Museu Brasileiro vai expor suposto esqueleto de extraterrestre

Sharing is caring!

Eu sempre achei que esta múmia fosse de um bebê com alguma rara mutação genética. Mas pesquisadores nacionais e internacionais afirmam que seria impossível uma criança juntar em si tantas síndromes diferentes para gerar tamanha aberração. Agora não sei o que dizer.

Para o presidente do Museu de História Natural Wilson Estevanovic, o diâmetro da cabeça do esqueleto, que tem incríveis 97 cm é bem estranho. Além disso, a ossada parece ter pertencido a um hermafrodita com seis dedos nos pés e hoje está semimumificada. “Estimamos que pudesse ser de um pré-adolescente entre 10 e 12 anos, conforme deduzimos através de estudos ortodônticos. Quando vivo, esse ser era portador de anomalias múltiplas, sendo as de maior evidência a presença de hidrocefalia e uma fissura palato labial, ou seja, má-formação congênita primária” Fonte

Na minha opinião, o mistério fica bem maior se isso não for um Et. Como pode alguém com tamanhas anomalias sobreviver até a pré-adolescência? Mas sei lá. Afirmar que isso é alien… De qualquer forma, é bem bizarro. Fiquei com vontade de ir ao tal museu, que convenhamos, é a cara do Mundo Gump.
Veja só a notícia:

Um ser que aparentemente não é humano e foi analisado no Japão será exposto em Cuiabá pelo Museu de História Natural Wilson Estevanovic, de Uberaba (MG). Segundo o proprietário do Museu, Wellington Estevanovic, o esqueleto pode ser de um suposto ser extraterrestre.
Ele apresenta uma cabeça desproporcional ao corpo, com 97 cm de circunferência, arcada dentária completa, seis dedos nos pés, globo ocular diferenciado e uma altura total por volta de 50 cm, sendo que a partir da traquéia até a bacia são 12 cm. A exposição ocorrerá na terça-feira, na escola estadual Alcebiades Calhao, em Cuiabá (MT).

“A rede de televisão japonesa Asahi foi com uma comitiva ao nosso museu em 2005 e fizeram o convite para que participássemos de um documentário para analisar o esqueleto. O interessante é que também fizeram uma reconstituição. Eles realizaram exames que mostraram que ele (o suposto extraterrestre) difere da realidade humana, principalmente porque a densidade óssea é de 2 a 30, enquanto a de um ser humano varia de 500 a 1.500″, ressaltou Wellington Estevanovic.

Segundo Estevanovic, nos testes foi observado se haveria a possibilidade de a criatura ter tido hidrocefalia. No entanto, essa hipóteses foi afastada.

Acervo
Outra peça que chama a atenção do público é uma criatura que não é morcego, tem parte humana com características de macaco, asas separadas do braços, garras nos pés e nas mãos, e uma estatura de 35 cm. Para os ufólogos, a criatura pode ter uma ligação com a lenda indígena dos índios morcegos.

Além disso, há outros “seres” intrigantes na exposição: múmias de uma criança gato, de criança com duas cabeças e de um adulta egípcia plebéia. Ao ser questionado sobre a origem das peças, Wellington Estevanovic não soube responder.

“Meus antepassados vieram da antiga União Soviética ao Brasil antes da Primeira Guerra Mundial. O que sabemos é que Wladimir Stevanovich tinha vontade de criar algo diferente. Oficialmente, o Museu de História Natural Wilson Estevanovic foi do meu pai. Ele existe há 10 anos e temos mais de 25 mil peças”, salientou.

Segundo Wellington Estevanovic, o museu surgiu com a finalidade de divulgar os conhecimentos na área das ciências naturais e é destinado a professores e alunos dos ensinos fundamental, médio e superior, além da comunidade em geral. As áreas do conhecimento são astronomia, arqueologia, anatomia, antropologia, egiptologia, geologia e biodiversidade.

A visita à cidade de Cuiabá faz parte do 11º Projeto Maomé que é levar o museu ao público brasileiro em diversas cidades do Brasil. Neste ano, o Museu de História Natural Wilson Estevanovic visitou as cidades de Cachoeira Dourada (GO) e Capinápolis (GO). Além da capital de Mato Grosso, o proprietário do museu pretende levar a exposição para as cidades de Chapada dos Guimarães e Barra do Garças, local onde existem lendas indígenas sobre extraterrestres.

Criaturas x lendasPara o psicólogo Ataide Ferreira da Silva Neto, presidente da Associação Mato-grossense de Pesquisas Ufológicas e Psíquicas (AMPUP) e consultor da revista UFO, o importante das criaturas que serão expostas no Museu Wilson Estevanovic é a interação das lendas indígenas das regiões do sul do Pará, sul do Amazonas e no Mato Grosso, com os índios Bororos e Xavantes.

“Se é um fato ou criação psicológica, a ciência tem que ficar a par do que se apresenta de novo. O que temos catalogado no museu são duas peças de fundamental importância para o estudo científico, pois existem relatos coincidentes de lendas indígenas sobre índios morcegos e seres vindos das estrelas, que teriam uma cabeça mais avantajada que o corpo. Como explicar que tribos indígenas que nunca se conheceram tem o mesmo relato?”, questiona Ataíde Ferreira da Silva Neto.

O presidente da AMPUP citou as lendas dos índios Bororos e Xavantes. Eles relatam histórias de semideuses que seriam criaturas pequenas de mais ou menos 1,20 m, com a cabeça desproporcional ao corpo. Alguns teriam três, outros quatros e outros seis dedos nos pés.

“O mais interessante é que temos em Barra do Garças uma caverna que cujo nome é Gruta dos Pezinhos. Lá há marcas de pés com três, quatro e seis dedos. Elas existem há mais de 10 mil anos e estão por todos os lados dentro da gruta”, ressalta.

A outra lenda se refere aos índios morcegos que possuíam extrema força física, moravam nas cavernas e saíam somente à noite. Eles guardariam ferozmente os mistérios da cadeia de montanhas da Serra do Roncador, em Barra do Garças.

Existem registros de que o explorador inglês, Percy Harrison Fawcett, que teria inspirado o diretor Steven Spielberg na criação do personagem Indiana Jones, visitou Barra do Garças por volta de 1919, em busca de vestígios de uma cidade perdida, que teria os descendentes de Atlantis.

Fonte

Comments

comments

Luminária Ufo

20 comentários em “Museu Brasileiro vai expor suposto esqueleto de extraterrestre”

  1. pra mim parece uma mistura de vários esqueletos com deformidades, o que já aconteceu muito na paleontologia, diversas falsas criaturas passaram anos se passando por novas descobertas incríveis ate que se consiga provar a origem de cada pedaço!

    Uma coisa é certa.. esse baixinho ai parece o alien do Marte Ataca!

    Responder
  2. Continuando as piadas: parece a minha ex-sogra! O_O

    Mas agora sério… Acho que tais seres deveriam ser melhor estudados: através de radiologia (para identificar os ossos e tentar relacioná-los com animais conhecidos), através de DNA se possível (ou, ao menos, através da procura por proteínas, que resistem mais tempo), etc…

    Se é real ou farsa, não cabe a mim (nem a ninguém aqui) dizer, mesmo porque, sem estudos mais aprofundados (e publicados), tudo o que se disser será pura especulação.

    Responder
  3. Duvide muito do que os donos do esqueleto dizem (já teriam dito que não seria possível fazer o teste de carbono 14 porque a “múmia” não teria carvão (!!!) e que não seria possível fazer testes de DNA por causa da mumificação (quando é razoavelmente claro que não houve uma mumificação efetiva, e há vários tecidos para análise)).

    Essas justificativas para que não se realizem testes mais esclarecedores é suspeita. E diversos médicos já opinaram afirmando que seria sim uma anomalia “possível”.

    Como se não bastasse, desde sua primeira aparição há alguns anos, partes do esqueleto sumiram enquanto outras foram restauradas. Mas análises efetivas, laudos de profissionais (não meras opiniões)… nada. E isso porque já faz mais de 3 anos que o esqueleto vem sendo exibido.

    Ver:
    http://www.ceticismoaberto.com/news/?p=1074

    Responder
  4. Eu concordo com o Mori. Pra mim isso aí tem menos de 1% de chance ser Et. Nem os ets são tão disformes.
    Acho mais provável ter sido uma mutação genética tão rara, mas tão rara , que este é o único caso existente.
    Nem acho que seja necessária datação via carbono. Dá pra tirar amostras e fazer o Dna mitocondrial na boa daquele pezinho nauseabundo ali.

    Responder
  5. O museu é RUSSO, então…vamos considerar que:
    Se é americano é bom.
    Se é japonês, dura.
    Se é alemão, é resistente.
    Se é chinês, é pirata.
    Se é russo, então…É MENTIRA.
    E se o museu do ET fosse brasileiro?
    Seria golpe, assalto ou sequestro relâmpago – quá-quá-quá…

    Responder
  6. brown…
    o museu q “acho” o suposto E.T. é de UBERABA em MINAS GERAIS ou seja…
    É BRASILERO
    eu já vi esse ser ai ao vivo na minha escola quando eles estavam divulgando ele…
    é bem sinistro mesmo.

    😀

    Responder
  7. eu acho q e uma coisa do nosso planeta ainda nao descoberta ou uma criança ou anão com anomalias para mim em cada galaxia tem um ou dois planetas com vida mas supostamente o nosso planeta e o mais desenvolvido

    Responder
  8. [quote comment="24729"]Nem os ets s?o t?o disformes. Palavras de Philipe.

    Ele deve conhecer muitos ETS para afirmar isso

    HAHAHAHAHA[/quote]

    Pois é, hehehehe. Acabei de me entregar neste post.

    Responder
  9. To aki casacando o bico de rir…è que ontem um amigo nosso me falow que ele tinha um primo que tinha um ET guardado, ache que era zueira, mas não que achei ele aki, esse camarada nosso que contou é primo da familia de uberada que mantém o museu, ocara ta fanado sério e agente zuando com ele, kkkkkk….mas de qualquer forma, ele não mentiu quanto ao pertence de seu primo, mas que isso é uma picaretagem isso é…

    Responder
  10. È igenuidade e ignorançia penssar que so existe ,vida na terra nao precisa muito é so pegar um telescopío  qualquer e mirar pras estrelas em nuite de lua que voces verao os ets tranzitando nos ceus ,a noite e ao dia tambem; Eu já vi e fotografei!

    Responder
  11. DESVENDADO O MISTÉRIO DE ESQUELETO EXPOSTO EM MUSEU
                                                                                   
    Paulo Nogueira
     
    No mês
    de outubro de 2004,fomos procurados por diretores de um museu em Uberaba,
    dizendo-nos de um  estranho esqueleto,
    que estava sendo confundido com a ossada de um extraterreno. A matéria publicada
    na imprensa dizia o seguinte: A população da cidade de Uberaba, cidade mineira
    de 350  mil habitantes, esta apreensiva
    pelo fato de um museu local expor entre milhares de outras peças, o esqueleto de
    um suposto extraterrestre. Trata-se do Museu de História Natural, Wilson
    Estevanovic, uma instituição particular que abriga também a Sociedade
    Astronômica de Uberaba, e tem em seu acervo, animais, múmias de pedras de todos
    os tipos. As duas entidades juntas,  tem
    como objetivo levar a cultura e a ciência aos alunos da escolas da cidade. O
    museu pertence a família Estevanovic, de descendência russa, e seus  ancestrais 
    percorreram o mundo com o circo no fim do século 19, que continha também
    um museu e um teatro. Por onde passavam, ganhavam ou arrematavam peças, como
    múmias e pedras, esqueletos de animais, fósseis etc. Após sete anos de
    pesquisas,desvendamos  o ministério do
    referido esqueleto.
    TUDO
    ESCLARECIDO POR UM EXPERIENTE PROFESSOR
    O
    prof. João Monteiro de Pina Neto, foi o profissional que contatamos sobre o
    esqueleto, que nos atendeu prontamente. Ele possui graduação em Medicina pela
    Universidade Federal do Pará (1972), mestrado em Genética pela Universidade de
    São Paulo (1975) e doutorado em Genética pela Universidade de São Paulo (1979).
    Atualmente é Professor Titular da Universidade de São Paulo. Tem experiência na
    área de Genética, com ênfase em Genética Humana e Médica, atuando principalmente
    nos seguintes temas: genética médica, citogenética humana, aconselhamento
    genético e anomalias congênitas. Após examinar as fotos do esqueleto, ele
    escreveu.” Prezado Paulo com estas fotos fico mais certo de te afirmar que se
    trata de um feto de um ser humano terreno que apresenta uma doença genética dos
    ossos por mutação de um gene chamado FGFR3 que é um receptor do fator de
    crescimento de fibroblastos que é essencial para o crescimento do esqueleto. Com
    a mutação o gene pára de funcionar e origina esta doença que chama NANISNO
    TANATOFÓRICO associado com CRANIOSINOSTOSE grave forma de TREVO DE 3 FOLHAS. É
    produto provável de Mutação Nova. Tanatofórico vem de Thanatos = MORTE,  pois é uma doença letal. Abraços do João M
    Pina Neto.
    Esta
    ai, o final de uma polêmica que durou 7 anos, o esqueleto de um suposto
    extraterreno, é na verdade o esqueleto de um ser humano.
    Paulo
    Nogueira é Jornalista – Uberaba-MG
     

    Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Apoie este projeto

Criar este website não é uma tarefa fácil. Mais de 5000 artigos, mais de 100.000 comentários e conteúdo próprio, demandam muito trabalho. Saiba como você pode ajudar a manter o Mundo Gump cada vez melhor e evitar que ESTE SITE ACABE
Ajuda aí?
MUNDO GUMP – © 2006 – 2020 – Todos os direitos reservados.