Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp

Tem profissões que exigem coragem. Essa é uma delas. O sujeito que trabalha consertando antenas de radio e Tv. Certamente que este trampo não é pra quem não curte altura. Geralmente, eles levam muito tempo só para chegar na ponta da antena, onde farão os reparos. Dependendo das condições climáticas, o cara tem que começar a descer antes mesmo de chegar no topo, pois há grandes chances dessas torres levarem raios.

Nesse video podemos ver não só o trabalho corajoso do técnico escalador, como também a bela operação do drone que registrou essa incrível profissão. Veja em tela cheia!

Uma dica do Alexandre Dominges

Consertando a antena

Comments

comments

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

11 ideias sobre “Consertando a antena

  • 4 de fevereiro de 2015 em 15:56
    Permalink

    Perguntas: qual a altura da antena? Quanto tempo o cara levou pra subir tudo aquilo? Ele deve ganhar um ótimo adicional por periculosidade, não?

    Resposta
  • 4 de fevereiro de 2015 em 17:08
    Permalink

    Tenho pavor de altura, me sinto mal e meus membros travam quando alcanço uma altura superior à minha (1,86m).Este vídeo me passou o mesmo mal estar que uma altura superior a 2m me passa. Sensação de formigamento no frontal das coxas, na parte de traz dos braços e aperto no peito.Ao fundo a curvatura do planeta já é percebida.Ótimo vídeo!

    Resposta
  • 4 de fevereiro de 2015 em 17:59
    Permalink

    Legal. Eu já subi e até hoje subo em algumas torres, mas nada nesse nível cavalar de altura. Ótimas imagens.
    No youtube tem também o vídeo de um cara subindo numa das torres mais altas do mundo, a torre tem motherfuckers 540 metros, são mais de meio quilometro de ferro, o vídeo é de um tal de ELETROWEB, da um bizu se tiver um tempo. Chega nos últimos metros da torre tem uma escadinha maior fuleira pra subir até a lâmpada, aventura louca.
    NR35 pra esses caras é pouco.

    Resposta
  • 4 de fevereiro de 2015 em 18:50
    Permalink

    Acho que vou passar longe… obrigada…

    Resposta
  • 5 de fevereiro de 2015 em 10:34
    Permalink

    Ai ele deixa cair a chave de fenda.

    Resposta
    • 6 de fevereiro de 2015 em 18:51
      Permalink

      Isso me lembrou um episodio do desenho do pica-pau.
      “Em todos esses anos nesta indústria vital….” “Testando 1-2-3 testando 1-2-3 “

      Resposta
  • 5 de fevereiro de 2015 em 13:30
    Permalink

    Impressionante….
    Mas uma coisa que me chamou a atenção não tem nada a ver com o tema central do vídeo. É a ausência total no horizonte de área de mata.
    Tirando uns “pézinho de árvore” ao redor das construções, são quilômetros e quilômetros de plantio (ou pasto, não dá para saber), e o córrego serpenteia completamente desnudado de vegetação ciliar.
    Obviamente não sei onde é essa imagem (penso ser EUA) e qual a flora local (pode até ser assim mesmo, só pastagem), mas o que me restou deste vídeo foi essa imagem!

    Resposta
  • 5 de fevereiro de 2015 em 13:31
    Permalink

    Massaaa!
    Imagino que pro cara trabalhar com isso, tenha que estar em ótima forma física, afinal subir tanto assim só no braço dá uma canseira! 😛

    Resposta
    • 5 de fevereiro de 2015 em 21:13
      Permalink

      Cardio-respiratória também. Só para ilustrar:
      Tive a brilhante idéia esses dias de subir numa torre de Igreja alta aqui em SP com a minha mãe e eu “burlando” a segurança… dava uns 45 lances de voltas de escadas ou “andares”, eu contei… Quando chegou no 25º andar, pensa no arrependimento, pensei que ia ser culpado de um ataque cardiáco ou dela ou meu… Mesmo assim chegamos no topo. Deve ser quase uns 100 metros.
      Veja o vídeo do lugar https://www.youtube.com/watch?v=eExvkXfbP0g
      MAS não se engane, o tamanho é massivo, e o pé direito da abóboda é GIGANTESCO, 65metros de altura… A torre do lado da abóboda parece pequena pela proporcionalidade, mas não é…

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.