Filmes do Laerte

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Categorias
Night mode

Pra quem não sabe, eu estou em pré-produção em parceiria com a Groia Filmes, de Juiz de Fora para realizarmos um curta em película – super 16mm, da história em quadrinhos – muito doida – do Laerte chamada MOTO.
Parece que não fui só eu que resolvi levar para a telona um quadrinho do Laerte.
Olha a notícia aqui em baixo:

http://br.news.yahoo.com/060328/25/135rs.html

Ter, 28 Mar – 13h00
Laerte leva seu universo das tirinhas para o cinema

Agência Estado

Na cidade inventada pelo quadrinista Laerte, os habitantes têm dedos no lugar das cabeças. O protagonista, solitário com sua cabeça normal, de ser humano, começa a desconfiar que, no final das contas, o diferente é ele.

História publicada pela primeira vez em 1983 na revista Chiclete com Banana, depois republicada na Piratas do Tietê sete anos depois, Aquele Cara virou curta-metragem pelas mãos do filho de Laerte, Rafael Coutinho, e será exibida hoje, às 20h, no Sesc Pinheiros (R. Paes Leme, 195). A entrada é gratuita, mas é preciso retirar a senha com uma hora de antecedência.

Rafael é um animador premiado. Já fez videoclipes para bandas como Pato Fu e para o rapper Xis, pelo qual ganhou o VMB 2003 de melhor clipe de rap.

Mestre em criar histórias surrealistas, transformar material de sonhos em quadrinhos, foi Laerte que escolheu Aquele Cara. “Sugeri a história como base para o roteiro porque tinha um bom material para um curta, com boas possibilidades de ação”, conta.

Não é a primeira vez que Laerte se envolve com animação. Desde janeiro deste ano estão sendo veiculadas chamadas no canal Cartoon Network com o personagem Overman, de sua autoria. E, em breve, Laerte deve ter seu principal trabalho, Piratas do Tietê, transformado em um longa metragem dirigido por Otto Guerra. O filme tem por enquanto o título provisório de Cidade dos Piratas. “É baseado em uma história que comecei a fazer, mas nunca saiu do papel. É uma espécie de folhetim”, explica Laerte, que não descarta que outras histórias da revista sejam adaptadas. A revista Chiclete com Banana ficou famosa nos anos 80 e chegou a ter tiragem de 100 mil exemplares por mês.

Comments

comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Eu dei duro aqui

Com 15 anos de sangue suor e lágrimas, eu me esforcei para fazer um dos blogs mais antigos e legais do Brasil. Mis de 5000 artigos, mais de 100.000 comentários, mais de 20 livros, canal, programa de rádio, esculturas... Manter isso, você pode imaginar, não é barato. Talvez você considere me apoiar no Patreon e ajudar o Mundo Gump a não sair do ar.
Ajuda aí?

Conheça meus livros

© MUNDO GUMP – Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução sem autorização.