Esculpindo o primeiro zumbi

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Categorias
Night mode

Bom, conforme combinei que faria, aqui estão as fotos do passo-a-passo do Zumbi C.

Tudo começa com a escolha do material. Para estruturar a massa, eu uso uma base de madeira de mdf comprada em loja de artesanato.

Nela eu faço dois furos, por onde passarei um arame de alumínio. O arame que eu uso é no exato calibre do furo.

Eu passo o arame por baixo da base, onde cavei uma conexão entre os dois furos, de modo que a base não fique em falso.

Depois eu tranço este arame, formando um tipo de “pino”, que vai suportar o peso do boneco. É importante fazer isso, senão o boneco desmilingue todo quando for ao forno.

Feito o pino, que é a coluna de sustentação da peça, eu pego papel aluminio, corto um pedaço e embolo sobre ele.

Eu aperto bem o papel aluminio, para fazer uma área de enchimento, que tem três razões existenciais: Economizar massa, ajudar a fazer a massa aderir bem ao pino central e ajudar o boneco a assar de dentro para fora, gerando um assamento uniforme na peça, o que prevenirá eventuais rachaduras. Sobre este pirolho, eu ainda vou colocar varias voltas de arame de aço, para firmar bem e ajudar a ancorar a massa na estrutura.

A massa que eu uso é uma massa importada especial de polímero a base de PVC, que endurece quando vai ao forno. Ela se chama Super Sculpey.

Aí sim eu começo a esculpir. A primeira fase é blocagem, então eu apenas coloco massa e aperto bem ao redor do pirolho.

Gradualmente eu vou puxando e apertando a massa para pegar a forma que eu quero.

Esta fase é lenta e um pouco tediosa. Eu diria até que ela é meio desmotivadora, porque nesta fase a gente já quer ver logo o boneco, todo detalhado, mas termina com uma coisa meio amorfa que parece ter sido feita por sua sobrinha de quatro anos.

Mas o lance é ir pacientemente, colocando mais e mais informação na peça. E corrigindo problemas.

Então você abre uma caixa de pão de mel e come compulsivamente. Entre um pão de mel e outro,  já pode blocar o crânio do zumbi, que nada mais é que uma bolota deformada.


Uma vez montada a estrutura, já pode começar a traçar com uma ferramenta afiada qualquer as linhas de guia para a modelagem do crânio.Essas linhas são, uma vertical, que divide a cabeça em duas metades.

E cerca de quatro horizontais, que servem para guiar a altura da testa, o centro dos olhos, a altura do nariz e a altura da boca. Claro que se você pesquisar, vai achar um monte de livro de anatomia que ensina o jeito “certo” de colocar essas proporções, mas confie em mim quando eu digo que essas proporções acadêmicas são uma referência. Poucas pessoas do mundo são simetricamente perfeitas. Basta pegar qualquer barca Rio-Niterói e olhar as figuras ao seu redor para ver que Deus brinca com as proporções faciais como uma criança que descobre o Kay´s power goo (porra, puxei do fundo do baú essa!)

Minha filosofia de trabalho é: Deixe as proporções exatas para mulheres bonitas. Zumbi, alien e criaturas do pesadelo não precisam ser precisamente proporcionais.

Algumas marcas que eu faço, são apenas de corte, onde vou mais tarde escavar e mexer bastante. Com uma minhoquinha de massa, eu modelo o nariz do nosso amigo C.

Eu também puxo o buraco da boca dele e ali vou adicionando detalhes, tipo língua, dentes, gengiva, etc.

No caso deste boneco especificamente, eu precisei planejar bem como ia fazer este buraco lateral na boca dele, porque eu precisava que os dentes aparecessem, dando uma tridimensionalidade, mas não poderia gerar um ângulo negativo na peça, que me impedisse de copiar ela com silicone depois. Por isso, são dois buracos distintos. Parece que tem, mas na verdade os dois buracos nãos e comunicam de verdade. É um efeito ilusório, e se não fosse assim, o silicone entraria ali e arrebentaria a peça (ou pior, a fôrma) na hora de remover a matriz. Aí Murphy fez sua participação especial na minha escultura e acabou a bateria da câmera.

Coloquei para carregar e não tive saco de esperar para continuar. Então eu toquei o barco. Basicamente o que eu fiz foi adicionar detalhes e mais detalhes, obsessivamente. Criei os olhos com esferas de rolamento, orelhas, rugas, e fiz uns acertos no pescoço, que estava grosso demais.

E aqui está o nosso amigo C, pronto para ir ao forno.

Acho que vai ficar bem maneiro depois de pintado, com sangue e baba. Confira aí os detalhes.




 

Próximo post: Assando, pintando e dando o acabamento ao boneco. Hoje ainda  (eu espero!)

Comments

comments

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

14 respostas

  1. philipe, VOCÊ SE SUPEROU. é de longe o seu melhor trabalho.
    vou começar a juntar uns trocados aqui… eu preciso desse boneco!
    parabens e boa sorte com o curta!

  2. Muito bom, Philipe, parabéns, mais uma vez. Você merece ser rico e famoso, cara. Uma pergunta. Esse zumbi também levou uma mordidinha carinhosa do Tyson? Hehehehehe! Abração!

  3. Filho da mãe você sempre se supera. Maldito! 
    Achei o zumbi fantástico, mas nessa etapa ele está meio “pacífico” demais. Tomara que com o cabelo, a pintura e a baba ele fique um pouco mais agressivo.
    Esses furinhos na parte de baixo são pra deixá-lo mais denso?

    Curiosidade legal. Tente procurar “Kay´s power goo” no google images pra você ver que bacana. o/

Deixe um comentário para Dadojung Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

© MUNDO GUMP – Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução sem autorização.