mas estava tão cansada que não quis ir olhar e adormeceu novamente. E então, as coisas ficaram esquisitas.

Incêndio, falta de escadas e caminhões que não funcionam

Logo depois que Jenny adormeceu, as casa rapidamente começou a se encher de fumaça. Quando George e Jenny pularam da cama, a casa inteira já estava em chamas. Eles começaram a gritar, chamando as crianças e persuadindo-as a fugir de casa. Mas nenhuma respondeu.

Quando o casal saiu correndo, eles viram horrorizados que a casa inteira estava pegando fogo muito rapidamente. Eles também viram que havia apenas quatro crianças do lado de fora com eles, e não se sabia onde as outras cinco estavam. Agora era impossível entrar em casa pela porta em chamas. O calor era tremendo. Eles decidiram chegar aos quartos dos filhos mais novos, que se situavam no último andar da casa através das escadas do jardim.

Mas quando George correu para o galpão para pegar a escada, ele viu que ela tinha sumido. O estranho é que ela sempre era guardada no mesmo lugar… Até aquele dia.  Poucos dias depois, durante a investigação, descobriu-se que alguém havia removido as escadas do jardim dos Sodders, e jogado em uma vala.

Em pânico, George decidiu dirigir até a casa em seu caminhão de trabalho e tentar chegar ao segundo andar subindo em sua cabine. Mas algo ainda mais estranho ocorreu: o caminhão não deu partida. Então George correu para seu segundo caminhão, mas – outra coisa ainda mais GUMP: ele também não deu partida.

E no dia anterior, ambos estavam em pleno funcionamento.

Já com pura adrenalina, George Sodder começou a tentar subir o segundo andar com as mãos, e então bateu nas janelas com as próprias mãos para entrar. Ao mesmo tempo que se cortou gravemente nas mãos, não achou os filhos. A fumaça estava engolfando tudo, o som do fogo era insano, o calor o expulsou rápido do telhado e depois disso ficou claro para todos que, se as crianças ainda estivessem na casa, não responderam aos chamados porque já haviam sufocado.

As crianças desaparecidas

Sem ajuda de bombeiros

George e Jenny então correram para a cabine telefônica e começaram a tentar ligar para o corpo de bombeiros, mas não havia conexão. Mais algo estranho: era como se as linhas telefônicas estivessem danificadas. Em seguida, eles correram para as casas de seus vizinhos para pedir ajuda, mas naquele momento o telhado da casa dos Sodders desabou.

Um dos vizinhos decidiu dirigir seu próprio carro até o corpo de bombeiros, que ficava a 4 km da casa dos Sodders. Ele conseguiu, mas os caminhões de bombeiros responderam a chamada apenas por volta das 8h, nada menos que SETE HORAS APÓS o início do incêndio. A casa Sodder neste momento era uma montanha de cinzas fumegantes.

Quando as ruínas da casa esfriaram um pouco, George e Jenny começaram a tentar encontrar os restos mortais de seus filhos, pelo menos ossos carbonizados ou dentes. Eles encontraram vários objetos que pareciam ossos pequenos, mas foram proibidos de vasculhar as cinzas para não “atrapalhar o trabalho dos inspetores”.

As coisas estranhas ficam mais estranhas

Durante a investigação, descobriu-se que as linhas telefônicas haviam sido cortadas. 

Foi logo revelado que em outubro de 1945, três meses antes do incêndio na casa de Sodder, o vendedor da apólice de seguro, em resposta a uma recusa em comprar a apólice, ameaçou George Sodder que sua casa iria “queimar no fogo e seus filhos iam morrer.”

George não levou a ameaça a sério, acreditando que o vendedor estava simplesmente zangado.

Ô praga do carai! 

 

Então, depois do dia do vendedor de seguros, apareceu um eletricista na porta da casa. Disse que estava ali para consertar a tomada e casualmente disse que a casa tinha fusíveis ruins e que eles poderiam um dia causar um incêndio.

George foi quem havia aberto a porta e começou ficar confuso, já que o quadro havia sido renovado recentemente e não tinha lógica alguma ele provocar um incêndio na casa inteira.

Por causa de suas palavras, um alarmado ele ligou para a empresa de eletricidade que atendia sua casa, mas eles ignoraram e disseram que tudo estava em ordem e que o eletricista estava provavelmente forçando um pagamento adicional.

Durante a investigação, os inspetores de incêndio revelaram que o incêndio começou no porão e foi provavelmente causado por uma guirlanda de Natal com defeito. O caso foi encerrado e as mortes das crianças declaradas acidentes.

Os investigadores olham para estranhos ossinhos encontrados nas cinzas

Não havia sequer a certeza se os ossos encontrados eram humanos ou de animal.

O fogo não conseguiria destruir os ossos

Jenny Sodder estava terrivelmente deprimida com a morte de cinco crianças e como a investigação da polícia e dos bombeiros estava indo muito lentamente, ela decidiu investigar o caso por conta própria.

Como os ossos de crianças nunca foram encontrados nas cinzas (exceto por aqueles pequenos objetos estranhos que pareciam ossos, que todos rapidamente se esqueceram), foi oficialmente decidido que o fogo era tão quente que todos os ossos foram destruídos. Mas Jenny achou isso muito rebuscado, uma vez que uma das substâncias mais resistentes na natureza é o cálcio dos dentes e eles não deveriam sumir.

Esta é uma vítima da Erupção do Vesúvio que destruiu Pompéia. Note que os dentes estão preservados até hoje!

 

Em primeiro lugar, ela visitou o crematório local para descobrir em que temperatura e condições o fogo pode destruir quase completamente ossos humanos. Disseram a ela que os ossos não derretem, mas se desfazem, e que, para que todo o esqueleto humano seja destruído em um incêndio, é necessária uma temperatura de queima de mais de 454 graus Celsius por 2 horas.

A casa da família Sodder, por sua vez, queimou completamente em apenas 45 minutos, já que a estrutura de madeira e a velocidade do vento naquela noite impediram qualquer chance de conter o incêndio.

Conspiração de sequestro

Por causa disso, Jenny decidiu que seus filhos haviam sido sequestrados. Em declarações ao The Raleigh Register, mais de 30 anos após o incêndio, ela disse o seguinte:

“Você não pode me dizer que em uma casa tão pequena e velha cinco crianças podem queimar e algo não vai ficar. Não, eu nunca vou acreditar.”

Isso levou a mais perguntas. Como cinco crianças poderiam ser sequestradas da casa da família no meio da noite sem acordar seus pais ou outros irmãos? Além disso, com certeza alguém já poderia reconhecer as crianças desaparecidas, mas então por que não alertaram as autoridades?

Até a própria Jenny já foi considerada suspeita. Ela mesma disse que correram boatos de que ela e o marido, pouco antes do incêndio, fizeram um seguro de 75 mil dólares às crianças desaparecidas. No entanto, foi provado que os Sodders não receberam nenhum pagamento de seguro após o incêndio. Muito pelo contrário, eles tinham até RECUSADO o seguro, o que deixou o vendedor da seguradora muito puto.

Mas as coisas ainda iam ficar MAIS ESTRANHAS:

Crianças vistas num hotel

Na tentativa de encontrar as crianças supostamente sequestradas, Jenny e George Sodder pagaram por um outdoor gigante que dizia: “Qual foi o destino de nossas crianças. Sequestradas, mortas ou queimadas?”

 

Eles também ofereceram uma recompensa de US $ 5.000 por qualquer informação útil e espalharam posteres.

Logo, a polícia começou a receber muitos relatos de supostas observações de crianças desaparecidas em vários lugares. Uma testemunha afirmou que ela trabalhava em um hotel em Charleston (50 milhas a oeste da casa dos Sodders) e viu essas crianças no dia seguinte após o incêndio.

“As crianças estavam acompanhadas por duas mulheres e dois homens, todos falando italiano. Eles fizeram o check-in por volta da meia-noite. Tentei falar com as crianças de forma amigável, mas os homens foram hostis e se recusaram a me deixar falar com essas crianças.”

A testemunha estava com uma certeza inabalável que vira os meninos:

…Um dos homens olhou para mim com hostilidade; ele se virou e começou a falar rapidamente em italiano. Imediatamente, todo o grupo parou de falar comigo. Eu me senti ignorado e não disse mais nada. Eles partiram muito cedo na manhã seguinte. “

Infelizmente, a polícia não conseguiu encontrar nada sobre os misteriosos italianos com cinco filhos em Charleston ou em outras cidades do condado. Ou era uma pista falsa ou as crianças foram rapidamente levadas para mais longe.

A máfia ou os fascistas queriam vingança contra George Sodder?

Muitos pesquisadores acreditam que, desta forma, os fascistas italianos poderiam de algum modo querer se vingar de George Sodder. Ele nasceu em 1895 na Sardenha e veio para os Estados Unidos com 13 anos. Ele sempre evitou falar sobre ser um imigrante italiano.

Ainda muito jovem, George Sodder tornou-se proprietário de sua própria empresa de transporte de carvão em Fayetteville. Sua esposa Jenny também era italiana de nascimento, seu nome de solteira era Cipriani.

A família Sodder era muito respeitada na cidade, em parte porque George tinha fortes antipatias contra Mussolini e era geralmente um ferrenho opositor dos nazistas. Ao mesmo tempo, havia muitos outros imigrantes italianos em Fayetteville que tinham opiniões opostas.

Também foi relatado que os carregamentos de carvão de Sodder eram regularmente ameaçados por ataques da máfia siciliana e George estava ciente disso. E mesmo algumas semanas antes do incêndio, os filhos de Sodder reclamaram com ele que estavam sendo perseguidos na rua por um carro desconhecido quando voltaram da escola.

Sudden Louis Sodder

Louis Sodder tinha 9 anos quando foi sequestrado ou queimado até a morte em um incêndio. Mas, 22 anos após seu desaparecimento, sua mãe Jenny recebeu uma carta estranha de Central City, Kansas. A carta não tinha endereço de remetente e continha a fotografia de um jovem. 

Na parte de trás da foto estava escrito ““Amo todos vocês, Louis”.”

 

Será ele?

Após esta carta, George Sodder e Jenny tiveram certeza que seus filhos estavam vivos e que o incêndio tinha a motivação de encobrir o sequestro. Eles então contrataram um investigador particular para encontrar o remetente, mas ele falhou. Mas em paralelo, os Sodders contrataram um outro detetive particular que acabou descobrindo que um dos homens que chegou a ameaçar George era membro do júri de legistas que considerou o incêndio como sendo culpa da fiação defeituosa.

Quanto à misteriosa foto, os pais não puderam confirmar se há uma semelhança real entre o homem na foto e o pequeno Louis Sodder. No entanto, eles pensaram que era o Louis, e então mantiveram cuidadosamente esta foto sobre a lareira.

O FBI se recusou a investigar o caso

O desaparecimento das crianças Sodder permaneceu sem solução por décadas. No entanto, apesar do fato de que este caso era tão popular, o FBI nunca esteve envolvido nele.

Em 1947, George e Jenny abordaram o chefe do FBI Edgar Hoover diretamente na esperança de que ele ajudasse. Eles receberam a seguinte carta pessoal de Hoover, que escreveu:

“Embora eu gostaria de ser útil, esta questão parece ser local e portanto está fora do alcance da investigação desta agência.”

Outros agentes do FBI disseram que estavam prontos para ajudar a família assim que recebessem permissão das autoridades locais, mas por algum motivo, tanto a polícia de Fayetteville quanto o corpo de bombeiros se recusaram a dar o aval. Foi outro golpe devastador para a família Sodder, e que levou muitos a aumentar as suspeitas numa ação da máfia.

Eles nunca reconstruíram a casa que foi destruída pelo incêndio, mas em vez disso transformaram o local em um jardim memorial e cuidavam das flores todos os dias.

George Sodder morreu em 1969 e sua esposa Jenny morreu em 1989. O único membro vivo da família atualmente é Sylvia, a mais nova dos filhos de Sodder, que tinha apenas 2 anos na noite do incêndio. Os irmãos nunca mais apareceram e o caso permanece um mistério até os dias atuais.

fonte

Escrito por Philipe Kling David
Designer, blogueiro, escritor e escultor. Seu passatempo preferido é procurar coisas interessantes e curiosas para colocar neste espaço aqui. Tem uma grande atração por assuntos que envolvam mistérios, desconhecido e tecnologia. Gosta de conversar sobre qualquer coisa e sempre tem um caso bizarro e engraçado para contar. Saiba mais... Profile

Foto Gump do dia: A Cauda da baleia

em Curiosidades, foto gump do dia, incrível
  ·   16 segundos de leitura

Novas reações nucleares estão ocorrendo em Chernobyl

em Curiosidades
  ·   2 Minutos de leitura

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.