Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp

Yoji Ookata estava mergulhando na costa do Japão quando se deparou com uma marca estranha no fundo. Ele desceu para observar melhor e ali estava o que parecia ser um crop circle, daquele tipo que parece nas plantações, mas dessa vez no fundo do mar. Yoji não fazia ideia de quem poderia ter esculpido aquilo na areia,  e jamais tinha visto algo assim no mar.




As misteriosas marcas permaneceram um misterio por um bom tempo, e gradualmente, ele acabou encontrando outras, sempre similares, num padrão circular que lembra uma flor, mas com uma ou outra característica diferente.

Com o passar do tempo, Yoji Ookata ja havia até se esquecido das estranhas e misteriosas marcas no leito do oceano quando vendo um simples documentário na Tv ele descobriu do que se tratava e quem ea o autor das incríveis formas no leito marinho:

Este é um simples baiacu. O baiacu é um peixe muito dócil, que gosta de nadar perto da costa, e por ser extremamente venenoso, só é consumido em quantidade no Japão. Historicamente, segundo a lei local, o baiacu é o único peixe do qual é proibido o imperador se alimentar . Uma das maiores características do baiacu é que quando assutado, ele ingere água e infla, até virar uma bola enorme.

Ele faz isso para dissuadir os predadores de tentarem engolí-lo. Ele consegue inflar tanto que entupiria na garganta de qualquer peixe, levando seu predador junto com ele para o beleléu.

As estranhas marcas são produzidas pelo Baiacu para poder acasalar. Ocorre que a fêmea nada muito perto do leito, e por isso, o macho constrói esse intrincado padrão na areia, para orientar a fêmea no caminho que ela deverá seguir para se encontrar com ele. Geralmente, o namoro acontece ali no meio e a fêmea deposita os ovos no centro da “flor”, onde serão fecundados.

fonte

 

 

As misteriosas marcas no fundo do mar

Comments

comments

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

9 ideias sobre “As misteriosas marcas no fundo do mar

  • 21 de setembro de 2012 em 13:21
    Permalink

    Engraçado a informação de q o baiacu se enche de água para inflar! Eu me lembro de quando pescávamos este peixinho e fazíamos “cosquinha” na barriga dele pra ele inflar!

    Resposta
  • 21 de setembro de 2012 em 16:22
    Permalink

    que bicho inteligente, nem eu consigo fazer algo assim rsrs

    Resposta
  • 22 de setembro de 2012 em 17:31
    Permalink

    ou seja, nada mais que um alvo … só faltou uma placa “quer dar? vem pra cá!”

    hehehe XD

    Resposta
  • 22 de setembro de 2012 em 17:33
    Permalink

    Agora, bate um pensamento curioso …

    se essas no fundo do mar são pra acasalar, aquelas no meio das plantações sã… oh wait …. XD

    tem ET “dando” no mato ? ashuasuahushuhaushuhaushuhaushuaush XD

    Resposta
  • 22 de setembro de 2012 em 19:21
    Permalink

    resumindo! os etes tem cara de peixe? kkkkkkk

    Resposta
    • 10 de outubro de 2012 em 12:15
      Permalink

      rapá, se tem cara de peixe não sei, só que se eu proseguir analisando e relembrando que em plantações “demarcadas” as plantas são quebradas numa mesma altura, de maneira rapida e silenciosa durante a noite e que humanos já fizeram testes usando tábua para tentar quebrar/dobrar o caule das plantas numa mesma altura pra desenhar, e se seguir pensando vou visualizar um ET caido de lado em estado quase epléptico fazendo igual o peixinho, pra fazer o circulo pra acasalar e … oh wait …

      más cuma ??? WHAT ??? mas será que eu tava certo no comentário acima ??? o.Ô

      ohmáigódis, ET´s quase epilépticos … WHAT ??? tenso … hehehe XD

      Resposta
  • 25 de setembro de 2012 em 9:18
    Permalink

    Mas eu lembro uma vez de pescar um baiacu e quando eu joguei ele na canoa ele começou a incher as bochechas de ar e se inflou…
    pouco mas inflou…

    Resposta
  • 4 de outubro de 2013 em 22:16
    Permalink

    Bem, creio que o peixe infla com ar, posto que continua flutuando, e não água, que faria com que ele afundasse. Fica a dica para uma futura pesquisa.

    Abraços.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Alerta: Conteúdo protegido !!