Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp

Fiz mais um time-lapse com a maquina em Cachoeira de Macacu, na Região Serrana do Rio. Pena que tive pouco tempo de “janela” para o espaço, pois logo o buraco fechou e o nublado que se manteve durante todo o dia ficou pela madrugada afora.


Photobucket
Photobucket
Comparando com o primeiro, já vi que a redução do intervalo nos disparos contribuiu para o movimento ficar mais fluido. Ainda preciso estudar mais e aperfeiçoar a técnica. A primeira parte, longa e meio tediosa foi aqui em casa, e realmente, o excesso de luz ferra com o negócio! Quando o local e o tempo permitirem farei novos testes. Creio que precisarei de uma lente boa para isso, talvez uma Tokina 11-16mm F/2.8, já que o adaptador de grande angular que eu uso é um lixo, e tem uma aberração tamanha que torna impossível usar para time-lapse. Dessa vez usei a lente do kit.

Aqui está o video:

Mais um time-lapse

Comments

comments

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

17 ideias sobre “Mais um time-lapse

  • 22 de fevereiro de 2012 em 1:38
    Permalink

    Cara, acho que é por ai mesmo. Mas o que está realmente atrapalhando é a iluminação do entorno.

    Resposta
    • 22 de fevereiro de 2012 em 10:40
      Permalink

      Valeu, agora a meta é esperar um tempo adequado e achar um lugar que fique bacana, mas sem risco de me roubarem a maquina ou ser mordido por uma cobra.

      Resposta
  • 22 de fevereiro de 2012 em 6:59
    Permalink

    Orrra ficou bem legal esse aqui heim! Só restou agora o movimento da câmera meio que na mesma velocidade do movimento das estrelas.
    Mas ficou lindo mesmo….

    Resposta
    • 22 de fevereiro de 2012 em 10:39
      Permalink

      Não teve movimento de câmera. Isso que parece com um foi só um teste de deslocamento do video horizontalmente, para gerar um dolly fake. Ficou meio exagerado, acho que se fosse numa sequencia de maior tempo poderia até ficar mais apresentavel.

      Resposta
  • 22 de fevereiro de 2012 em 8:16
    Permalink

    gostei dos que tem a arvore, o céu fica mais visivel.
    vc usou abertura 2.8 certo? mas ql foi o tempo de obturacao, e o tempo entre cada foto?
    eu qro fazer um assim.

    Resposta
    • 22 de fevereiro de 2012 em 10:36
      Permalink

      Não, na verdade 2.8 seria o ideal. Eu usei a lente do kit e ficou 3.5 na abertura. O tempo de exposição que eu usei variou ao longo dos testes, em função de alguns fatores, como a luz do poste (forte pra dedéu) que tava entrando na lente. Se usar os 30 segundos, fica um pequeno trail. Creio que eu tenha usado dez ou treze segundos em media. Usei o iso em 800, mas acho que dava pra ter socado até 3200 nele, para compensar a abertura da lente do kit que é bem escura.

      Resposta
      • 22 de fevereiro de 2012 em 14:36
        Permalink

        nos testes que eu fiz um bom tempo de exposição é de pelo menos 30seg… eu fiz um com 60 tbm, fica um trail..mas pequeno, se vc der um zoom de 100% na imagem vc vê, mas no vídeo  fica qse imperceptível.. e a diferença de estrela que vc capta de 30 pra 60 seg é bem grande..o ideal era usar uns 60 seg com um ISO maior tbm… mas com a claridade da cidade a foto virava dia e as estrelas sumiam 🙁 .

        A época do ano tbm da diferença, no inverno em dias de geada o céu a noite fica bem límpido e as estrelas bem brilhantes.

        e uma boa pós tbm ajuda bastante… principalmente se tiver tirando em RAW vc consegue recuperar bastante estrela compensando a exposição e depois escurecendo o céu de novo.

        essa foi uma foto que fiz a algu tempo, 
        vou ver se o tempo ajuda e tento fazer um timelapse tbm   http://www.flickr.com/photos/fabiodrak/5699109501/in/photostream/lightbox/

        Resposta
        • 23 de fevereiro de 2012 em 9:17
          Permalink

          Fabio, eu tentei usar um iso maior, mas estava granulando demais. Acho que o lance é baixar um pouco o ISO e socar a abertura do diafragma no maximo que der. Nisso a lente do kit me sacaneia. Eu estou gravando tudo em Raw, mas o efeito colateral é que o RAW come um espaço do caramba, e com isso eu tenho menos tempo de registro pelo limite de espaço no cartão.

          Resposta
          • 23 de fevereiro de 2012 em 9:18
            Permalink

            Sua foto ficou linda!

  • 22 de fevereiro de 2012 em 13:00
    Permalink

    A sequência do vídeo com a copa da árvore ficou du K ralho! Apoiado!  Abandone qq tipo de adaptador. Acredito que vc tenha que privilegiar grandes aberturas, para entrar muita luz. É isso que faz? Não sei. Se vc conseguir se movimentar no sentido das estrelas, conseguirá evitar o trail e poderá aumentar o tempo de exposição e abaixar a asa. ( o que considero fundamental.) Parece que chegou a ensaiar um movimento da câmera, mas logo interrompeu. Estou certo? Abraços Henrique

    Resposta
    • 23 de fevereiro de 2012 em 9:20
      Permalink

      Não foi um movimento de câmera. Eu registrei tudo fixo, no tripé, mas testei mover o video resultante que estava em alta resolução horizontalmente pela área do video, para gerar um movimento de câmera Fake. Como foi em uma sequencia rápida, ficou meio estranho, mas se for numa sequência longa e com menor deslocamento acho que pode funcionar.

      Resposta
  • 22 de fevereiro de 2012 em 22:59
    Permalink

    Vc consegue discernir os planetas??? Na praia deve ser mais fácil ajustar a iluminação, em Sp tem uma ilha (ilha do Cardoso) que não tem energia elétrica. Nem habitante/visitante suficiente para te assaltarem…..

    Resposta
    • 23 de fevereiro de 2012 em 9:05
      Permalink

      Verena, com certeza é possível discernir os planetas e também as constelações, mas requer algum conhecimento basico de astronomia ( que me arrependo muito de não ter). Acho que com uma carta celeste em mãos é facinho saber o que é o que, porque com alguns pontos basicos a gente localiza tudo no céu. Eu consigo saber algumas constelações mais basicas, tipo cruzeiro do sul, três marias, e tal. Acho que com um mapinha celeste fica facil. Hoje tem uns eletrônicos para celular e ipad que já até colocam o céu na posição que você está vendo.

      Resposta
      • 23 de fevereiro de 2012 em 9:06
        Permalink

        A ilha do Cardoso é um das mais lindas do Brasil.

        Resposta
      • 23 de fevereiro de 2012 em 9:37
        Permalink

        Use o Stellarium. É livre e muito bom. Consulto sempre que quero tirar foto do nascer da lua ou do nascer do sol. www.stellarium.org/pt/ 

        Resposta
  • 28 de fevereiro de 2012 em 0:12
    Permalink

    rendeu bem a historia, né? legal…gostei do vídeo, teve uns efeitos bizarros divertidos… o que foi aquele clarão? o poste?2.8 de abertura é massa, as vezes brinco um pouco de tirar umas fotos assim nas cavernas  subaquáticas, mas perde um pouco de profundidade… vejo que esbarrou no mesmo problema que tenho com RAW… as vezes um cartãozinho de 8 nao dá um mergulho todo… e meu PC já reclamou do espaço e olha que tenho quem selecione as melhores imagens e mesmo assim já to pensando em HD externo.

    Resposta
    • 28 de fevereiro de 2012 em 9:02
      Permalink

      Hd externo é a solução mesmo. Naquela noite usei dois cartões de oito classe dez e faltou espaço!
      Aquela luz la foi minha sogra, que acordou no meio da madrugada e foi fechar a casa. Acendeu a luz e ainda me trancou do lado de fora, hahaha Parece um relampago, mas era só uma lampada. Como eu não tinha como apagar pelo interruptor tive que arrancar a lampada fora do bocal, hahaha

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.