No futuro, carregaremos os eletrônicos em poucos segundos

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Categorias
Night mode

Imagina conseguir carregar o celular ou seu notebook em apenas dez segundos. Sonho? Delírio?

Nada disso. Este é o futuro! Uma pesquisa liderada por Byoungwoo Kang e Gerbrand Ceder, do MIT mostrou ser possível o feito que parece mágica. Eles conseguiram descobrir um novo dispositivo que recebe carga 100 vezes mais depressa do que uma bateria convencional, podendo ser utilizado em praticamente qualquer coisa que necessite de bateria, inclusive carros elétricos!

O tempo de carga das baterias dos carros elétricos sempre foi o maior entrave à popularização dos mesmos. Provavelmente este será o ramo que mais se beneficiará da descoberta da dupla.

Como se isso não fosse bom o suficiente,  a equipe envolvida no desenvolvimento da bateria de alta velocidade afirma que sua invenção utiliza materiais que já estão disponíveis, o que contribuirá para a produção em massa da bateria.

Ao que tudo indica, o modelo de bateria de lithium-fer-fosfato (LiFePO4) será menor e mais leve do que os modelos atuais. Atualmente, as baterias de LiFePO4 permitem armazenar grandes quantidades de energia, mas os processos de carga e descarga demoram várias horas.

Segundo o jornal Daily Mail, com a descoberta deles, uma bateria de carro poderá, desde que tenha um carregador adaptado, ser recarregada em cinco minutos, contra as seis ou oito horas que demoram atualmente.

Acho que esses caras deveriam ser indicados ao Nobel.

fonte

Comments

comments

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

© MUNDO GUMP – Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução sem autorização.